Os para-choques exclusivos valorizam a vocação aventureira, assim como as molduras nas caixas das rodas, que deixam as laterais mais robustas. No interior, o banco bipartido ajuda no transporte de objetos.
Os para-choques exclusivos valorizam a vocação aventureira, assim como as molduras nas caixas das rodas, que deixam as laterais mais robustas. No interior, o banco bipartido ajuda no transporte de objetos.Foto: Divulgação

 

A alma é urbana, mas o toque aventureiro dado ao Mobi com a estilização Way deixou o compacto da Fiat mais versátil. A versão Way On testada pela reportagem da Folha de Pernambuco se comportou bem nas ruas do Recife tanto para circular em tráfego intenso quanto para estacionar nas ruas do Centro da Cidade.

Planejadas para estradas sem asfalto, as suspensões elevadas com molas e amortecedores específicos se apresentaram como uma boa solução para os remendos, desníveis e as tampas de bueiros das avenidas da Capital pernambucana, já que absorveu bem os impactos, diminuindo o desconforto para quem está dentro do carro.
Isso torna o Mobi uma escolha razoável para quem vive na cidade e faz trechos de curtos a médios, mas que de vez em quando precisa também pegar a estrada. Isso desde que esteja acompanhado de mais de uma pessoa. Pois é. A gama Mobi tem essa característica de comportar poucas pessoas.

O modelo que foi projetado para transportar até quatro pessoas ficou tão compacto que os ocupantes do banco de trás não viajam totalmente à vontade, mas conseguem ir bem em distância curta. Nos bancos da frente, o espaço é razoável, porém quem dirige tem certa dificuldade em encontrar uma boa posição, já que o banco é curto.
Essa versão ainda conta com o antigo motor Fire, que é 1.0 de quatro cilindros da Fiat, conhecido por ter baixo consumo, mas pouca potência. Isso deixa o Mobi Way lento nas saídas e retomadas, com boa disposição apenas quando em rotações altas. O veículo se comportou em boa parte do teste com consumo superior a 12 quilômetros por litro.
A caracterização aventureira do Mobi conta com barras longitudinais de teto, que ampliam a altura e deixam o carro mais imponente; para-choques exclusivos que valorizam a vocação aventureira da versão; molduras nas caixas das rodas, para deixar as laterais mais robustas; rodas de liga leve e calotas 14 polegadas com desenhos exclusivos; pneus 175/65 R14 Superverdes, que têm baixa resistência de rolagem e melhoram os índices de consumo de combustível; farol de neblina; e adesivo Way na tampa traseira identifica a versão.
O interior tem acabamento em plástico resistente e estilizado, com o design alinhado com o interior do irmão mais velho Uno. Com foco na praticidade, há itens como abertura interna do portas malas e tampa de combustível, banco traseiro bipartido e o Cargo Box, uma caixa removível, com divisória ajustável, que se encaixa no porta malas e facilita o transporte de objetos no dia-a-dia. Ele conta ainda com vários porta-objetos espalhados pelo interior, como porta-óculos, porta-copos, porta-garrafas e bolsa atrás dos bancos dianteiros.
Como itens exclusivos, a versão Way On ainda conta com retrovisores externos elétricos (com função tilt-down) e repetidores de seta, sensor de estacionamento, Connect integrado ao painel com RDS, viva-voz Bluetooth e função Audio Streaming com comandos no volante, revestimento exclusivo em tecido bicolor, painel com acabamento preto brilhante, apóia-pé, porta-óculos e alças de segurança no teto, além do console com porta-objetos e espelho adicional. Essa versão é a topo de gama e não tem opcionais. Ela custa R$ 43.800.

 

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: