Cafeína só com moderação
Cafeína só com moderaçãoFoto: Arte/Folha de Pernambuco

Atire a primeira pedra quem nunca recorreu a um cafezinho para manter aquele pique em um dia cansativo. As horas passam e logo bate a vontade de mais algumas xícaras. Um ciclo vicioso que, segundo os especialistas em saúde, tende a interferir nos níveis de vários neurotransmissores, atuando como estimulantes do Sistema Nervoso Central. Não à toa, em casos mais extremos, é possível associar o exagero de ingestão a crises de ansiedade e pânico.
Na prática,funciona assim: o cérebro fica mais “acordado”, enquanto o restante do corpo corre para acompanhar os efeitos metabólicos. Note que nessa hora o coração e a respiração aceleram e a pressão arterial vai para o alto. Há quem nem consiga ter uma noite de sono tranquila depois de exagerar na ingestão de café, por exemplo. É essa falta de moderação, que ativa sintomas como agitação, taquicardia, tremores musculares, irritabilidade, insônia e até sensação de angústia.
Segundo a nutricionista da Singular consultoria e assessoria em food service, Luana da Paixão Silva, a recomendação é variável, mas, no geral, para um indivíduo adulto saudável fica em torno de 300mg a 400mg/dia. “Isso sem esquecer que a cafeína está presente em chá mate, refrigerante à base de cola, bebidas energéticas e até em alguns medicamentos”, lembra. É esse consumo ao longo do dia que afeta diretamente na quantidade saudável sugerida. “Ainda mais por pessoa com queixas de enxaqueca, esofagite, gastrite, úlceras, gestantes e crianças”, confirma. Aliás, quem sofre com problemas de estômago, o componente químico em questão pode até desencadear uma irritação prejudicial ao órgão. Motivo para os casos de estufamento e acidez aumentarem.
Lado positivo
Mas nem tudo precisa ser regado a efeitos colaterais negativos. Quando há moderação, é possível aproveitar benefícios importantes para a vida moderna. “Como melhorar a concentração, o estado de alerta e usufruir dos efeitos termogênicos”, pontua a nutricionista. Na quantidade certa, a cafeína pode estimular a produção de neurotransmissores como a serotonina e a dopamina, agindo assim como um leve antidepressivo.

Leia também:
Desnutrição e obesidade
Nutrição é fator decisivo na compra
Nutrição na Síndrome de Down
Do ponto de vista fitness, vale lembrar o fato de ela aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, favorecendo o aumento do gasto energético e contribuindo para a redução de gordura que a maioria das pessoas tanto procura. “Mas deve ser associada à atividade física e alimentação equilibrada”, pondera Luana. Razão para uma xícara de café antes do treino, quando acompanhada dos demais nutrientes recomendados para cada pessoa, atuar como um estímulo ideal para a hora dos movimentos.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: