Murilo Guimarães
Murilo GuimarãesFoto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

Não tinha como fugir, né? Depois que escrevi sobre o outubro rosa, duas semanas atrás, o tema se tornou (quase) obrigatório. Mesmo considerando a grande diferença que existe, de um lado a “poesia” das mamas, fonte de saúde de bebês e belos representantes da feminilidade, enquanto a próstata... Cujo exame físico tanto povoa as piadas masculinas! Quando, bem ao contrário, deveria ser levado muito a sério, pelo seu potencial de detectar câncer precocemente. O que sempre favorece as taxas de cura.

Então, companheiro, fica a mensagem: procure um urologista, deixe o preconceito de lado e... Você sabe!
Decisão tomada de escrever sobre o assunto, aí veio o próximo problema: fazer o paralelo do rosa com o vinho rosé foi fácil, mas vinho azul... Passou na cabeça falar sobre o Johnnie Walker blue, mas que de azul só tem a garrafa. Tal qual o saboroso gim Bombay e até mesmo os famigerados vinhos da “garrafa azul”. Servia não. Foi então que me lembrei de um artigo que escrevi sobre cores de vinho, onde mencionei uma novidade, o vinho azulado. Nascida da inquietude de seis jovens espanhóis, a GIK - empresa e nome do vinho - “representa o lado inovador da vida”. “Não somos vinhateiros, somos criadores”, é o que afirmam. Por isso, depois de escolherem o mundo do vinho, definiram pela criação de um produto radicalmente diferente. Leram sobre “oceanos vermelhos”, onde prevalecem os azuis e... Eureka! Iriam inverter essa ordem e fariam do vinho tinto uma bebida azul. Com a colaboração da Universidade do País Basco e da Azti Tecnecalia (um grupo de pesquisa alimentar), elaboraram um vinho com castas brancas e tintas, a ele adicionando antocianinas e corante índigo, para dar o tom azulado. Por fim, adoçaram para suavizar o gosto. As uvas são adquiridas de vinícolas espanholas e francesas, naquelas onde encontraram espírito inovador! Ano passado lançaram na Europa, com preço em torno de €8. Vamos testar, leitor? Bem, se não quiser pagar esse preço, já existe concorrência no mercado. A Bacalhôa Vinhos decidiu elaborar o Casal Mendes Blue, feito com uvas brancas e a adição de corantes azuis, alegadamente naturais. Envasaram em uma linda garrafa e colocaram à venda por cerca de €3, lá em Portugal, onde não é considerado vinho pelo IVV, mas uma “bebida aromatizada à base de vinho”. Semânticas a parte, foi aprovada em recente degustação.

Não me surpreenderei se a cultura do modismo nos inundar com vários vinhos azuis.

Mas sem jamais esquecer que a originalidade foi da espanhola GIK.
Concluo com uma frase que me soa bem representativa. “Quanto mais profundo o azul, mais fortemente ele atrai o homem para o infinito, despertando nele um desejo pelo puro”, disse Wassily Kandinsky, grande pintor russo, conhecido como “o cavaleiro azul”. Pois então, amigo, que nós homens procuremos o infinito de nossas vidas, cuidando da saúde prostática. Assim, continuaremos dizendo, por muito tempo, tim, tim, brinde à vida.
Festival da lagosta
Se você, como eu, aprecia essa iguaria do mar, aproveite, durante este mês de novembro, o 7º Festival da Lagosta de Maragogi. Haverá menu especial para os hóspedes do Salinas do Maragogi All Inclusive Resort. E não esqueça de acompanhar com um saboroso vinho branco.
ADEGA
Vinho do Poeta 2012
Preço: cerca de R$ 50 Onde: Várias lojas
Esse novo produto da Quinta Maria Izabel, de ótima relação qualidade-preço, vai agradar bastante o paladar dos que apreciam vinhos encorpados, sobretudo quando acompanham carnes e alimentos de sabor marcante. Espero encontrá-lo nos bons restaurantes do Recife.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: