Camila Estephania
Camila EstephaniaFoto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

 

A caminho da Macuca do Mundo no último sábado, a banda do pernambucano Siba comentava com empolgação sobre a apresentação em Nazaré da Mata, no festival Boca da Mata. Ao chegar na Fazenda Macuca, em Correntes, onde ocorreu a Macuca do Mundo, ouvi do músico Juliano Holanda que ele precisava ir embora antes do fim do evento, porque se apresentaria também no festival Pós Cana, em Goiana. Em um final de semana, foram três eventos diferentes em cidades pernambucanas distintas, o que indica um ótimo momento musical no Estado, apesar da crise. Além de dinamizar o Interior e ampliar o público dos artistas locais, tais iniciativas têm convidado o próprio pernambucano a conhecer melhor o seu Estado. Atento a esse movimento, o Rec-Beat, um dos nossos maiores festivais, se associou à Fazenda Macuca e provou, no último fim de semana, que levar novas propostas a outras cidades pode ser mesmo uma alternativa para diversificar a agenda dos recifenses, que já se queixam há bastante tempo da falta de espaços da Cidade.

O Rec-Beat se associou à Fazenda Macuca e provou que levar novas propostas a outras cidades pode ser alternativa para diversificar

BAHIA > E por falar em novos espaços, o festival recifense No Ar Coquetel Molotov vai chegar a Salvador. A primeira edição baiana do evento ocorrerá em 14 de janeiro, no Museu do Ritmo, e tem Ava Rocha e OQuadro, entre os confirmados. A versão vinha sendo negociada desde 2015 e deve incrementar ainda mais o diálogo do evento com a música brasileira.

GERAÇÕES MUSICAIS > O Maestro Spok e o percussionista Adelson Silva são os convidados do último Gerações Musicais de 2017. O evento ocorre amanhã, às 19h, na Galeria Arte Plural, e propõe um debate sobre o frevo entre os dois mestres do gênero, adiantando o Carnaval. Além do bate-papo, os músicos também devem dar uma palinha. A entrada é gratuita.

 

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: