Renata Bezerra de Melo
Renata Bezerra de MeloFoto: Colunista

Enquanto se discute a paternidade das obras da Transposição - cuja previsão inicial de conclusão era 2012 e cujo custo saltou dos R$ 4,5 bi para R$ 9,6 bi - a população assiste com a propriedade de quem paga os prejuízos do atraso. Se a agenda de Michel Temer, ontem, fomentou a discussão sobre o DNA, problemas graves ainda atormentam moradores de cidades por onde passa a obra. Um exemplo é Floresta, que perdeu posto de maior produtora de melão do Estado devido à estiagem. A cidade carece de uma solução para a agricultura, que depende do abastecimento da barragem Barra do Juá, que pereniza o Riacho do Navio, e tal engenharia, envolvendo a Transposição, ainda aguarda resposta dos governantes. "Floresta é doadora da Transposição. E nós não aproveitamos um centímetro para agricultura", grifa o deputado federal Kaio Maniçoba. Ontem, o assunto foi à pauta com o ministro da Integração, Hélder Barbalho, e com o presidente da Compesa, Roberto Tavares. Sinal de que ainda há muito por fazer. Num tempo em que a Operação Lava Jato e outras resultantes dela, a exemplo da Vidas Secas, jogam luz sobre volumes desviados de obras, quem paga imposto está na torcida é para que se dê a conclusão da Transposição, iniciada ainda no governo Lula.

Para Floresta, redenção, diz deputado, seria abastecimento da barragem Bara do Juá, que ainda aguarda

PP no Lafepe
O PP, que vai comandar o Lafepe no Estado, indicará Flávio Gouveia, atual presidente do Porto do Recife, para presidir o laboratório. Quem passa a presidir o Porto é o atual diretor de Operações, Carlos Vilar. O Lafepe estava sob a tutela do PMDB, que abre mão do espaço para acomodação dos progressistas. Já houve reunião do conselho do orgão para providenciar a troca.

Climão > Na bancada federal pernambucana, há um grupo reunindo queixas em relação à postura do deputado João Fernando Coutinho, um dos coordenadores. Reclamam de ação "individualista" e apontam "apropriação de resultados coletivos". Há movimento, nos bastidores, pedindo substituição por outro nome.
Notificação 1 > O Ministério Público de Contas notificou o presidente da Compesa, Roberto Tavares, para responder denúncia da deputada Priscila Krause sobre inadimplência de órgãos públicos no pagamento da conta de água. Segundo levantamento da deputada, órgãos públicos como secretarias, hospitais, e até mesmo a Empetur, estão devendo cerca de R$ 50 milhões.
Notificação 2 > A deputada compreende que este "calote" contribuiu para o aumento de 7,9% nas contas, anunciado este ano. Após receber as informações da Compesa, o MPCO vai avaliar se pede a abertura de um processo de auditoria especial no TCE.
Novo... > Alguns presidentes de comissões permanentes da Alepe solicitaram, ao presidente da Comissão de Justiça, deputado Waldemar Borges, a mudança do dia da reunião do colegiado, já que a CCLJ é a 1ª comissão e todas as outras dependem dela.
...horário > As reuniões das comissões estavam entrando em choque de dias e horários, dado o pouco espaço resultante da realização das obras do novo Plenário e da reforma do Anexo I. Após discussão e votação, ficou estabelecido que, provisoriamente, as reuniões da CCL vão acontecer às segundas-feiras, às 10h30.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: