Murilo Guimarães
Murilo GuimarãesFoto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

Negócio meio esquisito, não é leitor? Vá lá que é verão e está calor demais, mas botar pedra de gelo em taça de vinho é inconcebí­vel. Era. Até que a Moët & Chandon criou a Moët Ice. Enologica­mente concebida para esse fim, tem teor de açúcar no nível de uma demi-sec (lembrando que apesar do termo meio seco, é mais doce que a brut) e algumas características que permitem esta heresia. 

Experiência bem aceita pelo mercado, a Moët foi seguida por outras vinícolas. Entre elas a Freixenet, famosa produtora de Cava – nome dado ao espumante espanhol oriundo da Catalunha, feito pelo método tradicional – que lançou recentemente sua versão Ice no Recife. A ser consumido apenas com gelo ou com a adição de frutas e especiarias. Sim, o objetivo é um coquetel refrescante, na mesma linha de uma caipifruta. Diria mais, mirando no mesmo público, preferencialmente feminino.

O correto é utilizar uma taça maior, para vinho tinto Cabernet, onde você coloca o Freixenet Ice, três pedras de gelo e o que mais sua imaginação desejar. Pegando carona em sugestões do Boteco Porto Ferreiro e da sommelier Fabiana Gonçalves, vou lhe dar três ideias. A primeira é com lichia. Use umas quatro, cortadas em pe­daços. Mo­rango (ou outras frutas vermelhas silves­tres) é outra boa escolha. Mas se você prefere sabores mais picantes, folhas de hor­telã e gengibre macerado, juntos, resultam em um drinque bem refrescante. De­gustei essas duas últimas receitas e gostei bastan­te. Outras opções: limão, li­ma, laranja (com ras­pas de suas cascas), pepi­no, grãos de cardamomo... Libere seu la­do barman, crie e, se gostar do resultado, mande a re­ceita para a coluna, leitor. Pa­ra você confiar na vinícola Freixenet, vou lhe falar um pouco sobre ela. Fundada em 1861 na re­gião de Penedès, a sudoeste de Barcelona, teve seu grande impul­so com a união matrimonial de Pedro Ferrer e Dolores Sala Vivé, de duas famílias ligadas à enologia local, nos idos de 1889.

Respon­sável pelo grande sucesso mundial da empresa, o cava foi criado por eles. Há vários na sua linha de produção, com destaque para o Carta Nevada e o Cordón Negro, do tipo brut, que são vendidos em Recife por cerca de R$ 75, uma ótima relação qualidade-preço. Restando dizer que a Freixenet é a maior produtora de cavas da Espanha, está presente em todo mundo e hoje é representada em Pernambuco pela LD Importadora. Mãos à obra (e à heresia liberada do gelo). Bole seu coquetel com a Ice e faça tim, tim, brinde à vida.
VIAGEM AO MUNDO DO VINHO
Maurício e Luli Dias criaram o ramo turístico da Enoclass, produtora de eventos ligados ao vinho. Agora em abril vão fazer a viagem inaugural, com um tour enológico através de 10 das melhores vinícolas portuguesas. Sem falar nos deliciosos restaurantes incluídos no roteiro. É uma oportunidade ímpar para você conhecer a ótima enologia lusitana. Mais informações: 9981.5777.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: