Renata Bezerra de Melo
Renata Bezerra de MeloFoto: Colunista

Do encontro na casa da líder do PSB, Tereza Cristina, na última quinta, participaram, além do vice-governador de São Paulo e presidente do PSB naquele estado, Márcio França, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, o senador Fernando Bezerra e os 14 deputados da bancada, que votaram a favor da Reforma Trabalhista. Foi a primeira reunião de França com o grupo após a votação. Os parlamentares fizeram avaliação das possíveis consequências do fechamento de questão no processo de eleição interna da legenda. Aos presentes, Márcio deixou claro que seria candidato à presidência nacional da sigla de qualquer forma. Fez-se uma ponderação de que não é interessante partir para um confronto, uma vez que isso daria, àqueles que são a favor do fechamento de questão, o discurso que eles esperam para apresentar outra candidatura. Ficou entendido que é mais estratégico esvaziar qualquer enfrentamento. Márcio França ainda acredita ser possível caminhar na direção de um entendimento. Do grupo, estaria esperando compreensão no sentido de não se conferir mais munição aos que adotam posição contrária ao governo Temer.No geral, a conversa deu-se em discordância ao procedimento da sigla de fechar questão contra as reformas. Houve quem considerasse que, mesmo quando Eduardo Campos foi candidato ao Planalto, houve governador do partido que votou Dilma Rousseff e que, nem por isso, deu-se reação drástica. O partido segue dividido, o que torna ainda mais difícil a construção de um entendimento para a disputa interna.

Uma última chance
A Reforma da Previdência é a última PEC importante do governo Michel Temer. Para ser aprovada, o governo precisa seduzir 308 votos. Depois dela, as votações que se seguem devem ser pautadas por maioria simples. Em razão disso, o Planalto ainda está fazendo algumas apostas e, entre elas, a da semana passada, no governador de Pernambuco, Paulo Câmara, a quem o ministro Moreira Franco fez um gesto, ao visitar o Estado.

Uma mão lava a outra :
 A vinda do ministro, na última quinta, deu-se também como uma tentativa de pacificar o PSB. Metade votou contra a reforma. Nas contas, são três votos de Pernambuco a favor e três contra. São os três contrários que o Planalto espera reverter, mediante um esforço do governador.

Cicatriz : Ainda que Temer não tenha procurado Paulo Câmara na hora de compor seu ministério, nas contas do Planalto, também pesa o fato de um dos secretários exonerados, caso de Sebastião Oliveira, na votação do impeachment, ter voltado à Câmara Federal e ter acabado se abstendo de votar.

Sola de sapato : O prefeito de Olinda, Professor Lupércio, tem seguido um ritmo de visitas, sem trégua nem nos finais de semana. Começa pela manhã e emenda até à noite percorrendo diversos bairros. No Dia das Mães, deu uma pausa para o almoço e retomou, logo em seguida, passando por lugares pouco visitados por gestores, como o Alto de Manguba.

À mesa : Antes do ato de lançamento do projeto de revitalização do Monte dos Guararapes, os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Roberto Freire (Cultura) almoçaram junto com o prefeito da cidade, Anderson Ferreira, no Comando Militar do Exército, acompanhados ainda de outros oficiais. Paulo Câmara não esteve na ocasião. Encontrou-se com os auxiliares de Temer e com o gestor já no Monte dos Guararapes.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: