Estudantes
EstudantesFoto: Divulgação

Com tantas habilidades que o homem pode desenvolver na vida, até parece injusto que apenas uma se torne a profissão de todas as horas. Imagine, então, um adolescente na época de eleger um único curso, enquanto ele se enxerga trabalhando em várias atividades. Bate indecisão, insegurança e outras preocupações de quem quer fazer uma escolha assertiva, gratificante e, claro, rentável. Para os múltiplos de plantão, a dica é seguir em frente e não perder o foco.

Significa que, na prática, nada impede um advogado em trabalhar com tecnologia da informação ou um engenheiro se tornar escritor, bem como um designer ter afinidades com jornalismo. Aliás, a lista pode ser bem mais extensa do que se imagina. Segundo a coach Roberta Moreira, depende de como a pessoa se organiza para fazer seus planos acontecerem. “Quando alguém consegue conciliar as duas rotinas, é sinal de que tudo em sua volta está organizado. Essa pessoa consegue se ausentar de um escritório, por exemplo, e ver o trabalho da equipe funcionando independentemente. E isso, geralmente, acontece com quem já é bem sucedido e nada centralizador”, define.

Quando a dúvida sobre a carreira persiste, as primeiras perguntas a se fazer são: “tenho mesmo afinidade com ambas funções?” e “o quanto estou disposto a me dedicar nelas?”. Feito isso, é hora de trabalhar meta. “Que pode ser a realização pessoal, por exemplo.

Pois, em certo momento, você precisará eleger sua prioridade, e um importante critério de escolha pode ser este”, completa a coach. Não dá para esquecer que, em muitas situações, as habilidades se complementam, e, por isso, uma dupla formação pode ser bem aproveitada no futuro.

A hora de focar
Quando terminou os cursos de jornalismo e administração, feitos paralelamente, Giovana Martorelli, 31, tinha a opção de seguir por caminhos, aparentemente, bem distintos. “Comecei a estagiar em jornalismo da metade do curso até o último período. Quando estava para me formar, resolvi entrar em administração para sentir como era a área, pois tinha receio de nunca ter nem experimentado o dia a dia. Foi quando comecei a estagiar no setor de franquia e, desde então, nunca mais saí”, diz ela, que hoje atua como gerente regional de operações do Nordeste, certa com a escolha que fez.

“No começo, achava que enveredaria pelo jornalismo, mas quando entrei no mercado de administração me apaixonei. E a faculdade de comunicação me ajudou em oratória, escrita, resumo, interpretação e até transcrição do que vivencio no mundo empresarial hoje”, reforça. Ainda de acordo com Roberta Moreira, conciliar teoria durante os cursos pode ser fácil, o desafio é lidar com a prática. “Pessoas são capazes de fazer até dez cursos, se quiserem e souberem administrar seu o tempo. Mas é fora do campus que o então profissional se dá conta daquilo que lhe motiva”, conclui.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: