Presidente admitiu que guerra de facções preocupa
Presidente admitiu que guerra de facções preocupaFoto: Alan santos/pr

 

O presidente Michel Temer (PMDB) disse que os presos no Brasil vivem em condições desumanas e que as quadrilhas em presídios preocupam a segurança nacional. A fala ocorreu na abertura de reunião com ministros. Durante sua fala, o presidente afirmou que, apesar de segurança pública não ser atribuição direta da União, aumentou as verbas para o setor, citando a liberação de R$ 1,2 bilhão no final do ano passado para os Estados.

Segundo ele, os gastos da União com segurança “são importantes para revelar a distância entre o que se aplicava no passado e o que se aplica hoje”. De acordo com o presidente, o setor é questão de segurança nacional.

“Nesse momento, a realidade que vivemos exige a construção de presídios para retirar as condições, convenhamos, desumanas que os presos se acham”, disse. Temer afirmou ainda que as facções têm “preceitos próprios” e que preocupam. “Essa questão ultrapassa os limites da seguran­ça para preocupar a nação como um todo.”

Tribunais
A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, convocou para hoje, às 10h (horário de Brasília), na sede da Corte, uma reunião com os presidentes dos 27 tribunais de Justiça do País para tratar da crise do sistema penitenciário. Cármen Lúcia pretender dar continuidade aos esforços do Judiciário para encontrar soluções.

Na semana passada, após a rebelião em Manaus, a ministra se reuniu com os presidentes dos tribunais da Região Norte para debater o assunto. Desde que assumiu o comando do Judiciário, em setembro, a ministra tem feito visitas surpresa a penitenciárias do país e já esteve em unidades prisionais no Distrito Federal, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: