Goleiro viveu crescimento notório após chegada do técnico Milton Cruz ao Náutico
Goleiro viveu crescimento notório após chegada do técnico Milton Cruz ao NáuticoFoto: Bruno Campos/arquivo folha

 

Mudanças costumam começar cercadas de questionamentos e dúvidas. No futebol, quando o endereço profissional de um jogador muda dentro de uma mesma cidade, a situação é certamente bastante delicada. Com três meses de Náutico, Tiago Cardoso assumiu a responsabilidade da camisa 1 Timbu depois de seis anos no Santa Cruz e um fraco desempenho na Série A de 2016. No começo deste ano, as falhas colocaram seu futuro em xeque, mas, sob nova direção, os ventos parecem estar mudando.
O começo com Dado Cavalcanti à beira do gramado tinha tudo para dar certo. O então treinador deixou claro a sua preferência pelo arqueiro desde os primeiros dias da pré-temporada, mas essa opção começou a ser questionada pelos torcedores após algumas falhas. O ponto alto aconteceu após o erro diante do Salgueiro, pelo Campeonato Pernambucano, na derrota dos alvirrubros por 2x0 na Arena de Pernambuco. Tiago saiu de campo vaiado, mas foi blindado pelos seus companheiros logo na saída do gramado.

Contra o Guarani de Sobral/CE, muitos creditaram a eliminação do Náutico da Copa do Brasil por um erro do goleiro, mas aquele jogo acabou se tornando o momento em que a chave virou para uma boa fase. Desde que Milton Cruz assumiu o comando da equipe principal, foram dois tentos sofridos em quatro partidas, uma média aceitável e bem diferente dos sete gols em sete jogos com Dado.

Tiago Cardoso atuou em todos 12 jogos como titular do Náutico até aqui, totalizando 1080 minutos em campo. Garoto da base alvirrubra, o goleiro Jefferson é tido como a “sombra”, mas até agora não teve uma oportunidade de sujar o uniforme debaixo das traves.
  
Falar em uma idolatria ao camisa 1 é muito cedo, principalmente com todo o contexto de rivalidade envolvido, mas as recentes atuações têm dado uma certa tranquilidade ao torcedor. Contra o Santa Cruz, Tiago foi providencial evitando que o Tricolor igualasse o placar. Diante do Sport, contou com a sorte das traves e proporcionou lances plásticos para salvar a meta alvirrubra.

Por mais que “Milton Cruz” e “confiança” sejam duas palavras comumente encontradas juntas nos noticiários do Timbu nas últimas semanas, não há como não atrelar a recente evolução de Tiago Cardoso usando as cores do clube da Rosa e Silva com a chegada do novo técnico. Ao que parece, aquela mesma palavrinha tão repetida, a tal da “confiança”, é realmente contagiante em um time de futebol.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: