Foram encontrados 246 resultados para "Abril 2017":

Bruno, Fernando e Mendonça vão atuar junto aos parlamentares para ajudar a aprovar projetos
Bruno, Fernando e Mendonça vão atuar junto aos parlamentares para ajudar a aprovar projetosFoto: Valter Campanato/Agência Brasil

A decisão da Executiva Nacional do PSB de fechar questão contra projetos estratégicos do Governo Federal segue apresentando reflexos. Com a necessidade de aprovar as reformas da Previdência e Trabalhista, três auxiliares ministeriais pernambucanos voltam nesta quarta-feira (26) para o Congresso Nacional. São eles os ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM); Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), e Cidades, Bruno Araújo (PSDB).

A decisão deverá ser publicada no Diário Oficial. Com a alteração, saem do jogo dois parlamentares do PSB, Creusa Pereira e Severino Ninho. O terceiro é Guilherme Coelho(PSDB), favorável à proposta, mas que sairá porque é último suplente da coligação e está na frente dos socialistas.

Quarto auxiliar do primeiro escalão do Palácio do Planalto, o ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS), está na Rússia, participando de um seminário. A volta do pós-comunista não foi necessária porque o suplente Carlos Eduardo Cadoca (PDT) vota em defesa das reformas governistas. Além dos pernambucanos, os outros ministros com cargos parlamentares também se licenciarão.

Na Esplanada, apesar da necessidade de articular estratégias para garantir a aprovação, a expectativa é positiva com o triunfo da proposta na Câmara. A previsão é que a reforma trabalhista seja votada hoje no plenário e a previdenciária fique para a próxima semana. O governo deseja aprovar as matérias do seu interesse em maio.

A decisão de Temer foi anunciada pelo ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, após reunião do presidente com a equipe ministerial na última segunda, no Palácio do Planalto. Além da exoneração dias antes da votação, os ministros não farão viagens a partir desta semana. Eles devem ficar em Brasília para receber parlamentares e líderes dos seus partidos na articulação em prol da aprovação da reforma.

A intenção do peemedebista é que o engajamento dos parlamentares vá além do voto no plenário. Ele quer os ministros atuando junto aos líderes dos partidos para garantir a fidelidade da base ao governo. A estratégia de Temer já havia sido adotada pela ex-presidente Dilma Rousseff. Em abril, do ano passado, ela exonerou quatro ministros que tinham mandato na Federal para votarem contra seu processo de impeachment.

Terezinha Nunes é deputada estadual pelo PSDB
Terezinha Nunes é deputada estadual pelo PSDBFoto: Roberto Soares/Alepe

Diante da escalada da violência no Estado e o clima de confronto entre as bancadas de Oposição e Governo na Assembleia Legislativa, a deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB) fez um apelo, nesta terça-feira (25) à unidade, para que os problemas na segurança pública sejam solucionados.

“O tema precisa sair das disputas políticas e unir Governo e Oposição para que se vença os péssimos números apresentados, sobretudo de homicídios há mais de 20 anos. Período em que todos os grupos políticos passaram pelo poder gerando assim um ‘telhado de vidro’ quando se trata de segurança”, afirmou Terezinha.

De acordo com ela, é preciso que sejam convocados pesquisadores pernambucanos para estudar as raízes da violência e combatê-la na fonte. Também defendeu que se cobre do Governo Federal a luta contra o tráfico de armas e de drogas.

“Na segurança, a nossa arma deve ser o diálogo. Não devemos colocar mais lenha nessa fogueira, cujas labaredas estão cada vez mais altas”, argumentou.

Encontro ocorreu em Brasília, nesta terça-feira (25)
Encontro ocorreu em Brasília, nesta terça-feira (25)Foto: Francisco Medeiros/Divulgação

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), esteve em Brasília, nesta terça-feira (25), onde se reuniu com o ministro do Esporte, Leonardo Picciani. Na ocasião, o gestor apresentou três projetos voltados a incentivar o desporto na cidade.

Durante a reunião, Miguel Coelho solicitou verbas para a reforma do Estádio Municipal Paulo Coelho, que apresenta problemas de manutenção.

O gestor também levou um projeto orçado em R$ 3,8 milhões para a construção do Centro Iniciação ao Esporte, além de reivindicar recursos para a implantação de um Clube dos Bairros, na comunidade Dom Avelar.

A expectativa do prefeito é que o Ministério dê uma resposta sobre a aprovação dos projetos ainda neste semestre.

"São três ações fundamentais para o fortalecimento do esporte em Petrolina. Mas temos uma urgência em relação ao estádio municipal, que encontramos completamente abandonado e sucateado. Estou confiante que o ministro terá sensibilidade de liberar uma parte desses recursos nos próximos meses para nos ajudar a revitalizar nosso estádio e aumentar nossa estrutura voltada à promoção do esporte e lazer", destacou Miguel Coelho após a audiência.

Edilson Silva comemorou a aprovação da proposta na primeira votação
Edilson Silva comemorou a aprovação da proposta na primeira votaçãoFoto: Divulgação

O brega, ritmo musical que tem muita força na periferia e que, aos poucos, vai conquistando outros espaços nas cidades, principalmente na Região Metropolitana do Recife, passou pela primeira etapa, nesta terça-feira (25), para ser elevada à categoria de expressão cultural de Pernambuco. É que foi aprovado em primeira discussão, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o projeto de lei nº 1176/2017, do deputado estadual Edilson Silva (PSOL), enquadrando o ritmo nesta condição.

Com a inclusão do brega na lista de expressões artísticas consideradas genuinamente pernambucanas, ele será incluído na reserva estabelecida na lei que determina que nos convênios firmados entre o Poder Executivo do Estado e dos Municípios têm que respeitar a reserva de 60% das vagas para artistas e grupos que expressem a cultura pernambucana.

Assim que for aprovado em segunda discussão, a matéria segue para a sanção do governador Paulo Câmara.

No último dia 14 de fevereiro, o plenário da Alepe foi palco de uma sessão solene que celebrou o Dia Estadual da Música Brega. Na ocasião, a comunidade de artistas e fãs do ritmo estiveram presentes no encontro para reivindicar a aprovação do projeto.

"A Assembleia está fazendo justiça com o nosso brega, um movimento cultural espontânea de nossas periferias, que é discriminado, e agora foi colocado como expressão cultural reconhecida pelo Estado", destacou Edilson Silva.

Agência do Banco do Brasil
Agência do Banco do BrasilFoto: Divulgação

Após a divulgação pela Folha de S. Paulo do resultado de licitação para gerenciar a publicidade do Banco do Brasil, a instituição financeira decidiu suspender o certame e adiar sua homologação até que um processo de investigação sobre o caso seja concluído. De acordo com o jornal, a informação foi apurada com diversos integrantes da administração federal.

Em matéria publicada nesta terça-feira (25), a Folha de S. Paulo revelou que registrou o nome da empresa Multi Solution quatro dias antes de os envelopes com os nomes das vencedoras da concorrência serem abertos, na última segunda-feira (24).

Em nota oficial divulgada pelo jornal, o Banco do Brasil afirma que vai apurar o caso. "Para que não pairem dúvidas, o Banco do Brasil, tão logo tomou conhecimento da reportagem, iniciou auditoria interna para apuração das notícias divulgadas, cujo resultado será determinante para finalização da licitação. O Banco do Brasil não hesitará em adotar qualquer outro procedimento que julgar necessário", afirma o banco na nota.

Segundo a Folha de S. Paulo, uma subcomissão de licitação composta por seis pessoas foi responsável por dar notas às agências que participaram da concorrência. O colegiado contou com dois integrantes de fora da instituição financeira. Um do Ministério das Comunicações e outro, a princípio, chamado da Petrobras. A estatal informou, nesta terça, no entanto, que nenhum funcionário de seu quadro foi cedido para a subcomissão. O nome da Petrobras foi substituído, então, por um funcionário da Embratur, que constava como suplente no edital. O restante foi formado por quatro funcionários do BB.

Confira, abaixo, a íntegra da nota publicada nesta terça:

Em relação à reportagem publicada nesta terça-­feira (25) sobre o processo de licitação para contratação de agências de publicidade, o Banco do Brasil esclarece que:

I -­ O processo de licitação para escolha das novas agências de publicidade não está finalizado e obedece rigorosamente a legislação. A definição das classificadas seguiu critérios técnicos, conforme parâmetros previstos em edital público.

II -­ Para que não pairem dúvidas, o Banco do Brasil, tão logo tomou conhecimento da reportagem, iniciou auditoria interna para apuração das notícias divulgadas, cujo resultado será determinante para finalização da licitação. O Banco do Brasil não hesitará em adotar qualquer outro procedimento que julgar necessário.

III­ - De forma transparente, nesta quarta-feira (26), o Banco do Brasil dará publicidade a todas as propostas técnicas que foram apresentadas na licitação, junto com as respectivas notas atribuídas pela comissão responsável pela avaliação, o que possibilitará a verificação de todo o processo por qualquer interessado.

IV ­- Além disso, o Banco do Brasil está à disposição dos órgãos de Controle, tendo já contatado o TCU (Tribunal de Contas da União) a fim de prestar esclarecimentos que aquela Corte julgue necessários.

Leia mais:
Resultado de licitação de publicidade do BB foi antecipado por jornal

.
.Foto: .

A pressão contra a reforma da Previdência vai além das manifestações de ruas, como a que ocorrerá na próxima sexta-feira (28). Um panfleto tem sido distribuído pelas ruas do Recife e no metrô solicitando que os deputados federais votem contra a reforma da Previdência, proposta pelo governo federal.

O material traz as fotos dos 25 parlamentares, com seus nomes, partidos, telefones e e-mail para que a população pressione os mesmos a se posicionarem contra a medida.

O interessante no cartaz é que, como os ministros, a pedido do presidente Michel Temer, devem voltar à Câmara para votarem a favor da reforma, quatro dos nomes listados não estarão na votação. São eles: Guilherme Coelho (PSDB), Creuza Pereira (PSB), Severino Ninho (PSB) e Fernando Monteiro (PP).

Os ministros que devem sair são: Bruno Araújo (PSDB – Cidades), Mendonça Filho (DEM - Educação), Raul Jungmann (PPS - Defesa) e Fernando (PSB – Minas e Energia). O partido desse último se, o PSB, fechou questão contra as reformas Trabalhista e da Previdência.

Cristiano Pimentel, procurador do Ministério Público de Contas (MPCO)
Cristiano Pimentel, procurador do Ministério Público de Contas (MPCO)Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Da Redação

Um dia após a Folha de Pernambuco publicar matéria sobre a licitação no valor de R$ 932.688,00 na contratação de veículos para a Câmara Municipal de Ipojuca, o Diário Oficial traz uma errata, nesta terça-feira (25), no valor da licitação: R$ 700.368,00. Quase R$ 480 mil a mais do que o montante de 2016, que foi de R$ 217.356,33.

A reportagem tentou contato com o presidente interino da Casa, vereador Flávio Henrique (PSD), conhecido como Flávio do Cartório, mas ele não atendeu, tampouco retornou as ligações.

Em entrevista à Folha de Pernambuco, o procurador geral do Ministério Público de Contas (MPCO), Cristiano Pimentel, ao saber da licitação, nessa segunda-feira (24), afirmou que “esse tipo de gasto deve ser analisado na luz dos princípios da moralidade e razoabilidade”. “Porque Ipojuca, apesar de ter bastante recursos, não está imune à crise financeira que afeta os municípios brasileiros, inclusive, com alto índice de desemprego da população da cidade em virtude da desmobilização de várias obras do Porto de Suape. Acho que os vereadores devem pensar bastante na população antes de fazer esse tipo de gasto com veículos de luxo para atender eles mesmos", disse.

Leia mais:
R$ 932 mil para veículos de luxo em Ipojuca

Rinaldo Júnior é vereador do Recife pelo PRB e integra a bancada de oposição na Câmara
Rinaldo Júnior é vereador do Recife pelo PRB e integra a bancada de oposição na CâmaraFoto: Divulgação

Centrais sindicais se organizam para a Greve Geral convocada para a próxima sexta-feira (28), contra as reformas trabalhista e da Previdência, defendidas pelo governo de Michel Temer (PMDB). No dia da mobilização, será realizado um ato público, com concentração a partir das 14h, na Praça do Derby, área central do Recife, seguido de caminhada. Entre as categorias que devem aderir ao movimento, rodoviários, metroviários, aeroportuários e bancários.

Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, o vereador do Recife e presidente da Força Sindical no Estado, Rinaldo Junior (PSD), afirmou que cerca de 45 sindicatos vão aderir à paralisação. Segundo ele, a partir das 4h da sexta-feira o grupo estará nas ruas para participar das manifestações.

Nesta quarta-feira (26), será realizada uma sessão solene na Câmara do Recife em homenagem ao Dia do Trabalhador, celebrado em 1º de maio. De acordo com Rinaldo Junior, a reunião, marcada para às 18h, será um ato convocatório para as manifestações no Recife. Na Câmara, a solenidade atende ao requerimento do vereador.

CUT
O presidente da Central Única dos Trabalhadores de Pernambuco (CUT-PE), Carlos Veras, afirmou que os manifestantes vão "dar uma grande resposta as arbitrariedades cometidades pelo atual governo".

"Vamos dar uma grande resposta as arbitrariedades cometidas pelo atual governo, nos unindo cada vez mais e caminhando juntos para uma Greve Geral no próximo dia 28 de abril. Vamos todos e todas seguir contra as reformas trabalhistas e da Previdência. A Central vai lutar firmemente em defesa dos mais pobres, das populações rurais e indígenas, mulheres e negros", afirmou Carlos Veras.

Ele também destacou que, na quinta-feira (27), será realizada uma coletiva de imprensa, às 10h, na sede da organização, para tratar da mobilização. São esperados membros da CUT, CTB, CSP Conlutas, UGT, Força Sindical, Nova Central e Intersindical, com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. Além disso, haverá panfletagem das 7h às 9h, na Estação do Metrô do Recife. Mais tarde, a partir das 16h, na Avenida Guararapes, haverá bandeiraço e panfletagem.

Confira a relação de categorias que devem participar da paralisação:

Rodoviários
Metroviários
Aeroportuários
Aeronautas
Metalúrgicos
Bancários
Polícia Civil
Servidores da Assembleia Legislativa de Pernambuco
Professores da UPE
Professores da Universidade Federal de Pernambuco
Trabalhadores da Previdência Social
Professores da Rede Municipal do Recife
Trabalhadores dos Correios
Petroleiros
Servidores Municipais do Paulista
Servidores Administrativos Fazendários
Servidores da Universidade de Pernambuco
Servidores do Poder Judiciário
Guardas Municipais do Recife
Trabalhadores em Processamento de Dados das empresas federais, estaduais, municipais e de empresas privadas
Trabalhadores Químicos
Trabalhadores de Estabelecimentos de Ensino da Rede Privada
Trabalhadores Portuários
Professores de Jaboatão dos Guararapes
Trabalhadores em Educação de Pernambuco
Servidores Municipais do Recife
Enfermeiros
Servidores Federais
Servidores estaduais da administração direta e indireta
Agentes Comunitários do Recife
Assistentes Sociais
Psicólogos
Farmacêuticos
Odontologistas
Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais
Agentes de Segurança Penitenciária e Servidores do Sistema Penitenciário
Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Pernambuco
Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal
Associação dos Profissionais de Educação Física
Trabalhadores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Trabalhadores da Construção Pesada
Trabalhadores em Asseio e Conservação
Condutores de Ambulância de Pernambuco
Sindicato dos Porteiros
Além de servidores públicos municipais de municípios como Buíque, São Bento do Uma, Bezerros, Abreu e Lima, Riacho das Almas, Iati, Exu, São Vicente Férrer, Tacaimbó, Tupanatinga, Sertânia, Moreno e Gravatá

Governador Paulo Câmara
Governador Paulo CâmaraFoto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara divulgou no início da tarda desta terça-feira (25) em que afirma que a reforma da Previdência é necessária para o País, mas que é necessário o diálogo. Neste sentido, se colocou contra a posição do PSB, partido do qual é vice-presidente, de fechar questão contra a reforma.

Em reunião na noite da segunda-feira (24), a Executiva nacional da sigla e a bancada socialista se reuniram e decidiram votar contra as reformas Trabalhista e da Previdência.

“Respeito a posição tomada pelo partido, mas continuo defendendo a manutenção do diálogo. Por isso, entendo precipitado e discordo do fechamento de questão sobre a votação da Reforma da Previdência”, afirmou o governador, em uma nota de seis parágrafos.

Ainda no texto, Paulo Câmara alertou que a falta de diálogo leva ao risco de “pagar o preço de uma discussão superficial”.

Na avaliação do governador, o Governo Federal “não dimensionou corretamente” a reação contrária à reforma, ao enviar ao Congresso uma proposta antes de dialogar com a sociedade.

“É verdade que as alterações promovidas pelo Governo na proposta original foram importantes, corrigiram problemas evidentes, mas ainda necessita de mais diálogo”, ponderou o chefe do Executivo.

Por fim, lança novo apelo à negociação: “Insisto: sem diálogo será impossível o Brasil superar os atuais desafios nacionais".

Veja a íntegra da nota:

NOTA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

"O Brasil necessita de uma Reforma da Previdência, excluindo mudanças que prejudiquem os mais vulneráveis, como os trabalhadores rurais, especialmente os do Nordeste.

Mais uma vez, infelizmente, podemos pagar o preço de uma discussão superficial, que não avalia corretamente o impacto que a ausência dessa reforma terá sobre o futuro do Brasil.

O Governo não dimensionou corretamente a reação contrária à Reforma, ao enviar uma proposta ao Congresso Nacional antes de estabelecer diálogo com setores importantes da sociedade, que poderiam ter evitado esse desgaste atual.

É verdade que as alterações promovidas pelo Governo na proposta original foram importantes, corrigiram problemas evidentes, mas ainda necessita de mais diálogo.

A decisão do PSB reflete muito essas questões. Respeito a posição tomada pelo partido, mas continuo defendendo a manutenção do diálogo. Por isso, entendo precipitado e discordo do fechamento de questão sobre a votação da Reforma da Previdência.

Insisto: sem diálogo será impossível o Brasil superar os atuais desafios nacionais".

Paulo Câmara

Governador de Pernambuco

Por Luciano Siqueira*

No Estadão, leio conceitos emitidos pelo professor Pail Mihailidis, da Emerson College e diretor da Salzburgo Cademy on Media & Global Change, de Boston, EUA, acerca do cerceamento da boa informação nas redes sociais.

“As redes sociais têm que responder pela polarização que causam”, diz ele. Isto porque as ferramentas de uso na internet geram uma situação que leva as pessoas a viverem em pequenas "bolhas" de informação, nas quais não há espaço para opiniões contrárias.

O que se agrava pela profusão de informações falsas, que circulam sem resistência do público que as recebe.

Ao que se acrescenta – acentua ele - que também a mídia tradicional, em busca de público, pega carona na esteira das redes sociais e também difunde notícias falsas.

Tudo isso é verdade. Mas não é novidade.

Antes desse salto qualitativo em matéria de tecnologia a serviço da conexão entre as pessoas - as chamadas redes sociais -, os meios de comunicação tradicionais já cumprem papel semelhante na distorção das informações.

No Brasil, onde é permitido a um mesmo grupo econômico o controle da mídia impressa, TV, rádio e internet, não passa de ingênua ilusão supor que o cidadão tem acesso às informações efetivamente relevantes e confiáveis.

O acesso é parcial e dirigido. Apenas nove famílias, à testa de conglomerados de comunicação, determinam o que o brasileiro pode saber, ouvir, ver e ler.

Grupos regionais se conectam às redes nacionais e se submetem ao mesmo diapasão.

Além disso, a informação restrita aos interesses representados pelos conglomerados de multimídia, nos chega com a marca e o rótulo de uma espécie de pensamento único dominante.

Aqui e acolá uma notícia diferenciada ou a presença de articulistas de opinião própria dão um falso tom da pluralidade. Mas tão somente isso: um falso tom.

De tal modo que os conceitos do professor norte-americano são válidos, sim; mas extensivos a todas as mídias.

E no que se refere às redes sociais especificamente, bem sabemos que através de sofisticado uso de algoritmos os provedores dessas redes terminam por confinar cada um de nós aos nossos próprios grupos de afinidade.

Esse amigo de vocês utiliza regularmente as redes - Facebook, Twitter, Instagram e WhatsApp - pela possibilidade de alcançar, em frações de segundos, alguns milhares de pessoas. Mas com a consciência de que a liberdade para tanto é relativa e, em certa medida, o faço circunscrito à redoma a que eu, como você que me lê agora, estamos confinados.

*Luciano Siqueira (PCdoB) é vice-prefeito do Recife e escreve ao Blog da Folha às terças-feiras.
https://www.facebook.com/LucianoSiqueira65/
www.lucianosiqueira.blogspot.com
https://twitter.com/lucianoPCdoB

assuntos

comece o dia bem informado: