Inaldo Sampaio
Inaldo SampaioFoto: Colunista

Até setembro de 2015, era permitido no Brasil fazer campanha eleitoral com dinheiro doado por empresas. Uma delas, Odebrecht, maior construtora do país, doava para os principais partidos, para ficar de bem com todos, e depois embutia a conta nos contratos de obras públicas. A partir daquela data o STF entendeu que esse tipo de financiamento é inconstitucional porque quebra a isonomia da disputa. Ou seja, os partidos que recebiam doações disputavam o pleito condições melhores do que aqueles que não recebiam. Agora a Lava Jato está investigando o que foi doação de “caixa 1”, (dinheiro legal), “caixa 2” (dinheiro não contabilizado) e “propina”, e ao mesmo tempo forçando o Congresso a definir novas regras de financiamento. O financiamento público é reprovado pela maioria da população e o privado é inconstitucional. Mas uma saída terá que ser encontrada porque não se faz campanha sem dinheiro, seja ele público ou privado.

O financiamento público de campanha é reprovado pela grande maioria do povo brasileiro

Vantagens e desvantagens da lista
A adoção da “lista fechada” em eleições proporcionais (deputado e vereador) começou a ganhar adeptos no Congresso após a divulgação da “lista Janot”. Ela tem vantagens e desvantagens. Entre as vantagens, o eleitor não votaria mais em candidato e sim num partido. Entre as desvantagens, o fato de caber ao partido a elaboração da lista, o que dificultaria a presença de “caras novas.”

Detran > Está marcada para o dia 22 uma audiência de conciliação entre o Detran, Sindicato dos Servidores e Tribunal de Justiça. A greve dos servidores foi considerada ilegal pelo desembargador Eduardo Paurá.
Reforma > Informa o presidente do PSB, Carlos Siqueira, que o partido vai esgotar a discussão sobre a reforma previdenciária e que o fechamento ou não de questão, em torno da matéria, na Câmara Federal, é prerrogativa da executiva nacional e não do líder da bancada.
Líder > O novato Rinaldo Júnior (PRB) está se firmando na Câmara do Recife como verdadeiro líder da oposição ao prefeito Geraldo Júlio (PSB) pelos embates que sempre trava com a líder do governo Aline Mariano (PSDB).
É lucro > Prefeitos de PE ainda não sabem quanto cairá na conta das prefeituras referente ao 2º projeto da repatriação, mas o que cair é lucro. Os da safra passada pagaram dezembro e o 13º dos servidores com esse dinheiro.
Convite > O governador Ricardo Coutinho (PB), mesmo sendo do PSB, estará em Monteiro, domingo, ao lado de Lula, para visitar a obra da transposição. Já o do Ceará, Camilo Santana, que é do PT, ainda não decidiu se vai.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: