Blusa da Renner R$ 139
Blusa da Renner R$ 139Foto: Divulgação

 

Tudo bem, vamos falar de roupas e acessórios com estampa xadrez para pular a fogueira no São João. Mas não sejamos óbvios e vamos escolher uma padronagem pouco explorada nessa época junina: a versão vichy.

Já ouviu falar? Trata-se de quadradinhos minimalistas, separados por linhas certinhas, em variações de combinações de branco com preto, vermelho, amarelo, verde, azul, rosa... Você é quem manda - na cartela de cores e no tamanho dos quadrados. Quanto maiores, mais despojados. O vermelhinho lembra a clássica toalha de piquenique, ou aquelas colocadas sobre as cantinas italianas igualmente clássicas.
Mas esqueçamos a Itália e voltemos para os arraiais. Se você já viu o xadrez também conhecido como gigham, deu para perceber que, a depender do look, o visual pode ficar bem folk. Traduzindo em bom português, seria uma versão americana do caipira, com botas de cowboy e bolsa franjada.

Para complementar essa atmosfera campestre, apliques de bordados florais são bem-vindos, assim como xales e coletes franjados. Se quiser acrescentar um chapéu de feltro no mood hippie, não se acanhe e aproveite os dias de frio.

Essa proposta, inclusive, é super hypada e cai bem no asfalto, mesmo quando a fogueira apaga e o forró termina. Tanto é que tem aparecido xadrez vichy nos sapatos, sandálias, detalhes de bolsas, camisas, bermudas, shorts, biquínis, armações de óculos, macacões tipo pantacourt...

Para deixar de lado qualquer vestígio bucólico, basta atualizar a modelagem, investindo em peças assimétricas ou no mix do xadrez com outras estampas sobrepostas, ou mesmo na composição com outras peças, como o jeans. O composê da saia rodada anos 1950 com camiseta ou cropped e um sapato mais pesadão, como um coturno também deixa o clima bem mais urbanoide.

Nos vestidos, basta um cinto grosso de fivela pesadona para mudar qualquer delicadeza que os quadradinhos possam transmitir, caso sejam muito pequeninos. Na versão maxi eles são mais agressivos. Para os homens executivos, o vichy tem que ser minúsculo para ser formal e combinar com paletó e gravata. Já nos dias casuais, como na quadrilha do vizinho, nada contra a alternativa maiorzinha.

O vichy nasceu nos anos 1950, na cidade francesa de mesmo nome, conhecida pela fabricação de tecidos de algodão para aventais e camisas. Virou moda depois que a diva Brigite Bardot imortalizou a padronagem no filme "E Deus criou a mulher" (1956), onde aparece com alguns looks no xadrez com clara divisão entre cores e espacinhos bem definidos.

Elegante e afável de nascença, nada como acrescentar um toque de ousadia nos quadradinhos comportados e subverter o look de São João. Dá para sair da mesmice sem abrir mão de curtir as tradições.

 

Blusa da Renner R$ 139
Blusa da Renner R$ 139Foto: Divulgação
Macacão pantacourt Cantão
Macacão pantacourt CantãoFoto: Divulgação
Loucos e Santos
Loucos e SantosFoto: Divulgação
Loucos e Santos
Loucos e SantosFoto: Divulgação
Loucos e Santos
Loucos e SantosFoto: Divulgação
Tênis Moleca
Tênis MolecaFoto: Divulgação
Camisa Reserva
Camisa ReservaFoto: Divulgação
Camisa Reserva
Camisa ReservaFoto: Divulgação

veja também

comentários

comece o dia bem informado: