Foram encontrados 15 resultados para "Política":

Paulo Câmara se pronuncia sobre denúncias contra Temer
Paulo Câmara se pronuncia sobre denúncias contra TemerFoto: Reprodução/ Facebook

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), fez um pronunciamento, na noite desta quinta-feira (18), dizendo que as denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB) “são graves e precisam ser investigadas a fundo”. Câmara é vice-presidente do PSB, partido que se diz independente em relação ao governo de Temer, mas tem um ministério, o de Minas e Energia, no comando de Fernando Coelho Filho.

No vídeo de 59 segundos (veja o vídeo abaixo), postado nas redes sociais, Câmara ainda diz que “O presidente necessita dar explicações à nação. É obrigação de quem está na vida pública dar satisfação permanente dos seus atos. Qualquer solução para este impasse político deve passar por um necessário e absoluto”.

Na última quarta (17), o jornal O Globo publicou reportagem revelando que o presidente Michel Temer foi gravado por um dos donos do grupo J&F, proprietário da marca JBS, falando sobre a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cassado pela operação Lava Jato.

>> Leia a descrição do vídeo abaixo:
“Infelizmente, o Brasil volta a enfrentar dificuldades políticas que impactam fortemente o futuro do País. As denúncias contra o presidente Michel Temer são graves e precisam ser investigadas a fundo, com isenção e responsabilidade. O presidente necessita dar explicações à nação. É obrigação de quem está na vida pública dar satisfação permanente dos seus atos. Qualquer solução para este impasse político deve passar por um necessário e absoluto respeito à Constituição. Um país da dimensão e importância do Brasil não pode pegar atalhos. Não existem atalhos para preservar a nossa jovem democracia. Quero reafirmar o meu firme compromisso com na defesa do diálogo como o melhor caminho para superar a atual crise. Vivemos um desajuste severo, que insistem em se prolongar afetando milhões de brasileiros, com desemprego crescente e desalentador. Seja qual for o desfecho desse novo episódio é fundamental que o Brasil reencontre a unidade nacional, preservando a paz e o respeito à democracia.”



Plenário do Senado
Plenário do SenadoFoto: Agência Senado

Alguns temas devem movimentar a pauta de votações do Senado após uma semana fraca, em que o quórum da Casa esteve esvaziado em razão do feriado da semana santa e da divulgação da lista de políticos que serão investigados por determinação do Supremo Tribunal Federal.

Uma das principais matérias que são aguardadas para a próxima semana é a Proposta de Emenda à Constituição que acaba com o foro especial por prerrogativa de função. O texto já passou por quatro sessões de discussão no plenário do Senado, mas retornou para receber parecer da Comissão de Constituição e Justiça da Casa por ter sido apensado a outra PEC sobre o mesmo tema. Há a expectativa de que a proposta seja votada na quarta-feira, após a leitura do parecer do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

No plenário, os senadores podem aprovar o projeto de lei que trata sobre novas regras para migrantes no país. A proposta define os direitos e os deveres do migrante e do visitante no Brasil; regula a entrada e a permanência de estrangeiros; e estabelece normas de proteção ao brasileiro no exterior.

O projeto estabelece, entre outros pontos, punição para o traficante de pessoas, ao tipificar como crime a ação de quem promove a entrada ilegal de estrangeiros em território nacional ou de brasileiro em país estrangeiro. E concede ainda anistia na forma de residência permanente aos imigrantes que, se ingressados no Brasil até 6 de julho de 2016, façam o pedido até um ano após o início de vigência da lei, independentemente da situação migratória anterior.

A matéria é originária do Senado, já passou pela Câmara, onde recebeu um substitutivo, e agora passa pela revisão final dos senadores. Se for aprovado, o projeto seguirá para sanção do presidente Michel Temer.

Uber

Outro tema aguardado para a próxima semana no Senado é o Projeto de Lei 5587/16, que trata da regulamentação de serviços de transporte remunerado individual por meio de aplicativos, como o Uber e o Cabify. O texto determina uma série de exigências para que esse tipo de serviço possa funcionar, incluindo uma autorização prévia das prefeituras.

A matéria, que provocou protestos por parte de motoristas desses aplicativos em Brasília, é polêmica. Alguns senadores já se manifestaram considerando que, na forma como está, o texto deixará esse tipo de serviço muito parecido ao dos táxis.

Deputado estadual Aluísio Lessa (PSB)
Deputado estadual Aluísio Lessa (PSB)Foto: Divulgação

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) celebrou os seus 50 anos esta semana. Mas a data será celebrada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco no próximo dia 11 de abril.

Por solicitação do deputado estadual Aluísio Lessa, a Casa de Joaquim Nabuco realizará sessão solene, às 18h, como uma forma de reconhecer a contribuição da entidade para o estado e homenagear o meio século de serviço prestado.

Antônio Campos
Antônio CamposFoto: Paullo Allmeida/Arquivo Folha de Pernambuco

Após ingressar com pedido de abertura de inquérito na Polícia Civil acusando o ex-presidente da Ceasa, Romero Pontual, de ameaça e "arapongagem", o advogado Antônio Campos decidiu comunicar formalmente à Polícia Federal, ao Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, ao Procurador Regional Federal e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sobre a denúncia.

Segundo Campos, a decisão foi tomada devido a "inércia e conivência de setores da cúpula do Governo do Estado" e falta de respostas das autoridades, após 45 dias do processo.

O fato das acusações envolverem a mãe do advogado e ministra do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes, abriu brecha para Antônio Campos envolver as esferas federais no caso. Em fevereiro, ele chegou a remeter o inquérito para a PF, mas o pedido foi denegado pelo delegado João Gustavo de Godoy Ferraz, à época titular da 6ª Circunscrição Policial - Cordeiro.

Em nota, Antônio Campos diz "estranhar" a atitude do delegado e cita o seu remanejamento para "uma delegacia de maior importância". "Temendo a remessa ao Juizado Especial Criminal, ajuizei mandado de segurança, perante a 7ª Vara Criminal, que tem por objeto a remessa dos autos para a Polícia Federal e a incompetência do Juizado Especial Criminal, estando para ter decisão, o que obstou momentaneamente o envio para o Juizado, que estava prestes a ocorrer, ante a pedido de informações urgentes por parte da Jus­tiça", relata.

Humberto Costa e Lula
Humberto Costa e LulaFoto: Divulgação

O líder das minorias no Senado, Humberto Costa (PT), chamou o presidente Michel Temer "de cara de pau" durante a passagem dos ex-presidentes Dilma e Lula pela Paraíba para conferir a transposição do rio São Francisco.

Ao relembrar a vinda do peemedebista para a inauguração da obra na semana passada, o petista ressaltou que a vinda de Dilma e Lula marcava a "verdadeira inauguração do Eixo Leste da Transposição".

"O povo sabe e é por isso que está aqui. Esse governo golpista veio na semana passada com uma comitiva de parlamentares de partidos como o PMDB, o PSDB, o DEM e o PPS, que sempre foram contra a obra. É muita cara de pau de Temer”. Em seu discurso, o senador destacou que os governos do PT foram os únicos que realmente colocaram a seca no Nordeste, como prioridade.

“Enquanto os golpistas diziam que a obra não sairia do papel, no momento que a água chega querem ser os primeiros a surfar. Mas a população do Nordeste sabe quem tornou esse sonho em realidade”, disparou Costa. Na passagem dos ex-presidentes Lula e Dilma, uma comitiva de políticos de Pernambuco seguiu para o evento entre eles: os deputados Silvio Costa (PTdoB), Luciana Santos (PCdoB) e a vereadora do Recife, Marília Arraes (PT).

Uma multidão acompanhou os ex-presidentes Lula e Dilma, em Monteiro, na PB
Uma multidão acompanhou os ex-presidentes Lula e Dilma, em Monteiro, na PBFoto: Marlene Bérgamo/Folhapress

Em um ato político no Sertão da Paraíba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se lançou na arena eleitoral de 2018. Acompanhado da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Lula criticou os adversários e denunciou uma articulação para impedir que ele volte a se candidatar ao Palácio do Planalto. Depois de visitar pela primeira vez o trecho Leste, o primeiro concluído das obras de transposição do rio São Francisco, o ex-presidente criticou o governo Michel Temer e disse que está disposto a "brigar nas ruas" contra seus opositores, em referência à disputa eleitoral.

"Eu nem sei se estarei vivo para ser candidato em 2018, mas eu sei que eles querem evitar que eu seja candidato. Eles que peçam a Deus para eu não ser candidato. Porque, se eu for, é para ganhar a eleição nesse país", disse Lula que desembarcou logo cedo na capital paraibana. De lá, seguiu em comboio para Monteiro, Sertão do Estado, onde fez uma inauguração simbólica do canal da transposição que passa pela região. Cercado por uma multidão, o ex-presidente chegou a descer no canal onde molhou os pés, bebeu água e jogou para o alto.

A visita ao Sertão e o comício diante de milhares de pessoas na região foram montados para representar a inauguração do movimento de retorno de Lula ao centro da arena política. O objetivo dos petistas é tratar a candidatura de Lula, a partir deste ato, não apenas como uma possibilidade, como um contra-ataque ao impeachment de Dilma ou uma resposta à Lava Jato, mas como um fato político consumado.

A prova é tanta que durante os seus discursos Dilma e Lula revesaram suas falas entre a defesa da paternidade das obras e críticas a condução do governo federal, num contraponto. A reforma da Previdência -ponto central da oposição do PT à gestão Temer, foi um dos temas mais teclados. Lula afirmou que Temer não tem noção o que significava aposentadoria rural para o povo do Nordeste e que por isso quer cortar. Dilma, por sua vez, alegou que o projeto para a aposentadoria é um golpe ao povo brasileiro. Com um discurso inflamado, incomum na maior parte de seu governo, a ex-presidente defendeu seu padrinho político e o lançou abertamente à Presidência em 2018.

Inauguração popular da transposição
Inauguração popular da transposiçãoFoto: Reprodução/Twitter

Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff chegaram por volta das 14h em Monteiro, na Paraíba, para a "inauguração popular" da conclusão do eixo leste do Projeto de Transposição do São Francisco. Acompanhados do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, e do ex-ministro Ciro Gomes, eles foram recepcionados por milhares de pessoas que lotaram o município no Cariri da Paraíba e entraram nas águas da transposição, ao som do coro "Olê, olê, olê, olá! Lula! Lula!".

O clima é de campanha eleitoral. Antes mesmo dos ex-presidentes Lula e Dilma chegarem ao município, um "twitaço" deixou a hashtag #ComLulaOSertaoVirouMar nos Trending Topics (assuntos mais comentados) do Twitter. Saíram ônibus de diversas regiões para acompanhaer o ato. Sem vagas nos hoteis em Monteiro, na Paraíba, moradores alugaram suas casas e quartos.

Leia mais
Clima político toma conta de Monteiro, na Paraíba, com visita de Lula e Dilma
Caravanas saem de todo o Nordeste e hotéis lotam por conta de visita de Lula e Dilma

Lula em visita a obras da transposição
Lula em visita a obras da transposiçãoFoto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O clima político tomou conta da cidade de Monteiro, no Cariri da Paraíba, a 311 km de João Pessoa, neste domingo (19). Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff devem chegar ao município por volta das 13h para visitar a Transposição do São Francisco ao lado de diversas autoridades, lideranças dos movimentos sociais/populares, artistas e intelectuais. Também vão participar da solenidade o ex-ministro Ciro Gomes, os governadores Ricardo Coutinho (PSB-PB), Camilo Santana (PT-CE), Rui Costa (PT-PI), Humberto Costa (PT-PE) e Luciana Santos (PCdoB-PE), dirigentes nacionais do PT e parlamentares federais e estaduais do partido.

Eles irão plantar árvores, que são símbolos da esperança nordestina, nas margens do Velho Chico. Depois, será feita uma caminhada até o centro da cidade de Monteiro. Os ex-presidentes Lula e Dilma receberão da Assembleia Legislativa da Paraíba a “Medalha Epitácio Pessoa”, a mais importante honraria do parlamento estadual.

O ato já mudou a rotina do sertão paraibano. Com a expectativa sobre a chegada do ex-presidente, todos os hotéis da região estão lotados. Na internet, é feito um "twitaço" com a hashtag #ComLulaOSertaoVirouMar para transmitir o evento.

Plataforma de recadastramento do PSB
Plataforma de recadastramento do PSBFoto: Reprodução

O prazo para recadastramento nacional dos filiados ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), aprovado em resolução pela Executiva Nacional, se encerra nesta segunda-feira (20). O recadastramento é feito através da Plataforma de Democratização da Gestão Partidária, uma nova ferramenta de filiação, gestão de dados e comunicação do partido com seus filiados, que vai garantir mais interação entre a base e a legenda.

Para realizar o processo, o filiado deve acessar o link http://plataforma.psb40.org.br/recadastramento, que está inserido no site nacional do PSB, e preencher as informações solicitadas. A aprovação do filiado é feita pela direção municipal ou estadual da legenda.

De acordo com o presidente estadual do PSB, Sinelo Guedes, a plataforma vai estimular a interação entre a base partidária e a legenda, pois o filiado vai poder compartilhar suas opiniões sobre pautas políticas importantes.

Lula e Dilma
Lula e DilmaFoto: José Cruz / Agência Brasil

No dia que antecede a visita do ex-presidente Lula (PT) a Monteiro, na Paraíba, onde irá percorrer trecho da Transposição do Rio São Francisco, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), disse estar impressionado com o engajamento e a mobilização da população de todo Nordeste para o ato deste domingo (19). O petista afirma que há caravanas saindo de todo o Nordeste e até de outras regiões. Há ainda a notícia de que, tanto no município que vai sediar o evento, como em cidades vizinhas, já há dificuldade de encontrar hospedagem na região.

O senador foi um dos que encabeçaram a proposta de trazer o ex-presidente ao Nordeste para reforçar a paternidade da obra. O líder da oposição também organizou a sua própria caravana. Segue para o evento numa van junto com senadores Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), e José Pimentel (PT-CE), a deputada federal Luciana Santos (PCdoB), deputado estadual do Ceará, Elmano Freitas (PT), além dos ex-ministros Carlos Gabas e Miriam Belchior.

O ex-presidente Lula deve ir a Monteiro acompanhado da também ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Governadores de vários estados do Nordeste também participarão do ato. A expectativa é de que os ex-presidentes desembarquem em Campina Grande às 11h. De lá, seguem até um trecho da obra, em Monteiro. Após a visita, eles irão em carreata até o centro da cidade, ondem devem discursar.

comece o dia bem informado: