Medida ocorre em meio a queixas de usuários sobre deficiências na rede de recarga
Medida ocorre em meio a queixas de usuários sobre deficiências na rede de recargaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A partir do próximo dia 26, a meia-tarifa aos domingos nos ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR) passará a ser concedida só a quem utiliza o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). Quem optar por seguir pagando em dinheiro passa a ter que arcar com o valor inteiro da passagem (R$ 3,20, para o anel A, e R$ 4,40, para o B, por exemplo).

Conforme o Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), que publicou a medida no Diário Oficial do Estado no último sábado, a extinção do desconto para o pagamento em espécie, que era concedido desde 2004, busca incentivar a migração dos passageiros para a bilhetagem eletrônica e reduzir a quantidade de dinheiro em circulação dentro do transporte coletivo. O problema é que, segundo usuários, a novidade ocorre em meio a deficiências na rede de recarga dos cartões, frequentemente alvo de críticas.

As discussões sobre o tema ocorrem desde o ano passado, quando o cenário era o oposto: só tinha direito à meia-tarifa no primeiro dia da semana quem pagava em espécie. Até que, em setembro, o CSTM publicou uma resolução estendendo o benefício aos usuários do VEM, mas o encerrando para o pagamento em dinheiro em até quatro meses. O prazo terminaria em dezembro, mas foi adiado até esta semana. Vale lembrar que, para ter o desconto, só usando o VEM Comum. A modalidade “Trabalhador” do cartão está fora dessa lista.

Além da meia-tarifa aos domingos, o VEM já é a única forma de pagamento admitida, inclusive em dias úteis, em ônibus de mais de dez linhas que circulam sem cobrador na RMR ou que fazem integração temporal. A dificuldade é encontrar máquinas de recarga que funcionem, principalmente em terminais integrados e estações de BRT. Nas redes sociais, passageiros têm reclamado.

“Toda semana essas máquinas estão quebradas, fora do ar”, afirmou a usuária Natália Santos. Queixa parecida à da passageira Lúcia de Fátima. “Andei procurando o cartão em todas as estações e nenhuma tinha para vender”, postou. Em alguns casos, é preciso seguir até o posto do VEM na rua da Soledade, no Centro, para pôr créditos.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Urbana-PE) afirma que tem investido na modernização da bilhetagem eletrônica e na ampliação da rede de venda de créditos, operando com mais de 70 terminais de autoatendimento. Ainda segundo a instituição, também é possível recarregar os cartões em mais de 500 pontos de venda na RMR e por meio do aplicativo Rede Ponto Certo Cartão VEM.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: