Mercado financeiro
Mercado financeiroFoto: Marcos Santos/USP Imagens

O secretário especial do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos, afirmou que o governo pretende manter o cronograma de leilões e estudos para concessões, apesar da crise política. "O PPI não vai parar", disse ele nesta sexta (19), em evento no Rio.

Vasconcelos tentou tranquilizar o mercado a respeito dos impactos da delação dos controladores da JBS nas atividades da área. "Independente do que acontecer, nada disso afeta o PPI. Seguimos com as equipes fazendo tudo o que devemos fazer", reforçou. Ele disse ainda que, por se tratar de investimentos de longo prazo, não vê riscos de que as concessões sejam afetadas pela turbulência atual.

Até o fim do ano, já estão previstos três leilões de áreas de petróleo e um de hidrelétricas devolvidas pela Cemig. O governo pretende vender ainda distribuidoras da Eletrobras e linhas de transmissão.

A equipe do PPI negocia ainda renovação de contratos de concessões ferroviárias, com a inclusão de novos investimentos, além de soluções para concessões feitas no governo Dilma mas ainda paradas. Ao todo, a carteira da PPI tem 89 projetos, dos quais 45 já foram licitados.

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: