Renê, durante passagem pelo Sport
Renê, durante passagem pelo SportFoto: Anderson Stevens/Arquivo Folha

O Sport parece caminhar para resolver mais um problema através da Justiça. Mas, dessa vez, a favor do clube. Recentemente, a equipe pernambucana questionou o Flamengo sobre uma nova compra do percentual dos direitos econômicos de Renê, no valor de R$ 5,6 milhões, segundo o balanço de 2019 divulgado pelos cariocas. Citado no documento, o Leão alega não ter recebido nada referente ao suposto pagamento feito no início de 2020 e a situação pode parar nos tribunais.

Leia também:
Punição do Cruzeiro serve de alerta ao Sport no caso "André-Sporting"
Patric diz que time do Sport terá que dar o 'algo a mais' no retorno do futebol


"Agora deve ser via justiça. A gente precisa ter a coisa mais explicada para que no futuro não venha ninguém dizer que o Sport recebeu do Flamengo. Precisamos que isso seja resolvido e bem explicado, porque essa transação de Renê está obscura. É preciso esclarecer para saber como a transação foi feita", falou o presidente Milton Bivar, em entrevista à Rádio Clube.

Em 2017, ainda na gestão Arnaldo Barros, o Flamengo adquiriu 50% dos direitos de Renê - pertencentes ao Sport - pelo valor de R$ 3,9 milhões, segundo o divulgado pelos clubes na época. A outra metade é de Marcos Portela, empresário do atleta. A conta passa a não bater, quando o time da Gávea divulga ter pago um valor superior a R$ 5 milhões neste ano ao 'Sport Club do Recife/ MP Eventos (empresa do agente de Renê).

"A MP Eventos pagou quanto ao Sport para deter 50%? Como 25% vale R$ 5 milhões e 50% vale R$ 3 milhões? É uma série de questões que eles precisam responder para gente”, questionou o mandatário rubro-negro.

Reserva de Filipe Luís, Renê está no Flamengo há quatro temporadas. No início deste ano, teve o vínculo com o clube carioca estendido até o fim de 2022. Pelo time da Gávea, foram 148 aparições e quatro gols anotados.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: