Foram encontrados 336 resultados para "Janeiro 2017":

Iniciado no período eleitoral de 2016, o vereador Ivan Moraes (Psol) continuará prestando contas dos seus eleitores com o “Ao vivo Ivan”. O programa será realizado em todas as segundas-feiras, com uma hora de duração, com tradição em libras.

“ A gente sente a necessidade que o que se discute nas ruas reverbere na Casa. Essa interação que se da pelo Facebook, receber sugestões, anotar, é importante”, comentou Moraes, em conversa com o Blog da Folha.

“Iremos comentar sobre atividades legislativas, fiscalização, acesso a informação, educação, política. O trabalho vai acontecer. Uma coisa que o povo sente falta é saber como funciona a Casa, queremos explicar o que o vereador faz”, disse.

Vereador da Oposição, o psolista disse que adotará de um clima de respeito e de discussão amistosa com os colegas da Casa.

“Eu sou um cara de diálogo. Não vou ser o doidinho da Câmara que vai sair jogando pedra em todo canto. Da mesma forma que não vou dizer não nos projetos que o prefeito manda antes de ler. Espero que os colegas também façam da mesma maneira quando levarmos propostas para a Casa”, concluiu.

Aline Mariano contestou as críticas feitas sobre a questão da Guarda Municipal e da educação no município
Aline Mariano contestou as críticas feitas sobre a questão da Guarda Municipal e da educação no municípioFoto: Bruno Campos/ Arquivo Folha

Por Anderson Bandeira
Da Folha de Pernambuco


A vereadora do Recife, Aline Mariano (PMDB), será a líder do governo na Câmara do Recife. Após mais de uma hora de reunião com o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), a peemedebista aceitou o convite para ser a porta-voz da gestão municipal na Casa José Mariano.

Aline tinha recebido o chamado para ocupar a função há 15 dias. Ressentida com o fato de ter sido preterida do primeiro escalão na reforma administrativa, preferiu refletir sobre o convite. Entretanto, nesta terça-feira (31), ela deu o aceno positivo ao prefeito e agora deverá indicar as vagas de vice-líderes do governo.

A ideia de ungir a parlamentar a liderança deu-se pelo seu espirito combativo. Ela assume a vaga que até o final do ano passado era preenchida pelo governista Gilberto Alves (PSD).

Gonzaga Patriota é deputado federal pelo PSB
Gonzaga Patriota é deputado federal pelo PSBFoto: Leo motta/Folha de Pernambuco

Deputado federal pelo PSB, Gonzaga Patriota se mostrou surpreso com o resultado da disputa pela liderança do partido na Câmara Federal – o deputado Tadeu Alencar acabou perdendo por 22 votos a 14 para Teresa Cristina. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, o socialista acusou o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) de interferir na disputa do cargo. Os dois têm um histórico de atritos dentro do município de Petrolina.

“Eu sai tonto dali. Porque tinha certeza que Tadeu seria eleito líder. O trabalho que ele vem fazendo como vice-líder, a pessoa importante que ele é como colega deputado, sem nenhum demérito para a deputada Teresa Cristina”, afirmou Patriota.

“Vi uma intromissão do senador Fernando Bezerra na bancada de parlamentares de Pernambuco. Eu não entendo o porquê. Teve Eduardo Campos como presidente, Carlos Siqueira de Pernambuco. Mas como sou miudinho eu prefiro ficar de fora ouvindo e respeitando”, disse.

Apesar de se surpreender com o resultado, Patriota garantiu que respeitará o mandato de Teresa Cristina.

“Tenho certeza que Teresa Cristina fará um bom trabalho, e vou obedecê-la como obedeço ao meu partido, governador, aos meu prefeitos, na hora que não quiser obedecer a ninguém me retiro da politica”, frisou.

O PSB de Pernambuco lançou uma nota, nesta terça-feira (31), discordando dos números divulgados sobre a apuração realizadas pela Polícia Federal, dentro do âmbito da Operação Vortex, desencadeada também nesta terça. O texto relata que a empresa Lidemarc Construções só fez uma doação à campanha majoritária do PSB, em 2014, no valor de R$ 500 mil.

A empresa Lidemarc é suspeita de financiar a a compra do avião Cessna envolvido no acidente fatal de Eduardo Campos.

A Operação Vortex, é um desmembramento da Operação Turbulência.

Leia também:
PF cumpre quatro mandados de condução coercitiva em desdobramento da Operação Turbulência
Operação Vortex surgiu a partir da delação da Odebrecht local
Genro de ministro do TCU é conduzido coercitivamente pela PF dentro da Operação Vórtex
Empresa investigada pela PF doou 1,5 milhão para campanha de Paulo Câmara

Leia a nota na íntegra:

Com relação a notícias publicadas pela mídia no dia de hoje, a respeito da Operação Vórtex da Polícia Federal em Pernambuco, a direção estadual do PSB vem a público para fazer as seguintes considerações:

1. São estranhos os números divulgados pela Imprensa supostamente como resultado de apurações realizadas pela PF.

2. No período 2006-2014 a empresa Lidermac fez apenas uma doação à campanha majoritária do PSB, no ano de 2014, no valor de R$ 500 mil, legalmente recebida e declarada à Justiça Eleitoral, que aprovou a prestação de contas.

3. Não houve doação da empresa Lidermac a candidaturas majoritárias do PSB em nenhuma das outras campanhas mencionadas (2006, 2008, 2010 e 2012) sendo que os valores listados pela imprensa correspondem a contribuições a outras candidaturas e agremiações partidárias.

4. Quanto ao mencionado valor de R$ 1,5 milhão, o mesmo não procede. Ao analisar todos os registros no sistema de prestação de contas da Justiça Eleitoral, se identifica um equívoco de aritmética. Os responsáveis pela apuração somaram três vezes a mesma doação de R$ 500 mil durante sua tramitação do Diretório Nacional, que a recebeu, para o Diretório Estadual, que a repassou ao comitê financeiro da campanha do candidato a governador.

A direção estadual do PSB se mantém à disposição da sociedade, das autoridades e dos meios de comunicação para fazer novos esclarecimentos, se necessário, ressaltando seu compromisso com a ética, a transparência e a verdade.

Recife, 31 de janeiro de 2017

PSB Pernambuco

A um dia do reinício das atividades parlamentares na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o líder da bancada do governo, Isaltino Nascimento (PSB), se reuniu com alguns deputados para conversar sobre a composição das comissões da Casa.

Durante a reunião, segundo o líder do governo, a definição deve ser prioritariamente baseada na proporcionalidade e no interesse de cada bancada. Conforme esse entendimento, uma das comissões que ficou definida foi a de Agricultura. Será presidida pelo deputado estadual Claudiano Martins Filho que tem seu foco de atuação na área.

“É pra mim uma honra presidir essa comissão. Sempre busquei atender as demandas dos agricultores e produtores do Estado. Este ano, já estou em ação para garantir subsídios para o milho numa tentativa de ajudar os produtores que estão sofrendo com o efeito do prolongamento da seca”, afirmou Claudiano.

O deputado articula para tentar a retomada do programa Venda Balcão Especial, onde uma parceria do Governo Estadual e Federal garantia a venda da saca do milho subsidiada aos produtores rurais atingidos pelas estiagens e cadastrados no projeto.

Durante a visita do presidente Michel Temer a Serra Talhada, o prefeito da cidade, Luciano Duque (PT), também falou sobre a importância de subsidiar o milho para os produtores.

Cerca de 150 pessoas, de 40 entidades de diversas categorias participaram do evento da Central Sindical
Cerca de 150 pessoas, de 40 entidades de diversas categorias participaram do evento da Central SindicalFoto: Divulgação

O 1° Congresso da Intersindical-PE, realizado no último sábado (28), no auditório do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE), teve como objetivo discutir a criação da Central Sindical. Cerca de 150 pessoas, representando mais de 40 entidades de diversas categorias participaram do evento.

Policiais civis, professores, carteiros, guardas penitenciários, representantes dos movimentos sociais e direitos humanos, agentes de saúde, guardas municipais de diversos municípios, além do Vereador do Recife, Ivan Moraes, e o ex-deputado federal, Paulo Rubem, estavam presentes.

A atividade foi iniciada com a apresentação de partituras teatrais da peça “Soledad – a terra é fogo sob nossos pés”. Encenado pela atriz Hilda Torres, considerada a melhor atriz de Pernambuco em 2016, o solo narra a história de uma militante paraguaia assassinada pelo regime militar brasileiro em 1973, no Recife.

Em seguida, com a formação da mesa de abertura, as conjunturas políticas local, nacional e internacional, bem como a necessidade de retomar os princípios sindicais abandonados por algumas das maiores centrais sindicais existentes, nortearam as explanações dos convidados.

Para o Secretário Geral da Intersindical-PE, Áureo Cisneiros, a entidade surge em um momento crucial, quando diversos direitos históricos estão sendo retirados da classe trabalhadora.

“Querem colocar a conta dessa crise, que tem elementos cíclicos, mas também conjunturais - como a corrupção e a incompetência – para o trabalhador pagar. O objetivo é manter os exorbitantes lucros do mercado financeiro; não tocar nos bancos enquanto os mais necessitados são atingidos. Nosso desafio é grande e demanda muita união, organização, autonomia e foco. A Intersindical-PE surge com o compromisso de colocar os interesses da classe trabalhadora em primeiro lugar, rechaçando qualquer tipo de conluio com governos ou patrões, a exemplo do que comumente se observa em algumas entidades sindicais”, explica.

Raquel Lyra conversou com o secretário Ângelo Gioia sobre a situação de Caruaru
Raquel Lyra conversou com o secretário Ângelo Gioia sobre a situação de CaruaruFoto: Roberto Pereira Jr./Divulgação

Diante dos crescentes índices de violência registrados no Estado, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), apresentou nesta terça-feira (31) ao secretário estadual de Defesa Social, Ângelo Gioia, uma lista com oito itens para incrementar a área de segurança no município.

Entre os pedidos da gestora, a necessidade do 4º Batalhão exclusivo para o município e a extensão das atividades da Delegacia da Mulher para 24 horas diárias e nos finais de semana. A prefeita, que veio ao Recife acompanhada do secretário municipal de Ordem Pública, Coronel Luís Aureliano, explicou ao secretário estadual o objetivo do plano municipal “Juntos pela Segurança”.

“A atual gestão, que está à frente do Executivo municipal há um mês, assumiu o papel que cabe ao município, não fugindo ao debate nem a adoção de medidas sob sua responsabilidade. Por isso, demos início à elaboração de um plano municipal, o “Juntos pela Segurança” que é um plano de participação popular que consolidará uma política pública voltada para a definição do papel do município na contribuição da tarefa da preservação da ordem pública, além de procurar desenvolver a responsabilidade cidadã da comunidade, bem como assumir compromissos com os órgãos responsáveis constitucionalmente pela segurança pública”, detalhou a prefeita.

O csecret6ário da SDS afirmou que que Caruaru merece uma atenção especial pela sua importância na região. “Independente da sigla e do partido, todos terão nosso apoio e respeito. Eu me comprometo em dar uma resposta rápida e vamos discutir com o governador Paulo Câmara para avançar nessas demandas de importância para Caruaru. Serei o interlocutor para avançar nessas solicitações”, ressaltou.

O PCdoB nacional divulgou a resolução do partido para as eleições da Câmara Federal, marcadas para a próxima quinta-feira (2). No documento, a legenda reafirma seu posicionamento contrário ao governo de Michel Temer (PMDB). "Estamos, e assim prosseguiremos, como desde a primeira hora, com os pés na trincheira da resistência. A bancada do PCdoB mantém sua conduta resoluta de combate ao golpe, às contrarreformas neoliberais", diz o texto.

"O voto do PCdoB será um voto público, transparente, pontual a uma candidatura que, pelas circunstâncias da disputa, seja contingenciada a se comprometer com o respeito à atuação das bancadas das minorias, com o regimento das Casas, com a defesa do Poder Legislativo. O PCdoB apresenta, também, à mesa do diálogo a defesa do pluralismo político contra a exclusão das minorias do parlamento, por uma reforma política democrática", afirma a legenda.

Em seguida, o partido diz que o objetivo é arrancar do campo adversário "quaisquer brechas que sejam, para que a esquerda possa atuar com alguma condição" e que o PCdoB considera que marcar posição não é o melhor caminho.

"Com base nesta ótica, o PCdoB tem dialogado com os partidos e parlamentes que compõem o campo democrático e popular, e respeitado as diferenças de opinião que há sobre a questão. Contudo, regido pela leitura política que faz deste episódio, o Partido se movimenta com independência e tem conversado com setores mais amplos, entre os quais, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que sobre as questões pertinentes à eleição da Mesa tem tido abertura para se comprometer com as diretrizes acima enumeradas", afirma.

Em relação ao Senado Federal, o texto relata que a legenda "tem se movimentado com os mesmos parâmetros e tem feito semelhante diálogo com a resistência democrática e, também, com o senador Eunício de Oliveira (PMDB-CE)".

Comissão Política - Defender a Democracia No Congresso Para Fortalecer a Resistência by Folha de Pernambuco on Scribd

Por Luciano Siqueira*

Na luta política, dois erros crassos são recorrentes: a leitura “voluntarista” da realidade e o desrespeito a opções discrepantes adotadas por aliados, e consequências danosas.

Em consequência, ocorrem derrotas e se fragilizam as possibilidades de recuperação do terreno perdido.

É o que acontece na atual fase de vacas magras que atinge duramente as forças políticas de esquerda e do campo progressista.

Ora, se sofremos uma derrota histórica e de cunho estratégico — um ciclo de transformações que durava 12 anos foi interrompido —, do que menos se precisa nesse instante é de arroubos hegemonistas, bravatas e presunção de verdade absoluta.

A recomposição das forças momentaneamente derrotadas há que acontecer no curso da resistência ao golpe institucional e às políticas regressivas e implica compreensão exata da correlação de forças real e, portanto, percepção aguda do que é possível, no sentido da acumulação de forças para uma contraofensiva futura.

É o que traduz a aspiração a uma ampla frente de defesa da democracia, de direitos e conquistas ameaçados e da retomada do crescimento econômico em bases soberanas, com valorização do trabalho e inserção social.

Proposições e “fórmulas” experimentadas na conjuntura anterior não cabem na realidade atual.

Forças que exerceram, com méritos, papel destacado podem ou não cumprir desempenho semelhante agora. É a roda da vida – e da luta política.

O fato é que, com o impeachment da presidenta Dilma, um ciclo foi interrompido e outro ciclo, de natureza diametralmente oposta tem lugar.

Compreender o que se passa é indispensável. Abertura, flexibilidade e, sobretudo, respeito às opiniões das demais correntes políticas do campo progressista são pressupostos do bom diálogo, efetivamente produtivo.

Em nada ajuda a postura de metralhadora giratória, destinada atingir indiscriminadamente adversários e aliados.

Muito menos ajuda rotular este ou aquele partido, grupo ou personalidade. Vale a posição de cada um em relação a agenda atual e, com base nela, a busca de pontos de convergência que se superponham a divergências circunstanciais.

Às correntes políticas de matiz popular cabe, nesse sentido, uma responsabilidade estratégica, em razão do papel histórico que têm a cumprir.

E na História não há registro de transformações sociais de envergadura sem a conjugação de forças heterogêneas e sem alianças tão avançadas quanto possíveis.

Fora disso, resta a inconsequência.

* Luciano Siqueira é vice-prefeito do Recife e escreve todas as terças-feiras no Blog da Folha.

https://www.facebook.com/lucianoPCdoB;
blog www.lucianosiqueira.blogspot.com;
twitter.com/lucianoPCdoB;
Instagram lucianosiqueiram

Governador Paulo Câmara
Governador Paulo CâmaraFoto: Flávio Japa e Raquel Melo/FolhaPE

*Com informações de Branca Alves, do Blog da Folha

Investigada como suspeita de financiar a compra do avião Cessna envolvido no acidente fatal de Eduardo Campos, a Lidermac Construções fez, apenas em 2014, doações de R$ 3,8 milhões para campanhas políticas. Deste montante, 1,5 milhão favoreceu o PSB e a campanha do governador Paulo Câmara, escolhido por Eduardo Campos para disputar o governo de Pernambuco, de acordo com informações de fontes da investigação. Os outros 2,3 milhões foram distribuídos entre 21 candidatos de diversos partidos, com uma média de R$ 109 mil por candidato. Na lista de doação da Justiça Eleitoral aparece apenas uma doação de R$ 500 mil para a campanha de Paulo Câmara. A informação também é contestada pelo PSB.


A investigação que culminou na Operação Vórtex, deflagrada na manhã desta terça-feira (31), apontou que as doações a campanhas políticas aumentaram de forma exponencial ao longo dos últimos anos. Em 2006, foram doados R$ 30 mil. Em 2008, o valor caiu para R$ 3 mil. Em 2010, o montante chegou a R$ 270 mil. Em 2012, esse valor chegou a R$ 1,4 milhão. Em 2014, as doações alcançaram os 3,8 milhões.

Leia mais
Genro de ministro do TCU é conduzido coercitivamente pela PF dentro da Operação Vórtex
Operação Vortex surgiu a partir da delação da Odebrecht local
PF investiga nova empresa suspeita de financiar compra de avião de Campos

comece o dia bem informado: