Renata Bezerra de Melo
Renata Bezerra de MeloFoto: Colunista

O deputado federal Cadoca até tentou conseguir passagem para embarcar, ontem à tarde, mas o voo estava lotado. Não sabe se conseguirá chegar a tempo, em Brasília, hoje, para o café da manhã que o presidente Michel Temer oferece no Planalto, às 8h30. A pauta do encontro é Previdência, como a coluna registrara. O pedetista, no entanto, vota a favor da reforma. Da bancada pernambucana, Augusto Coutinho é um dos que já estava na Capital Federal desde ontem e também sinalizou voto a favor do projeto, mediante mudanças na proposta original. Já Eduardo da Fonte, embora também tenha desembarcado, ontem, por lá, advertiu: "Não vou votar com o governo. Vou fazer o que lá (no café)?!". A lógica coincide, em alguma medida, com a de Daniel Coelho: "Não vou votar. Já conversei com Temer, com ministros. Nem eu concordo com eles, nem eles comigo. Vou fazer o que lá (no café)?! Se não posso ajudar, também não vou para atrapalhar". Mesmo integrantes da base que defendem a proposta têm feito ressalvas sobre o assunto. À coluna, em reserva, um deles sublinha que, no ponto em que se chegou, o próximo presidente logo logo terá que empreender uma outra, ainda que essa seja aprovada. "A água estava chegando no nariz. Vai-se esperar a água descer até o queixo", sapeca o parlamentar, referindo-se ao fato de que a reforma da previdência em questão, a essa altura, não resolve o problema. Ontem, deputados trocaram telefonemas para aferir quem iria comparecer ao café. Após a conversa no Planalto, o relatório
será entregue na comissão. É lá onde se dará o primeiro teste. Se o placar for apertado no colegiado, é sinal de que poderá haver revés no plenário.

Ministro da Defesa, Raul Jungmann estará no encontro. Bruno Araújo permanece viajando

Externando inconformismo
A interlocutores, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, tem revelado "um inconformismo", nos últimos dias, em relação ao que lhe está sendo imputado: corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro. Será investigado por esses crimes, conforme inquérito resultante das delações da Odebrecht. Como é citado por ter recebido doações da empreiteira, sem que, no entanto, delatores tenham registrado ter obtido contrapartidas, o tucano tem repisado, a pessoas próximas, algum "estranhamento".
Critérios > Refere-se com olhar mais apurado, segundo interlocutores, ao que foi apontado pela PGR. Ao comparar com outros casos similares ao seu, percebe que os demais foram enquadrados apenas como "falsidade ideológica".

Defesa > O advogado que estará à frente da defesa de Bruno é o ex-subprocurador da República, José Roberto Santoro, o mesmo que está advogando para o ministro Aloysio Nunes, também citado na lista de Fachin.
Resultado 1 > A convocação do TCE, em fevereiro, através de Teresa Duere, para obras emergenciais no Canal do Fragoso deu certo. Apesar dos altos índices pluviométricos, o canal não transbordou após atuação da Prefeitura e do Governo do Estado.
Resultado 2 > Auditores do TCE têm se reunido, no canteiro de obras, de 15 em 15 dias para acompanhar a questão. No ano passado, enchente prejudicou milhares de famílias.
Agraciado > O padre Reginaldo Manzotti, que no período de noviço carmelita, morou em Camocim de São Félix, recebe o título de cidadão de Pernambuco na quinta, na Alepe. A iniciativa é da deputada Terezinha Nunes e foi aprovada por unanimidade.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: