Na série que acaba de entrar na Netflix, Drew Barrymore vive corretora morta-viva casada com o personagem interpretado por  Timothy Olyphant
Na série que acaba de entrar na Netflix, Drew Barrymore vive corretora morta-viva casada com o personagem interpretado por Timothy OlyphantFoto: Divulgação

Se Drew Barrymore pudesse comer alguém, comeria Cate Blanchett. A informação poderia soar fortuita, caso não se referisse a uma atriz que estreou neste mês na carreira de zumbi. Barrymore (“Grey Gardens”) é a protagonista de “Santa Clarita Diet”, uma das apostas do Netflix para este semestre. São dez episódios de comédia macabra, em que ela atua ao lado de Timothy Olyphant (“Justified”).

A série conta a história de Sheila, uma corretora de imóveis no subúrbio de Santa Clarita, próximo a Los Angeles, que de repente adquire a estranha mania de devorar carne humana. Ela precisa conciliar a monstruosidade com o cotidiano. A transformação faz com que ela passe a aproveitar mais a vida - com alguma ironia, pois está morta. Sheila compra um carro vistoso, exige mais sexo e assume a liderança de seu relacionamento, aconselhando as vizinhas a fazerem o mesmo.

A série tem um sabor óbvio, mas Barrymore reluta em usar a palavra. “Sheila come pessoas, então é difícil dizer que seja feminista”, diz em Berlim, para onde viajou a fim de promover a série. “Mas há uma mensagem de empoderamento, uma inversão de papéis em que ela é mais o marido”, afirma. O empoderamento, conta, veio em bom momento. Barrymore divorciou-se em 2016 de Will Kopelman. “Estava em um momento difícil da minha vida quando comecei a gravação. Não sei se é uma mensagem feminista, mas eu estava mais feliz depois da série”, explica.

Parceria

A transformação de Sheila em um zumbi é, de uma maneira inquietante, tratada na série sem muito furor. O casal continua lidando com os afazeres domésticos e compromissos sociais, equilibrando a carniça com reuniões na escola da filha. Não é uma série sobre canibalismo, mas sobre relacionamentos. Entre mortos e feridos, o casal se esforça para satisfazer um ao outro e manter sua família unida. “Gosto do fato de que eles formem um time”, diz. É metafórico. Eles fazem o que é preciso para isso funcionar”, ressalta.

Timothy Olyphant, que faz o marido, conta não ter se concentrado na mensagem feminista da série. O assunto importante é, para ele, a crise da meia-idade. “Sheila se sente mais ela mesmo do que antes. Isso é assustador e todo mundo passa por isso”, diz o ator. Barrymore não pôde comer Cate Blanchett (“ela riria se eu contasse isso para ela”). A atriz precisou, no lugar disso, deleitar-se com a falsa carne humana preparada pela produção da série. “Tinha consistência estranha e cheirava mal, mas fui adiante”, diz. A dieta reduziu seu peso de 65 kg a 56 kg.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: