Inaldo Sampaio
Inaldo SampaioFoto: Colunista

Além de ter dito, em delação premiada, que há pelo menos 30 anos as campanhas políticas no Brasil são feitas com dinheiro de propina e de caixa dois, Emílio Odebrecht, patriarca da empresa que leva o seu nome, fez outra declaração surpreendente. Ele disse que não vê motivo para que a imprensa dê tanto espaço às delações dos ex-dirigentes de sua empreiteira porque ela própria (imprensa) sabia, ou pelo menos deveria saber, que eleições no Brasil sempre foram feitas dessa forma. Primeiro, as grandes empreiteiras se organizam em consórcio (ou em conluio) para participar da concorrência de obras públicas. Depois, superfaturam o preço dessas obras, destinando o excedente aos
“propineiros”, que usam o dinheiro para aumentar seu patrimônio (caso de Sérgio Cabral) ou bancar suas campanhas eleitorais. Isto, segundo o velho Emílio, não é novidade no Brasil. É uma prática que teve início no governo Sarney e se prolonga até hoje.

Emílio Odebrecht diz que a imprensa brasileira deveria saber que a prática do “caixa dois” era corriqueira no Brasil

Odebrecht ofusca a Petrobras
Depois que vieram à tona os depoimentos dos ex-dirigentes da Odebrecht, a Petrobras deixou de ser o foco principal da grande mídia. A estatal tinha a fiscalizá-la cerca de 80 auditores do TCU e um departamento de Controle Interno, mas ninguém foi capaz de descobrir as propinas que eram pagas pelos seus diretores nem as transferências milionárias para contas bancárias no exterior.

Prescrição > O ministro Édson Fachin (STF) devolveu à PGR o pedido de abertura de inquérito para investigar o ministro Roberto Freire (Cultura) e o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB) porque ambos têm mais de 70 anos. Segundo o ministro, mesmo sendo verdadeira a versão de que ambos receberam recursos de “caixa dois” da Odebrecht, o suposto crime já está prescrito.
Idade > De acordo com o artigo 115 do Código Penal, são reduzidos a metade os prazos de prescrição para os menores de 21 anos e os maiores de 70. Tanto Roberto Freire (PPS) como Jarbas Vasconcelos têm 74 anos, sendo que o ministro vai completar 75 no próximo dia 20.
Queda > O secretário Ângelo Gioia (Defesa) afirma que estão caindo em Pernambuco os índices de assalto a ônibus, estupros e violência contra mulheres. Mas enquanto não caírem, também, os índices de assassinatos, a população não perceberá. Média de 17 homicídios/dia, que é a existente hoje no Estado, não se verifica sequer na guerra da Síria.
Ilusão > O deputado Severino Ninho (PSB) é o mais novo defensor da “constituinte exclusiva” para fazer uma reforma política. Pergunta-se, então: quem convocaria essa constituinte? Como ninguém tem resposta para essa pergunta, a tese caminha para cair no vazio.
Socorro > O prefeito de Itapetim, Adelmo Moura (PSB), virá hoje ao Recife pedir ajuda ao Governo do Estado para consertar os 35 açudes que arrombaram em sua cidade devido às fortes chuvas que caíram lá, na semana passada. O maior foi o do distrito de São Vicente.

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: