Saúde e Bem-Estar

Rafael Coelho

ver colunas anteriores
Rafael Coelho,  e-mail: contato@rafaelcoelho.med.br | Instagram: @drrafaelcoelho | Facebook: /rafaelcoelho |
Rafael Coelho, e-mail: [email protected] | Instagram: @drrafaelcoelho | Facebook: /rafaelcoelho |Foto: divulgação

Olá, leitores e internautas que acompanham a coluna Saúde e Bem-Estar

Vamos discutir hoje sobre a utilização das fibras e o seu impacto em nossa saúde. Bem, o papel da fibra alimentar é cada vez mais fortalecido através de estudos científicos todos os anos. Também denominada de fibra dietética, trata-se de um alimento resistente a ação das nossas enzimas digestivas, portanto, chega basicamente intacta no intestino grosso, sendo fermentado pelas bactérias ou aumentando o volume do bolo fecal, o que contribui para uma saúde intestinal adequada. Serve de matéria-prima para as bactérias intestinais ( microbiota ) para produzirem compostos anti-inflamatórios para o nosso organismo. A sua utilização ajuda no controle de doenças crônicas como o diabetes, doenças do colesterol e doenças cardiovasculares.

A maioria das fibras é de origem vegetal, como as frutas, as folhas, os cereais e as hortaliças. Mas existem também as de origem animal, sendo este grupo uma fonte riquíssima, como as leveduras, o camarão e outros frutos do mar. Existe uma grande associação no controle das complicações das pessoas com diabetes, pois, as fibras reduzem as taxas de glicose no sangue, por controle da sua absorção na digestão. Além disso, por agir na gordura, como o “detergente age na gordura das louças sujas” ela controla ainda a absorção de gorduras, fazendo com que o seu excesso na alimentação seja eliminado do corpo. É recomendado a ingestão diária de fibra alimentar. A variação de alimentos ajuda bastante neste contexto. Por isso, é imprescindível procurarmos o Médico e o Nutricionista para a recomendação individual mais adequada. E não esqueçam ao mesmo tempo em que as ingerimos, precisamos sempre ter uma boa hidratação, por isso bebam água adequadamente.

*Rafael Coelho
(CRM: 23943/PE) é médico. Pautas para Jademilson Silva – Jornalista - DRT: 3468 E- mail: [email protected]

Bula

Beldades se cuidam do Melasma

Rosana Chagas é dermatologista da clínica Real Derma

Rosana Chagas é dermatologista da clínica Real Derma - Foto: Vinícius/divulgação

O Melasma se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, mais comumente na face, mas também pode acometer os braços, pescoço e colo. A atriz Débora Secco falou em entrevista à Revista Contigo sua experiência com as manchinhas no rosto. Ela conta ter muito melasma, e que, desde que apareceu a primeira mancha, no auge dos seus 20 e poucos anos, aprendeu a lição e não sai mais de casa sem um bom protetor solar. Além dela, outras famosas como Ivete Sangalo, Flávia Alessandra, Cleo, Daniela Albuquerque e Fernanda Souza já falaram abertamente sobre as manchas nas suas redes sociais expondo fotos das manchas. A apresentadora Fernanda Souza conta que o melasma surgiu pelo excesso de sol e o não uso do protetor solar. A atriz relata que as manchas atrapalham um pouco, mas alerta que o melasma é o de menos, ressaltando a importância da prevenção do câncer de pele. Para tratar o melasma existe uma combinação de tratamentos. Pode ser realizado com cremes à base de ácidos ou não ácidos, com a cisteamina - ativo indicado para desordens de hiperpigmentação da pele – ou com hidroquinona – creme e gel são indicados no clareamento gradual de manchas como melasmas. O tratamento também pode ser feito através de procedimentos mais invasivos no consultório como: peelings, laser, luz pulsada e MMP – Microinfusão de Medicamentos na pele. Mais comum em mulheres, as manchas são influenciadas por fatores genéticos, grau de exposição solar, além de fatores hormonais, e, muitas vezes, surgem durante a gravidez. É preciso entender que cada caso é único. Mas, impreterivelmente o uso do filtro solar é o principal tratamento para evitar as manchas. Outra dica importante é evitar hormônios, como anticoncepcionais, por exemplo. Mas, lembrando também que homens também podem ter melasma.

Rosana Chagas é dermatologista da clínica Real Derma

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: