A lesão do goleiro Tiago Cardoso na estreia do Náutico na Série B do Campeonato Brasileiro, diante do América/MG, na Arena de Pernambuco, pegou todo mundo de surpresa. Principalmente o responsável por substituí-lo no confronto, Jeferson. O frio na barriga foi inevitável em sua terceira oportunidade com a camisa alvirrubra. A quarta e segunda seguida foi logo em um Clássico das Emoções, contra o Santa Cruz, no Arruda. Passada a ansiedade, o agora titular se diz pronto para ajudar o Timbu a se reerguer na temporada.

“Fiquei triste pela situação do Tiago, mas quem está no futebol está sujeito a isso, com lesões e suspensões. Tive que aproveitar a oportunidade. Será meu quarto jogo e só tomei um gol. Isso é importante para dar confiança aos companheiros. Também agradeço a confiança do Waldemar e do professor Washington”, afirmou, sem esconder que a ansiedade precisou ser equilibrada em seu retorno à meta alvirrubra.

“Você se preparar para jogar é uma coisa e você entrar no decorrer é outra. É uma responsabilidade grande substituir Tiago. Já vi entrevista de goleiros conhecidos mundialmente dizendo que, se você não sente frio na barriga, pode deixar de jogar futebol. Isso existe, mas é preciso controlar para não influenciar no jogo. No primeiro eu estava mais tenso, mas nesse (contra o Santa) eu fiquei mais controlado”, completou.

O jogador também comentou sobre a indefinição envolvendo as permanências do meia Maylson e do atacante Anselmo. Para o goleiro, ter mais peças experientes no elenco é crucial na Série B.

“Ter Anselmo, Tiago, Nirley, Maylson, todos esses são importantes. Tiago e Nirley passaram confiança para mim, David e Manoel no jogo. É importante ter essa mescla no time para ajudar o Náutico a conseguir o acesso no final do ano”, declarou.

O “Magrão” do Timbu?

O goleiro Jeferson tem fama de pegador de pênalti. E essa característica lhe rendeu uma comparação com um ídolo do rival Sport: Magrão. “Foi dado esse apelido para mim lá no Porto. Decidi alguns jogos na base, ai pegou”, brincou, falando de outras referências suas na posição.

“Tem vários goleiros. Dois já pararam: Rogério e Marcos. Rogério pela liderança e por ser técnico com os pés. Marcos por ser decisivo. Se pude fazer 50% dos que eles fizeram, estará de bom tamanho. Tem até o espelho aqui do Tiago. Um cara frio, decisivo. Ontem me passou confiança. Gledson, Gideão e Júlio também me passaram mensagem antes do jogo. É uma responsabilidade grande”, finalizou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: