Inaldo Sampaio
Inaldo SampaioFoto: Colunista

Indicado pelo ex-presidente FHC para o STF, o ministro Gilmar Mendes tornou-se um “mal necessário” na Suprema Corte. É o mais político dos 11 ministros, nunca cultivou o hábito de “falar apenas nos autos”, recomendável para qualquer magistrado, e não se recusa a dar opinião sobre temas políticos, muitas vezes com mais clareza que os próprios políticos. Foi o que ele fez no final de semana ao dizer duas coisas importantes sobre temas da atualidade. Primeira, que nem sempre doar por “caixa dois” é corrupção. Pode até ser crime eleitoral, mas corrupção nem sempre é porque muitos empresários doaram dinheiro limpo a candidatos, pedindo, todavia, que seus nomes não fossem citados. Segunda, que antes de julgar o pedido de registro da chapa Dilma/Temer o TSE levará em conta a estabilidade política do país. Pois se Temer, eleito vice, tem o mandato contestado todos os dias, imagine um presidente eleito pelo atual Congresso?

Gilmar Mendes é o mais político dos 11 ministros do STF e nunca cultivou o hábito
de falar apenas nos autos

Os números da violência
É inegável o esforço do governo Paulo Câmara para reduzir os índices de violência no Estado, que estão muito acima do “aceitável”. Mas também é inegável o equívoco da SDS de adiar para hoje a divulgação do número de homicídios que ocorreram no Estado durante o Carnaval. Parte da população está encarando o atraso como uma tentativa de “manipulação das estatísticas”.
É cedo > Lula vai desembarcar em Monteiro (PB) no próximo domingo como “pai” da transposição e não como candidato do PT a presidente da República. O partido não tem outra opção para disputar o cargo, mas seria injusto deixá-lo exposto ao “sereno” por longos 18 meses.
Espaço > O deputado Chico Alencar (RJ) disse no Recife, antes da filiação de Paulo Rubem ao PSOL, que o partido tem hoje, na pior das hipóteses, 30% da simpatia dos eleitores do Rio.

Justiça > Tal qual Antônio Campos, que questiona na Justiça a vitória do professor Lupércio para prefeito de Olinda, o ex de Igarassu, Yves Ribeiro (PSB), pede a cassação do prefeito Mário Ricardo (PTB).

Saúde > O Governo do Estado errou ao não mandar representante à audiência pública da Alepe sobre gastos com Organizações Sociais da área de saúde. Deu munição às oposições para endurecer suas críticas.
Mandato > Como assessora do ministro Bruno Araújo (Cidade), Izabel Urquiza (PSDB) tem a chance de ouro de eleger-se deputada estadual no próximo ano com votos exclusivamente de Olinda. Já caiu em campo.
Cobrança > O vereador Rinaldo Júnior (PRB) só dará sossego ao prefeito Geraldo Julio quando ele entregar o Compaz do Cordeiro que havia prometido inaugurar no último dia 12.
Prazo > A Compesa não vai cumprir o prazo fixado pelo prefeito do Cabo, Lula Cabral (PSB), de apresentar em 72h um plano de investimentos para o município sob pena de romper o convênio que tem com ela. Se o fizer, outros municípios poderão querer imitá-lo, por isso vai apostar na negociação.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: