Jogadora passou cerca de dois meses se recuperando de lesão no pé direito
Jogadora passou cerca de dois meses se recuperando de lesão no pé direitoFoto: Anderson Stevens

Após cerca de dois meses no Departamento Médico, a pivô Gilmara Justino está de volta ao time da Uninassau. Sem dúvidas, um reforço e tanto no garrafão pernambucano às vésperas da abertura da série final da Liga de Basquete Feminino 2016/ 2017, contra o Corinthians/Americana/SP. Gil se machucou na partida contra o Blumenau, no início de fevereiro. Rompeu o ligamento da fáscia plantar do pé direito, uma lesão rara. Foram oito semanas de tratamento e inúmeras sessões de fisioterapia depois, ela está pronta para ajudar o time a buscar o título.

“Foquei exclusivamente em fazer tudo o que o médico e os fisioterapeutas recomendaram para ter uma recuperação bem sucedida. Tive muito apoio de todos do time, comissão e jogadoras, sempre me incentivando e colocando para cima, porque um momento como esse não é fácil”, afirmou a pivô, revelando que, em momento algum, pensou que perderia a fase final da Liga.

Gil não estará na sua melhor forma, até pelo tempo em que ficou parada e, consequentemente, perdeu resistência. Entretanto, a vontade transborda. Ela tem fome de bola. Na segunda partida da semifinal contra o Santo André, no último sábado, a pivô retornou oficialmente às quadras. Jogou somente 6min46s, mas foi tempo suficiente para marcar oito pontos e anotar quatro rebotes (dois ofensivos e dois defensivos).

“Dei o meu melhor, embora ainda me sinta um pouco estranha (risos). Pude contribuir de forma positiva para o grupo e fiquei muito feliz, pois estava com vontade de jogar. Realmente perdi totalmente o ritmo de jogo nesses dois meses parada, mas fiz um trabalho intenso de musculação. Então, se perdi de um lado, ganhei do outro. Tenho ciência que não estarei 100% fisicamente, mas a palavra nessa final é superação. Vou entrar em quadra o tempo que for e dar o meu máximo para ajudar o time e levar o nome da Uninassau e de Pernambuco para o lugar mais alto do pódio”, disse, determinada.

A presença da veterana é uma segurança a mais em momentos decisivos como o que se aproxima. E isso vai além da força física e do excelente rendimento reforçado pelas estatísticas da competição. Experiente, Gil é peça fundamental também no aspecto motivacional do time. “Os números dela são incontestáveis (acima de 50% de aproveitamento em todas as estatísticas de lançamento). O Departamento Médico pediu para que ela fosse testada no último jogo, colocando dois minutos em cada período.

Ela acabou jogando três e rendeu muito bem. É, com certeza, um reforço direto no nosso garrafão. Tem ainda uma postura muito importante de chamar o grupo, de garra”, comentou o técnico Roberto Dornelas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: