Perfil de compradores até 35 anos prefere espaços compactos
Perfil de compradores até 35 anos prefere espaços compactosFoto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

A participação dos mais jovens entre os compradores de imóveis aumentou nos últimos anos. Percebendo a alta na demanda entre os que têm até 35 anos, as imobiliárias, ante a um mercado ainda desaquecido, estão investindo pesado nesse público ávido por empreendimentos mais compactos e econômicos.

O casal Carlos Eduardo, 35 anos, e Caroline Reis, 29 anos, comprou o imóvel há dois anos. “Nós já tínhamos uma boa reserva financeira. Acredito que fiz a escolha certa, investir em algo seguro que é ter meu próprio imóvel”, comentou Eduardo. Assim que trocarem as alianças, os noivos, Arthur Luiz, 31 anos e Regina Rafaela, 26, também já planejaram a compra do apartamento, adquirido há dois anos. “Queremos construir um patrimônio. Então, juntamos as economias e procuramos um empreendimento”, disse Regina.

Observando essa demanda de mercado, algumas construtoras estão estudando e idealizando espaços para suprir a necessidade desse público. “Os jovens perceberam que investir no imóvel é algo seguro”, ponderou diretor da Moura Dubex, Homero Moutinho. O diretor ainda lembrou que espaços compactos e com serviços diferentes nos condomínios são os que mais têm atraído os jovens. “Um casal que está saindo da casa dos pais, por exemplo, não vai optar por um apartamento muito grande, mas por um empreendimento menor, já que está começando a vida agora e não tem filhos”, ponderou Moutinho.

Apesar de serem menores, os empreendimentos não são mais baratos. Por isso, é fundamental para os futuros compradores procurarem o imóvel que atende às suas necessidades, mas cujo valor cabe no bolso. “Antes de investir no primeiro empreendimento é muito importante olhar o contrato, ver parcelas, observar todos os cômodos e analisar o condomínio e vizinhança. Esses são passos fundamentais para o sucesso na compra”, aconselhou coordenadora imobiliária da construtora Celi, Thaciana Barros.

O economista e professor da Faculdade dos Guararapes, Roberto Ferreira também recomenda cautela. Para o professor, essa é uma a decisão muito importante na vida de um jovem. “Ter a casa própria é um sonho de muitos brasileiros, porém, esse sonho pode se tornar um pesadelo se não houver foco e responsabilidade. Normalmente é uma dívida assumida por 30 a 40 anos, e se essa divida não for honrada, pode se tornar um grande problema”, finalizou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: