Foram encontrados 1812 resultados para "Blog da Folha":

Paulo Câmara
Paulo CâmaraFoto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara (PSB) descartou, na noite desta terça-feira (21), solicitar o envio das Forças Armadas para Pernambuco, no intuito de ajudar a combater a violência no Estado. De acordo com o gestor, que no início da noite concedeu coletiva para a imprensa no Palácio do Campo das Princesas, as polícias pernambucanas já estão empenhadas em prender os bandidos.

"Não há necessidade (das Forças Armadas). As polícias estão cumprindo o seu papel, nós não vamos nos omitir também de sempre que precisar vamos convocar também forças federais. Mas, nesse caso, nós agimos, evitamos um dano maior, nossa polícia respondeu com muita determinação, muita coragem e a gente sabe que temos uma nova etapa de prender essas pessoas", afirmou Paulo Câmara.

O governador cobrou o envolvimento dos entes federativos no combate a esses grupos e ao tráfico de armas.

“Já tinha visto isso em outros Estados. São marginais muito bem armados, com armas de controle exclusivo que não são encontradas no Brasil. Temos que atuar de forma federativa e que evitar que se entre tantas armas no País. Do cunho que a gente viu hoje, fuzis e armas que podem derrubar, inclusive, helicóptero, pelo que me passou a polícia”, afirmou Paulo Câmara.

O socialista também condenou a atuação da bancada da oposição na Assembleia Legislativa, afirmando, inclusive, que alguns integrantes incitaram uma greve em dezembro. Nesta terça-feira (21), a bancada protocolou um documento em que defende que o Governo peça o envio da Força Nacional.

“A oposição tem provocado, de alguma maneira, fatos que não são bons para a segurança pública. É só ver que temos aqui quando, em dezembro, membros da oposição estavam incitando uma greve da PM e nós evitamos isso com o apoio do Exército. Mas agora, não”, avaliou.

O governador acrescentou que o esquema de policiamento no Carnaval sofreu um incremento de pessoal de 12% e que a população não deve se preocupar. “Vamos ter a presença da polícia. Vamos garantir a paz”.

A coletiva desta noite foi concedida para tratar da segurança pública no Estado. Nesta madrugada, assaltantes invadiram a empresa de transporte de valores Brinks, que fica na Zona Oeste da Capital. A investida causou terror entre os moradores da região.

Leia também:

"Não é uma situação desconfortável, é de descontrole da segurança pública", diz Silvio Costa Filho

Na manhã desta terça, a bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) protocolou, no Palácio do Campo das Princesas, um ofício dirigido ao governador para que o Estado solicite o apoio da Força Nacional para reforçar a segurança durante o Carnaval.

O documento foi entregue pelos deputados Silvio Costa Filho (PRB), Priscilla Krause (DEM), Socorro Pimentel (PSL), Edilson Silva (PSOL), Bispo Ossésio (PRB), Joel da Harpa (PTN), Augusto César (PTB) e Julio Cavalcanti (PTB).

Com informações de Márcio Didier, editor do Blog.

Em coletiva de imprensa na noite desta terça-feira (21) para falar sobre a segurança pública no Estado, o governador Paulo Câmara (PSB) defendeu o emprego de forças para combater a criminalidade em Pernambuco. O gestor antecipou seu retorno ao Estado após a investida de assaltantes na Zona Oeste do Recife. A ação que causou pânico entre os moradores da região.

"A gente está com a Polícia Militar determinada a intensificar o efetivo nas ruas. A Polícia Civil investigar os casos, a Polícia Científica elucidar. Tudo isso vai levar com que as ações cheguem em torno do que a gente quer: trazer mais segurança para a população", afirmou Paulo Câmara, no Palácio do Campo das Princesas.

Paulo Câmara estava no Estado de São Paulo desde a noite dessa segunda-feira (20), onde cumpria agenda administrativa. Devido ao mega-assalto a Brinks, empresa de transporte de valores, ocorrido nesta madrugada, o governador cancelou agendas e embarcou para o Recife em voo de carreira.

Com informações de Márcio Didier, editor do Blog.

Rodrigo Novaes (PSD) é vice-líder do governo
Rodrigo Novaes (PSD) é vice-líder do governoFoto: Divulgação/Alepe

No mesmo dia em que a bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) protocolou ofício ao governador Paulo Câmara (PSB) solicitando a presença da Força Nacional durante o Carnaval, deputados da base aliada do gestor saíram em defesa, nesta terça-feira (21), do Governo do Estado.

O vice-líder do Governo na Casa, Rodrigo Novaes (PSD), lamentou a postura da oposição e ressaltou que os opositores estão agindo como “corujas agorentas” e “fazendo terrorismo” para que as coisas deem errado no Carnaval. O parlamentar disse confiar na Polícia Militar e afirmou, ainda, ter certeza que os festejos de Momo no Estado “acontecerão sem eventos extraordinários”.

Ainda sobre o tema segurança pública, o deputado governista Lucas Ramos (PSB), em pronunciamento na tarde desta terça na Alepe, aproveitou a ocasião para desafiar os opositores a “animar” os policiais que participaram do movimento contra o projeto que reajustou os salários da categoria a ocuparem as ruas durante os festejos de Momo.

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)
Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)Foto: Beto Barata/PR

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), estará no Estado nesta quarta-feira (22) para, ao lado do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, vistoria as estruturas do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco, que liga Pernambuco e Paraíba.

A visita começará por Floresta, na Estação de Bombeamento (EBV3). Depois a comitiva estará no reservatório de Copiti, em Custódia (PE), para acompanhar a operação das motobombas flutuantes emprestadas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Serão vistoriadas também as duas últimas estações de bombeamento do Eixo Leste - EBV5 e EBV6 - localizadas em Sertânia (PE).

Os equipamentos da Sabesp aceleraram os enchimentos das estruturas de engenharia do projeto e, com isso, a chegada da água em Pernambuco e na Paraíba foi antecipada para a primeira semana de março deste ano. O maquinário foi emprestado sem ônus ao Ministério da Integração Nacional pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin, em dezembro de 2016.

Deputado estadual Aluísio Lessa (PSB)
Deputado estadual Aluísio Lessa (PSB)Foto: Divulgação

As ações de grupos organizados contra os estabelecimentos bancários, a consequente fechamento das agências, fizeram com que o tema entrasse na pauta da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

No dia 8 de março, às 9h, a Comissão de Desenvolvimento Econômico e Turismo, presidida pelo deputado Aluísio Lessa (PSB), promoverá uma audiência pública para tratar da precariedade do funcionamento de agências bancárias que foram alvos de ações criminosas, a maior parte no interior do Estado.

Para a reunião, serão convocados todos os bancos que foram alvos de criminosos e não apresentaram celeridade na reabertura das agências e postos danificados.

Por Luciano Siqueira*

Todo carnaval é assim: tenho que responder se vou permanecer no Recife e em Olinda, sob as ordens de Momo, no compasso eletrizante do frevo ou do batuque sedutor do maracatu, e se não for, por que não, se gosto ou não gosto e por aí vai.

Avesso a dar explicações sobre minhas escolhas para além da militância política, termino caindo na tentação de relembrar antigos e recentes carnavais, das diversas fases de minha vida que ultrapassam as seis décadas, e sobre a tradição guerreira do carnaval pernambucano. É que o tríduo momesco, como se dizia antigamente, envolve a todos – os que caem na folia e os que só observam e até os que se mantêm à distância.

Agora mesmo termino um prazeroso colóquio sobre o tema com amigos recentes que ainda pouco sabem da minha relação de amor com a festa e até imaginavam que nutrisse algum sentimento avesso. Reconheço a emoção ao comentar a verdadeira saga popular dos pernambucanos pobres pelo direito de compartilhar o chão de nossa terra com as elites e passarem de meros espectadores a foliões com todos os direitos. Os enfrentamentos com a polícia que reprimiam as primeiras agremiações populares, no início do século 20, o uso da estrutura metálica do guarda-chuva como forma de enfrentar a sanha dos meganhas, resultando nessas peças multicolores e delicadas de hoje, as sombrinhas de frevo.

Os amigos, um jovem casal que reside no Recife há pouco mais de dois anos e que literalmente dá os primeiros passos na festança, se espantam quando digo que nos anos 50, em Natal, onde vivi até o meio da adolescência, meu pai comprava lança-perfume Rodouro, importada da Argentina, e dava aos filhos para que fizessem bom uso no assédio aos brotinhos (as gatinhas de então). Lança-perfume se tornou proibida nos anos 60, na curta presidência de Jânio Quadros.

Adiante, em pleno rigor da militância clandestina, início dos anos 70, em Santana do Ipanema, sertão de Alagoas, Luci e eu, emocionados, descobrimos, durante o cortejo da Escola de Samba Unidos do Monumento, no muro de uma das ruelas, inscrição antiga de um candidato a vereador pelo Partido Comunista. Ali mesmo, numa segunda-feira gorda, acompanhei uma charanga que percorreu quase toda a cidade com batuque improvisado e, já no meio da tarde, a cabeça a mil pelo excesso de oxidrila, arrisquei um salto espetacular do alto da ponte para mergulhar no rio e quase morro afogado.

A conversa transcorreu repassando imagens como em vídeo tape. Carnavais de Olinda, vários. Todos apaixonantes, a partir do primeiro (para mim e Luci), após sairmos da cadeia, em 1977, quando o prefeito Germano Coelho, em início de mandato, tendo recebido a prefeitura em situação calamitosa, sem recursos para apoiar a festa, apelou à população que ornamentou com toalhas, lençóis e tecidos coloridos as fachadas e janelas do sítio histórico, fazendo a festa com paixão e raça.

Bom, também as lembranças de amores e dores da adolescência vividos nos quatro dias de fantasia. Passado o tempo, ficaram só as boas recordações. O fato é que essa festa que em Pernambuco é rigorosamente democrática, espontânea e livre, faz muito bem aos viventes que dela fazem bom proveito. Evoé!

*Luciano Siqueira (PCdoB) é vice-prefeito do Recife e escreve ao Blog da Folha às terças-feiras.
https://www.facebook.com/LucianoSiqueira65/
www.lucianosiqueira.blogspot.com
https://twitter.com/lucianoPCdoB

Governador Paulo Câmara
Governador Paulo CâmaraFoto: Flávio Japa e Raquel Melo/FolhaPE

O governador Paulo Câmara (PSB) cancelou agendas fora do Estado e retorna ao Recife. A decisão teria sido motivada pela investida de assaltantes, na madrugada desta terça-feira (21), a uma transportadora de veículos, que causou terror aos moradores da Zona Oeste da Capital.

Ele convocou a imprensa para um pronunciamento às 19h desta terça (21).

O assalto ocorre um dia após a solenidade de posse do novo comandante da Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE), Vanildo Maranhão. Ainda nesta terça ocorre a posse de Joselito Kehrle na chefia da Polícia Civil.

O horário de chegada do governador ainda não foi confirmado, pois o gestor embarcará num voo de carreira.  De acordo com a Secretaria de Imprensa, o governador cumpre agenda administrativa, desde segunda, em São Paulo. O gestor só voltaria na quarta-feira (22), mas antecipou o retorno devido aos episódios de violência na Capital. Na agenda divulgada para a Imprensa desta terça, no entanto, não constava agenda pública de Paulo Câmara.

Bancada de oposição vai protocolar ofício no Palácio do Campo das Princesas
Bancada de oposição vai protocolar ofício no Palácio do Campo das PrincesasFoto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha

Preocupada com a questão da segurança durante o Carnaval, a bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) entrega, na manhã desta terça-feira (21), um ofício dirigido ao governador Paulo Câmara (PSB) para que o Estado solicite apoio da Força Nacional para reforçar a segurança durante os festejos de Momo. A solicitação ocorre horas depois de um assalto de grandes proporções em uma transportadora de valores na Zona Oeste da Capital.

Ao justificar o pedido, a oposição afirma que leva em consideração o aumento da criminalidade no mês de janeiro, quando foram registrados 479 assassinatos, 10.691 crimes contra o patrimônio, 2.743 casos de violência doméstica contra a mulher e 148 estupros, segundo dados apresentados pela bancada.

Os opositores também se dizem preocupados com a baixa adesão da categoria ao Programa de Jornadas Extras de Segurança (PJes).

Ofícios
Além de ofício ao governador, a bancada de oposição também vai encaminhar, nesta terça, pedidos ao Ministro da Justiça e da Defesa solicitando apoio do governo federal, em caráter de urgência.

Senador Humberto Costa quer ouvir o ministro da Saúde, Ricardo Barros, nas comissões de Constituição e Justiça e de Fiscalização e Controle da Casa
Senador Humberto Costa quer ouvir o ministro da Saúde, Ricardo Barros, nas comissões de Constituição e Justiça e de Fiscalização e Controle da CasaFoto: Alessandro Dantas/Agência Senado

Novo líder da oposição do Governo do presidente Michel Temer na Casa Alta, o senador Humberto Costa (PT-PE) pediu a convocação nas comissões de Constituição e Justiça e de Fiscalização e Controle da Casa do ministro da Saúde, Ricardo Barros, para que ele explique denúncias veiculas pela imprensa de que o ministro da Saúde, Ricardo Barros, virou sócio de uma área de R$ 56 milhões, sendo que possui bens declarados de apenas R$ 1,8 milhão.

“É importante que o ministro, diante da gravidade das acusações, venha até o Congresso Nacional para prestar os devidos esclarecimentos sobre o assunto. As explicações dadas até o momento não encerram as suspeitas em torno do caso. Precisamos ouvi-lo”, avaliou Humberto. 

Matéria publicada no jornal Folha de S.Paulo afirma que Ricardo Barros adquiriu metade de um terreno avaliado em R$ 56 milhões para um projeto de condomínio em Maringá (PR) por meio de duas microempresas com capital social de R$ 10 mil cada uma.

Na declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral em 2014, mesmo ano da compra, o ministro afirmou ter R$ 1,8 milhão em patrimônio, o que reforça a tese de suposto enriquecimento ilícito.

Humberto Costa considera estranho que duas empresas de pequeno porte, donas de um capital irrisório, tenham sido criadas para comprar um imóvel com valor tão alto. “Daremos a ele, aqui nas comissões do Senado responsáveis por fiscalizar os atos do Poder Executivo, a oportunidade de esclarecer os fatos”, disse Humberto.

Rinaldo Juniot (de branco) é cumprimentado após ser reeleito presidente estadual da Força Sindical
Rinaldo Juniot (de branco) é cumprimentado após ser reeleito presidente estadual da Força SindicalFoto: Pamella Santana/Divulgação

A Força Sindical reelegeu o seu presidente no Estado. O vereador do Recife Rinaldo Junior (PRB) comandará a entidade pelos próximos quatro anos, tendo como vice Aldo Amaral. A eleição ocorreu durante o 4º Congresso Estadual da Força Sindical de Pernambuco, que contou com a participação de representantes da executiva da Força Sindical Nacional, de Pernambuco e de outros estados do Brasil.

Em seu discurso, Rinaldo Junior pregou a unidade da Força Sindical. "Essa gestão será com unidade, que é assim que a gente vai enfrentar os problemas do trabalhador, que são muitos. E essa central é forte e plural. Esse evento só fez corroborar que somos hoje a maior central sindical do Estado. Por isso vamos continuar ao lado do trabalhador, nas bases, defendendo os interesses das categorias" disse Rinaldo Junior.

Durante o congresso estadual também foram debatidos temas como ações sindicais para os próximos quatro anos, reforma da Previdência e a reforma Trabalhista, além da conjuntura econômica.

As reformas, inclusive, foram os temas mais debatidos. "Essas reformas Trabalhistas e da Previdência impostas por esse Governo Temer não trazem nenhuma vantagem para os trabalhadores. Pelo contrário, retiram conquistas históricas, resultado de muita luta, que começou em 1922. Um retrocesso. Por isso vamos para as ruas defender os diretos do trabalhador brasileiro", ressaltou Rinaldo Junior, na abertura do Congresso.

comece o dia bem informado: