Possibilidade da saída do técnico começou logo após a Rio-2016
Possibilidade da saída do técnico começou logo após a Rio-2016Foto: Divulgaçõ/CBV

Terminou a era Bernardinho como treinador da seleção brasileira masculina de vôlei.

Nesta quarta-feira (11), a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) informou que o técnico deixa o cargo que ocupou por mais de 15 anos, desde 2001. Renan Dal Zotto, ex-jogador, foi anunciado no cargo.

Leia mais:
Sem treinar há oito anos, ex-jogador Renan Dal Zotto substitui Bernardinho


À frente do time masculino, Bernardinho foi bicampeão olímpico (Atenas-2004 e Rio-2016) e octacampeão da Liga Mundial, torneios em que o Brasil tornou-se o maior vencedor.

Em Copas do Mundo, realizada a cada quatro anos, Bernardinho disputou quatro edições com a seleção masculina, conquistando dois ouros (2003 e 2007).

No Campeonato Mundial, também de quatro em quatro anos, foi ainda melhor. Em quatro participações, três ouros.

A possibilidade da saída de Bernardinho do cargo começou logo após o término da Rio-2016. O treinador teria dito à CBV que poderia sair para dedicar mais tempo à família.

Em outubro, ainda sem resposta sobre a permanência dele, a CBV disse que não tinha plano B, caso Bernardinho saísse, e o diretor-executivo da entidade, Ricardo Trade, confirmou o desejo de que ele permanecesse, o que não ocorreu.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: