Foram encontrados 43 resultados para "Economia":

Até a vigência da Lei dos Cartórios, um servidor concursado podia mudar de cartório sem a necessidade de realização de novo concurso
Até a vigência da Lei dos Cartórios, um servidor concursado podia mudar de cartório sem a necessidade de realização de novo concursoFoto: Arquivo/Agência Brasil

O Senado deve votar, nesta semana, o projeto (PLC 80/2015) que legaliza a situação de servidores concursados de cartórios que mudaram de unidade de 1988 a 1994, entre a promulgação da Constituição e o início da vigência da Lei dos Cartórios (Lei 8.935/1994). Além de reguladas pela legislação estadual, as remoções foram homologadas pelo respectivo Tribunal de Justiça para terem validade.

A iniciativa insere dispositivo na Lei dos Cartórios para preservar todas as remoções de servidores concursados de cartórios até a entrada em vigor dessa legislação (18 de novembro de 1994). De acordo com o Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Federais (Lei 8.112/1990), remoção é o deslocamento do servidor - a pedido ou de ofício, com ou sem mudança de sede - dentro do mesmo quadro funcional.

Até a vigência da Lei dos Cartórios, um servidor concursado podia mudar de cartório sem a necessidade de realização de novo concurso. Depois da lei, a remoção só ocorre mediante concurso de títulos e está restrita aos servidores que exercem a atividade por mais de dois anos.

NACIONAL

AGU

Vagas: 1364
Cargo: administrativo
operacional
Nível: médio e superior
Salário: iniciais de R$ 3.953,92 a R$ 5.752,52
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

Marinha
Vagas: 146
Cargo: cardiologista, oftalmologista e outros de saúde
Nível: superior
Salário: de R$ 6.625,00 até R$ 9.000,00
Inscrições: até 15/05/2017
Provas: não divulgado
Taxa: não divulgado
Mais informações: www.ensino.mar.mil.br

PERNAMBUCO

Prefeitura de Quixabá

Vagas: 27
Cargos: professor, médico, técnico, outros
Nível: fundamental, médio, superior e técnico
Salário: de R$ 937 até
R$ 10.000
Inscrições: até 07/07/2017
Provas: 23/04/2017
Taxas: de R$ 30 a R$ 40

UPE
Vagas: 270
Cargos: analista em gestão universitária, técnico administrativo e outros
Nível: médio e superior
Salário: entre R$ 1.157,98 e R$ 2.605,45
Inscrições: edital ainda será divulgado
Provas: edital ainda será
divulgado
Taxas: edital ainda
será divulgado

UFRPE
Vagas: 22
Cargo: professor do
Magistério Superior
Nível: superior
Salário: R$ 5.129,80 a
R$ 9.570,41
Inscrições: até 25/04/2017
Prova: não informada
Taxas: R$ 190 e R$ 130

TJPE
Vagas: 60
Cargo: técnico judiciário, analista judiciário e oficial de justiça
Nível: médio e superior
Salário: não divulgado
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgada
Taxa: não divulgada

TCE-PE
Vagas: 81
Cargo: edital não divulgado
Nível: médio, técnico e superior
Salário: não divulgado
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

OUTROS ESTADOS

BAHIA


TRE-BA
Vagas: 49
Cargo: técnico e analista
Nível: médio e superior
Salário: de R$ 6.774 até
R$ 10.548
Inscrições: não divulgada
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

UFBA

Vagas: 172
Cargo: auxiliar de enferma­gem, analista de TI e outros
Nível: fundamental, médio e superior
Salário: de R$ 1.834,69 até R$ 3.868,21
Inscrições: até 16/5/2017
Provas: 16/07/2017
Taxa: de R$ 60 a R$ 100
Mais informações: www.concursos.ufba.br

CEARÁ

Prefeitura de Chaval

Vagas: 127
Cargos: atendente, merendeira, dentista e outros
Nível: fundamental, médio e superior
Salário: de R$ 880 até
R$ 7.000
Inscrições: não divulgadas
Taxa: não divulgada

Instituto Práxis
Vagas: 181
Cargos: auxiliar, técnico,
enfermeiro e outros
Nível: fundamental, médio e superior
Salário: de R$ 937 até
R$ 6.746,40
Inscrições: até 05/05/2017
Taxa: de R$ 40 a R$ 120
Mais informações: www.promunicipio.com

MARANHÃO

Prefeitura de Açailândia

Vagas: 1172
Cargos: professor, médico e outros
Nível: médio e superior
Salário: de R$ 1.062 até
R$ 10.554
Inscrições: edital ainda
não publicado
Provas: edital ainda não publicado
Taxa: edital ainda não
publicado

Prefeitura de São Luís
Vagas: 52
Cargo: técnico municipal (assistência social, psicologia e direito)
Nível: médio e superior
Salário: R$ 1.848,44 (inicial)
Inscrições: ainda sem data definida
Provas: ainda sem data definida
Taxa: ainda não divulgada

PIAUÍ

UFPI Bom Jesus

Vagas: 5
Cargos: docentes nos cursos de Zootecnia, Letras, Bioquí­mi­ca, Botânica e Genética/Evolução
Nível: superior
Salário: R$ 3.117,22 (gra­dua­ção), R$ 3.527,89 (especiali­­zação), R$ 4.209,12 (mestre) e R$ 5.697,61 (doutor)
Inscrições: não divulgado
Provas: não divulgado
Taxa: R$ 77,93
Mais informações: www.ufpi.br

RIO GRANDE DO NORTE

Secretaria de Estado da Tributação do RN
Vagas: edital não publicado
Cargo: auditor fiscal
Nível: superior
Salário: 13.283,64
Inscrições: não divulgadas
Provas: não divulgadas
Taxa: não divulgada

1-. Observa-se, nos nossos dias, um confronto entre os valores culturais do Ocidente e do Oriente, que gerou graves incidentes no Oriente Médio. O fato diz respeito à:

(A) ameaça de expulsão de imigrantes árabes muçulmanos, responsáveis por distúrbios violentos na França, para o Magreb, no Norte da África.
(B) divulgação, por um jornal italiano, de imagens mostrando torturas de presos iranianos por soldados norte-americanos.
(C) apresentação de notícias sobre uma intervenção das tropas de segurança da ONU no Irã, que insiste na instalação de um programa nuclear.
(D)) onda de protestos contra caricaturas do profeta Maomé publicadas por um jornal dinamarquês e reproduzidas em diários europeus.
(E) caça e morte de terroristas árabes por israelenses em decorrência do atentado de Munique, nas Olimpíadas.

2. Instalou-se, recentemente, no Brasil e no mundo, intensa polêmica sobre o uso de sementes transgênicas. Uma das restrições para o seu uso refere-se:


(A) ao fato de que, em termos econômicos, a preferência por produtos transgênicos afeta a produtividade das lavouras em curto e médio prazos.
(B) à questão econômica, pois discute-se que os transgênicos demandam grande quantidade de mãode-obra, o que onera o custo final do produto no mercado internacional.
(C)) ao seu aspecto ambiental, pois argumenta-se que a transferência de genes de uma espécie para outra pode provocar a contaminação dos ecossistemas e reduzir a biodiversidade.
(D) à circunstância de que, ecologicamente, o plantio de transgênicos provoca aumento de problemas no solo, tais como erosão pronunciada e diminuição do lençol freático.
(E) à que criaria problemas para as multinacionais, pois
os países pobres não têm domínio dessa tecnologia.

3. No primeiro trimestre de 2006, no Brasil, o aumento do litro do álcool na bomba dos postos de combustíveis tem sido motivo de fortes preocupações para todos os proprietários de veículos movidos a álcool ou bicombustível. Sobre a atual situação brasileira, em relação ao álcool, pode-se dizer que:

I. A produção alcooleira no Brasil é reconhecida internacionalmente como programa alternativo de fabricação em larga escala de um combustível limpo

II. A redução do percentual de álcool na gasolina acarretará o aumento da poluição atmosférica.

III. A ausência de subsídios aos produtores de álcool e aos usineiros tem sido apontada como a principal causa da quebra da produção.

É correto o que consta APENAS em:

(A) I.
(B)) I e II.
(C) I e III.
(D) II.
(E) II e III.

4. O mercado acionário brasileiro começou o ano de 2006 com grande energia. A Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA) vem batendo recordes patrocinados, principalmente, pelo forte fluxo de capital externo. Dentre as causas desse movimento, é correto citar:

(A) o impedimento da participação de pequenos investidores nos negócios.
(B) a existência de grande número de ações de empresas produtoras de bens de consumo não duráveis.
(C) a consistência da economia brasileira, que tem se destacado positivamente entre os países emergentes.
(D) a redução das tensões geopolíticas, sobretudo aquelas que envolvem o Oriente Médio.
(E)) a crença de que os juros interna­cionais subam pouco durante o ano.

Marque verdadeiro ou falso nas questões abaixo:

5- No atual estágio da economia mundial, comumente denominado globalização, a formação de blocos tende a responder a determinados desafios, entre os quais se destaca a busca por melhor inserção em um mercado bastante amplo e competitivo.

6- As origens mais remotas da atual União Européia encontram-se no imediato pós-Segunda Guerra Mundial, contexto de aproximação facilitado pelo fato de os grandes Estados europeus terem se aliado durante o conflito.

7- Apesar de inegáveis avanços, sobretudo quanto aos aspectos ju­rídico-políticos, a União Européia ainda não conseguiu incorporar a maior parte dos Estados da Europa Oriental, em que pese a surpreendente rapidez com que admitiu a entrada da Turquia no bloco.

8- No continente americano, o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é mais uma tentativa de integração econômica entre países da região, cujo primeiro passo foi dado pela aproximação entre Argentina e Brasil, quando governados por Alfonsín e Sarney.

9- A perspectiva de maior aproximação entre a União Européia e o MERCOSUL mostra-se inevitável e fadada a ocorrer no futuro imediato já que não há, até o momento, espécie alguma de ato contencioso ou de divergência comercial

10- Na recente guerra contra o Iraque, a coalizão anglo-americana recebeu integral e unânime apoio dos países da UE.


GABARITO:

1 - D
2- C
3 - B
4 - C
5 - V
6 - F
7 - F
8 - V
9 - F
10 - F

Você tem que ter foco, listar as alternativas que tem e analisar a que realmente tem condições de executar
Você tem que ter foco, listar as alternativas que tem e analisar a que realmente tem condições de executarFoto: Arte/Folha

Trabalhar. Estudar. Dormir. Fazer três refeições ao dia. Praticar exercícios físicos. Cumprir com os afazeres domésticos. Projetar o futuro e colocar em marcha os planos para torná-lo concreto. Conciliar essas e outras atividades representa um grande desafio presente no cotidiano de quase todo mundo: é resolver uma equação em que o tempo é a principal variável. Dificuldade para muitos, a boa administração desse recurso tão precioso é algo que contribui decisivamente para alcançar melhores resultados - ainda mais durante um período de crise econômica, quando sempre é tempo de complementar renda.

Uma boa gestão do tempo passa por uma avaliação realística e, depois, pela organização das obrigações que cada um tem a fazer, sobretudo se o objetivo é se comprometer com uma atividade econômica secundária. É o que recomenda o coach Hélio Pereira, da Coach Recife. “A gente só tem uma quantidade limitada de tempo por dia. Primeiro, o que você tem que julgar é quanto tempo eu tenho para essa atividade complementar? Essa estimativa é realista? Você tem que ter foco, listar as alternativas que tem e analisar a mais viável, a que você realmente tem condições de executar. Gaste tempo fortalecendo o seu objetivo”, aponta.

Criando listas

Apesar de serem ferramentas muito úteis para alguns, listas de coisas a fazer podem também gerar muita ansiedade. Segundo o consultor organizacional Steven Smrekar, o segredo para minimizar esse aspecto negativo é organizar as atividades de acordo com a expectativa de tempo que elas levarão para ser concluídas. “Não é simplesmente anotar. Para aumentar a produtividade, a gente começa a separar as atividades entre as mais rápidas e as que demandam mais tempo. Toda vez que a gente monta uma lista dessas, a gente prioriza as atividades mais rápidas”, explica.

Outra maneira bem produtiva de classificar tarefas é organizá-las de acordo com seu grau de urgência e importância. “O que acontece com pessoas que não estão preocupadas com gestão de tempo é que elas dão prioridade a coisas urgentes e deixam de lado coisas importantes. É preciso definir um tempo para realizar as ações. Se a gente pensar em uma ótica muito prática, tem que pegar as atribuições do dia a dia e determinar um prazo para elas.

Sem bagunça

Além de organizar atividades a fazer, alguém preocupado com a boa gestão do tempo deve também tomar algumas atitudes pequenas que fazem a diferença na forma co­mo a mente humana trabalha. De acordo com Steven Smrekar, manter um ambiente de trabalho limpo e arrumado é essencial. “Quanto mais bagunçado está seu ambiente de trabalho, mais disperso você vai ser. Quando sua mesa está bagunçada, você tem acesso a assuntos diversos dentro do campo de visão. Efetivamente, ambientes bagunçados são menos produtivos do que um ambiente limpo. Quando você arruma as coisas, começa a dar foco naquilo que está na sua frente”, conclui.

*As respostas corretas estão sinalizadas em vermelho.

Taxi drivers block streets of Rio in protest against Uber

More than a thousand taxi drivers protested in Rio de Janeiro on Friday against ride-sharing company Uber [UBER.UL], blocking roads and stalling traffic during morning rush hour as tensions rise in the city over the mobile app ride service.

Uber Technologies Inc responded by offering free rides to customers to help alleviate transport issues on what it called a "difficult day for getting around."

The company has come under fire in countries around the world, with local taxi drivers complaining that Uber drivers are not properly regulated and have fewer overhead costs, which makes them unfairly competitive.

Lawmakers in Sao Paulo, Brazil's biggest city, and capital city Brasilia have already voted to ban Uber after protests by local taxi drivers. The bills still require executive approval before taking force.

In Rio, cabbies parked their yellow taxis in a chain stretching for 5 kilometers (3 miles) along one of the city's main thoroughfares that connects the affluent south zone with the central business district. Taxi drivers honked their horns and chanted.

"We want to combat the illegal (drivers). We are the official ones, we have a responsibility, we are professionals who have families," said Alexander Campos, a taxi driver from Belo Horizonte who drove the 400 kilometers (248 miles) to Rio for the protest.

Nevertheless, Uber said it defends customer choice and that "innovation is crucial" in a city like Rio, "which has a population in need of more options and receives millions of tourists a year."

The company also offered people in Rio two free rides up to the value of 50 reais ($15) each from 7 a.m. to 7 p.m. local time, with an accompanying Twitter hashtag #RIONAOPARA or "Rio doesn't stop.”


1. According to the text,

a. Uber Technology inc. is offering free rides to alleviate problems during rush hour.

b. Uber drivers only work during rush hour when they are most needed.

c. According to cab drivers Uber drivers are not regulated, they have fewer cost what makes unjust to compete with them.

d. #rionaopara is a hashtag created by cabbies to protest against the ride app.

e. Legislators in Sao Paulo have passed a bill which allows Uber Technology Inc in the city.

2. The word affluent in …”that connects the affluent south zone with the central business district" is closest in meaning to.

a. influential
b. rich
c. poor
d. influent
e. unsuccessful

3. Which question cannot be answered according to the text?

a. Why are cabbies protesting?
b. What is Uber?
c. How did Uber Inc. reacted to the protest?
d. Where did the protest take place?
e. How can taxi drivers and Uber drives get along?

4. Nevertheless in "Nevertheless, Uber said it defends customer choice and that "innovation is crucial" in a city like Rio” represents the same idea as in:

a. however
b. in addition to
c. furthermore
d. besides
e. therefore


The Future Of Social Media? Forget About The U.S., Look To Brazil

In villages in the remote Brazilian state of Para, deep in the Amazon rainforest, running water is a luxury and paved roads are few and far between. But there is Facebook.

Earlier this year, indigenous groups fighting a new hydroelectric dam under construction along the Xingu River turned to the social network to vent their frustrations. The Xingu Vivo Facebook Page, which now counts 310 followers, logs their grievances against the project, keeping activists abreast of the struggle.

South America’s most populous country, Brazil is also emerging as one of the region’s most social-media savvy. Seventy-nine percent of Bra­zilian Internet users (some 78 mil­lion people) are now on social me­dia, according to a newly released report from analysts eMarketer, fast approaching adoption rates in the U.S.

Brazil already counts 65 million Facebook users, second only to the U.S. It’s the world’s second-biggest user of Twitter (with 41.2 million tweeters and counting) and the largest market outside the U.S. for YouTube. Meanwhile, a range of homegrown and foreign networks – from Google-owned Orkut to Ask.fm – keep social media users logged in for 9.7 hours a month, according to a 2013 comScore report.

Moreover, all signs indicate Brazil is just hitting its social stride. Average time spent on Facebook among Brazilians increased 208 percent last year, to 535 minutes per month. By comparison, global use declined by 2 percent during the same period.

With social media saturation looming in the U.S. and Europe, China’s citizens stuck behind the Great Firewall (with no legal access to Twitter and Facebook) and India still in relatively early stages o” the Internet revolution, Brazil suddenly seems poised to hold an unlikely distinction: social media capital of the universe.


5. According to the text:

a. Running water is a luxury and paved roads are common in the state of Pará.
b. Brazil is number one in the world with 65 million Facebook users.
c. The internet revolution in India is pretty advanced.
d. Brazil might soon became the social media capital of the planet.
e. Facebook is not common compered to its rival Orkut.

6. According to the text, indigenous people from Xingu have used Facebook to:


a. fight against discrimination
b. keep themselves connected
c. get more followers
d. fight against a hydroelectric dam construction
e. claim their rights.

*César Lira é professor do CERS Cursos Online

Karla Françoise fará palestra sobre estratégias de crescimento
Karla Françoise fará palestra sobre estratégias de crescimentoFoto: Arthur de Souza

Não é exagero dizer que o Brasil se encontra mergulhado em um mar de incertezas políticas e econômicas. Mas esse tão alardeado cenário de crise pode ser também o momento perfeito para se qualificar e superar as dificuldades com criatividade e planejamento. Orientar profissionais nesse sentido é o intuito do seminário “Varejo em pauta: Estratégias para retomada do crescimento com gestão eficiente de custos e tributos”, realizado pelo Sebrae, que acontece no próximo dia 4 de maio, das 19h às 22h, na sede da instituição, no bairro da Ilha do Retiro, e no dia 5, na sede do Sindicato dos Lojistas do Comércio (Sindloja) de Caruaru.

A lição primordial do evento, de acordo com a especialista em melhoria de processo Karla Françoise, que é diretora da empresa Assin e uma das palestrantes, é provocar uma reflexão sobre o caráter cíclico da crise atual - e de todas as outras que já atingiram o país. Essa compreensão, segundo ela, é fundamental para que as pessoas mudem de atitude perante os problemas. “Não é a primeira crise que a gente vive no Brasil. Se o empresário consegue perceber esse ciclo, ele consegue antecipar algumas ações e, a partir disso, sai na frente. O primeiro momento é entender como ela funciona, e não se desesperar, porque ela passa”, avalia.

Karla acredita que se fala demais na crise, algo que termina desmobilizando as pessoas da ideia de resolvê-la. “Tudo que a gente foca, aumenta. A gente precisa parar de falar, porque, quando se fala, se replica. É até cômodo, porque as pessoas, quando estão frustradas com alguma coisa, tendem a culpar o outro. A crise é uma forma de culpar seu insucesso. Eu chego nas empresas e me dizem que ‘o mercado está ruim’. Mas não está. As coisas não pararam de acontecer. As pessoas continuam vivendo, comendo, bebendo, saindo. Prova maior é o mercado do entretenimento, que está aí a todo vapor”, afirma. Para a coach, esse cenário complicado deve ser uma deixa para grandes transformações. “Toda vez que há uma crise, a gente precisa se reinventar”.

Três pilares

A especialista acredita que todo negócio de sucesso precisa estar apoiado em três pilares essenciais. É o que ela pretende transmitir ao público do seminário. “O primeiro é a questão da estratégia. Se a gente não entende o que quer, muito dificilmente a gente consegue chegar em algum lugar. Também tem o marketing, porque o que não é visto, não é lembrado. O terceiro é manter sua equipe motivada. Eu não consigo fazer nada sozinha. Se eu não consigo motivar minha equipe, como vou motivar meu cliente a continuar comprando? É o grande eixo do negócio”, explica.

Dicas para driblar a crise, por Karla Françoise:


- Pare de falar sobre a crise e procure entendê-la. Sai na frente quem enxerga mais longe e mantém a calma. Enquanto uns choram, outros vendem lenço;
- Trace sua estratégia com foco no cliente, lembrando sempre que não adianta vender picolé no inverno;
- Qualifique-se. Há vários cursos gratuitos disponíveis na internet que podem lhe dar vantagem no mercado;
- Tente encontrar, dentro do seu cotidiano, meios que possam lhe permitir fazer o que sabe melhor. Se você é assalariado, por que não oferecer consultoria pela internet à noite ou nos fins de semana?
- Profissionalize-se. Isso significa saber o que é receita, faturamento, fluxo de caixa, e saber que nem tudo é lucro: há impostos, tempo desperdiçado, combustível, luz, água...

Serviço:
Investimento: R$ 30
Informações:0800.570.0800
Inscrições: loja.pe.sebrae.com.br/loja/evento/1090326

Mais um feriadão chegou, mas, para quem se prepara para concurso, a hora é de colocar em prática os estudos e exercitar tudo o que foi lido e estudado até agora. Que tal mais um exercício neste simulado publicado em Concurso e Emprego da Folha de Pernambuco? As dicas são do professor Heber Vieira.

Como se tornar o número 1

Chegar ao posto mais alto de uma empresa não é tarefa para acomodados. Exige talento, dedicação, persistência e principalmente uma boa dose de sacrifício. Segundo consultores de recursos humanos, é justamente esse empenho e espírito de liderança que as empresas valorizam nos ocupantes de cargos mais altos. “A pessoa deve ter iniciativa, capacidade de tomar decisões, fazer as coisas acontecerem”, diz o diretor da Top Human Resources, de São Paulo.

A qualificação profissional também é um dos principais aspectos para se alcançar o posto mais alto. “Qualquer executivo tem de investir sempre em sua educação”, enfatiza outro diretor de recursos humanos. “Senão você será um computador sem software”, completa.

Traçar metas profissionais é outro aspecto fundamental para quem quer chegar ao topo. Nesse caso, a ambição acaba sendo uma boa aliada.

A intuição também é uma boa arma na hora de dar um palpite em uma reunião. E, quem sabe, pode valer aquela promoção esperada...

Conhecer passo a passo cada etapa do processo de produção da empresa e do setor é um dos principais fatores que levaram M. C. P. a uma carreira bem-sucedida. Ele aponta ainda a importância de valorizar os colegas. Ninguém consegue as coisas sozinho. “É fundamental reconhecer a participação do grupo e sempre motivá-lo”.

A primeira regra da cartilha daqueles que anseiam alcançar um alto cargo em uma corporação, de acordo com esses consultores, é não permanecer estagnado em uma função ou empresa por um longo período.

Daniela Paiva. Emprego e formação profissional. In: Correio Braziliense, 23/6/2002 (com adaptações).


1. Julgue a alternativa incorreta a respeito dos itens subsequentes com relação aos recursos de coesão textual e à adequação das palavras e da pontuação utilizadas no texto.

a) O adjetivo “acomodados” está empregado, textualmente, em oposição ao conjunto de substantivos expressos em “talento, dedicação, persistência e principalmente uma boa dose de sacrifício” que, por sua vez, podem ser interpretados como resumidos em “esse empenho”.

b) O emprego de “outro”, “também” e “ainda” mostra que diferentes classes gramaticais podem desempenhar a função de manter a coesão textual entre os parágrafos e no texto como um todo.

c) Ao usar, tão frequentemente, o recurso do discurso alheio, o autor do texto toma o cuidado de marcar por aspas aquelas afirmações que mostram o discurso direto.

d) De acordo com o desenvolvimento da argumentação, a troca de lugar entre o último período sintático do texto (A primeira regra da cartilha...) e o primeiro ( Chegar ao posto mais alto de uma empresa) preservaria a coerência e a coesão textuais.

e) A inserção de “fizer isso” seguido de vírgula imediatamente após SENÃO ( fim do segundo parágrafo) provoca erro gramatical.

 2. Levando-se em consideração os aspectos linguísticos do texto, assinale a alternativa correta.

 a) No trecho “qualquer executivo tem de investir sempre” pode ser reescrito assim: Todo executivo têm que investir sempre.

b) No trecho “Chegar ao posto mais alto de uma empresa”, a forma Chegar no posto... preserva as informações gramaticais, deixando, inclusive, o texto mais coerente.

c) “Exige talento, dedicação, persistência”, a oração em destaque é formada por sujeito indeterminado.

d) Nesse caso, a ambição acaba sendo uma boa aliada. O termo destacado estabelece, textualmente, referência anafórica com o que o antecede imediatamente: “chegar ao topo”.

e) No período em que está inserido, “reconhecer a participação do grupo” funciona como sujeito.

Texto 2

Em geral, quando falamos de violência, pensamos em uso da força, com vistas à exclusão de grupos ou indivíduos de uma dada situação de poder. Essa violência pode ou não encontrar resistência na violência dos excluídos. Como quer que seja, nos dois casos estão em jogo os princípios axiológicos que permitem arbitrar o que é legal ou ilegal, legítimo ou ilegítimo, na interação entre os humanos. O ponto central é a noção de abuso de poder, de invasão desestruturante de uma ordem desejável, posta no horizonte ético da cultura.

O fato histórico do alheamento de indivíduos ou grupos humanos em relação a outros não é novo na dinâmica social. Desqualificar moralmente o outro significa não vê-lo como um agente autônomo e criador potencial de normas éticas ou como um parceiro na obediência a leis partilhadas e consentidas ou, por fim, como alguém que deve ser respeitado em sua integridade física e moral.

No estado de alheamento, o agente da violência não tem consciência da qualidade violenta de seus atos. Se o possível objeto da violência nada tem a oferecer-lhe, então não conta como pessoa humana e pouco importa o que venha a sofrer. Ao contrário da crueldade inspirada na rivalidade ameaçadora, real ou imaginária, a indiferença anula quase totalmente o outro em sua humanidade.


 3 .Com respeito ao emprego das expressões ou palavras no texto II, julgue o que não está de acordo com as informações sintático-semânticas dele.

 a)Por estar empregado na acepção de discorrer, o verbo falar, na expressão “falamos de violência”, admite alternativamente o emprego da preposição em ou sobre, em lugar de “de”.

b) Mantém-se a coerência textual e a correção gramatical se, na expressão “à exclusão de”, o termo sublinhado for substituído pelo verbo excluir, com a consequente retirada da preposição “de”.

c) As expressões “o outro”, “-lo” e “alguém” estabelecem uma cadeia coesiva, designando o mesmo referente.

d) Não ocorre o sinal indicativo de crase em “a leis” por não estar aí empregado o artigo definido feminino.

e) Por indicar eventualidade, o tempo de presente da forma verbal “que venha a sofrer” admite a substituição pela forma de futuro no modo correspondente sem que sejam desrespeitadas a coerência textual e as regras gramaticais.

 4. Com respeito à organização das ideias no texto II e aos seus aspectos linguísticos, julgue o que não está correto.

a) O texto pode ser assim resumido: a violência é uma invasão desestruturante de uma ordem desejável que não se dá apenas pelo uso da força, mas também pela indiferença, pela desqualificação moral do outro.

b) A progressão temática no texto vai da generalização do problema à ilustração histórica para chegar, no terceiro parágrafo, à individualização da violência.

c) Os vocábulos históricos, autônomos e indivíduos não são acentuados pelo mesmo motivo.

d) No trecho “o agente da violência não tem consciência da qualidade violenta de seus atos”, a forma possessiva seus refere-se ao substantivo que vem imediatamente após: “atos”, concordando em gênero e número com ele.

e) No trecho “ quando falamos de violência”, o trecho sublinhado pode ser substituído por toda vez que sem causar danos gramaticais e contextuais.

5. Sobre concordância verbo-nominal, regência, uso da crase e pontuação, analise os itens a seguir:


I. Não há de existir motivos para violência.
II. O juiz procedeu a sessão do julgamento do réu.
III. Assiste-se sempre a cenas fortes de violência.
IV. Por mais que se façam reuniões acerca do mesmo tema, na prática, nada é mudado.
V. O respeito que os manteve juntos há quarenta anos foi quebrado naquele dia.

O que está de acordo com a norma padrão se encontra em:

a) III,IV e V.
b) II e IV.
c) I,III e IV.
d) II,III e IV.
e) II,III,IV e V.


GABARITO:

1- D  
2- E
3- C
4- D
5- A

Queridos leitores, quero comentar com vocês que eu tive a ideia de escrever mais uma vez sobre crase por causa da minha aula de hoje no curso preparatório para o concurso de Analista do Tribunal de Justiça de PE.

Vamos, então, aos conceitos sobre o assunto de crase, esse fenômeno pode ser definido como: a união, a fusão de dois “AS”, que não necessariamente serão preposição + artigo. Essa fusão será marcada pelo uso do ACENTO GRAVE indicativo de crase ( ` ).

Quando falamos que não seria necessariamente a junção da preposição + artigo, quisemos desmistificar o que é dito recorrentemente até em alguns escritos. Na verdade, poderemos unir a preposição A com quatro “AS”:

1. Preposição + artigo: Costumo dirigir-me às alunas com muito respeito. A preposição A veio do verbo dirigir-se e o artigo AS precedeu o substantivo alunas. Como a repetição de letras semelhantes seria proibida, houve a união dos dois AS com a devida sinalização (`).

2. Preposição + A inicial dos pronomes AQUELE(S), AQUELA(S), AQUILO: Fale a verdade, mas limite-se ÀQUILO que lhe perguntarem. Observemos o termo regente - LIMITE-SE. Sabemos que quem se limita se limita A; e é este A (preposição) que vai unir-se ao A inicial do pronome demonstrativo AQUILO.

3. Preposição + A ou AS pronome demonstrativo: Vi uma mala semelhante à que me deste de presente. Vemos que o A ou AS são demonstrativos quando podem ser substituídos por aquela(s) diante do relativo que ou da preposição de. Só assim poderá haver o uso do sinal indicativo de crase diante dessas suas palavras. (que e de)

4. Preposição + A ou AS que fazem parte dos relativos A QUAL, AS QUAIS: Não conheço a professora à qual te referes. Recorde-se da norma de regência que foi vista no domingo anterior. “Havendo pronome relativo dentro do período e depois dele qualquer temo que exija preposição, esta se deslocará para antes do relativo.” Lembra?

Vamos a mais alguns exemplos a fim de fixar melhor o que dissemos antes:

a) As informações foram solicitadas à diretora. (Preposição + artigo)

b) Entregamos a encomenda àquela menina. (Preposição + pronome demonstrativo “aquela”)

c) Esta é a aluna à qual me refiro. (Preposição + a inicial do relativo “a qual”)

d) Comprei uma moto semelhante à que me deste no ano passado. (Preposição + “a” que funciona como pronome demonstrativo)

Um grande abraço a todos e continuemos estudando muito.

* Li­cen­cia­da em Língua Portuguesa e Espanhola pela UFPE, especialista em Gramática Normativa.

Mais de 20 concursos começaram a inscrever nesta semana para o preenchimento de 1.016 vagas
Mais de 20 concursos começaram a inscrever nesta semana para o preenchimento de 1.016 vagasFoto: Reprodução/Internet

Ano a ano, mais profissionais decidem voltar aos livros e apostilas para se preparar para conquistar uma aprovação em concurso público. Para os que já estão se preparando e não fazem questão de morar em outra cidade, o leque de opções se amplia. Rondônia, Bahia, São Paulo, Paraná, Amapá, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Sergipe, Mato Grosso, Minas Gerais e Santa Catarina são alguns dos destinos possíveis. Confira algumas das seleções abertas esta semana:

- O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo abriu concurso para preenchimento de 276 vagas para o cargo de Juiz Substituto, com salário inicial de R$ 24.818,71. As inscrições, que devem ser feitas por candidatos com nível superior de bacharel em Direito, mais três anos de atividade jurídica, custam R$ 248,18. O prazo se encerra no dia 17 de maio. Site: www.vunesp.com.br.

- São 24 vagas no Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia para Atividades Notariais e/ou Registrais para atuação em Cartórios. As inscrições, que custam R$ 400,00 devem ser feitas por candidatos com nível superior completo em Direito ou comprovação de exercício de serviço Notarial ou Registral por dez anos pelos sites www.cartorio.tjro2017.ieses.org ou www.tjro.jus.br até 19 de maio de 2017.

- A Secretaria da Administração do Estado da Bahia abriu seleção para 31 vagas no cargo de Técnico de Nível Médio - Apoio Administrativo, em Salvador, para contratações temporárias pelo Regime Especial de Direito Administrativo - REDA. Candidatos com nível médio têm até o dia 24 de abril para efetivar a inscrição pelo site selecao.ba.gov.br. Salários de R$ 1.569,17 e inscrições: gratuitas.

- A Prefeitura de Apucarana, no Paraná, quer preencher 34 vagas em cargos de níveis fundamental, médio e superior, com salários entre R$ 947,69 e R$ 5.857,16. As inscrições, que custam de R$ 30,00 a R$ 90,00 e devem ser feitas até o dia 16 de maio pelo site www.concursosfau.com.br.

- A Prefeitura de Rolim de Moura , em Rondônia, quer preencher 75 vagas nos cargos de cargos de Enfermeiro, Fonoaudiólogo, Médico Clínico Geral, Médico Anestesista, Médico Angiologista, Médico Cardiologista, Médico Pediatra, Nutricionista, Terapeuta Ocupacional, Advogado, Técnico em Enfermagem, Técnico em Radiologia e Agente Comunitário de Saúde. Os salários vão de R$ 869,53 a R$ 7.522,86. Inscrições: de R$ 50,00 a R$ 100,00 até 19 de maio pelo site www.paconcursos.com.br.

- A Prefeitura de Limeira, São Paulo, abriu 56 vagas salários que variam entre R$ 1.495,98 e R$ 5.455,57 para a Secretaria de Saúde. As vagas vão de ensino fundamental, médio a superior. Inscrições, com taxas de R$ 27,00 a R$ 60,00 até 10 de maio pelo site www.institutomais.org.br.

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta quarta-feira (12), novas medidas para melhorar os índices de Segurança Pública no Estado. Entre as ações anunciadas pelo governador Paulo Câmara está a criação de concurso público para a contratação de 500 agentes por ano. Segundo ele, esse número significa um aumento de 15% no pessoal e deve repor principalmente as aposentadorias, além de oferecer policiais para áreas que precisarem de reforço.

Uma das medidas para melhorar a atuação da polícia no Estado anunciadas por Paulo Câmara foi a criação de concursos públicos que devem contratar 500 agentes por ano. Segundo ele, esse número significa um aumento de 15% no pessoal e deve repor principalmente as aposentadorias, além de oferecer policiais para áreas que precisarem de reforço.

APROVADOS EM CONCURSO

Antes do início da coletiva, aprovados nos concursos das polícias Civil e Científica procuraram a redação da Folha de Pernambuco, por meio do telefone e do WhatsApp, para sugerir perguntas ao governador, que realizaria uma coletiva de imprensa para anunciar novas medidas para garantir a Segurança Pública do Estado.

O grupo queria saber principalmente qual o posicionamento do Estado com relação à recomendação do Ministério Público, que solicitou o cancelamento da etapa do exame psicotécnico. Os leitores souberam que o Governador falaria ao público por meio de uma notícia veiculada no início da tarde no portal FolhaPE e nas redes sociais da Folha de Pernambuco.

Em suas mensagens, os leitores informaram que o concurso estaria parado há mais de um mês, aguardando o resultado da fase final. Eles queriam saber principalmente quais seriam as datas de início do curso de formação, quantas pessoas seriam chamadas para as funções de delegado e agentes escrivães e se seria mantida a decisão de cancelar o teste psicotécnico.

“Saber sobre a posição do governo em relação ao eventual novo teste psicotécnico é de suma importância para nós aprovados e para a sociedade, tendo em vista a inércia do governo diante da crescente violência do estado, se amparando em atrasar o concurso por uma falha que não existiu”, escreveu a leitora Stephanie Almeida Araújo.

As perguntas foram imediatamente encaminhadas ao repórter que estava no local, que interpelou o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle. “Em sendo cumprida a fase do psicotécnico, que foi a fase que o Ministério Público cancelou, eles iniciem em maio, essa é a previsão da Polícia Civil", explicou Joselito.

Segundo ele, a etapa do teste psicotécnico foi cancelada por recomendação do órgão, e o Governo do Estado está cobrando a realização da prova à empresa responsável, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), mas ainda não há previsão para a realização do exame. Ele também afirma que as vagas foram aumentadas e o concurso, que previa 100 delegados e 500 agentes escrivães, deve receber 140 e 600, respectivamente.

Os leitores podem procurar a redação do Blog dos Concursos através do e-mail blogdosconcursos@folhape.com.br.

comece o dia bem informado: