Rodolfo José Cottard, 33, era advogado e aplicava golpes nos clientes
Rodolfo José Cottard, 33, era advogado e aplicava golpes nos clientesFoto: Divulgação/Polícia Federal

Um homem suspeito de aplicar golpes de emissão de documentos, de cidadanias estrangeiras e de revalidação de diplomas para trabalho no exterior foi preso no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Rodolfo José Cottard, 33, era advogado e aplicava golpes em Pernambuco, no Rio Grande do Norte, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Federal (PF) a prisão ocorreu no último domingo (6), quando o suspeito desembarcou de um voo vindo de Los Angeles, nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com a PF, um mandado de prisão contra o advogado já havia sido emitido em maio de 2019 e estava registrado no sistema da Organização Internacional de Polícia Criminal, a Interpol. No aeroporto, o suspeito foi identificado e recebeu voz de prisão. O advogado estava foragido desde maio e, segundo a polícia, estava morando em Portugal.

Leia também:
PF indicia ministro do Turismo e mais 10 por candidaturas laranjas
Polícia Federal apura possível crime ambiental em litoral brasileiro
Evento na Alepe reúne 47 propostas para segurança, violência contra a mulher e suicídio

Ao todo, 34 pessoas foram vítimas dos golpes aplicados pelo advogado. Em Pernambuco, oito pessoas denunciaram o suspeito; outras 26 vítimas relataram os crimes nos estados do Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo. Segundo a PF, as vítimas relataram à polícia que o advogado cobrava valores entre R$ 6.500 e R$ 9,500 para realizar serviços especializados na emissão de cidadania estrangeira, abertura de empresas no continente europeu e revalidação de diplomas para profissionais que queriam trabalhar fora do país.

Nos depoimentos, as vítimas contaram à polícia que, após o pagamento dos valores, o advogado parava de contatar os clientes, bloqueando-os em todos os canais de comunicação.

De acordo com o chefe de comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro, o suspeito utilizava-se de sua posição de advogado para convencer as vítimas. "Há também a possibilidade de que mais pessoas identifiquem o golpe; se mais pessoas denunciarem, a pena do suspeito pode aumentar", afirmou Santoro.

Até o momento, Cottard encontra-se na custódia do aeroporto da Polícia Federal em Guarulhos e está à disposição da Justiça Estadual de Pernambuco. O destino do suspeito ainda não foi informado.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: