Foram encontrados 176 resultados para "Dezembro 2017":

Marco Aurélio Medeiros (PRTB)
Marco Aurélio Medeiros (PRTB)Foto: Anderson Barros/Câmara do Recife

Sem partido desde outubro, o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, teve mais uma porta aberta nesta quinta-feira (21), para desembarcar. Em meio a rumores que o auxiliar do governo Federal poderia ir para o PMDB, DEM e PR, agora o PRTB é a bola da vez. Principal liderança do partido no estado, o primeiro secretário da Câmara do Recife, Marco Aurélio, ofereceu a legenda para o ministro. Em boa dose de humor, Marco afirmou que algumas conversas neste sentido já ocorreram.

"Gostaria muito que Fernandinho viesse para o PRTB, que é um partido da paz. Não tem confusão", sinalizou o primeiro secretário que nutre uma relação estreita com o grupo dos Coelhos.

Ele, inclusive, será lançado a deputado estadual na região metropolitana do Recife com o apoio do grupo sertanejo. No plano estadual, o PRTB já está na oposição ao governo de Pernambuco, apesar de integrar a base aliada do prefeito Geraldo Julio (PSB).

Em meio ao convite, o ministro Fernando Filho ainda não definiu o caminho que tomará. O PMDB é visto como alternativa caso o pai do ministro, o senador Fernando Bezerra Coelho assuma o comando da sigla. O DEM aparece com chance para o projeto majoritário e o PR foi o último que entrou na mira para atrair o grupo dos Ferreiras e tirar a legenda da base do governo.

Paulo Rabello de Castro fala no Lide PE sobre o tema "Brasil 2018: A agenda da virada"
Paulo Rabello de Castro fala no Lide PE sobre o tema "Brasil 2018: A agenda da virada"Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

No Recife para debater as perspectivas da economia brasileira, o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), Paulo Rabello de Castro, não negou a possibilidade de se lançar como candidato à Presidência da República do Partido Social-Cristão (PSC) no próximo ano. “Qualquer um que está politicamente engajado tem que, a princípio, admitir isso como uma possibilidade sim”, disse Castro, que ainda aproveitou a ocasião para criticar o governo Michel Temer (PMDB).

Leia também:
Pré-candidato à Presidência da República pelo PSC cumpre agenda no Recife


Em evento promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais de Pernambuco (Lide-PE) nesta quinta-feira (21), o presidente do BNDES disse que não há porque nenhum brasileiro estar avesso a dar sua colaboração para o Brasil e destacou que, desta vez, o cenário eleitoral se apresenta de forma diferenciada, abrindo espaço para candidatos não tradicionais. “Os partidos políticos estão muito mal tratados e com dificuldade de escolher os seus representantes. Esse cenário é mais favorável para eventuais colaborações de brasileiros que estejam, por assim dizer, correndo por fora”, concluiu.

Castro evitou, por sua vez, estabelecer um prazo para a confirmação da própria pré-candidatura. “Nesse primeiro trimestre, estou 100% engajado nisso que estou fazendo (a administração do BNDES). Depois veremos”, despistou.

Até quando falou de economia, no entanto, o possível presidenciável do PSC mostrou o clima de pré-campanha. Mostrando insatisfação com a atual administração federal, ele disse que até as grandes organizações governamentais precisam de mudanças na gestão administrativa para que sejam mais eficientes. “Temos que reformular os padrões administrativos, colocando metas, porque hoje só há controle”, criticou.

O presidente do BNDES deixou o evento do Lide para visitar a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e, logo depois, tem agenda marcada com o deputado estadual André Ferreira (PSC). Após o encontro, o parlamentar afirmou que, desde seu último encontro com Rabello, há um mês, participou de várias conversas e passou a andar pelo estado para fortalecer seu nome.

Governador Paulo Câmara e secretários durante visita de conselheiros do TCE
Governador Paulo Câmara e secretários durante visita de conselheiros do TCEFoto: Hélia Sheppa/SEI

Eleito para a presidência do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), no biênio 2018-2019, o conselheiro Marcos Loreto foi recebido, nesta quinta-feira (21), no Palácio do Campo das Princesas, pelo governador Paulo Câmara (PSB). Na ocasião, o socialista recebeu o convite formal para a cerimônia de posse, que será realizada no dia10 de janeiro, na sede do órgão de controle, no Recife.

Leia também:
Marcos Loreto é eleito presidente do TCE-PE


Durante o encontro, também estiveram presentes o corregedor-geral do Tribunal, Dirceu Rodolfo, que assumirá a vice-presidência do TCE; o conselheiro João Campos, diretor da Escola de Contas Públicas (ECPBG); além dos secretários estaduais Ruy Bezerra (Controladoria Geral do Estado), Antônio Carlos Figueira (Assessoria Especial), Milton Coelho (Administração) e Nilton Mota (Casa Civil).

Os nomes dos eleitos para o biênio foram conhecidos em novembro deste ano. O órgão é comandado atualmente por Carlos Porto, que deixará o posto em 2018. A posse dos novos diretores será realizada em janeiro do próximo ano.

Na ocasião da eleição, Loreto adiantou que o combate à corrupção será uma das prioridades em sua gestão.

Segundo o presidente estadual do PP, Eduardo da Fonte, um sociólogo deve ser indicado para assumir o posto
Segundo o presidente estadual do PP, Eduardo da Fonte, um sociólogo deve ser indicado para assumir o postoFoto: Bruno Campos/arquivo folha

As especulações em torno do rumo do Partido Progressista (PP) na eleição do ano que ganharam novos contornos, nesta semana. A sigla, que chegou a ensaiar a formação de uma chapinha fora Frente Popular, estaria perto de voltar para o chapão governista. Para isso, o presidente estadual da legenda, deputado federal Eduardo da Fonte, já teria acertado com o Palácio do Campo das Princesas a indicação do seu nome para disputar uma vaga no Senado.

Em reserva, uma fonte governista revelou que, nos bastidores da Assembleia Legislativa, o comentário é que Eduardo da Fonte expressou seu desejo de participar da eleição majoritária e recebeu o aval do governo Paulo Câmara. Com isso, estaria disposto a abortar a formação de uma chapinha com legendas como PDT e PCdoB, que havia sido fortemente criticada por partidos da Frente Popular.

O arquivamento da denúncia contra o deputado na Lava Jato, na última segunda (18), por parte do Supremo Tribunal Federal, também teria favorecido, de acordo com a mesma fonte, a tese de que a sua postulação não causaria prejuízos para a imagem da coligação liderada pelo PSB.

Leia também
STF rejeita denúncia contra Eduardo Da Fonte
PP fecha espaços no Governo Paulo
Chapinhas causam mal-estar na base


O PP, que tem a segunda maior bancada na Assembleia, ganhou espaços significativos no governo, recentemente, com a nomeação de Guilherme Rocha como secretário executivo de Recursos Hídricos e de Clóvis Benevides como secretário de Desenvolvimento. Outro espaço entregue ao PP foi a Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Suape, com indicação de Michelle Karine Zacarias de Souza, ex-gestora de Projetos do Porto do Recife.

PT

Caso a postulação de Eduardo da Fonte se consolide, a aliança entre PT e PSB, que estaria sendo costurada pelo próprio ex-presidente Lula e vem recebendo apoio de boa parte da bancada socialista, pode ficar ameaçada. Segundo a fonte governista, se Eduardo da Fonte disputar a Casa Alta, o senador Humberto Costa (PT), que pretendia se reeleger pela Frente Popular, pode ter que disputar uma vaga na Câmara Federal.

Prédio do MPPE
Prédio do MPPEFoto: Reprodução/Google Maps

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao prefeito Lula Cabral (PSB), do Cabo de Santo Agostinho, que exerça seu poder de veto integral na hipótese de aprovação de projeto de lei que proíbe debater gênero e sexualidade em escolas públicas. A matéria propõe a “proibição, na grade curricular de ensino da rede municipal, da disciplina denominada ideologia de gênero, bem como toda e qualquer disciplina que tente orientar a sexualidade dos alunos ou tente extinguir o gênero masculino e feminino como gênero humano”.

A recomendação também é direcionada à secretária de Educação, Sueli Nunes, e aos professores da rede de ensino municipal que observem, nas suas atividades laborais, os referidos mandamentos constitucionais. A matéria foi aprovada e encaminhada à sanção do prefeito no dia 6 de dezembro.

De acordo com a promotora Janaína Bezerra, o Ministério Público foi informado sobre a apresentação do projeto de lei, de autoria do vereador Mario Anderson, que trouxe inquietação à categoria dos professores, além de contrariar as políticas públicas existentes para a população LGBT.

“O referido projeto de lei e seu substitutivo, ao pretenderem censurar abordagens sobre gênero nas escolas, que são ambientes naturalmente destinados ao debate no Estado democrático de Direito, reforçam estereótipos e preconceitos contra os que não se enquadram nos padrões ditos dominantes”, afirmou a promotora no texto da recomendação.

A promotora de Justiça ainda ressaltou que o Supremo Tribunal Federal (STF) vem proferindo decisões de caráter favoráveis ao entendimento de que os direitos, interesses e valores dos grupos minoritários expostos a situações de vulnerabilidade e que se tornam objeto de intolerância, perseguição ou discriminação são intangíveis.

Deputada Socorro Pimentel (PSL)
Deputada Socorro Pimentel (PSL)Foto: Divulgação

O pagamento das despesas incluídas no Orçamento do Estado por meio das emendas parlamentares foi motivo de cobranças da deputada estadual Socorro Pimentel (PSL) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Durante reunião nessa quarta-feira (20), a parlamentar, que integra a bancada de oposição, registrou apelo ao Executivo para que honre com os compromissos previstos.

No início do ano, Socorro Pimentel propôs a criação de uma Frente Parlamentar para acompanhar a execução das emendas pelo Governo e protocolou representação junto a órgãos fiscalizadores para garantir os pagamentos.

Cada deputado pôde destinar R$ 1,4 milhão do Orçamento de 2017 para ser aplicado em ações governamentais ou repassado a entidades da sociedade civil. O colegiado, no entanto, foi rejeitado em Plenário.

Na Constituição estadual, esse tipo de despesa é de execução obrigatória. Até o momento, destacou a parlamentar, está empenhada apenas a metade dos valores incluídos por ela na Lei Orçamentária. A oposicionista pontuou que recursos dessa natureza permitem aos legisladores atender a projetos importantes para suas bases eleitorais. “Esse é o principal instrumento para o bom exercício do nosso mandato. Por meio das emendas, direcionamos verbas para saúde, recursos hídricos e educação nos municípios”, citou.

Líder da bancada do PSB na Câmara federal, deputado federal Tadeu Alencar (PSB)
Líder da bancada do PSB na Câmara federal, deputado federal Tadeu Alencar (PSB)Foto: Chico Oliveira/Divulgação

Crítico ao governo Temer, o deputado federal Tadeu Alencar (PSB) falou sobre o tratamento dado ao Governo do Estado no ano de 2017 e avaliou que Pernambuco vive uma “retaliação explícita” do governo federal. Para ele, “Pernambuco não vem tendo o tratamento que merece”.

“Vamos exigir tratamento diferente do que Pernambuco vem recebendo. É por isto que lá na frente vai ficar difícil a quem hoje dá suporte ao governo mais impopular da história, pretender autoridade política para dizer que Pernambuco quer mudar. Pernambuco quer continuar mudando, porque vem mudando desde 2007, com uma transformação vigorosa no cenário social e econômico, iniciada pelo governador Eduardo Campos e continuada por Paulo Câmara”, afirmou Tadeu Alencar.

Como exemplo, o parlamentar lembrou a tentativa de trazer Michel Temer a Pernambuco para devolver a autonomia do Porto de Suape, o que não ocorreu; assim como a liberação de 40% da emenda de bancada de Pernambuco, de execução obrigatória, de R$ 168 milhões, para a Adutora do Agreste.

“A Adutora do Agreste praticamente paralisou o ano passado. Foi preciso gestões do governador Paulo Câmara para que se pudesse, ainda muito insuficientemente, retomar o seu ritmo”, afirmou.

O deputado federal ainda citou o empréstimo de R$ 600 milhões que Pernambuco ainda não teve liberado, apesar de contar com espaço fiscal. Segundo Tadeu Alencar, diferentemente de Estados ricos, Pernambuco vem fazendo seu dever de casa, com as contas ajustadas.

Ainda segundo o parlamentar, as medidas adotadas pelo governador Paulo Câmara (PSB), independente do que poderá vir do governo federal, serão suficientes para cumprir a maioria dos compromissos firmados em praça pública com o povo pernambucano.

“Os investimentos estão sendo feitos num momento de crise federativa, que levou Pernambuco a reduzir em 70% a sua arrecadação. Mesmo assim, Pernambuco é um canteiro de obras, a despeito da recessão, da crise econômica, do modelo federativo e da retaliação imposta pelo Governo Federal aos pleitos de interesse do nosso Estado”, concluiu Tadeu Alencar.

O vice-governador participa do evento que acontece até esta terça (14)
O vice-governador participa do evento que acontece até esta terça (14)Foto: Paullo Almeida

Um dia depois da convenção nacional do PMDB, que aprovou a mudança no estatuto do partido e deu poderes para a executiva nacional dissolver os diretórios estaduais, o vice-governador do estado e presidente estadual da legenda, Raul Henry, mudou de tom. Se antes ele acreditava que haveria “bom senso” e que a alteração poderia ser discutida posteriormente, agora coloca que a decisão já era esperada e que, no final as contas, a Justiça pernambucana é quem dará o veredicto final sobre o imbróglio.

Em coletiva, realizada nesta quarta-feira (20), Raul afirmou que a Justiça Comum em Pernambuco é a grande aposta do grupo liderado pelo deputado federal Jarbas Vasconcelos, para não perder o controle da legenda para o senador Fernando Bezerra Coelho. Na sua visão, o mérito da questão é superior à decisão tomada na convenção da agremiação. De acordo com o peemedebista, a Justiça Comum de Brasília, ao analisar o caso, remeteu o processo para Pernambuco.

Leia também
Jarbas chama Romero Jucá de 'crápula'
PMDB-PE: 'Qualquer decisão não terá validade'
Jucá sinaliza para FBC no comando do PMDB de PE
A mudança no estatuto do PMDB e o futuro de Jarbas


“O juiz (de Brasília), ao receber de volta o processo, reconheceu que a competência não era dele. Tinha dado uma liminar para garantir nossos direitos, mas achou que a competência era da Justiça Comum de Pernambuco, onde já tínhamos uma liminar ao nosso favor”, explicou.

Segundo o gestor, “há um recurso para o segundo grau, que ainda não foi julgado”. “Estamos aguardando o encaminhamento desse processo na Justiça. Como a decisão do juiz aqui é mais ampla e também se pronuncia sobre os fundamentos do pedido, o fato da convenção nacional ter transferido para a executiva o processo de dissolução não muda nada para nós. Já era previsto esse resultado. Já fazia parte do nosso cálculo que isso ia acontecer”, explicou.

De acordo com Raul, existe inclusive uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que orienta os partidos a respeitarem o princípio democrático e suas instâncias inferiores. “É uma questão de mérito e estamos muito tranquilos com relação a isso, porque não demos nenhuma causa para que houvesse a dissolução do PMDB de Pernambuco”, acrescentou.

Por isso, ele está confiante de que não perderá o controle do partido. “Fernando Bezerra Coelho não conseguiu uma palavra de liderança de Pernambuco em defesa do nome dele. Quando Romero Jucá (presidente nacional da sigla) disse que ele iria entrar com seis deputados de Pernambuco, eu disse que queria que colocasse o nome dos seis na ata. Quero ver quem vai descer no Aeroporto dos Guararapes para usurpar a história do PMDB de Pernambuco”, provocou.

"Despedida"
Após Fernando Bezerra Coelho afirmar que o discurso de Jarbas Vasconcelos, nesta terça (19) parecia uma "despedida", Raul Henry criticou a postura do senador. "Claro que não é um tom de despedida. É um tom de justa indignação de quem sofreu um ato de traição e deslealdade", disse.

Confira o vídeo:

Professor Lupércio (SD) é o prefeito de Olinda
Professor Lupércio (SD) é o prefeito de OlindaFoto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

A poucos dias do fim do ano, três unidades de ensino reformadas e revitalizadas serão entregues em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Nesta quinta-feira (21), às 9h, a primeira escola entregue será a Mizael Montenegro Filho, que conta com 150 estudantes de 6 a 13 anos. Na sequência, ocorre a reinauguração da Creche UEI (Unidade de Ensino Educacional Infantil), com 75 crianças, de 2 a 5 anos de idade. As unidades ficam em Casa Caiada.

Já na sexta-feira (22), às 9h, será a vez da Escola Claudino Leal, em Cidade Tabajara. O prédio recebeu obras de reforma e ampliação para acessibilidade, rampas de acesso e colação de piso tátil direcional, novas instalações hidráulicas e elétricas, substituição de portas e das esquadrias das janelas.

O trabalho incluiu também recuperação dos banheiros, construção de uma sala multifuncional para inclusão, construção de destino final de esgoto e área de convivência coberta, pintura, entre outras ações. O investimento foi de R$ 226.458,93. As entregas serão feitas pelo prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD).

Ivan Moraes fez críticas ao prefeito Geraldo Julio
Ivan Moraes fez críticas ao prefeito Geraldo JulioFoto: Anderson Stevens/arquivo folha

O vereador Ivan Moraes, que havia aceitado o convite para se candidatar a governador pelo PSol, no ano que vem, abriu mão de sua postulação, após consenso em torno da formação de uma chapa “100% feminina”. Após longa reunião, na noite desta terça (19), o diretório estadual do partido resolveu lançar o nome da advogada Danielle Portela para o Governo do Estado. Ela é esposa de Jesualdo Campos, que foi candidato a prefeito de Olinda, no ano passado, e terminou a corrida em oitavo lugar, com 1,22% dos votos.

Eugênia Lima, que foi candidata a vereadora em Olinda, em 2016, tentará uma vaga no Senado, ao lado de Albanise Pires, que tentou a eleição de vereadora do Recife. Antônia Elizabete, que também pretendia disputar a Casa Alta, foi indicada para a vaga de vice-governadora. Porém, ainda não decidiu se aceitará o convite.

Leia também
Freixo: PSOL terá candidato à Presidência em 2018
[Vídeo] No Cafezinho entrevista Marcelo Freixo


“Eu tinha colocado o meu nome. Mas surgiu a proposta com chapa 100% de mulheres. Eu, homem contemporâneo e companheiro da causa feminista, não podia concorrer com uma chapa dessas e retirei minha candidatura”, afirmou Ivan Moraes.

Ele irá de dedicar, agora, a consolidar sua candidatura a deputado federal. “Quando as mulheres se apresentam, os homens têm que dar um passo para trás. Agora, vou analisar com o grupo. Mas devo entrar na disputa para Brasília”, colocou o vereador.
Em 2018, o Psol pretende dobrar sua bancada de deputados federais. Hoje, a legenda conta com seis membros na Câmara.

Prestação de Contas
Nesta quarta (20), Ivan Moraes realiza a prestação de contas do seu mandato, no Pátio de São Pedro, no Centro do Recife. O ato será estruturado em três eixos: na Câmara, nas ruas e nas redes.

assuntos

comece o dia bem informado: