Alfredo Gomes
Alfredo GomesFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro nessa quinta-feira (10), o novo reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Alfredo Gomes, afirmou em entrevista à Folha de Pernambuco que recebeu a notícia com alegria. "Há uma expectativa positiva porque fomos eleitos com a perspectiva de mudança. Nosso movimento veio na proposição de mudar a universidade", disse o novo reitor.

Natural de Ouricuri, no Sertão do Estado, Alfredo, de 55 anos, é graduado em Psicologia e pós-graduado em Sociologia pela universidade. Ele ainda possui PhD em Educação pela Universidade de Bristol, no Reino Unido, e pós-doutorado em Políticas de Educação Superior pela mesma instituição.

Leia também:
Alfredo Gomes é nomeado por Bolsonaro novo reitor da UFPE
Professor Alfredo Gomes vence eleição para reitor da UFPE

Em sua carreira acadêmica, Alfredo foi chefe de departamento, coordenador de programa de pós-graduação e diretor de centro acadêmico. O novo reitor, que assume para um mandato de quatro anos, venceu a eleição em junho com 7.929 votos. Ele teve a maioria dos votos nas três categorias - professores, técnicos administrativos e alunos.

A nomeação publicada no Diário Oficial da União respeita a lista tríplice encaminhada pela universidade ao Ministério da Educação. O texto aponta que o reitor atual, Anísio Brasileiro, deixará o cargo neste sábado (12). A transmissão de cargo será feita em Brasília, em data a ser confirmada pela pasta.

Confira a entrevista com Alfredo Gomes:

Nomeação
"Recebemos com muita alegria. Estávamos com uma expectativa muito positiva e confiantes, porque não havia nenhum motivo para não ser nomeado pelo presidente. Fizemos uma campanha muito propositiva, defendemos a união da universidade, o diálogo. Esperávamos, portanto, que o presidente fizesse a indicação." 

Recepção da comunidade
"A universidade está muito feliz com a indicação. As pessoas estão congratulando e há uma expectativa positiva porque fomos eleitos com a perspectiva de mudança para a universidade. Nosso movimento veio na proposição de mudar a universidade. A vasta maioria da comunidade está torcendo para que façamos uma gestão de qualidade. "

Mudanças na UFPE
"Em primeiro lugar, a nossa plataforma inclui recuperar a capacidade da universidade no seu protagonismo e na sua relação com a sociedade. Vamos articular com a sociedade, o sistema produtivo, os movimentos sociais, os municípios e o governo estadual para que a universidade possa cumprir um papel mais efetivo no processo de transformação econômica, cultural e social do Estado, da região e do País. Vamos ainda melhorar as condições para os nossos estudantes. 50% dos nossos estudantes são oriundos do sistema de cotas e precisamos trabalhar arduamente para ampliar as condições de permanência na universidade, através de restaurante universitário e bolsa, por exemplo. Uma outra prioridade é no investimento na infraestrutura da universidade. Precisamos fazer investimentos para melhorar as condições de trabalho e de estudo de todos." 

Cortes na educação
"Primeiro queremos trabalhar para recuperar a capacidade de investimento da universidade. Para que não haja contingenciamento, precisamos articular também nacionalmente. Pretendemos conversar com as demais universidades e com o Ministério da Educação para apresentar uma pauta efetiva das nossas demandas. Isso é fundamental. Por outro lado, também precisamos fazer articulações com as agências de fomento e com o sistema produtivo para melhorar os recursos e colocar a universidade em pleno funcionamento."

Interiorização
"A universidade é um todo e obviamente a articulação com essas unidades [do Interior] é fundamental. Existe um leque de oportunidades e efetivamente trabalhar junto a Caruaru e a Vitória para que possamos aproximar esse processo. Vamos realizar o que chamamos de fórum de planejamento estratégico para cada uma dessas unidades para entender quais são suas demandas prioritárias. "

veja também

comentários

comece o dia bem informado: