Foram encontrados 322 resultados para "Fevereiro 2019":

A parceria tem o objetivo de preservar e recuperar os monumentos do município
A parceria tem o objetivo de preservar e recuperar os monumentos do municípioFoto: Hélia Sheppa/SEI

O governador Paulo Câmara (PSB) assinou, nesta terça-feira (26.02), a ordem de serviço para as obras de embutimento da iluminação pública de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife. A intervenção, que conta com um investimento de R$ 1,7 milhões, contemplará a substituição das redes de fiação aéreas pelas embutidas em terra, e deve ser concluída até o próximo mês de julho. A iniciativa tem o objetivo de preservar e recuperar os monumentos.
  
"Essa obra vai dar condição de aperfeiçoamento das instalações da infraestrutura para que Igarassu esteja cada vez mais preparado para receber o turismo, receber pessoas que vem de fora não apenas para visitar nossas praias, mas também os nossos patrimônios históricos e culturais. É uma cidade que vem crescendo, onde os serviços vêm sendo aperfeiçoados. E é com ações como essa que a gente quer continuar a fazer Pernambuco avançar, com um olhar especial aqui para o Litoral Norte”, destacou Paulo Câmara, durante solenidade no Museu Histórico local, no centro da cidade.

A obra inclui a remoção dos atuais postes e luminárias abertas, dando lugar às luminárias de LED, com potência de 300W e postes de ferro galvanizado, com 12m, 9m e 6m. A substituição das redes de fiação aéreas pelas embutidas em terra será feita por método não destrutivo, contribuindo para a preservação dos monumentos de uma das áreas históricas mais expressivas da arquitetura antiga civil e religiosa brasileira, tombada pelo patrimônio histórico nacional. Do total investido, R$ 1,6 milhão será aportado pela União, através de emenda parlamentar do ex-deputado federal Roberto Teixeira, com uma contrapartida de R$ 68,7 mil do Estado.

O secretário estadual de Turismo e Lazer, Rodrigo Novaes, lembrou de outras importantes obras do Governo do Estado no município. “Nos últimos anos, a gestão tem investido nas potencialidades aqui de Igarassu. Esse museu onde estamos hoje foi reformado, requalificado pelo Programa de Desenvolvimento do Turismo de Pernambuco (Prodetur). Aqui ao lado, a Casa do Artesão também foi objeto de requalificação por iniciativa do Governo", declarou.

Infraestrutura – Além da reforma na iluminação, o Sítio Histórico receberá intervenções de infraestrutura asfáltica, que contemplam a construção de um muro de arrimo com gramado na avenida Marechal Hermes da Fonseca e a substituição do piso das calçadas do centro histórico. O Cruzeiro de Santo Antônio também ganhará novos refletores e piso em em pedra granítica serrada.

O prefeito de Igarassu, Mário Ricardo (PTB), que coordenou a campanha da oposição nas últimas eleições para o Governo do Estado, ressaltou a parceria entre o Estado e município que, segundo ele, tem gerado bons frutos para o desenvolvimento do município. “Toda a equipe sempre se colocou com muito cuidado, com muito zelo, para que possamos fazer as entregas que a população espera. Então, é importante que façamos esse reconhecimento. Essas parcerias são extremamente importantes e eu tenho a satisfação de ter celebrado várias dessas parcerias com o governador Paulo Câmara”, reforçou.

Participaram da solenidade também os deputados estaduais e vice-presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa Júnior (PSC) , Antônio Fernando (PSC) e Alberto Feitosa (SD); o secretário da Casa Civil, Nilton Mota, e seu executivo, José Maurício; e o prefeito de Itapissuma, Zé de Irmã Teca (PSD).

Alberto Feitosa pede alteração na Constituição pernambucana para parlamentares ampliarem seu poder legislativo
Alberto Feitosa pede alteração na Constituição pernambucana para parlamentares ampliarem seu poder legislativoFoto: José Britto/ Folha de Pernambuco

O deputado estadual Alberto Feitosa (SD) foi o entrevistado do programa Folha Política, desta terça-feira (26), quando explicou os motivos para propor a aprovação de uma Projeto de Emenda à Constituição (PEC) que permite parlamentares de legislarem sobre matérias tributária e financeira.
  
"Se o Poder Executivo tiver a consciência, a sensibilidade, tem que ter muito cuidado nas palavras, mas se o Executivo enxergar o valor da Assembleia, enxergar que a Assembleia de Pernambuco não pode está diminuída ao ponto de ser menor que a Assembleia Legislativa de São Paulo e de outros estados", disse Alberto Feitosa.

Segundo o deputado, a mudança colocaria a Alepe em situação "equiparada" a outros poderes legislativos para que a Alepe esteja alinhada à posição aos deputados federais, senadores e deputados estaduais de mais 25 estados. "Sou da base do Governo Paulo Câmara, tenho me posicionado com muita lealdade", enfatizou.

Alberto Feitosa revelou que uma reunião está marcada, no Recife, com o presidente da União das Assembleias Legislativas do Brasil (Unale), no dia 15 de abril, para apresentar como o sistema funciona em outros legislativos estaduais.

Ouça e compartilhe:

Ivan Moraes é vereador do Recife pelo PSol
Ivan Moraes é vereador do Recife pelo PSolFoto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco


O vereador do Recife, Ivan Moraes (PSOL), aproveitando o mote do áudio vazado do prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB),  que teve repercussão nacional,  publicou uma paródia satirizando a convocação pelo gestor dos cargos comissionados para participar do bloco carnavalesco da sua esposa.

Na sátira, Ivan convoca todos os servidores comissionados de seu gabinete para aproveitar o carnaval, listando a programação os blocos em Olinda e Recife e dando recomendações bem humoradas com dicas de segurança, redução de danos e outras sugestões aos foliões.

Confira o áudio:

Da esquerda para a direita, Bianca Lacerda (sec da Mulher do Ipojuca); Patrícia Alves (vice-prefeita); Célia Sales (prefeita) e Silvia Cordeiro (sec estadual da Mulher)
Da esquerda para a direita, Bianca Lacerda (sec da Mulher do Ipojuca); Patrícia Alves (vice-prefeita); Célia Sales (prefeita) e Silvia Cordeiro (sec estadual da Mulher)Foto: Wilderson Pimentel/Secom Ipojica

Ipojuca sedia, nesta terça-feira (26) o 46º Fórum de Mulheres Gestoras em Política Pública para as Mulheres. O primeiro encontro de 2019 está acontecendo na Câmara Municipal do Ipojuca e conta com a presença da prefeita Célia Sales, da secretária estadual da Mulher, Sílvia Cordeiro, da secretária da Mulher do Ipojuca, Bianca Lacerda e outras gestoras municipais de Pernambuco.

O Fórum visa discutir as experiências municipais no que diz respeito à política sobre as mulheres, e entre outras coisas, trabalhar soluções para conscientizar a população contra o feminicídio, a violência contra a mulher e a discriminação de gênero nos ambientes de trabalho. A secretária estadual da Mulher, Silvia Cordeiro, demonstrou também a preocupação com a questão do desemprego entre as mulheres e citou a Marcha das Margaridas, que é a luta das ruralistas.

Dando boas-vindas às gestoras de Pernambuco, a prefeita Célia Sales destacou importância do encontro. “Nos preocupamos também com o empoderamento feminino, em dar à mulher a auto-estima que ela precisa para sair de relacionamentos abusivos. Por isso disponibilizamos o Centro de Referência Dona Amarina para acolher mulheres que sofrem violação dos seus direitos, além de criar o programa mulheres empreendedoras, gerando emprego e renda”, disse Célia Sales.

Câmara Municipal de Camagibe decidiu pela abertura do processo de impeachment do prefeito
Câmara Municipal de Camagibe decidiu pela abertura do processo de impeachment do prefeitoFoto: Artur Mota

Após muita confusão e reviravolta, os vereadores da Câmara Municipal de Camaragibe encerraram a votação pelo pedido de impeachment do prefeito Demóstenes Meira (PTB). na manhã desta terça-feira (26). Com quatro abstenções, quatro votos favoráveis e quatro contrários à abertura do processo, a dúvida era se o voto de minerva poderia ser dado pelo presidente da Casa, vereador Toninho (PTB), posto que ele foi o autor do pedido. Depois de esclarecida a dúvida no regimento e no processo legislativo, o presidente desempatou, decidindo contra o prefeito.

O risco de que a Casa barrasse o pedido de impeachment provocou revolta entre os moradores, que lotavam as galerias aos gritos de "fora meira" e ameaçavam invadir o plenário. Segundo o presidente da Câmara Municipal de Camaragive, vereador Toninho, agora a Casa tem, cinco dias para o elaborar o parecer e encaminhar ao prefeito, que contará com 15 dias para apresentar sua defesa. Após a defesa do prefeito ser protocolada, a comissão volta a se reunir para que o relator profira o resultado final, que pode ser confirmado em até 60 dias.

Leia também:
Câmara discute pedido de impeachment para prefeito
[Giro de Notícias] Veja as principais notícias desta terça


Segundo Toninho, a pressão popular e a atuação das instituições foram importantes para a abertura do processo de impeachment do prefeito. "Se o Ministério Público, a OAB, o Tribunal de Justiça e o Tribunal de Contas do Estado cobraram explicações do prefeito, porque a Câmara, principal órgão fiscalizador do município ficaria omissa? A gente precisava dar uma resposta à população e, graças a Deus, foi positiva", comemorou.

A assessoria do prefeito informou que a prefeitura ainda não foi notificada sobre o pedido.


*Informações de Lourenço Gadelha, da editoria de Política

Câmara de Camaragibe vai julgar pedido de impeachment contra o prefeito afastado Demóstenes Meira (PTB)
Câmara de Camaragibe vai julgar pedido de impeachment contra o prefeito afastado Demóstenes Meira (PTB)Foto: Arthur Mota/Folha PE

Os vereadores da Câmara Municipal de Camaragibe se encontram reunidos, na manhã desta terça-feira (26), para discutir o pedido de impeachment do prefeito Demóstenes Meira (PTB).

Em meio a um clima tenso, vereadores da base governista alegam que não existe nada concreto em relação ao pedido de impeachment. Já a bancada de oposição tem se colocado à disposição do povo, ressaltando a importância de investigar o chefe do poder executivo.

Até o momento, o pedido de impeachment ainda não foi protocolado. A galeria da Câmara se encontra lotada, com o público gritando a todo momento: "Fora Meira".


*Informações de Lourenço Gadelha, da editoria de Política

Confira as principais manchetes de hoje
Confira as principais manchetes de hojeFoto: Divulgação

Folha de Pernambuco: "Interdição de ponte muda trânsito no centro do Recife"

Diario de Pernambuco: "Ação militar na Venezuela é descartada"

Jornal do Commercio: "Última esperança por solução pacífica"

Folha de S. Paulo: "Venezuela não terá intervenção militar", diz Grupo de Lima

Estado de São Paulo: "Nove governadores herdam rombo de R$ 71 bi nas contas"

O Globo: "Países vizinhos descartam intervenção na Venezuela"

Estado de Minas: "A lama ainda avança"

O Tempo: "Medo esvazia pousadas de Macacos no Carnaval"

Correio do Povo: "Mourão descarta intervenção militar na Venezuela"

Extra: "Aposentadoria para MEI muda com reforma da Previdência"

Zero Hora: "Países vizinhos rejeitam ação militar na Venezuela"

Valor Econômico: "Grandes empresas perdem espaço como novo BNDES"

Correio Braziliense: "Brasil rejeita solução militar contra Maduro"

Documentos e computadores apreendidos na Operação Urbanizar
Documentos e computadores apreendidos na Operação UrbanizarFoto: Edésio Lemos/Polícia Civil de Pernambuco

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) realizou três mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão domiciliar na manhã desta terça-feira (26) em Igarassu, no Grande Recife. Esses mandados fazem parte da 15ª Operação de Repressão Qualificada deste ano, denominada Urbanizar.

Sob coordenação do delegado Adyr Martens, a operação recebe esse nome porque envolve Roberto Burle Arcoverde, presidente da empresa de urbanização da cidade de Igarassu, a URB.

A investigação teve início em outubro do ano passado, com o objetivo de prender integrantes de uma organização criminosa, responsáveis por crimes como peculato - quando um funcionário público se aproveitam de cargos públicos para desviar dinheiro - e associação criminosa. Os mandados de prisão foram expedidos pela juíza da Vara Criminal da Comarca de Igarassu.

Leia também:
Polícia Civil prende líder de organização criminosa de Pernambuco e Alagoas
Operação prende integrantes de organização criminosa no Agreste do Estado
Operação Fantoche: empresários são liberados


De acordo com a PCPE, o crime era articulado através de funcionários fantasmas, supostamente contratados por Roberto Arcoverde, sua vice, Miriam Tenório, e Sheyla Teixeira Albuquerque, secretária da empresa. Segundo a polícia, os dois recolhiam os dados dessas pessoas, que, por sua vez, não sabiam que ‘trabalhavam para a Prefeitura’, com o intuito de simular o contrato de prestação de serviço.

O prometido era que os funcionários receberiam cerca de R$ 2 mil por mês. No entanto, o dinheiro era desviado pelos líderes do crime, o que chegou a gerar R$ 60 mil de prejuízo mensal à Prefeitura do município. 

A polícia conseguiu chegar aos suspeitos através do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCPE), bem como por meio de populares. Nesse sentido, cerca de 30 pessoas foram encaminhadas à delegacia para prestar depoimento sobre o caso. Roberto, Miriam e Sheyla foram levados ao Complexo Policial de Paulista, local onde encontram-se presos.

Ao todo, 50 policiais civis foram investidos na operação Urbanizar.

Para presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ação no TSE é “gesto com a sociedade que está sendo usurpada”
Para presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ação no TSE é “gesto com a sociedade que está sendo usurpada”Foto: Divulgação

AReforma da Previdência é a pauta da reunião entre o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e lideranças partidárias, que está agendada para hoje, em Brasília. A aprovação do novo texto é considerada prioritária pelo Governo Federal, que articula-se para aproximar o Governo do Parlamento e conseguir apoio. No entanto, o encontro não contará com todos os convidados. Isso porque lideranças do PSB e do PDT confirmaram o convite, mas afirmaram que não vão participar da conversa. PT, PSOL, Rede, PCdoB e PPL disseram que não foram convidados. Por esse motivo, socialistas e pedetistas decidiram boicotar o encontro. Os sete partidos, juntos, somam 134 deputados na Câmara Federal.

À Folha, o presidente PDT, Carlos Lupi, ratificou que a sigla não participará da reunião. “Pelo seguinte simples fato: ou convida todo mundo para olhar o futuro e discutir ou não vamos. Como eles não convidaram alguns partidos, nós não vamos porque não nos sentimos à vontade para ir. Nós não vamos porque não teve todo mundo convidado”, disse Lupi. O partido presidido por ele possui 28 deputados federais.

O deputado federal Danilo Cabral, que compõe a bancada do PSB - com 32 parlamentares na Câmara Federal - ressaltou que, além de não convidar os outros partidos da oposição, a pauta da reunião não foi divulgada oficialmente. O socialista defende um “ato mais largo com participação da bancada da oposição”.

“É um padrão de relação que você precisa estabelecer. Se nós vamos tratar vários assuntos e a gente está se propondo a fazer um ambiente de diálogo, queremos discutir, mas dentro de um ambiente em que a gente saiba o que é que vai ser discutido e com a participação de todos”, justificou Cabral.

Líder do PSB na Câmara dos Deputados, Tadeu Alencar confirmou que a bancada recebeu um convite para uma "conversa de aproximação", mas que a pauta do encontro estava indefinida. Além disso, o parlamentar frisou que não seria "recomendada" a participação dos socialistas sem a presença dos demais partidos de oposição, que não foram convidados para a reunião. Tadeu também defendeu um maior "aprofundamento" sobre o texto da previdência e uma análise em todos os pontos propostos pelo Governo. "A gente quer sentar (para conversar) no momento certo", disse. "O parlamento é o ambiente do diálogo e faremos isso com o governo", complementou.

A assessoria de imprensa da Presidência confirmou a agenda de Bolsonaro, mas, até o fechamento desta edição, não informou o horário, quem participará do encontro ou o local em que a reunião ocorrerá - no Palácio do Planalto ou na Alvorada.

Adalto Santos (PSB) defende que a medida não significaria rejeitar nem desvalorizar as instituições de ensino.
Adalto Santos (PSB) defende que a medida não significaria rejeitar nem desvalorizar as instituições de ensino.Foto: Roberto Soares / Alepe

Em pronunciamento na tribuna da Alepe, nesta segunda (25), o deputado Adalto Santos (PSB) manifestou apoio à proposta da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, para que uma medida provisória (MP) assegure às famílias o direito de educar os filhos em casa – prática conhecida como homeschooling. Durante a Reunião Plenária, o parlamentar defendeu que a medida não significaria rejeitar nem desvalorizar as instituições de ensino.

De acordo com ele, as escolas foram criadas para atender às necessidades de um mundo industrializado. Porém, países como Estados Unidos, Austrália, Chile, Canadá e França adotam também a educação domiciliar. “Não podemos usar da artimanha de jogar a escola contra o ensino domiciliar, com o fim de impedir a liberdade das famílias no que tange à educação de seu próprios filhos”, sustentou.

Leia também:
Relatório do TCE encontra irregularidades em verbas indenizatórias
Renato Antunes convoca audiência sobre Parque dos Manguezais
Fernando Bezerra Coelho discute reforma com Rogério Marinho


Na visão dele, o homeschooling está amparado em dois artigos da Constituição Federal: o 205, que estabelece que a educação é direito de todos e dever do Estado e da família, e o 229, segundo o qual “os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores”. Também segundo o deputado, a educação domiciliar vai desonerar o Estado, pois não depende de programa de auxílio governamental.

“Estamos enviando ao Congresso Nacional as assinaturas de alguns parlamentares desta Casa pedindo que essa MP, assim que for encaminhada pelo Governo Federal, seja aprovada com agilidade e dê o direito de pais, mães e famílias à educação domiciliar”, concluiu Santos.

assuntos

comece o dia bem informado: