Dólar
DólarFoto: Reprodução

As incertezas em relação à tramitação da reforma da Previdência no Congresso predominaram nesta quinta-feira (20), véspera de feriado no Brasil. O dólar subiu para perto dos R$ 3,16, no maior valor em pouco mais de um mês; no exterior, a moeda americana caiu frente à maior parte de seus principais pares.

"Os investidores temem que a votação da reforma da Previdência atrase ou até mesmo que ela não seja aprovada", diz Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora. Alexandre Soares, analista da BGC Liquidez, destaca que a cautela aumentou por ser véspera de feriado local. "Quanto à reforma da Previdência, agora o mercado quer ver para crer", afirma.

A Bolsa fechou com ganho de 0,56%, sustentado principalmente pelas ações da Vale, que avançaram mais de 5%. Já o dólar comercial fechou em alta de 0,34%, a R$ 3,1590. É a maior cotação desde 14 de março (R$ 3,1740).

A valorização da moeda americana foi contida pela rolagem de mais de 16 mil contratos de swap cambial que vencem em maio, no montante de US$ 800 milhões. A operação, realizada pelo Banco Central, equivale à venda futura de dólares.

Os juros futuros recuaram no curto prazo, reagindo à a divulgação do IPCA-15 de abril abaixo do centro da meta do BC e das expectativas do mercado.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: