A escritora faz participação no filme como uma bibliotecária
A escritora faz participação no filme como uma bibliotecáriaFoto: Divulgação

Queridinha dos adolescentes, Thalita Rebouças é autora de mais de 20 livros dedicados a esse público. Alguns desses títulos, sempre campeões de vendas, já foram adaptados para o cinema. Agora é a vez de "Ela disse, ele disse". Publicada pela primeira vez em 2011, a obra literária virou um filme de mesmo nome, que estreia nesta quinta-feira (3), trazendo no elenco participações de nomes como Fernanda Gentil, Bianca Andrade e Maria Clara Gueiros.

A trama acompanha os dilemas de dois novos alunos de uma escola particular: Rosa (Duda Matte) e Léo (Marcus Bessa). Ambos têm 14 anos de idade e, cada um à sua maneira, enfrentam desafios para se adaptar ao novo ambiente e fazer novos amigos. A atriz e apresentadora Maísa Silva, 17, vive sua primeira antagonista. Ela interpreta Julia, uma garota muito popular, mas com pouco conteúdo. Embora não chegue a ser uma vilã, a personagem causa alguns transtornos para o casal de protagonista ao longo da história.

Temas típicos da adolescência, como bullying, redes sociais, convivência com os pais e os famosos "crushes" são abordados no longa-metragem dirigido por Cláudia Castro. "Acho que o filme mostra para o adolescente que ele não está sozinho. Todos esses conflitos são normais da idade, tudo o que ele está sentindo alguém já sentiu também. Nas minhas histórias, eu gosto que o adolescente se sinta abraçado, compreendido. E penso que também pode ajudar no diálogo em casa, fazendo com que os pais se coloquem no lugar dos filhos e também o contrário. É um filme para toda a família", afirma Thalita, em entrevista à Folha de Pernambuco.

Leia também:
Crítica: 'Coringa' mostra como a sociedade cria psicopatas
Amazon Prime vai incluir diversos filmes recentes da Disney em seu catálogo


Ver seus livros ganhando vida na telona tem sido cada vez mais frequente para a escritora. Sua primeira obra transposta para a linguagem cinematográfica foi "Uma fada veio me visitar", que ganhou o título de "É fada!", em 2016, com Kéfera Buchmann e Klara Castanho no elenco. No ano seguinte, estreou "Fala sério, mãe!", protagonizado por Larissa Manoela e Ingrid Guimarães. Em 2018, Maísa Silva, Klara Castanho e Mel Maia estrelaram "Tudo por um pop star". A autora participou ativamente da mais recente adaptação, desenvolvendo o roteiro ao lado de Tati Ingrid Ad e acompanhando alguns dias de filmagens. Ela chega a fazer uma aparição em cena, no papel de uma bibliotecária.



"Acho que ficou bem fiel ao livro, o que me deixou muito feliz. Só adaptamos para a era digital, criando algumas situações para o público entender que o filme se passa nos dias de hoje", comenta. Um dos trechos do filme que mais vem repercutindo na internet, antes mesmo de sua estreia, mostra dois casais homossexuais se beijando. As demonstrações de afeto aparecem rapidamente, entre outros beijos de uma cena em que estudantes criam uma campanha para criticar a suspensão de dois colegas que se beijaram no corredor da escola. "São apenas meninos e meninas se beijando numa mobilização de empatia para salvar dois amigos. Achamos natural todos naquela corrente, mas que bom que isso faz pensar, afinal livros e cultura no geral têm mais é que fazer isso mesmo", defende.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: