Foram encontrados 215 resultados para "Novembro 2017":

Erika de Barros é desembargadora do TRE-PE
Erika de Barros é desembargadora do TRE-PEFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) desaprovou, na sessão desta segunda-feira (20), as contas do diretório regional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). O partido terá de devolver R$ 420.154,82 aos cofres públicos e ficará sem receber recursos do fundo partidário durante três meses.

No parecer, a desembargadora uma série de irregularidades observadas nas contas do partido. “Consta do balanço patrimonial considerável valor de R$ 453 mil descritos como adiantamento a terceiro – pesquisas”. No entanto, os serviços declarados não teriam sido prestados naquele ano.

Além disso, algumas despesas pagas com recursos do fundo partidário apresentam irregularidades, como “ausência de notas fiscais”. Desta forma, a unidade recomendou o recolhimento ao tesouro nacional no valor de R$ 128.761,11. Da mesma forma, “o balancete de verificação referente ao mês de dezembro de 2014 foi entregue em julho de 2017”, ou seja, após o prazo fixado por lei.

A desembargadora também verificou que a agremiação usou recursos do fundo no valor de R$ 283 mil para contratação de uma empresa para “levantamento quantitativo socioeconômico em diversos municípios do estado de Pernambuco”, montante que representou 29% do total dos recursos do fundo recebido pelo partido naquele ano. Mas, segundo o relatório, os beneficiários dos pagamentos da empresa “eram pessoas estranhas à referida entidade”. A decisão pela desaprovação das contas foi unânime.

As contas de outro partido, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), também foram desaprovadas. Por conta de omissões de gastos eleitorais, o partido terá que devolver R$ 9,7 mil ao Tesouro Nacional. Na mesma sessão, foram aprovadas, com ressalvas, as contas do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e Partido Progressista (PP) de Goiana. 

Geraldo Alckmin durante evento do Lide Pernambuco
Geraldo Alckmin durante evento do Lide PernambucoFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Como pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez um gesto positivo sobre ter um pernambucano como candidato a vice-presidente. O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), e o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) são cotados para assumir a disputa. Indagado pelo público, no encontro com empresários promovido pela Lide Pernambuco e Fiepe, Geraldo acenou com o polegar. “Está respondido”, brincou.

Leia também:
'A prioridade é emprego e renda', diz Alckmin em café com empresários em PE
Em último compromisso no Recife, Alckmin visita Porto Digital
Alckmin defende chapa única na convenção do PSDB
Alckmin: "Claro que queremos uma aliança com o PSB"
Alckmin recebe o apoio de Jarbas para a presidência do País


O tucano, por sua vez, evitou bater o martelo, alegando que esse aceno cabe aos outros partidos. No domingo, Jarbas recebeu Geraldo em seu apartamento e já declarou apoio à sua candidatura a presidente, independente do caminho que o PMDB nacional adotar. Nessa segunda, pela manhã, o governador em exercício, Raul Henry (PMDB), também reforçou o sentimento positivo pela candidatura de Alckmin.

Em entrevistas ao longo do dia, o tucano reforçou o apreço que tem por Mendonça e Jarbas. Alckmin chegou a mencionar que o ministro da Educação havia lhe telefonado antes, justificando a ausência em sua passagem por conta de uma viagem ao exterior. “Os dois nomes podem ser candidatos até a presidente, quanto mais a vice. Eles são muito preparados, agora como são de outros partidos, devo ter a delicadeza de não estar fazendo especulações, vamos aguardar”, declarou o pré-candidato.

Realizado pela manhã com diversos empresários, o evento “Gestão Pública e Desafios do Brasil Contemporâneo” é uma parceria do Lide Pernambuco com a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe). O tucano cumpre agenda de presidenciável em Pernambuco desde o último domingo (19).

Executiva nacional do PSDB
Executiva nacional do PSDBFoto: Agência Tempo/Folhapress

Após o deputado federal Bruno Araújo defender o nome de Geraldo Alckmin para a presidência da legenda, com o intuito de minimizar o racha interno, os deputados federais Betinho Gomes e Daniel Coelho deixaram claro que o grupo atrelado ao senador Tasso Jereissati não vai abrir mão do cargo facilmente. Após a visita do governador paulista ao Recife, Betinho afirmou que Tasso “está mais adiante porque buscou fazer um processo de oxigenação dentro do partido”.

O cabo de guerra pelo comando da legenda será resolvida no dia 9 de dezembro, quando será realizada a convenção nacional. O governador de Goiás, Marconi Perillo, disputa o posto contra Tasso Jereissati, que já recebeu apoio de figuras como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com Bruno Araújo, Perillo já teria dado o aval para Alckmin ser o nome de consenso para a presidência do PSDB e, neste caso, só faltaria uma sinalização de Tasso no mesmo sentido.

Leia também
Bruno Araújo quebra o silêncio e dispara contra Daniel Coelho
'PSDB desses caras não é o meu nem de FHC', diz Tasso, destituído por Aécio
Aécio rechaça crítica de fisiologismo feita por Tasso
Tasso lança candidatura e defende ética no PSDB

“O importante é que o partido inclusive possa fazer um debate com clareza, analisar quem é o nome que tem melhor condição para presidir o partido. Inclusive dando uma roupagem nova em relação a alguns posicionamentos. E acho que neste quesito Tasso está mais adiante porque ele buscou fazer um processo de oxigenação dentro do partido”, colocou Betinho Gomes.

Sem citar o nome de Alckmin, o deputado falou que a agremiação deve “ter um presidente que tenha compreensão de que o partido não pode ficar imóvel, sem posicionamento político”. “Não temo qualquer tipo de disputa entre Tasso e Perillo. São dois homens experientes, homens públicos testados. Mas acho que, para esse momento do PSDB, o nome de Tasso é uma opção”, acrescentou.

Da mesma forma, Daniel Coelho defendeu a postulação do senador tucano. “Para o PSDB romper com esse ciclo de equívocos que cometeu nos últimos anos, voltar para as suas origens, como um partido ideológico, sem compromisso com governo, mas compromisso com a sociedade, quem tem condição de conduzir o partido pra esse caminho é Tasso”, reforçou.

Em sua opinião, “se Alckmin for presidente de partido e candidato a presidente da República, vai ser difícil de cumprir essa agenda interna de desgaste, porque mudar posicionamento do partido é enfrentar alguns. E eu acho que alguns precisam ser enfrentados. Acho que Tasso cumpriria um papal importante de reposicionar o partido e enfrentar uma agenda mais dura e de algum desgaste interno e deixar Alckmin solto para ele fazer o que tem que fazer, que é viajar o Brasil, defender suas ideias, falar de suas propostas. Conciliar as duas posições pode causar a impressão de uma falsa unidade”, pontuou.

Com informações de Ulysses Gadêlha, da Folha de Pernambuco

Geraldo Alckmin durante visita ao Porto Digital
Geraldo Alckmin durante visita ao Porto DigitalFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O governador de São Paulo e potencial candidato a Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB), visitou as instalações do Porto Digital em seu último compromisso no Recife. O presidente do parque tecnológico, Francisco Saboya, apresentou toda a infraestrutura ao governador e sugeriu a formalização de parcerias para troca de conhecimento e capital entre São Paulo e o Porto. Alckmin reconheceu que o modelo de gestão do parque, como organização social, é fundamental para fomentar o desenvolvimento. O gestor retornou para seu estado logo após o encontro.

Leia também:
'A prioridade é emprego e renda', diz Alckmin em café com empresários em PE
Alckmin defende chapa única na convenção do PSDB
Alckmin: "Claro que queremos uma aliança com o PSB"
Alckmin recebe o apoio de Jarbas para a presidência do País


Estiveram presentes no encontro lideranças do PSDB como os deputados federais Bruno Araújo, Betinho Gomes, Daniel Coelho, a prefeita Raquel Lyra, o ex-governador João Lyra e o ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes. Alckmin conversou com Saboya e com outros empreendedores que compõem o Porto Digital. Ao governador, os executivos falaram das dificuldades em consolidar o parque tecnológico. João Cláudio, representante da Procenge, empresa mais antiga do Porto, resumiu que o maior desafio é arrecadar financiamento, o que é motivado pela centralização dos investimentos no eixo Rio-São Paulo.

O governador destacou as ações que o governo de São Paulo tem realizado nesse sentido e ressaltou o papel que a tecnologia tem para todas as áreas da governança, como o monitoramento de fronteiras e a geração de renda através dos softwares. O tucano ainda aproveitou para fazer um balanço de sua passagem pelo Estado. “Faço um balanço muito positivo em todos os sentidos. Tivemos oportunidade de conhecer propostas importantes de sucesso, discutir dificuldades que a região enfrenta, ouvir lideranças de partidos”, esclarece. Para o presidenciável, o Nordeste deve estar no centro do debate.

André de Paula
André de PaulaFoto: Márcio Didier/Blog da Folha

Diante da formação de um bloco de oposição ao governo Paulo Câmara (PSB), o deputado federal André de Paula (PSD), que integra a base de apoio ao socialista, afirmou que a união de várias lideranças em um mesmo palanque será “difícil”. No entanto, na sua visão, a consolidação da frente poderia atrapalhar os planos de reeleição do governador.

Na tese do deputado, o conflito de interesses torna a formação do grupo de oposição uma “equação difícil” de resolver. O bloco conta com personalidades como o senador Armando Monteiro (PTB), o ministro Mendonça Filho (DEM), o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e o deputado federal Bruno Araújo (PSDB).

Mas André admite que a reeleição de Paulo Câmara pode ser ameaçada, caso o grupo consiga atingir a unidade. “O caminho ainda está muito aberto, se nós tivéssemos todas as forças políticas que estão na oposição a Paulo Câmara unidas, nós teríamos uma eleição dificílima, mas essas forças políticas não tem condição de marchar juntas em torno de um candidato só, então eu acho que o governador Paulo Câmara continua em uma situação muito confortável", afirmou, em entrevista ao programa Cidade em Foco, da Rede Agreste de Radio.

PSDB e PSB
Na ocasião, o deputado também comentou sobre a possível aliança entre o PSDB e o PSB, defendida pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), durante sua passagem pelo Recife, neste fim de semana. "Se o PSDB pretende ter o apoio do PSB a candidatura de Geraldo Alckmin lá em cima, ele vai ter que negociar. Nessa negociação a primeira moeda, sem dúvida nenhuma, será o Estado onde o PSB tem a prerrogativa de ver o seu governador candidato a reeleição. Então não se assustem se amanhã o ministro Bruno Araújo tiver, em função de uma questão nacional, que se somar ao governador Paulo Câmara", declarou.

Para o parlamentar, a aproximação do PSB com o PT é válida. “A gente não pode estigmatizar um partido que tem a importância como o PT tem por conta do equívoco de alguns dos seus dirigentes (...) Se amanhã a gente tiver a possibilidade de construir uma aliança que una PSB e PT, sob a liderança do governador Paulo Câmara e em torno de propostas que sirvam aos pernambucanos e a Pernambuco, ela conta com o meu apoio", destacou.

Alepe
AlepeFoto: Henrique Genecy/ Folha de Pernambuco

A Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) realiza, nesta terça-feira (21), uma reunião para discutir a pauta das doenças raras e as políticas de atenção a essas pessoas em nosso Estado. Para o encontro, são esperados representantes da OAB-PE, de conselhos de Defesa da Pessoa com Deficiência, ONGs e entidades civis, Ministério Público e Defensoria Pública, além dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou presença.

A Anvisa regulamenta alguns dos principais tratamentos e medicações voltados para os casos do zika vírus, causador da microcefalia em recém-nascidos, por exemplo, e a ocasião será uma oportunidade para que o Estado, o Legislativo e entidades civis abram uma sala de situação com o órgão, para discutir lacunas locais.

A Frente Parlamentar, que é coordenada pela deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB), vem realizando reuniões ordinárias com o objetivo de fazer um diagnóstico das políticas públicas existentes em Pernambuco, verificar as carências e colher sugestões sobre o tema para, então, traçar um panorama da situação das pessoas com deficiência, e, assim, colaborar com o aperfeiçoamento e implantação das futuras ações do Poder Público.

TCE-PE entrega medalhas Nilo Coelho
TCE-PE entrega medalhas Nilo CoelhoFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) entregou a dez pessoas a medalha Nilo Coelho, na manhã desta segunda-feira (20). O primeiro a receber das mãos do presidente da corte, Carlos Porto, foi o auditor João Eudes Bezerra Filho. Esta é a maior honraria concedida pelo tribunal. Alguns dos nomes são o provedor do Hospital Português, Alberto Ferreira da Costa, o padre Rinaldo dos Santos e o desembargador Carlos Eduardo Pugliesi.

O presidente Carlos Porto fez uma fala de abertura e falou um pouco da história de cada um. Há empresários, médicos, pessoas do meio jurídico e da comunicação no evento. Entre os que compõem a mesa, estão o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ronnie Duarte e Luciano Siqueira - que representa o prefeito Geraldo Julio, além de conselheiros.

Leia também:
Paulo Câmara: "vamos cumprir as recomendações do TCE"
Ação do TCE gera economia de R$ 1 milhão à Secretaria de Transportes

Geraldo Alckmin
Geraldo AlckminFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Pré-candidato à Presidência da República, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), participa de café da manhã nesta segunda-feira (20) com líderes empresariais, na Arcádia Paço, no Bairro do Recife, na área central da capital. O evento “Gestão Pública e Desafios do Brasil Contemporâneo” é uma parceria do Lide Pernambuco com a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe). O tucano cumpre agenda de presidenciável em Pernambuco desde o último domingo (19).

Em sua fala aos empresários, o governador traz suas experiências de melhoramento fiscal e governança em São Paulo. Durante a palestra, Alckmin defendeu o investimento em empreendedorismo e na iniciativa privada e afirmou buscar contemplar uma agenda de centro-direita que permita a retomada do crescimento no Brasil.

Leia também:
Bruno espera sinalização de Tasso sobre disputa interna
Alckmin recebe o apoio de Jarbas para a presidência do País
Alckmin: "Claro que queremos uma aliança com o PSB"
Alckmin defende chapa única na convenção do PSDB


"Precisamos de uma efetiva reforma política e investir no empreendedorismo. O Brasil é um país que tem vocação pra o crescimento. A prioridade é emprego e renda", afirmou Alckmin. "Vivemos um momento espetacular de grande liquidez internacional. Há necessidade de uma agenda de competitividade", completou.

Tal como vem debatendo o governo Temer com a Eletrobras e outras estatais, Geraldo defendeu também uma política de privatizações, "analisando caso a caso". "Sobra dinheiro no mundo e o governo tem uma dificuldade enorme para investir". Alckmin voltou a falar em alianças com o PSB e com o PMDB de Jarbas Vasconcelos e defendeu unidade nacional do PSDB. "Farei o que for preciso para obter a unidade no partido".

Questionado sobre a reforma trabalhista, o tucano afirmou que foi muito necessária para criar mais oportunidades de emprego e renda. Estão presentes no evento o governador em exercício, Raul Henry (PMDB), os deputados federais Bruno Araújo, Betinho Gomes, Daniel Coelho (PSDB), Augusto Coutinho (SD) e Jarbas Vasconcelos (PMDB), e a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), entre outras autoridades. Alckmin deve encontrar ainda a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), nesta passagem por Pernambuco.

Agenda
O governador participou no domingo de missa celebrada pelo frei Rinaldo na Igreja da Madre de Deus, ao lado de Bruno Araújo, João Lyra e Terezinha Nunes. Em seguida, Alckmin visitou a comunidade do Pilar e foi à casa de Renata Campos, no bairro de Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife. O presidenciável também encontrou o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) e o governador em exercício Raul Henry (PMDB).

Alckmin assistiu à missa na bela igreja da Madre de Deus
Alckmin assistiu à missa na bela igreja da Madre de DeusFoto: Divulgação

Após deixar o ministério das Cidades, o deputado federal Bruno Araújo (PSDB) trabalhar para reestabelecer a unidade dentro do ninho tucano. Ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB), em sua visita ao Recife, neste domingo (19), Bruno defendeu o nome do correligionário para a presidência nacional do partido. Para ele, o nome capaz de “catalisar todas as forças é o do governador”.

Leia também
Alckmin recebe o apoio de Jarbas para a presidência do País
Alckmin: "Claro que queremos uma aliança com o PSB"
Alckmin defende chapa única na convenção do PSDB

Segundo o deputado, a queda de braço pela direção da sigla pode ser resolvida com a sinalização do senador Tasso Jereissati, que disputa o cargo contra o governador de Goiás, Marconi Perillo. “O único nome onde o próprio Marconi e o ex-presidente Fernando Henrique sinalizam, que parece se catalizador de todas essas forças, é o do governador Geraldo Alckmin. Eu acho que para isso acontecer precisa haver algumas outras sinalizações. Não se viu ainda uma posição do senador Tasso com relação a isso. Mas, em havendo essa confirmação, é algo que é possível de acontecer”, colocou.

Jarbas e Alckmin conversam na casa do peemedebista
Jarbas e Alckmin conversam na casa do peemedebistaFoto: Arthur de Souza

O deputado federal Jarbas Vasconcelos recebeu, em sua casa, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), durante sua passagem pelo Recife, neste domingo (19). Na ocasião, o peemedebista afirmou que, caso o tucano se viabilize como candidato a presidente da República, terá o seu apoio.

"Eu apoio Alckmin com apoio do PMDB oficial ou como dissidente", cravou o deputado que, nos bastidores, também é lembrado para compor uma possível majoritária na condição. Ele também é cotado para assumir um ministério, caso Alckmin seja eleito presidente.

Leia também
Alckmin: "Claro que queremos uma aliança com o PSB"
Alckmin defende chapa única na convenção do PSDB

No encontro, que também contou com a presença do vice-governador Raul Henry (PMDB), os dois trocaram impressões sobre o cenário político nacional. Além disso, conversaram sobre os problemas que atingem a região. A ideia é colher informações para uma agenda de governo que contemple o reduto que tradicionalmente mais dá apoio ao PT.

Com informações de Anderson Bandeira

assuntos

comece o dia bem informado: