Foram encontrados 323 resultados para "Maio 2019":

Sede do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco
Sede do Tribunal de Contas do Estado de PernambucoFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A Comissão Especial sobre a Reforma da Previdência Social da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Doriel Barros, terá uma audiência, nesta terça-feira (28), às 10h, com o presidente do Tribunal de Contas de Pernambuco, Marcos Loreto. O objetivo é dialogar sobre a situação das previdências públicas no estado. Essas informações subsidiarão o relatório, que está sendo produzido por esse Colegiado, com um posicionamento sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/2019), que será votada no Congresso.

Essa é a quarta atividade prevista dentro da agenda estratégica organizada por essa Comissão. As três primeiras etapas foram a escuta de organizações e movimentos sociais e sindicais, uma palestra com o economista Eduardo Moreira, que vem se destacando, em nível nacional, no debate desse tema, e uma Audiência Pública sobre os Impactos da Reforma da Previdência na Vida das Mulheres.

A Comissão tem como membros-titulares os deputados Doriel Barros (presidente), Teresa Leitão (vice), João Paulo (relator), Isaltino Nascimento e Rogério Leão. São suplentes: Antônio Fernando, Dulcicleide Amorim, Fabrizio Ferraz, Juntas e Professor Paulo Dutra.

A mesa de abertura acontece às 19h e contará com a participação de nomes como o ex-presidenciável, Ciro Gomes, a deputada federal Maria do Rosário, o também deputado Marcelo Freixo
A mesa de abertura acontece às 19h e contará com a participação de nomes como o ex-presidenciável, Ciro Gomes, a deputada federal Maria do Rosário, o também deputado Marcelo FreixoFoto: Divulgação

Começa nesta segunda (27), no auditório do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UFPE, o 1° Congresso Brasileiro de Policiais Antifascismo. A mesa de abertura acontece às 19h e contará com a participação de nomes como o ex-presidenciável, Ciro Gomes, a deputada federal Maria do Rosário, o também deputado Marcelo Freixo, o presidente da Federação Nordestina de Trabalhadores Policiais Civis (Feipol-NE) e do Sinpol-PE, Áureo Cisneiros, e do delegado de Polícia do Rio de janeiro, Orlando Zaccone.

A construção de um novo modelo de segurança pública, mais humano e democrático, a conjuntura nacional e o debate sobre as expressões do que seria o fascismo contemporâneo serão temas dos debates.

seminário
freixo

Paulo Câmara (PSB)
Paulo Câmara (PSB)Foto: Rafael Furtado/ Folha de Pernambuco

Após a cerimônia em memória pelos 50 anos do desaparecimento de padre Henrique, na Catedral da Sé, em Olinda, nesta segunda (27), o governador Paulo Câmara comentou sobre o ato pró-Bolsonaro realizado domingo. "Manifestações fazem parte da democracia, então a gente tem sempre que avaliar dessa forma. Evidentemente que todo tipo de manifestação é bom ouvir, é bom tirar os exemplos e seguir em frente buscando olhar o Brasil que a gente quer. Evidentemente muito do que está acontecendo no Brasil a gente não concorda, a gente tem que ouvir as ruas também", comentou o governador.

Segundo Paulo Câmara, a reunião da Sudene foi importante para aprovar o pleito de utilização de 30% do FNE para obras de infraestrutura por parte dos Estados. A proposta foi a aceita no Conselho Deliberativo. "Agora a gente espera que o presidente da República faça, através de medida provisória, que isso seja uma realidade porque isso vai ajudar o Nordeste a voltar a fazer obras, a gerar emprego e a gerar renda", disse.

"Então, no tocante ao funcionamento do Conselho Deliberativo da Sudene foi muito importante porque é um Conselho que há muito tempo não tinha a presença de um presidente da República, de ministros e que a gente sai com estratégias para ajudar o Brasil. Eu espero que da reunião de sexta-feira saiam ações concretas em favor do Nordeste", afirmou.

Reforma da Previdência - Paulo Câmara questionou a vinculação da liberação de recursos para o Nordeste sob a condição da aprovação da reforma da Previdência, feita pelo presidente Bolsonaro durante sua agenda no Recife. "Ele, ao fazer isso, está misturando coisas que são totalmente diferentes. O que nós queremos é ajudar o Brasil. Todo Estado tem um dever de casa e quando se está ajudando a população dos municípios, eu estou ajudando o Brasil, estou ajudando o povo. Recursos federais têm que vir como sempre vieram. Cortar recursos federais é penalizar os pobres, então, se há esse condicionamento é um condicionamento que vai prejudicar a população em cima de um assunto que se não for alterado continua prejudicando a população. São dois assuntos que só fazem prejudicar a população se continuar sob essa ótica do presidente da República", argumentou.

*Com informações de Luiza Alencar, da editoria de Política.

Secretário de Ciência e tecnologia, Auísio Lessa (PSB) e deputado estadual Marco Aurélio (PRTB)
Secretário de Ciência e tecnologia, Auísio Lessa (PSB) e deputado estadual Marco Aurélio (PRTB)Foto: Divulgação

O deputado estadual Marco Aurélio Medeiros (PRTB) e o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Aluísio Lessa (PSB) comentaram, em entrevista à Rádio Folha (FM 96,7), nesta segunda (27), sobre as manifestações pró-Bolsonaro deste domingho (26). Em campos políticos opostos, os dois divergiram sobre o recado dos atos que levaram apoiadores do presidente às ruas em várias cidades brasileiras.

"O povo foi pra rua sem ter partidos e grandes sindicatos por trás. Foi uma ida das pessoas que queriam, de fato, ir para a rua. As pessoas foram pra mostrar e dizer que estão a favor de Bolsonaro e das reformas. Foi um grande dia pra que o presidente agora possa entender que o povo está apoiando e está do lado dele.
", afirmou Marco Aurélio.

Segundo o parlamentar, o ato supertou espectativas pessimistas. "Ao contrpario do que muita gente disse, que ia ser um fiasco, ao contrário de todos os prognósticos negativos, as pessoas foram pras ruas e mostraram que estão do lado do presidente e querem as reformas. Há um recado ao Congresso Nacional, que faça as reformas que o povo acredita e que Bolsonaro está querendo fazer. Que a classe política entenda o recado que foi dado nas ruas.", disse.

Já Aluísio Lessa questionou os motivos das manifestações. "O combate à corrupção é que motivou muita gente que saiu nio domingo. Dentro da própria família do presidente tem fatos comprovados. E eu não vi nenhuma faixa, nenhum pedido ao combate à corrupção do filho de Bolsonaro e seus assessores. O que eu vi, na verdade, foi a negação da política. negar a política é defender o fechamento do congresso e o fechamento do STF", criticou.

"O presidente da República precisa de fato começar a governar para o Brasil. Ser mais Brasil e menos Brasília. O mal maior do governo Bolsonaro são os três filhos deles.
A gente precisa de fato passar o Brasil a limpo. Venceu a eleição para governar o Brasil e não governam absolutamente nada", opinou.

Ouça o podcast, na íntegra:


Jair Bolsonaro, com prefeito Miguel Coelho, o senador Fernando Bezerra e ministros de governo.
Jair Bolsonaro, com prefeito Miguel Coelho, o senador Fernando Bezerra e ministros de governo.Foto: Divulgação / Prefeitura de Petrolina

Primeira cidade do interior do Nordeste a ter agenda oficial do presidente Jair Bolsonaro, Petrolina vai receber novos investimentos do Governo Federal em infraestrutura e incentivo à fruticultura. O anúncio foi realizado, nesta sexta-feira (24), durante uma entrevista coletiva para a imprensa na cidade sertaneja com o chefe do executivo. O prefeito Miguel Coelho, o senador Fernando Bezerra e ministros da República participaram do anúncio.

Na conversa com os jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro garantiu que grandes investimentos já estão programados para a região nordestina. Parte desses recursos, será destinada para Petrolina e o restante do Vale do São Francisco através de linhas de crédito da Caixa Econômica para fruticultura e obras. "Em relação à parte local, a Caixa está lançando uma linha de R$ 500 milhões em toda essa região do São Francisco", informou o presidente do órgão federal, Pedro Guimarães, ao lado de Jair Bolsonaro.

O prefeito Miguel Coelho considerou a visita positiva para destravar recursos em obras na cidade. O gestor acredita que após a sinalização de Bolsonaro, além da linha de crédito da Caixa, a duplicação da BR-428, e a construção de viadutos na Sete de Setembro devem ser iniciadas no segundo semestre. "Conversei pessoalmente com o presidente Bolsonaro, e os representantes da Caixa e do Ministério do Desenvolvimento Regional. Nossa expectativa é já em julho ou agosto anunciar grandes obras. Além disso, tivemos uma reunião importante com os diretores da Caixa nessa agenda, que asseguraram o destravamento de recursos que estavam contingenciados para o Bodódromo entre outras intervenções. Então, novamente, o resumo é que a força política está sendo decisiva para mais progresso em Petrolina", avaliou Miguel após a visita presidencial.

Na passagem por Petrolina, o presidente ainda inaugurou o conjunto residencial Morada Nova. O empreendimento tem 472 apartamentos e é financiado pelo programa Minha Casa Minha Vida.

Grupo favorável ao presidente usou bandeiras do Brasil, cartazes e palavra de ordem, neste domingo (26)
Grupo favorável ao presidente usou bandeiras do Brasil, cartazes e palavra de ordem, neste domingo (26)Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, foi tomada por simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ontem. Com bandeiras do Brasil e camisas da Seleção Brasileira de futebol ou com a imagem de Bolsonaro, os manifestantes foram às ruas, desta vez, para demonstrar apoio ao Governo, cinco meses após o início da sua gestão, e para defender pautas como as reformas da Previdência, política e tributária, aprovação do pacote anticrime de Sergio Moro e apoio ao ministro da Economia Paulo Guedes.

O ato, ontem, foi organizado por quatro movimentos: Liberta Pernambuco, Direita Pernambuco, Endireita Pernambuco, PSL Jovem e o deputado estadual, líder da Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Marco Aurélio Medeiros (PRTB). O grupo se concentrou em frente à Padaria Boa Viagem, às 14h, e cerca de 30 minutos depois começou a caminhada. Durante o percurso, gritaram palavras de ordem, cantaram o hino nacional e realizaram orações. O evento contou com seis trios elétricos, dois carros de apoio e um carro onde manifestantes vestidos de lideranças políticas ironizavam o Congresso Nacional.

A organização estima que participaram das manifestações 80 mil pessoas. A Polícia Militar não divulga a estimativa de público.

"Nesses cincos meses, praticamente, o País é governado por decreto porque as reformas que precisam ser aprovadas, o Congresso Nacional não aprova, numa prática que já é antiga no parlamentarismo. Essa manifestação não é, somente, pelo presidente Bolsonaro, mas é também por todo o País", ressaltou Wilker Cavalcanti, que é presidente do movimento Liberta Pernambuco e do PSL Jovem.

Para ele, as pautas consideradas prioritárias pelo Governo Federal não avançam porque o presidente está colocando em prática uma promessa de campanha de acabar com o "toma lá, dá cá" e não por falta de articulação política.

Para o deputado Marco Aurélio Medeiros (PRTB) a manifestação superou as expectativas e o "recado" das ruas deve ser interpretado pela classe política.

"As pessoas saíram às ruas, tomaram a avenida. A sociedade está mostrando que está apoiando o presidente Bolsonaro e isso é importante para que ele tenha tranquilidade em saber que o Brasil está do lado e que as reformas precisam ser continuadas. É preciso que a classe política que está no Congresso Nacional entenda o recado das ruas, o povo está com Bolsonaro", disse. Na análise do parlamentar, o político que não "se sintoniza com o povo, tem vida curta".

Além disso, Marco Aurélio ressaltou que os atos em todo o Brasil não foram convocados por Bolsonaro, mas uma resposta aos protestos realizados contra o Governo.

A deputada estadual Clarissa Tércio (PSC), que convocou a participação popular por meio das suas redes sociais, também esteve na manifestação.

"Superou as nossas expectativas. Aquele espírito de alegria, de acreditar no Brasil a gente vê aqui aflorando nas ruas, o povo vestido de verde e amarelo, o povo continua acreditando no nosso presidente e nas mudanças que o nosso Brasil precisa", disse, antes de subir em um carro.

Paulo Câmara (PSB) participou da cerimônia em memória aos 50 anos do desaparecimento do padre Henrique.
Paulo Câmara (PSB) participou da cerimônia em memória aos 50 anos do desaparecimento do padre Henrique.Foto: Divulgação

O governador Paulo Câmara (PSB) participou, na manhã desta segunda-feira, (27), de uma cerimônia em homenagem ao padre Antônio Henrique Pereira Neto, sequestrado, torturado e assassinado há 50 anos, no Recife. O evento aconteceu na Catedral da Sé, em Olinda, onde os restos mortais do padre estão sepultados. Antônio Henrique Pereira Neto era o braço direito de dom Helder Câmara, no período inicial da Ditadura Militar em Pernambuco. Seu assassinato foi uma represália direta ao arcebispo que era um dos maiores líderes brasileiros da resistência ao Golpe Militar.

"Eu acho importante essa preservação da memória. Quem não viveu aquele momento não tem ideia do que aconetceu. Uma coisa é a gente ler, outra coisa é vivenciar. Foi um momento muito duro. Foi um recado para a igreja em termos de opressão", disse a irmã do padre Henrique, Terezinha Silva.

O governador falou sobre o simbolismo na homenagem a padre Henrique. "A resistência que temos que fazer é reverenciar aquelas pessoas que lutaram para que o Brasil tivesse liberdade, voltasse a ter democracia e as pessoas pudessem andar nas ruas, pudessem falar e pudessem pensar. E padre Henrique fez isso. Buscou como professor e como padre ensinar as pessaoas a pensar, a sonhar, a se manifestar contra as injustiças e, ao mesmo tempo, buscou levar a paz. Uma paz tão necesária e tão urgente que nós temos. São 50 anos do desaparecimento de uma pessoa entre tantas outras que nós tivemos nesse mesmo período', lembrou.

O governador comentou sobre o cerceamento das liberdades e as violações dos direitos humanos protagonizados no período da ditadura militar. "A gente trabalha todo dia para que nesse país não volte a acontecer o que vimos acontecer há 50 anos, 55 anos, durante o período em que o Brasil ficou em repressão, com arbítrio contra a liberdade, a justiça e os direitos das pessoas de ir e vir", disse.

"Aquele tempo sombrio não pode voltar e a gente não pode deixar que ele volte. Tivemos a capacidade de ter uma Comissão da Verdade em Pernambuco que conseguiu recompor muita coisa que precisava ser dita, seja com Dom Helder, com Padre Henrique. Depois de muitos anos a gente sabe a verdade, não apenas para quem viveu aquele período, que já sabia o que tinha acontecuido, mas principalmente às novas gerações que têm a verdade muito bem documentada e historiada", afirmou Paulo.

Segundo o governador, a Comissão proporcionou com que os mais jovens pudessem conhecer a história brasileira, para não repetir erros. "As novas gerações precisam sempre estar conhecendo, aprendendo, fazendo as reflexões necessárias sobre aquele período, sobre as pessoas que atuaram contra a ditadura e sobre o mal que a ditadura trouxe a esse país", disse.

"Isso não pode voltar a contecer, por isso que é muito importante a gente celebrar, confraternizar em momentos como esse. E eu como governador de Pernambuco não poderia deixar de vir aqui reverernciar os 50 anos do desaparecimento de padre Henrique e, ao mesmo tempo, me solidarizar sempre com sua família, mas dizer que seu pensamento, seus ensinamentos e sua vontade de ajudar quem mais precisam, isso tem que estar por todos nós sendo praticado, documentado e colocado à disposição de toda a população", concluiu.

*Com informações de Luiza Alencar, da Editoria de Política.

#
Marcelo Freixo, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), após depositar seu voto durante o primeiro turno das eleiçõesFoto: Yasuyoshi Chiba/AFP

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) cumpre agenda de atividades no Recife. Serão dois debates noesta segunda-feira (27). O primeiro deles às 10h, na sede do SINDPD, no Bairro da Boa Vista, área central da cidade, Freixo falará sobre “Construindo a Resistência: desafios para a garantia de direitos em tempos de retrocesso. Participam ainda as Juntas Codeputadas, representadas por Joelma Carla e o vereador do Recife Ivan Moraes.

À noite, o ex-deputado estadual do Rio de Janeiro fala na abertura do Congresso Nacional de Policiais Antifacistas, na UFPE, ao lado de outros participantes, como Ciro Gomes (PDT).

Confira as principais manchetes de hoje
Confira as principais manchetes de hojeFoto: Divulgação

Folha de Pernambuco: "Povo vai às ruas em apoio a Bolsonaro"

Jornal do Commercio: "Pautas reforçadas na rua, diz Bolsonaro"

Folha de S. Paulo: "Atos apoiam Guedes e Moro e criticam Maia e centrão"

O Estado de S. Paulo: "Atos apoiam Maia e reformas: Maia vira alvo"

O Globo: "Atos a favor de Bolsonaro, reformas e Moro ocorrem em 156 cidades"

Estado de Minas: "Recado contra velhas práticas, diz Bolsonaro"

O tempo: "Atos em favor de Bolsonaro pressionam STF e centrão"

Correio do Povo: "Manifestantes vão às ruas para defender governo Bolsonaro"

Zero Hora: "Atos defendem reformas e atacam maia e centrão"

Valor Econômico: "Empresas planejam captar R$ 35 bi na bolsa até julho"

O Dia: "Servidor inativo do município corre risco de perder benefício"

Correio Baziliense: "Bolsonaro: recado contra velhas práticas"

A Tarde: "Bolsonaristas lotam ruas em atos pró-governo"

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) e governador Paulo Câmara (PSB) acompanharam a inauguração ao lado do presidente Jair Boslonaro (PSL)
Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) e governador Paulo Câmara (PSB) acompanharam a inauguração ao lado do presidente Jair Boslonaro (PSL)Foto: Divulgação

Após a agenda no Recife, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), seguiu para Petrolina, no Sertão de Pernambuco, onde inaugura o residencial Morada Nova, pelo Minha Casa Minha Vida (PMCMV), do Governo Federal em parceria com a Caixa Econômica Federal, na tarde desta sexta-feira (24). É a primeira entrega de casas no Brasil do programa no Governo Bolsonaro. A escolha de Petrolina teve muita influência do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que tem seu reduto eleitoral no município.

O empreendimento, destinado a famílias com renda de até R$ 2,6 mil (Faixa 1,5 do MCMV), recebeu investimento de R$ 47,2 milhões. Mais de 1.800 pessoas serão beneficiadas com a entrega das 472 unidades habitacionais. Além da presença do presidente, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara; o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, participam da inauguração.

Leia também:
Jair Bolsonaro chega ao Recife e segue para o IRB
Aos governadores, Bolsonaro vincula sucesso do plano para o NE à reforma da Previdência
Manifestantes pró e contra Bolsonaro se concentram em frente ao IRB
Bolsonaro apela a governadores pela 'reforma mãe' da Previdência

Morada Nova

Localizado na Avenida Marechal Hermes da Fonseca, no bairro Antônio Cassimiro, o residencial é composto por 472 casas. Cada casa tem área privativa de 47m², divididos em 2 quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. As unidades estão avaliadas em R$ 105 mil.

Atendendo às exigências de qualidade do programa, o residencial é equipado com infraestrutura completa, pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem, energia elétrica e disponibilidade de acesso ao transporte público.

Minha Casa Minha Vida
No Brasil, o programa já beneficiou mais de 16,3 milhões de pessoas, com a entrega de 4,08 milhões de moradias em todo o país. Já em Pernambuco, foram entregues mais de 136,2 mil unidades, beneficiando mais de 544 mil pessoas. Em Petrolina, o PMCMV já beneficiou mais de 64,4 mil pessoas com a entrega de 16 mil unidades habitacionais.

Prefeito de petrolina Miguel Coelho presenteou o presidente durante a cerimônia.

Prefeito de petrolina Miguel Coelho presenteou o presidente durante a cerimônia. - Crédito: Divulgação / Prefeitura de Petrolina



Bolsonaro chegou em Petrolina, na tarde desta sexta (24) para inaugurar habitacional

Bolsonaro chegou em Petrolina, na tarde desta sexta (24) para inaugurar habitacional - Crédito: Divulgação / Prefeitura de Petrolina

assuntos

comece o dia bem informado: