Edmilson da Silva Santos já passou por mais de 20 cirurgias. No caso dele, o câncer de pele apareceu no nariz, depois nas costas, nos lábios e em outras partes do rosto.
Edmilson da Silva Santos já passou por mais de 20 cirurgias. No caso dele, o câncer de pele apareceu no nariz, depois nas costas, nos lábios e em outras partes do rosto.Foto: Jedson Nobre

Parecia uma espinha na ponta do nariz. Depois, começou a se assemelhar a uma verruga. Coçava. Doía. Parecia inflamado. Até que sangrou e a verdade sobre o nódulo veio à tona: câncer de pele. Foi assim com Edmilson da Silva Santos, 34 anos, morador de Caruaru (Agreste). A descoberta foi há uma década, mas a doença ainda o acompanha, já que houve outras lesões. “O do nariz foi apenas o primeiro. Já fiz mais de 20 cirurgias. Apareceu nas costas, nos lábios, em outras partes do rosto”, conta. 

Edmilson confessa que negligenciou a doença e nem imaginava estar doente. Hoje corre para evitar novas lesões e para tratar as que ainda têm. Neoplasias de pele são as mais comuns entre os tipos de câncer no Brasil, sendo as maiores vítimas o público masculino.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o tipo não melanoma, que representa 30% dos tumores malignos, tem estimativa de 175.760 novos casos em 2016, com projeção de 80.850 homens doentes e pelo menos mil mortes masculinas. Já tumores do tipo melanoma, muito mais agressivos, têm expectativa de casos novos de 5.670, sendo três mil homens afetados e 903 mortos.
A neoplasia de pele, apesar de comum em ambos os sexos, apresenta prevalência maior entre eles por vários motivos. Uma das causas é a falta de proteção contra raios solares. “O homem acaba não se protegendo tanto quanto as mulheres. Não têm esse hábito. Às vezes é um tabu ficar colocando creme. Acha que isso é fútil. Mas é importante terem essa ideia (da importância). Precisamos insistir que essa prática é uma necessidade”, afirma Ângela Rapela, dermatologista e professora do Hospital Universitário Oswaldo Cruz.
Só de ouvir falar o nome protetor solar, Olívio Severino, 69, faz careta. “Sou nascido e criado na roça então é difícil. A gente já amanhece o dia no sol trabalhando”, conta. No caso dele, também um caroço apareceu no nariz. Começou como um sinal que coçava muito. Mas cresceu rapidamente. “Tive que fazer uma cirurgia muito grande e, graças a Deus, fiquei bem. Mas o médico recomendou ficar longe do sol”, diz.
A médica destaca que os homens são mais vulneráveis devido ao ambiente de trabalho mais exposto, como nos casos de pescadores, estivadores, boias-frias, agricultores. Há ainda quem não acredite que a exposição nas práticas esportivas, como futebol, possa causar danos. E quem subjugue o sol que pega nos braços por horas no trânsito.
“Hoje em dia vemos blusas e mangas de fatores de proteção. Essas roupas têm função interessante, mas é importante terem marca confiável. Elas são a saída para homens que acham ruim passar o creme e ficam reclamando que se sentem oleosos e melados”, indica a Ângela. Ela lembra que as áreas mais comuns do aparecimento de lesões neles são orelhas, nariz e braços. Carecas e calvos são mais suscetíveis a tumores no couro cabeludo.
Alerta
Ângela Rapela explica que há três tipos básicos de tumores: carcinoma basocelular (CBC), carcinoma espinocelular (CEC) e melanoma. O primeiro é o mais comum, com melhor prognóstico e relacionado ao sol em excesso. Os demais têm a radiação solar como gatilho, mas há outros fatores envolvidos, como componentes genéticos e ambientais, a exemplo de doenças e tabagismo.
O mais agressivo é o melanoma, responsável por metástase e alta da taxa de mortalidade. Para ele, a comunidade médica descreve sinais de alerta que os pacientes devem se preocupar e sugere buscar ajuda imediata de um especialista. “Para o melanoma tem a regra do ‘ABCDE’. O A é de assimetria, quando se observa que, se dividi-lo ao meio, os dois lados têm mais ou menos o mesmo tamanho; o B é se a borda é irregular; o C é cor; o D, dimensão; e o E de evolução”, enumera a dermatologista.
A dica de ouro é sempre estar de olho na própria pele verificando o aparecimento de novas manchas, principalmente as que são diferentes de outras que já se tem no corpo há algum tempo.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: