Renata Bezerra de Melo
Renata Bezerra de MeloFoto: Bruno Campos/Folha de Pernambuco

No PSD de Rogério Rosso, boa parte da bancada é oriunda do DEM. É o caso, por exemplo, do dirigente nacional da sigla, Gilberto Kassab, ou do deputado federal e presidente do PSD-PE, André de Paula. Sendo assim, naturalmente, há estreitas relações de pessedistas com o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM). Rosso, enquanto líder do partido que foi, teve o aval da legenda para botar a candidatura à presidência da Câmara na rua. Mas terá a fatura cobrada, mais na frente, pelos correligionários, sobre a viabilidade da mesma. Caso haja risco de derrota, uma composição com Maia, de forma a garantir espaço para a sigla na Mesa Diretora, inclusive, não é descartada nas coxias. Dessa forma, a passagem de Rosso por Pernambuco, ontem, e a visita ao governador Paulo Câmara foi um gesto, coisa que, na política, ajuda a construir. Mas não houve convocação a deputados da bancada pernambucana, como Rodrigo Maia fez, na última sexta-feira, ao visitar o Estado, ainda que não tenha lançado postulação oficialmente. Foi o próprio Rosso quem resolveu economizar o protocolo de estar com os parlamentares e preferiu focar a visita na conversa com o governador, dando um tom mais de afirmação política à agenda. Caso vá ao enfrentamento com Rodrigo Maia, o espaço político restante à sigla pode acabar bem reduzido, a exemplo do que ocorreu com o PT, quando Arlindo Chinaglia foi derrotado por Eduardo Cunha no primeiro turno. Apesar de deter a maior bancada, os petistas acabaram sem espaço na Mesa.

Lá no Jaburu, foi assim
A Paulo Câmara, Rogério Rosso contou que esteve com Michel Temer no último domingo, às 16h. No Jaburu, durante encontro com o presidente, chegou a sugerir a criação de um ministério extraordinário da Segurança Pública. Argumentou que o momento pedia soma de esforços e que o Ministério da Justiça já acumula funções demais, resultando em atuação difusa na segurança. Paulo concordou haver certa omissão do Governo Federal no trato do tema.

Primeira parada > Rogério Rosso dirigiu-se ao gabinete de João Campos, no Palácio das Princesas, ontem, antes de ser chamado pelo governador. Daqui a dois anos, João deverá estar na Câmara Federal e o deputado tratou de conhecê-lo. Rosso, enquanto presidente do PSD no Distrito Federal, fez a indicação do vice de Rodrigo Rollemberg e, esteve na chapa do PSB lá em 2014.

Memórias > Em 2014, Eduardo Campos almoçou na casa do vice do Distrito Federal, Renato Santana, aliado de Rosso, em cujo reduto eleitoral, o bairro Sol Nascente, na Ceilândia, Campos lançou campanha à Presidência da República.

Expectativa > João Campos vem se preparando para disputar vaga na Câmara Federal em 2014 e, nos bastidores do PSB, comenta-se que a expectativa é elevada em relação à votação dele, que deveria, no mínimo, segundo apostas de alguns, empatar com a de Ana Arraes, a mais votada em 2010.

Ninho > No último domingo, o deputado estadual Lucas Ramos participou da Procissão de Reis em Gravatá, ao lado do prefeito Joaquim Neto, do PSDB. Ontem, visitou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, também do PSDB. Saindo um pouco do ninho tucano, esteve também com o gestsor de Palmeirina, Marcelo Neves, do PSB, também ontem, encerrando maratona.

Lembrança > O ex-presidente de Portugal, Mário Soares, era amigo de Miguel Arraes e esteve em Pernambuco durante o seu segundo governo dele frente ao Estado. Em nota, o Instituto Miguel Arraes e a família Arraes lamentaram o falecimento do líder no último sábado.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: