Visita do Advogado Eduardo Montenegro Serur à direção da Folha de Pernambuco
Visita do Advogado Eduardo Montenegro Serur à direção da Folha de PernambucoFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Seminário para debater sobre a Lei de Liberdade Econômica acontece nesta quinta-feira (7), às 18h30, no Arcádia Boa Viagem, que fica na avenida Domingos Ferreira. O evento, que é promovido pelo escritório Serur Advogados, terá a presença do Eduardo Loyo, que já foi diretor do Banco Central, professor de economia em Harvard. Ele vai falar sobre os aspectos econômicos da lei.

O outro palestrante é Luiz Fernando Bandeira que é consultor jurídico geral do Senado Federal. A conversa entre os dois palestrantes vai se voltar sobre contexto das perspectivas para 2020 no que se refere à Lei de Liberdade Econômica.

“Vai ser uma mesa redonda, com perguntas e respostas e debates aberto para a plateia que é formada por convidados e clientes do escritório. Em seguida, haverá um coquetel para estender o debate e as reflexões a cerca do tema” explica o advogado, Eduardo Montenegro Serur ao diretor Operacional da Folha de Pernambuco, José Américo e ao Diretor Executivo, Paulo Pugliesi.

Ainda segundo Serur, a escolha de Recife para aportar o evento se deu porque a sede do escritório fica na capital pernambucana. "Faz todo o sentido promover o evento aqui, para reforçar as raízes do escritório no Recife, os vínculos com o empresariado local e o pensamento político e econômico local", detalha.

Leia também: 
Entenda o que muda no seu negócio com a Lei da Liberdade Econômica
Comitê instituído por MP da Liberdade Econômica será ampliado

Serur ainda explica que caso o evento seja um sucesso e houver aprovação das pessoas pode abrir o seminário para mais interessados no próximo ano. "Com um evento de menor porte há como fazer esse teste e ter uma precisão maior da reação dos empresários e clientes do escritório", acrescenta Serur.

Legislação
A Lei de Liberdade Econômica foi sancionada em 20 de setembro pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. A medida pretende desburocratizar a abertura e gestão de empresas e assim impactar às micro e pequenas empresas, que atualmente elas representam um total de 99% de todos os negócios em atividade no Brasil. A expectativa do governo é de que as medidas de simplificação devem contribuir com a geração de 3,7 milhões de empregos em 10 anos.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: