Foram encontrados 215 resultados para "Novembro 2017":

TRE-PE
TRE-PEFoto: Divulgação

Em busca de pedir mais empenho de políticos e lideranças políticas de municípios pernambucanos que estão em processo de recadastramento biométrico, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) reúne, nesta quarta-feira (29), às 8h30, prefeitos, vereadores de situação e oposição de 19 cidades do Estado, além de autoridades civis, militares, eclesiásticas e representantes partidários. O encontro ocorre no auditório do Pleno do TRE, na Avenida Agamenon Magalhães.

O atual ciclo de recadastramento biométrico engloba 38 municípios de Pernambuco. Destes, quatro já encerraram o processo. Dos 34 restantes, 19 estão em situação crítica e preocupam o TRE, sobretudo porque estão inseridos neste conjunto municípios com grande quantidade de eleitores, como Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe e São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife.

O tribunal ressalta que o município que tiver reduzido seu número de eleitores por causa do recadastramento poderá ver diminuídos os recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Por sua vez, o eleitor que não fizer o recadastramento biométrico terá o título eleitoral cancelado. Como efeito secundário, poderá perder benefícios como o Bolsa Família, não terá como pleitear recursos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), Minha Casa, Minha Vida, além de ficar impossibilitado de ocupar cargo público ou tirar passaporte.

Audiência pública sobre a inserção de veterinários no Nasf
Audiência pública sobre a inserção de veterinários no NasfFoto: Divulgação

Em audiência pública, a Câmara do Recife debate, na manhã desta segunda-feira (27), no Plenarinho, a inserção de profissionais da medicina veterinária no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf). Compõem estes núcleos médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde, que fazem visitas às casas com informações sobre os serviços das unidades públicas de saúde.

A ideia, que já foi apresentada pelo vereador Ricardo Cruz (PPS) ao secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, é que um veterinário também faça parte deste grupo de profissionais, para que possa levar informações de prevenção a zoonoses, saúde animal e serviços, como o do Centro de Vigilância Ambiental (CVA) e o Hospital Veterinário. De acordo com o parlamentar, o projeto não traria custos à gestão municipal.

"A ideia é que os veterinários sejam residentes da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Portanto, a bolsa já seria paga pelo governo federal e não traria grandes custos para a Prefeitura do Recife. Sem falar que seria uma prestação de serviço muito importante. Estamos tratando de prevenção a doenças graves", comenta o vereador.

Foram convidados para a reunião representantes das secretarias estadual e municipal de saúde, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Conselho Regional de Medicina Veterinária e estudantes universitários do curso de veterinária das faculdades do Recife.

Geraldo Julio
Geraldo JulioFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), em parceria com a Prefeitura do Recife, lança, nesta segunda-feira (27), o Movimento Legalidade, projeto que tem como objetivo intensificar o combate ao contrabando, à falsificação e à pirataria.

A cerimônia de lançamento será realizada às 13h30, no Sebrae, durante o evento da Frente Nacional de Prefeitos. O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), é esperado para anunciar o projeto e apresentar dados inéditos sobre contrabando na cidade de Recife e as principais ações do Movimento Legalidade.

No Cafezinho com o deputado federal Daniel Coelho
No Cafezinho com o deputado federal Daniel CoelhoFoto: Reprodução/YouTube

O deputado federal Daniel Coelho entrou em embate com o presidente do diretório estadual do partido, Bruno Araújo. Recebido no No Cafezinho, o tucano fala sobre os direcionamentos e as negociações com o partido. O debate também percorreu sobre a relação com o Movimento Brasil Livre e o PSDB, a possível candidatura de Luciano Huck, Geraldo Alckmin, relação com Aécio Neves e a reforma previdenciária.

Paulo Câmara e Raul Henry
Paulo Câmara e Raul HenryFoto: Divulgação

O governador Paulo Câmara (PSB) classificou como uma violência a tentativa do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB), hoje desafeto do socialista, de assumir o comando estadual do PMDB. O parlamentar trava uma queda de braço contra o grupo do deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB). Câmara disse ainda ter confiança na vitória do seu aliado na disputa pelo comando da agremiação, que já obteve algumas liminares favoráveis a ele no Tribunal de Justiça de Pernambuco e do Distrito Federal.

"É uma violência em relação a sua história, à democracia e ao que representa o PMDB para Pernambuco. É o PMDB histórico", afirmou Paulo Câmara, após a posse do novo secretário de Desenvolvimento Social, Cloves Benevides, na última sexta-feira (24). O gestor está abrindo espaços para aliados para compensar a possível perda do PMDB na sua coligação para as eleições de 2018. Com o maior tempo de televisão no guia eleitoral, a legenda peemedebista é um aliado estratégico e pode virar um trunfo da oposição no pleito.

Fernando Bezerra Coelho deixou o PSB e se filiou ao PMDB no início de setembro. Ele recebeu a promessa do presidente nacional do partido, o senador Romero Jucá, de que ganharia o comando da sigla em Pernambuco, presidida pelo vice-governador Raul Henry. Diante do impasse, um processo de dissolução do diretório estadual do PMDB foi aberto pela Executiva Nacional. O relator e deputado federal Baleia Rossi comanda o processo, mas não há previsão para o parecer final.

Jorge Waquim é filósofo pela Universidade Paris Nanterre e tradutor.
Jorge Waquim é filósofo pela Universidade Paris Nanterre e tradutor.Foto: Divulgação

Por Jorge Waquim*

O Brasil cultiva o esquecimento. Exemplo disso é a palavra senzala.

É um paradoxo que a palavra senzala, no Brasil, caia no ouvido comum como algo positivo, como um lugar de cantos e danças, pois senzala era lugar de tortura, de sofrimento, onde seres humanos eram mutilados, engaiolados, assassinados. Na consciência nacional ecoa um sentido que é o contrário dessa realidade. E, talvez por isso mesmo, o nome senzala hoje batiza prédios, restaurantes e hotéis pelo Brasil afora. O sentido da palavra senzala foi confundido, transmutado, renegociado. Como isso aconteceu é um enigma, e resolvê-lo talvez nos forneça a chave que nos explique enquanto povo.

Palavras são mais do que sons ou tinta num papel. Por detrás delas, escondem-se sentidos – pontos de vista – sobre determinada situação ou coisa. Palavras despertam significados justamente por carregarem consigo o ponto de vista escolhido por quem fala. E esses pontos de vista não existem por mero acaso, mas são construídos socialmente e refletem práticas e ideias de uma comunidade. A palavra senzala no Brasil foi construída sob esse ponto de vista, essa ideia, esse sentido de alegria e de sons. Esquecemo-nos ao longo dos anos do terror que foram as senzalas?

A Alemanha cultiva a memória e faz constante mea culpa sobre a loucura nazista, sempre rememorando o horror dos campos de concentração durante a segunda guerra. Acontece que as senzalas são nossos campos de concentração. No entanto, como parte da cultura do esquecimento, varremos o horror das senzalas para baixo de um colorido tapete ao qual paradoxalmente atribuímos o mesmo nome, mas com sentido diametralmente oposto.

A senzala não está longe no tempo, um século e pouco mais nos separam do fim oficial dessa tragédia humanitária, nem tampouco do lugar: o racismo, velado e silencioso, que impera no país é a tradução da ocultação desse terrível passado.
Na última segunda-feira comemoramos o Dia da Consciência Negra, em referência à reação negra à escravidão materializada nos quilombos, como uma tentativa de contrariar essa cultura do esquecimento. Quilombos, fenômeno mal estudado nas escolas, mal lembrado no espaço público e, portanto, maltratado pela consciência nacional.

O Brasil, ao tentar se esquecer do seu passado, tentando enterrá-lo a todo custo, se assemelha a um indivíduo que precisa de ajuda, mas que não busca tratamento, e assim delira, diz confusões, troca os sentidos: senzala é nome lindo, o torturado é o algoz, previdência social para quem ganha pouco é privilégio, escravidão é o motor da nação. O atual ocupante do cargo de presidente do país lidera um grupo que parece ser produto direto desse passado esquecido e, portanto, mal resolvido. Mas, e aí, como colocar um país inteiro num divã? Disso depende a saúde do nosso futuro. 

*Jorge Waquim é filósofo pela Universidade Paris Nanterre

Paulo Câmara e Cloves Benevides
Paulo Câmara e Cloves BenevidesFoto: Divulgação

Com presença das lideranças do Partido Progressista (PP), o Palácio do Campo das Princesas empossa o novo secretário de Desenvolvimento Social, Cloves Benevides, nesta sexta-feira (24), às 17h. O ato consolida a aliança da legenda com o governador Paulo Câmara para 2018.Após protestos de movimentos populares contra a sua indicação, o novo auxiliar pregou o diálogo com todos os segmentos da sociedade.

"Tomo posse com o compromisso de estabelecer todo diálogo que derrube eventuais loros que nascem dos equívocos de interpretação de quem não conhece o nosso trabalho", garantiu. O gestor relatou seu trabalho na área de políticas públicas e disse que o Brasil precisa da garantia de seus direitos e do exercício pleno da democracia.

As principais lideranças do PP marcaram presença no ato: o presidente estadual da sigla, Eduardo da Fonte, os deputados estaduais Cleiton Collins e José Maurício e a vereadora Michelle Collins. Do secretariado estadual, os auxiliares Kaio Maniçoba (Habitação), Silvia Cordeiro (Mulher), Márcio Stefani (Fazenda), Fred Amâncio (Educação) e Ruy Bezerra (Controladoria-geral).

O PP também já acertou o controle da Secretaria Executiva de Recursos Hídricos, para onde irá Plínio Pimentel, e duas gerências de Suape. Uma delas, a Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, foi repassada anteontem aos progressistas. Nesta sexta-feira (24), o gestor Cloves Benevides assume a Secretaria de Desenvolvimento Social na cota do PP.

Com a informações de Rebeca Silva  

Cerimônia de posse do novo superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Cairo Costa Duarte
Cerimônia de posse do novo superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Cairo Costa DuarteFoto: Paullo Allmeida/ Folha de Pernambuco

A cerimônia de posse do novo superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Cairo Costa Duarte, ocorreu na tarde desta sexta (24), na sede do Tribunal Regional Federal (TRF-5), no Recife. A Orquestra Criança Cidadã se apresentou aos presentes.

Leia também:
Fernando Segóvia, novo diretor-geral da PF, prestigia posse no Recife


Em discurso, Segóvia disse que a "Polícia Federal, no futuro, será mais unida e mais forte". "Todas as pessoas de bem poderão combater o mal que mais assola a sociedade brasileira. Esse combate à corrupção do País, que é a principal missão da PF. Nenhum brasileiro aguenta mais! E ano que vem teremos uma missão ainda maior, que será um ano eleitoral", afirmou.



Cairo Duarte recebeu, do delegado Marcos Aurélio Fávere, seu antecessor, os princípios da Polícia Federal. Em discurso, Fávere disse que "os problemas são apresentados para quem tem condições de superá-los" e leu uma mensagem de Marcelo Diniz, também ex-superintendente da PF, que prestou homenagem ao empossado. "Tenha certeza que estarei torcendo para que a Superintendência de Pernambuco continue sendo um orgulho".



Estavam presentes à posse, o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua, e o deputado Ricardo Costa, que representa o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchôa. Também presentes ao ato, o presidente do TRF-5, Manoel de Oliveira, e o comandante Militar no Nordeste, Arthur Costa. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ronnie Preus Duarte.

Constrangimento
Antes do início da coletiva de imprensa com o diretor-geral da Polícia Federal, a assessoria de imprensa da instituição colocou que Fernando Segóvia só iria falar sobre assuntos relacionados à posse do novo superintendente regional da PF, Cairo Costa Duarte. Após dizer que pretendia abordar outros temas, uma jornalista foi, inclusive, convidada a se retirar do local.

O diretor-geral da PF, Fernando Segóvia.
O diretor-geral da PF, Fernando Segóvia.Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Delegado da Polícia Federal desde o início dos anos 2000, o mineiro Cairo Costa Duarte toma posse, na tarde desta sexta (24), como superintendente da corporação em Pernambuco. Cerimônia acontece às 17h, no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Recife. O diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, participa do ato. 

Leia também:
Polícia Federal cumpre mandados em nova fase da Operação Torrentes
Polícia Federal vai usar biometria do eleitor para emitir passaporte

A primeira lotação do novo superintendente foi na cidade de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, onde atuou na maior parte do tempo na Delegacia de Repressão a Entorpecentes. Seguiu carreira na cidade mineira de Uberlândia, onde posteriormente recebeu um convite para atuar na Coordenação-Geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (CGPRE) em Brasília, onde exerceu a função de chefe do Serviço de Inteligência, sendo responsável pelo Grupo de Investigações Sensíveis (Gise).

Em seguida, a atuação de Cairo Costa Duarte passou para a área de Divisão de Crimes Financeiros como Chefe do Serviço de Inteligência. Passou ainda pela chefia do Serviço de Repressão de Desvios de Recursos Públicos, onde acompanhou diretamente os trabalhos da Operação Lava Jato, e, por fim, atuou na Superintendência do Distrito Federal, onde desempenhava as funções de Delegado Regional de Combate ao Crime Organizado e depois de Delegado Regional Executivo.

Felipe Oriá, professor da Fundação Getúlio Vargas, é um dos fundadores do movimento
Felipe Oriá, professor da Fundação Getúlio Vargas, é um dos fundadores do movimentoFoto: Divulgação

Grupo nacional e suprapartidário de renovação política, o movimento Acredito, assim como outras organizações, participará, neste sábado (25), da quarta edição do Festival VOX no Parque Santana, na Zona Norte do Recife. O evento reúne iniciativas e empreendedores sociais pernambucanos para discutir os caminhos de uma nova política para o Estado.

Além do Acredito, cuja participação deve ter início a partir das 9h, confirmaram presença os grupos O Meu Recife, Orbe Político, Politiquê?, Recife GovJam, Recapibaribe, Somos Todos Muribeca, Diretoria LGBT e Ocupe Passarinho.

“O Acredito surge como plataforma para pessoas e iniciativas que, acreditando que é possível construir política de baixo para cima, vem mobilizando a sociedade ao redor de causas centrais para um País mais ético, justo e desenvolvido. O Acredito busca unir essas iniciativas para fortalecer a todos”, destaca Felipe Oriá, cofundador do movimento Acredito.

O evento é gratuito e se estende durante a tarde. Durante o festival, o cantor Lenine também vai se apresentar no local.

assuntos

comece o dia bem informado: