Comunidade do Bode
Comunidade do BodeFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A comunidade do Bode, no Pina, na Zona Sul do Recife, reclama da truculência em ações policiais desde a última quinta-feira (15). A população aponta que dois moradores da área foram mortos durante abordagens na comunidade e o clima tem sido de terror. O motivo seria uma "operação caça-as-bruxas" depois de informações apontarem que homens suspeitos de atirar em dois policiais militares, no último dia 14, estariam escondidos no local.

A última morte registrada na localidade foi na manhã do último sábado (17), quando Ramon Gonçalves Cavalcanti, 30 anos, foi alvejado. Na versão da família dele, uma equipe da Polícia Militar teria tentado fazer uma abordagem a um rapaz que correu. No tumulto, Ramon, que é ex-presidiário, foi confundido e atingido.

“Meu filho foi executado sem motivo. Era um homem trabalhador e tinha dois filhos. Ele teve seus problemas com a Justiça no passado, mas isso já era coisa do passado. Isso não pode ficar assim”, lamentou a mãe, Ana Lúcia Gonçalves, 47.

O comandante do 19º Batalhão de Polícia Militar, coronel Willian Araújo, retrucou a versão. De acordo com ele, a equipe de militares foi recebida à bala durante uma incursão na comunidade. "Na hora que nosso efetivo é recebido a tiros, temos que nos defender. Em nenhum momento, nós chegamos em qualquer lugar com intenção de matar pessoas. Tanto que tentamos socorrer este homem para o Hospital da Restauração o mais breve possível”, justificou sobre a ocorrência de Ramon.

No episódio da quinta-feira, a vítima foi um jovem de 19 anos, atingido durante uma incursão da Radiopatrulha. Também aqui a PM alega ter havido troca de tiros. Este rapaz, que já teria passagem pelo sistema socioeducativo, estaria com outros suspeitos da morte do sargento Ricardo Sales, 40, e da tentativa de assassinato do militar Isnaldo Ferreira da Silva.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: