Mais um feriadão chegou, mas, para quem se prepara para concurso, a hora é de colocar em prática os estudos e exercitar tudo o que foi lido e estudado até agora. Que tal mais um exercício neste simulado publicado em Concurso e Emprego da Folha de Pernambuco? As dicas são do professor Heber Vieira.

Como se tornar o número 1

Chegar ao posto mais alto de uma empresa não é tarefa para acomodados. Exige talento, dedicação, persistência e principalmente uma boa dose de sacrifício. Segundo consultores de recursos humanos, é justamente esse empenho e espírito de liderança que as empresas valorizam nos ocupantes de cargos mais altos. “A pessoa deve ter iniciativa, capacidade de tomar decisões, fazer as coisas acontecerem”, diz o diretor da Top Human Resources, de São Paulo.

A qualificação profissional também é um dos principais aspectos para se alcançar o posto mais alto. “Qualquer executivo tem de investir sempre em sua educação”, enfatiza outro diretor de recursos humanos. “Senão você será um computador sem software”, completa.

Traçar metas profissionais é outro aspecto fundamental para quem quer chegar ao topo. Nesse caso, a ambição acaba sendo uma boa aliada.

A intuição também é uma boa arma na hora de dar um palpite em uma reunião. E, quem sabe, pode valer aquela promoção esperada...

Conhecer passo a passo cada etapa do processo de produção da empresa e do setor é um dos principais fatores que levaram M. C. P. a uma carreira bem-sucedida. Ele aponta ainda a importância de valorizar os colegas. Ninguém consegue as coisas sozinho. “É fundamental reconhecer a participação do grupo e sempre motivá-lo”.

A primeira regra da cartilha daqueles que anseiam alcançar um alto cargo em uma corporação, de acordo com esses consultores, é não permanecer estagnado em uma função ou empresa por um longo período.

Daniela Paiva. Emprego e formação profissional. In: Correio Braziliense, 23/6/2002 (com adaptações).


1. Julgue a alternativa incorreta a respeito dos itens subsequentes com relação aos recursos de coesão textual e à adequação das palavras e da pontuação utilizadas no texto.

a) O adjetivo “acomodados” está empregado, textualmente, em oposição ao conjunto de substantivos expressos em “talento, dedicação, persistência e principalmente uma boa dose de sacrifício” que, por sua vez, podem ser interpretados como resumidos em “esse empenho”.

b) O emprego de “outro”, “também” e “ainda” mostra que diferentes classes gramaticais podem desempenhar a função de manter a coesão textual entre os parágrafos e no texto como um todo.

c) Ao usar, tão frequentemente, o recurso do discurso alheio, o autor do texto toma o cuidado de marcar por aspas aquelas afirmações que mostram o discurso direto.

d) De acordo com o desenvolvimento da argumentação, a troca de lugar entre o último período sintático do texto (A primeira regra da cartilha...) e o primeiro ( Chegar ao posto mais alto de uma empresa) preservaria a coerência e a coesão textuais.

e) A inserção de “fizer isso” seguido de vírgula imediatamente após SENÃO ( fim do segundo parágrafo) provoca erro gramatical.

 2. Levando-se em consideração os aspectos linguísticos do texto, assinale a alternativa correta.

 a) No trecho “qualquer executivo tem de investir sempre” pode ser reescrito assim: Todo executivo têm que investir sempre.

b) No trecho “Chegar ao posto mais alto de uma empresa”, a forma Chegar no posto... preserva as informações gramaticais, deixando, inclusive, o texto mais coerente.

c) “Exige talento, dedicação, persistência”, a oração em destaque é formada por sujeito indeterminado.

d) Nesse caso, a ambição acaba sendo uma boa aliada. O termo destacado estabelece, textualmente, referência anafórica com o que o antecede imediatamente: “chegar ao topo”.

e) No período em que está inserido, “reconhecer a participação do grupo” funciona como sujeito.

Texto 2

Em geral, quando falamos de violência, pensamos em uso da força, com vistas à exclusão de grupos ou indivíduos de uma dada situação de poder. Essa violência pode ou não encontrar resistência na violência dos excluídos. Como quer que seja, nos dois casos estão em jogo os princípios axiológicos que permitem arbitrar o que é legal ou ilegal, legítimo ou ilegítimo, na interação entre os humanos. O ponto central é a noção de abuso de poder, de invasão desestruturante de uma ordem desejável, posta no horizonte ético da cultura.

O fato histórico do alheamento de indivíduos ou grupos humanos em relação a outros não é novo na dinâmica social. Desqualificar moralmente o outro significa não vê-lo como um agente autônomo e criador potencial de normas éticas ou como um parceiro na obediência a leis partilhadas e consentidas ou, por fim, como alguém que deve ser respeitado em sua integridade física e moral.

No estado de alheamento, o agente da violência não tem consciência da qualidade violenta de seus atos. Se o possível objeto da violência nada tem a oferecer-lhe, então não conta como pessoa humana e pouco importa o que venha a sofrer. Ao contrário da crueldade inspirada na rivalidade ameaçadora, real ou imaginária, a indiferença anula quase totalmente o outro em sua humanidade.


 3 .Com respeito ao emprego das expressões ou palavras no texto II, julgue o que não está de acordo com as informações sintático-semânticas dele.

 a)Por estar empregado na acepção de discorrer, o verbo falar, na expressão “falamos de violência”, admite alternativamente o emprego da preposição em ou sobre, em lugar de “de”.

b) Mantém-se a coerência textual e a correção gramatical se, na expressão “à exclusão de”, o termo sublinhado for substituído pelo verbo excluir, com a consequente retirada da preposição “de”.

c) As expressões “o outro”, “-lo” e “alguém” estabelecem uma cadeia coesiva, designando o mesmo referente.

d) Não ocorre o sinal indicativo de crase em “a leis” por não estar aí empregado o artigo definido feminino.

e) Por indicar eventualidade, o tempo de presente da forma verbal “que venha a sofrer” admite a substituição pela forma de futuro no modo correspondente sem que sejam desrespeitadas a coerência textual e as regras gramaticais.

 4. Com respeito à organização das ideias no texto II e aos seus aspectos linguísticos, julgue o que não está correto.

a) O texto pode ser assim resumido: a violência é uma invasão desestruturante de uma ordem desejável que não se dá apenas pelo uso da força, mas também pela indiferença, pela desqualificação moral do outro.

b) A progressão temática no texto vai da generalização do problema à ilustração histórica para chegar, no terceiro parágrafo, à individualização da violência.

c) Os vocábulos históricos, autônomos e indivíduos não são acentuados pelo mesmo motivo.

d) No trecho “o agente da violência não tem consciência da qualidade violenta de seus atos”, a forma possessiva seus refere-se ao substantivo que vem imediatamente após: “atos”, concordando em gênero e número com ele.

e) No trecho “ quando falamos de violência”, o trecho sublinhado pode ser substituído por toda vez que sem causar danos gramaticais e contextuais.

5. Sobre concordância verbo-nominal, regência, uso da crase e pontuação, analise os itens a seguir:


I. Não há de existir motivos para violência.
II. O juiz procedeu a sessão do julgamento do réu.
III. Assiste-se sempre a cenas fortes de violência.
IV. Por mais que se façam reuniões acerca do mesmo tema, na prática, nada é mudado.
V. O respeito que os manteve juntos há quarenta anos foi quebrado naquele dia.

O que está de acordo com a norma padrão se encontra em:

a) III,IV e V.
b) II e IV.
c) I,III e IV.
d) II,III e IV.
e) II,III,IV e V.


GABARITO:

1- D  
2- E
3- C
4- D
5- A

Queridos leitores, quero comentar com vocês que eu tive a ideia de escrever mais uma vez sobre crase por causa da minha aula de hoje no curso preparatório para o concurso de Analista do Tribunal de Justiça de PE.

Vamos, então, aos conceitos sobre o assunto de crase, esse fenômeno pode ser definido como: a união, a fusão de dois “AS”, que não necessariamente serão preposição + artigo. Essa fusão será marcada pelo uso do ACENTO GRAVE indicativo de crase ( ` ).

Quando falamos que não seria necessariamente a junção da preposição + artigo, quisemos desmistificar o que é dito recorrentemente até em alguns escritos. Na verdade, poderemos unir a preposição A com quatro “AS”:

1. Preposição + artigo: Costumo dirigir-me às alunas com muito respeito. A preposição A veio do verbo dirigir-se e o artigo AS precedeu o substantivo alunas. Como a repetição de letras semelhantes seria proibida, houve a união dos dois AS com a devida sinalização (`).

2. Preposição + A inicial dos pronomes AQUELE(S), AQUELA(S), AQUILO: Fale a verdade, mas limite-se ÀQUILO que lhe perguntarem. Observemos o termo regente - LIMITE-SE. Sabemos que quem se limita se limita A; e é este A (preposição) que vai unir-se ao A inicial do pronome demonstrativo AQUILO.

3. Preposição + A ou AS pronome demonstrativo: Vi uma mala semelhante à que me deste de presente. Vemos que o A ou AS são demonstrativos quando podem ser substituídos por aquela(s) diante do relativo que ou da preposição de. Só assim poderá haver o uso do sinal indicativo de crase diante dessas suas palavras. (que e de)

4. Preposição + A ou AS que fazem parte dos relativos A QUAL, AS QUAIS: Não conheço a professora à qual te referes. Recorde-se da norma de regência que foi vista no domingo anterior. “Havendo pronome relativo dentro do período e depois dele qualquer temo que exija preposição, esta se deslocará para antes do relativo.” Lembra?

Vamos a mais alguns exemplos a fim de fixar melhor o que dissemos antes:

a) As informações foram solicitadas à diretora. (Preposição + artigo)

b) Entregamos a encomenda àquela menina. (Preposição + pronome demonstrativo “aquela”)

c) Esta é a aluna à qual me refiro. (Preposição + a inicial do relativo “a qual”)

d) Comprei uma moto semelhante à que me deste no ano passado. (Preposição + “a” que funciona como pronome demonstrativo)

Um grande abraço a todos e continuemos estudando muito.

* Li­cen­cia­da em Língua Portuguesa e Espanhola pela UFPE, especialista em Gramática Normativa.

Mais de 20 concursos começaram a inscrever nesta semana para o preenchimento de 1.016 vagas
Mais de 20 concursos começaram a inscrever nesta semana para o preenchimento de 1.016 vagasFoto: Reprodução/Internet

Ano a ano, mais profissionais decidem voltar aos livros e apostilas para se preparar para conquistar uma aprovação em concurso público. Para os que já estão se preparando e não fazem questão de morar em outra cidade, o leque de opções se amplia. Rondônia, Bahia, São Paulo, Paraná, Amapá, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Sergipe, Mato Grosso, Minas Gerais e Santa Catarina são alguns dos destinos possíveis. Confira algumas das seleções abertas esta semana:

- O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo abriu concurso para preenchimento de 276 vagas para o cargo de Juiz Substituto, com salário inicial de R$ 24.818,71. As inscrições, que devem ser feitas por candidatos com nível superior de bacharel em Direito, mais três anos de atividade jurídica, custam R$ 248,18. O prazo se encerra no dia 17 de maio. Site: www.vunesp.com.br.

- São 24 vagas no Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia para Atividades Notariais e/ou Registrais para atuação em Cartórios. As inscrições, que custam R$ 400,00 devem ser feitas por candidatos com nível superior completo em Direito ou comprovação de exercício de serviço Notarial ou Registral por dez anos pelos sites www.cartorio.tjro2017.ieses.org ou www.tjro.jus.br até 19 de maio de 2017.

- A Secretaria da Administração do Estado da Bahia abriu seleção para 31 vagas no cargo de Técnico de Nível Médio - Apoio Administrativo, em Salvador, para contratações temporárias pelo Regime Especial de Direito Administrativo - REDA. Candidatos com nível médio têm até o dia 24 de abril para efetivar a inscrição pelo site selecao.ba.gov.br. Salários de R$ 1.569,17 e inscrições: gratuitas.

- A Prefeitura de Apucarana, no Paraná, quer preencher 34 vagas em cargos de níveis fundamental, médio e superior, com salários entre R$ 947,69 e R$ 5.857,16. As inscrições, que custam de R$ 30,00 a R$ 90,00 e devem ser feitas até o dia 16 de maio pelo site www.concursosfau.com.br.

- A Prefeitura de Rolim de Moura , em Rondônia, quer preencher 75 vagas nos cargos de cargos de Enfermeiro, Fonoaudiólogo, Médico Clínico Geral, Médico Anestesista, Médico Angiologista, Médico Cardiologista, Médico Pediatra, Nutricionista, Terapeuta Ocupacional, Advogado, Técnico em Enfermagem, Técnico em Radiologia e Agente Comunitário de Saúde. Os salários vão de R$ 869,53 a R$ 7.522,86. Inscrições: de R$ 50,00 a R$ 100,00 até 19 de maio pelo site www.paconcursos.com.br.

- A Prefeitura de Limeira, São Paulo, abriu 56 vagas salários que variam entre R$ 1.495,98 e R$ 5.455,57 para a Secretaria de Saúde. As vagas vão de ensino fundamental, médio a superior. Inscrições, com taxas de R$ 27,00 a R$ 60,00 até 10 de maio pelo site www.institutomais.org.br.

Governo convocou aprovados
Governo convocou aprovadosFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara determinou a convocação imediata de 1.322 candidatos aprovados no concurso público para soldados da Polícia Militar de Pernambuco, para matrícula no curso de formação e habilitação de praças. Participam dessa etapa os candidatos aprovados no exame de habilidades e conhecimentos, de aptidão física, avaliação psicológica e julgados aptos nos exames médicos.

O anúncio foi publicado nesta terça-feira (18), no Diário Oficial, pela portaria conjunta assinada pelos secretários Milton Coelho (SAD) e Ângelo Gioia (SDS). A lista completa dos convocados pode ser conferida aqui.

Cada candidato deverá apresentar, no período de 2 de maio até 2 de junho de 2017, a documentação prevista no edital e protocolá-la no campus de Ensino Mata, localizado na BR-408, no quilômetro 76,5, em Paudalho, das 8h às 12h, que será analisada para confirmação das matrículas e início do curso de formação. Após a conclusão do curso na Academia de Paudalho, os novos praças entrarão em serviço até dezembro deste ano.

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta quarta-feira (12), novas medidas para melhorar os índices de Segurança Pública no Estado. Entre as ações anunciadas pelo governador Paulo Câmara está a criação de concurso público para a contratação de 500 agentes por ano. Segundo ele, esse número significa um aumento de 15% no pessoal e deve repor principalmente as aposentadorias, além de oferecer policiais para áreas que precisarem de reforço.

Uma das medidas para melhorar a atuação da polícia no Estado anunciadas por Paulo Câmara foi a criação de concursos públicos que devem contratar 500 agentes por ano. Segundo ele, esse número significa um aumento de 15% no pessoal e deve repor principalmente as aposentadorias, além de oferecer policiais para áreas que precisarem de reforço.

APROVADOS EM CONCURSO

Antes do início da coletiva, aprovados nos concursos das polícias Civil e Científica procuraram a redação da Folha de Pernambuco, por meio do telefone e do WhatsApp, para sugerir perguntas ao governador, que realizaria uma coletiva de imprensa para anunciar novas medidas para garantir a Segurança Pública do Estado.

O grupo queria saber principalmente qual o posicionamento do Estado com relação à recomendação do Ministério Público, que solicitou o cancelamento da etapa do exame psicotécnico. Os leitores souberam que o Governador falaria ao público por meio de uma notícia veiculada no início da tarde no portal FolhaPE e nas redes sociais da Folha de Pernambuco.

Em suas mensagens, os leitores informaram que o concurso estaria parado há mais de um mês, aguardando o resultado da fase final. Eles queriam saber principalmente quais seriam as datas de início do curso de formação, quantas pessoas seriam chamadas para as funções de delegado e agentes escrivães e se seria mantida a decisão de cancelar o teste psicotécnico.

“Saber sobre a posição do governo em relação ao eventual novo teste psicotécnico é de suma importância para nós aprovados e para a sociedade, tendo em vista a inércia do governo diante da crescente violência do estado, se amparando em atrasar o concurso por uma falha que não existiu”, escreveu a leitora Stephanie Almeida Araújo.

As perguntas foram imediatamente encaminhadas ao repórter que estava no local, que interpelou o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle. “Em sendo cumprida a fase do psicotécnico, que foi a fase que o Ministério Público cancelou, eles iniciem em maio, essa é a previsão da Polícia Civil", explicou Joselito.

Segundo ele, a etapa do teste psicotécnico foi cancelada por recomendação do órgão, e o Governo do Estado está cobrando a realização da prova à empresa responsável, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), mas ainda não há previsão para a realização do exame. Ele também afirma que as vagas foram aumentadas e o concurso, que previa 100 delegados e 500 agentes escrivães, deve receber 140 e 600, respectivamente.

Os leitores podem procurar a redação do Blog dos Concursos através do e-mail blogdosconcursos@folhape.com.br.

1.(CESPE/TÉCNICO-TRE-MT/ 2009)
Assinale a opção correta a respeito dos direitos e deveres individuais e coletivos:


A) Em razão do caráter absoluto do princípio da isonomia, não se admite o estabelecimento de proibições relativas ao acesso em determinadas carreiras por critério de idade.

B) O dano moral, que atinge a esfera íntima da vítima, agredindo seus valores, humilhando e causando dor, não recai sobre pessoa jurídica.

C) A garantia constitucional da inviolabilidade de domicílio abrange qualquer compartimento habitado, mas não os compartimentos onde alguém exerce atividade profissional.

D) A CF assegura a prestação de assistência religiosa tanto às entidades hospitalares privadas quanto às públicas, bem como aos estabelecimentos prisionais civis e militares.

E) O sigilo das comunicações telefônicas é inviolável, podendo ser rompido somente por autorização judicial ou por decisão da autoridade policial responsável pelo inquérito, quando existirem fundados elementos reveladores da prática de crime.

2. (CESPE/ TÉCNICO-TRE-MT/ 2009)
Com relação às garantias constitucionais, assinale a opção correta:


A) O habeas corpus pode ser impetrado tanto contra ato emanado do poder público como contra ato de particular, sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção.

B) O mandado de segurança pode ser interposto mesmo contra ato administrativo do qual caiba recurso administrativo com efeito suspensivo, independentemente de caução.

C) O habeas data destina-se a assegurar o conhecimento de informações pessoais constantes de registro de bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público, desde que geridas por servidores do Estado.

D) O mandado de injunção tem como objeto o não cumprimento de dever constitucional de legislar que, de alguma forma, afete direitos constitucionalmente assegurados, sendo pacífico, na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF), que ele só é cabível se a omissão tiver caráter absoluto ou total, e não parcial.

E) O mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por pessoas jurídicas, públicas ou privadas, como as organizações sindicais e as entidades de classe legalmente constituídas, mas não por partidos políticos.

3. (CESPE/ TÉCNICO-TRE-MT/ 2009)
Assinale a opção correta acerca dos direitos de nacionalidade:


A) Os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira somente podem ser considerados brasileiros natos se, após registrados em repartição brasileira competente, vierem a residir no Brasil e optarem pela nacionalidade brasileira.

B) A legislação infraconstitucional não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, de modo que, em virtude do princípio da igualdade, as únicas hipóteses de tratamento diferenciado são as que constam expressamente do texto constitucional.

C) A naturalização é um direito público subjetivo que constitui ato administrativo de caráter vinculado, uma vez que o chefe do Poder Executivo encontra-se obrigado a concedê-la, desde que sejam atendidos os requisitos legais e constitucionais para sua obtenção.

D) Aos portugueses com residência permanente no Brasil, se houver reciprocidade em favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro nato.

E) A perda da nacionalidade pode ocorrer nas hipóteses definidas pela Constituição Federal de 1988 (CF), podendo lei complementar estabelecer outros casos de perda, de modo a restringir apenas por regramento legislativo os casos de privação, sempre excepcionais, da condição político-jurídica de nacional.

4. (CESPE/ TÉCNICO-TRE-MT/ 2009)
Assinale a opção correta no que se refere aos direitos sociais:


A) Pelo princípio da irredutibilidade salarial, a CF veda a redução de salários, mesmo que por decisão judicial, convenção ou acordo coletivo de trabalho.

B) A licença-paternidade é benefício que até hoje não foi regulamentado pela legislação infraconstitucional, continuando em vigor o mandamento previsto no Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, que fixou o prazo de sete dias corridos para sua concessão.

C) A CF elevou o décimo terceiro salário a nível constitucional, colocando-o na base da remuneração integral, para o trabalhador na ativa, e do valor da aposentadoria, para o aposentado.

D) O salário mínimo pode ser fixado tanto por lei em sentido formal quanto por decreto legislativo, com vigência em todo o território nacional, que consubstancia a participação do Congresso Nacional na definição do montante devido à contraprestação de um serviço.

E) A CF assegura ao trabalhador assistência gratuita aos seus filhos e dependentes desde o nascimento até seis anos de idade em creches e pré-escolas.

GABARITO: 1 – D / 2 – A /3 – B / 4 - C

(Francisco Mário é professor do ATF Cursos e Espaço Jurídico)

Vocabulário dos concurseiros precisa ser compreendido pelos que querem se organizar melhor
Vocabulário dos concurseiros precisa ser compreendido pelos que querem se organizar melhorFoto: EBC/Arquivo

PROVA OBJETIVA E PROVA DISCURSIVA:

A primeira, objetiva, contém questões de múltipla escolha para avaliar seu conhecimento sobre determinados assuntos. É nelas que se encontram as famosas “cascas de banana”, prontas para fazê-lo escorregar no mínimo descuido de interpretação da pergunta e suas possibilidades de resposta. A prova objetiva pode ser de múltipla escolha (A, B, C, D e E) ou com itens para marcação de C (certo) e E (errado). São as mais comuns nos concursos e na maioria dos casos a única fase.

Já a prova discursiva é aquela em que o candidato deverá redigir a resposta, mostrando o seu conhecimento e estilo. Podem ser questões, redação, carta ou análise de caso, por exemplo, de acordo com o que estipular o edital.

CARÁTER ELIMINATÓRIO E CARÁTER CLASSIFICATÓRIO:

O candidato precisa atingir uma pontuação mínima para não ser eliminado. A fase de caráter eliminatório não avalia a colocação do candidato. O resultado alcançado nesta fase indica se ele está apto a continuar, se tem o conhecimento ou preenche as exigências mínimas citadas no edital com as regras do concurso. O candidato pode ser eliminado, por exemplo, se for reprovado na avaliação médica.

Já na prova de caráter classificatório o resultado obtido determina a posição do candidato diante dos concorrentes. Em geral, as etapas classificatórias são também eliminatórias, caso o candidato não atinja a pontuação mínima exigida.

Enfermagem
EnfermagemFoto: Agência Brasil

Famosos no Brasil por oferecer uma formação relativamente rápida, os cursos de grau técnico são programas de nível médio que capacitam o estudante para o mercado de trabalho. Entre os mais populares, está o técnico em enfermagem que prepara o aluno para trabalhar em hospitais, postos de saúde, clínicas e atender pacientes individualmente a domicílio. Apesar do grande esforço, alguns profissionais reclamam de baixa remuneração que gira em torno de R$1 mil, no início de carreira. Por outro lado, especialista em carreiras afirma que dedicação e especialização podem dar bons resultados para o técnico.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a cada cem postos de trabalho criados para técnicos, 25 deles são preenchidos por profissionais da área da saúde. Considerado um oficio movido a amor pelos próprios profissionais, a técnica em enfermagem é essencial na rotina da área da saúde no Brasil. Os técnicos auxiliam os enfermeiros no preparo de medicamentos e em procedimentos de apoio ao paciente.

Para Jucimar Moraes, 43, técnica em enfermagem há 24 anos em São Bento do Una, no Agreste, sua profissão é o que lhe motiva diariamente. “O hospital da cidade estava acabando de ser construído e precisavam de funcionários. Eu visitei a pediatria e me apaixonei por ajudar as pessoas. Fui estudar em Garanhuns e, permaneço até hoje, muito feliz em poder me doar para os outros”, afirma.

Na opinião da técnica, a profissão deveria ser melhor remunerada. “Eu acho que nós trabalhamos muito e ganhamos pouco. Trabalhamos sábados, domingos ou feriados sem nenhuma alteração no valor”. “De todo modo, é muito bom, eu trabalho e nem sinto. Ajudamos em tudo, na remoção dos pacientes entre um leito e outro, inclusive. A melhor coisa é ver o paciente melhorar e voltar para nos agradecer”, afirmou emocionada.

Diante da reclamação de Jucimar, o coach Rodolfo Cunha afirma que a busca de especializações pode melhorar o retorno financeiro do técnico. “Tem muita gente se formando e o mercado não absorve todo mundo. No mesmo quesito, as pessoas que se formam estão, na maioria das vezes, em uma média. Se o profissional se qualifica, busca especializações em áreas onde não tem muitos profissionais e onde há uma demanda, o técnico pode se dar muito bem”. “Saber ouvir, ter empatia com o próximo, resiliência e amor são qualidades de um técnico em enfermagem. Quando ele faz o que gosta, não se sente como se estivesse trabalhando”, concluiu.

Vamos lá, queridos leitores, dar conta de mais uma questão da IBFC para que continuemos com o nosso foco para o TJ. Desta vez, vamos trabalhar um pouquinho de análise sintática que é um assunto adorado pela IBFC.

Observemos que a questão escolhida para hoje subverte a ordem dos termos da oração. Normalmente, temos alguns esquemas sintáticos que podemos descrever da seguinte maneira se presarmos pela ordem direta dos termos da oração:
>> Sujeito + verbo + complementos verbais + adjuntos adverbiais
>> Sujeito + verbo (de ação ou de ligação) + predicativo do sujeito

Pois bem, é justamente sobre esse predicativo do sujeito que vamos falar agora. Predicativo do sujeito é o atributo dado ao sujeito sempre por intermédio de um verbo, seja de ação, seja de ligação. Podemos perceber que na frase: Ela veio se aproximando bonita e esguia.

Temos um sujeito, representado pelo pronome “ELA”; uma locução verbal “VEIO SE APROXIMANDO” e dois núcleos nominais que também prestam informações sobre o sujeito, que são: “BONITA e ESGUIA”. Na questão que vamos fazer agora, vamos perceber que a ordem dos termos da oração foi invertida justamente para que possamos tem mais dificuldade com a interpretação.

Mas o detalhe é: Nós sabemos que, para facilitar a nossa vida, basta-nos colocar tudo na sua ordem direta... simples assim! Observemos, enfim, a questão:
1. Assinale a opção que apresenta, corretamente, a classificação sintática nos termos em destaque na frase: “Bonita, cabelos brancos, esguia, bem vestida, ela veio se aproximando” (1º §):

a) Predicativo do sujeito
b) Adjunto adnominal
c) Sujeito
d) Predicativo do objeto
e) Aposto

Vejamos que Ela veio se aproximando (e estava bonita e esguia)... além de estarmos dizendo que ela veio se aproximando - informação de base verbal; estamos dizendo que ela estava bonita e esguia - informação de base nominal. E é justamente essa informação de caráter nominal; o núcleo nominal do predicado que chamamos de Predicativo do sujeito. Logo o nosso gabarito está na letra “A”.

É necessário que fiquemos de olho nos esquemas de análise sintática a fim de não perder uma questão tão simples e tão valiosa para a nossa colocação final.

(Profa. Fabiana Ferreira é li­cen­cia­da em Língua Portuguesa e Espanhola pela UFPE, especialista em Gramática Normativa e professora de Português do Nuce)

Confira os endereços para as inscrições e informações pela internet
Confira os endereços para as inscrições e informações pela internetFoto: Reprodução/Internet

Fique a par dos principais concursos previstos ou com inscrições abertas em todo o País:

NACIONAL:

AGU
Vagas: 1.364
Cargo: administrativo operacional
Nível: médio e superior
Salário: iniciais de R$ 3.953,92 a R$ 5.752,52
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

ALAGOAS:

ALGÁS
Vagas: 2 Cargo: analista
Nível: superior
Salário: de R$ 4.446,86 até R$ 4.446,86
Inscrições: até 17/04/2017
Provas: 11/06/2017 Mais informações: www.algas.ieses.org

PERNAMBUCO:

CRESS
Vagas: 100
Cargos: auxiliar e agente
Níveis: fundamental, médio e superior
Salário: de R$ 1.012 até R$ 3.454
Inscrições: até 10/04/2017
Provas: 14/05/2017
Taxas: de R$ 40 a R$ 80
Mais informações: www.quadrix.org.br

Prefeitura de Quixaba
Vagas: 27 Cargos: professor, médico, técnico, outros
Nível: fundamental, médio, superior e técnico
Salário: de R$ 937 até R$ 10.000
Inscrições: até 07/07/2017
Provas: 23/04/2017
Taxas: de R$ 30 a R$ 40

UFRPE
Vagas: 22
Cargo: professor do Magistério Superior
Nível: superior Salário: R$ 5.129,80 a R$ 9.570,41
Inscrições: até 25/04/2017
Prova: não informada
Taxas: R$ 190 e R$ 130

TJPE
Vagas: 60
Cargo: técnico judiciário, analista judiciário e oficial de justiça
Nível: médio e superior
Salário: não divulgado
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgada
Taxa: não divulgada

TCE-PE
Vagas: 81
Cargo: edital não divulgado
Nível: médio, técnico e superior
Salário: não divulgado
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

OUTROS ESTADOS

BAHIA:

TRE-BA
Vagas: 49
Cargo: técnico e analista
Nível: médio e superior
Salário: de R$ 6.774 até R$ 10.548
Inscrições: não divulgada
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

UFBA
Vagas: 172
Cargo: auxiliar de enfermagem, analista de TI e outros
Nível: fundamental, médio e superior
Salário: de R$ 1.834,69 até R$ 3.868,21
Inscrições: de 13/4/2017 até 16/5/2017
Provas: 16/07/2017
Taxa: de R$ 60 a R$ 100
Mais informações: www.concursos.ufba.br

CEARÁ:

Prefeitura de Chaval
Vagas: 127
Cargos: atendente, merendeira, dentista e outros
Nível: fundamental, médio e superior
Salário: de R$ 880 até R$ 7.000
Inscrições: não divulgadas
Taxa: não divulgada

MARANHÃO:

Prefeitura de Açailândia
Vagas: 1.172
Cargos: professor, médico e outros
Nível: médio e superior
Salário: de R$ 1.062 até R$ 10.554
Inscrições: edital ainda não publicado
Provas: edital ainda não publicado
Taxa: edital não publicado

Prefeitura de São Luís
Vagas: 52 Cargo: técnico municipal (assistência social, psicologia e direito)
Nível: médio e superior
Salário: R$ 1.848,44 (inicial)
Inscrições: ainda sem data definida
Provas: ainda sem data definida
Taxa: ainda não divulgada

PIAUÍ:

UFPI Bom Jesus
Vagas: 5
Cargos: docentes nos cursos de Zootecnia, Letras, Bioquímica, Botânica e Genética/Evolução
Nível: superior
Salário: R$ 3.117,22 (graduação), R$ 3.527,89 (especia­lização), R$ 4.209,12 (mestre) e R$ 5.697,61 (doutor)
Inscrições: não divulgado
Provas: não divulgado
Taxa: R$ 77,93 Mais informações: www.ufpi.br

RIO GRANDE DO NORTE:

Ministério Público do Rio Grande do Norte
Vagas: 19
Cargos: técnico administrativo e analista em engenharia civil e em contabilidade
Níveis: médio e superior
Salário: de R$ 3.970,93 a R$ 5.370,93
Inscrições: não divulgado
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada
Mais informações: www.comperve.ufrn.br

Secretaria de Estado da Tributação do RN
Vagas: edital não publicado
Cargo: auditor fiscal
Nível: superior
Salário: 13.283,64
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

SERGIPE:

CREA-SE
Vagas: 8
Cargo: advogado, fiscal e contador
Nível: superior e técnico
Salário: a partir de R$ 3.000
Inscrições: não divulgadas
Provas: edital não divulgado
Taxa: não divulgada

comece o dia bem informado: