Foram encontrados 386 resultados para "Agosto 2018":

Fernando Haddad (PT)
Fernando Haddad (PT)Foto: Divulgação

O então candidato a vice-presidente na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Haddad (PT), provavelmente virá ao Recife, no próximo sábado (1), onde cumprirá agenda junto a movimentos populares. O futuro possível candidato do PT ao Palácio do Planalto estará no Agreste pernambucano, possivelmente nas cidades de Caetés e/ou Garanhuns.

Depois, estaria marcado um encontro com o Comitê Popular de Lula, que não seria um espaço físico, de fato, mas sim um local aonde integrantes de movimentos populares estariam reunidos e realizariam um encontro com o ex-prefeito de São Paulo em regime fechado. Haveriam dois lugares para haver o encontro, um deles seria um casarão. A agenda recifense não seria pública.

Mais um grupo ligado ao PT apoia Silvio Costa
Mais um grupo ligado ao PT apoia Silvio CostaFoto: Divulgação

O deputado federal e candidato ao Senado pelo Avante, Silvio Costa, continua avançando para cima das bases petistas. Nesta quarta-feira (29), o Movimento de Base do PT (MoB), organismo que representa importante parcela da militância petista, segundo o próprio parlamentar, declarou apoio ao postulante.

No final de semana passado, ele esteve no município de Serra Talhada circulando ao lado do prefeito Luciano Duque, e da vereadora Marília Arraes (PT), candidata a deputada federal, rifada da disputa pelo Governo Estadual.

Antes, já havia recebido apoio do presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Pernambuco (Fetape), Doriel Barros, que é candidato a deputado estadual.

Silvio Costa busca atrair apoio entre os petistas depois de fazer a defesa contundente da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) durante processo de impeachment.

Deputado Federal pelo PPS, Daniel Coelho concorda com indicação do juiz Sérgio Moro para 'Superministério da Justiça'
Deputado Federal pelo PPS, Daniel Coelho concorda com indicação do juiz Sérgio Moro para 'Superministério da Justiça'Foto: Clemilson Campos

Integrante da coligação Pernambuco Vai Mudar, o deputado federal Daniel Coelho (PPS) afirmou que o governador Paulo Câmara (PSB) ao rebater declarações do presidente da República, Michel Temer (MDB), tentou esconder da população ao dizer que nunca apoiou o governo do emedebista. Temer afirmou que durante o período eleitoral seria “compreensível” o posicionamento do governador, mas, que passado o pleito Paulo estaria “pacificado”. As afirmações de Temer e Paulo Câmara foram dadas a uma rádio local, nesta quarta-feira (29).

A partir daí, Daniel ironizou a resposta do governador às declarações de Temer “Paulo ajudou Temer desde o começo e isso já está mais do que provado”, afirma Coelho. “Paulo tenta negar as relações com Michel Temer, mas não tem como. O partido dele, do qual é vice-presidente, fez parte do governo, apoiou Temer desde o começo. E agora, orientado pelo marketing, procura esconder”, afirma Daniel.

Leia também:
Paulo Câmara bate de frente com Michel Temer

O deputado avalia que o que Paulo diz não resiste aos fatos. Daniel lembrou que no dia 25 de abril do ano passado o governador de Pernambuco foi ao Palácio do Planalto para um encontro com Temer e na sequencia gravou um vídeo apoiando as reformas. Na leitura do parlamentar, o que se vê é um governador desesperado, entre os mais rejeitados do Nordeste e que cumpriu apenas 28% das promessas que fez em 2014, segundo aponta o levantamento realizado pela Imprensa local.

“Querer, neste momento, às vésperas da eleição, desmentir a própria história é uma enorme deslealdade com a população. Paulo tenta esconder o próprio governo, que é fraco, lento e não consegue fazer as entregas que a população espera”, completou Daniel.

Paulo Câmara
Paulo CâmaraFoto: Rafael Furtado / Folha de Pernambuco

Ao ficar sabendo das declarações do presidente da República, Michel Temer (MDB), sobre as boas relações que mantinha com o Governo de Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB), que disputa a reeleição repudiou novamente as afirmações do presidente. Temer lembrou que Paulo Câmara havia liberado secretários de Estado, também deputados federais, para votarem a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016.

"O presidente Temer não tem o nosso apoio e nunca teve em nenhum dos momentos do seu Governo. Pelo contrário: éramos a favor de novas eleições (após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff). Não aceitamos cargos no governo dele! O PSB não aceitou, a Executiva do partido não aceitou", recordou Câmara. Tanto Paulo Câmara quanto Michel Temer fizeram suas declarações, em diferentes momentos, durante entrevista à emissora de rádio na manhã desta quarta-feira (29).

Quando se pronunciou, Michel Temer disse que teria mais de oito páginas mostrando suas beneficies ao Estado. Mas, o governador rechaçou os relatos do presidente, pelo contrário, Paulo Câmara reafirmou a sua tese que Temer agiu de maneira discriminatória com a Região Nordeste. . "Toda vez que precisávamos deliberar sobre recursos da União, nós estivemos com os governadores do Nordeste. Nós fomos para cima na questão da Repatriação porque eles não queriam dividir as multas e os juros. Como também formos para cima na efetivação da proposta de venda do Rio São Francisco, mandamos uma Carta no dia 7 de setembro de 2017, assinada por todos os governadores. A prova do "respeito" é que nunca tivemos resposta", recordou.

Depois o socialista explicou os motivos que poderiam ter levado a ventilada “retaliação”. “Nós fomos contra a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência, a venda da Eletrobras, o Teto de Gastos (públicos). São posições muito claras nossas. E nós fomos discriminados. A (devolução da) autonomia de Suape foi remarcada, e ele não fez porque fomos contra a Reforma Trabalhista", relembrou.

O caso do deputado federal Fernando Filho (DEM), indicado ao Ministério de Minas e Energia pela bancada socialista na Câmara Federal foi de encontro à decisão partidária. Um fato que já poderia demonstrar certo sectarismo do partido que teve 4 divisões para decidir seus rumos para as eleições de 2018. “Um ministro que saiu do PSB justamente pelo partido não concordar com o trabalho dele. Ele ia ser expulso do PSB e, por isso, saiu", destacou, ressaltando o desserviço prestado pelo parlamentar à frente da pasta.

Adutora do Agreste - O Portal da Transparência do Governo de Pernambuco, que pode ser consultado por qualquer cidadão, registra, como mostra a imagem abaixo, o fluxo de repasses para as obras da Adutora do Agreste. Como faz questão de mostrar a gestão na imagem abaixo:

Portal da Transparência
Portal da Transparência - Crédito: Divulgação



Júlio Lóssio (REDE) protocolou programa de governo no TRE-PE
Júlio Lóssio (REDE) protocolou programa de governo no TRE-PEFoto: Raquel Elblaus/Divulgação

Candidato a governador de Pernambuco pela Rede Sustentabilidade, Julio Lossio foi o primeiro postulante ao cargo a protocolar seu plano de governo no Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE). Lóssio foi recebido pelo presidente do Tribunal, Luiz Carlos Figueiredo, e por membros da diretoria na manhã desta quarta-feira (29). Também estiveram presentes o vice de sua chapa, Luciano Bezerra, e a candidata ao Senado Adriana Rocha, ambos da Rede.

“Nossa plataforma de governo está sendo atualizada todos os dias com sugestões que recebo durante minhas visitas a várias regiões do estado e através das redes sociais. Tenho um grande compromisso com a população, o que reflete esse primeiro plano de governo registrado no TRE”, ressaltou Lossio.

Leia também:
Confira a cobertura completa da entrevista de Júlio Lóssio
O que confere na sabatina de Júlio Lóssio à Rádio Folha
Júlio Lóssio apresenta chapa completa e cinco eixos para campanha


O documento é dividido em cinco eixos principais: Cidadania, Infraestrutura e Mobilidade, Meio Ambiente e Inovação, Desenvolvimento Econômico Humano e Governança. Também há dois eixos transversais, que permearão todas as suas ações: Acessibilidade e Transparência.

Movimento Pernambuco Pode Mais – Com a finalidade de ampliar a discussão sobre os problemas enfrentados pelos cidadãos pernambucanos, Julio Lossio criou esse movimento que vem ganhando adeptos em todo estado. Para participar, os interessados podem enviar dúvidas e sugestões para o Whatsapp, por meio dos números (87) 98104-1818 ou (81) 98104-1818, ou ainda para página do Facebook: Julio Lossio, e do Instagram: @juliolossiooficial.

Albanise Pires foi candidata ao Senado em 2018 e também se desfiliou do PSOL
Albanise Pires foi candidata ao Senado em 2018 e também se desfiliou do PSOLFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A candidata ao Senado do PSol, Albanise Pires, em entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha FM (96,7), nesta quarta (29), foi enfática em refutar as medidas adotadas pelo governo do presidente Michel Temer (MDB), sobretudo a reforma trabalhista.

“Nesse momento da fragilidade da nossa democracia, tivemos a reforma trabalhista aprovada há pouco mais de um ano. Acho que a população não tem ideia de como foi maléfica essa reforma. Nossa candidatura pretende chegar ao senado para revogar essas medidas impopulares que são contra os trabalhadores”, disse.

Leia também:
Albanise Pires critica aliadas por suposto boicote
“Nossa política tradicional é masculinizada”, afirma Albanise Pires (PSol)
Albanise enaltece campanha do Psol nas eleições
Chapa feminista do PSOL visita presidente do Tribunal Regional Eleitoral

Roupa suja se lava em casa – Sobre o recente episódio de desentendimento dentro da chamada chapa feminista do PSol, com uma carta-queixa de Albanise às companheiras de candidatura majoritária vazada à imprensa, a candidata ao Senado preferiu tratar sobre o assunto internamente na legenda.

“Eu faço parte de um partido que tem uma democracia interna onde permitimos diferentes tendências. Nós não aceitamos o centralismo anti-democrático. Essas disputas não deveriam ter acontecido, mas acabaram acontecendo. Escrevi uma carta interna, infelizmente a carta vazou. Mesmo tendo vazado, fizemos uma conversa com a chapa feminista e pudemos colocar todos os nosso incômodos pra fora. Fizemos essa conversa e a partir de então pudemos corrigir os erros”, contou Albanise, que preferiu manter o teor da conversa entre as companheiras de chapa.

Escute na íntegra o Podcast Folhape, no Programa Folha Política, a entrevista na íntegra com a candidata ao Senado pelo PSol, Albanise Pires. 

Albanise Pires (PSol), candidata ao Senado
Albanise Pires (PSol), candidata ao SenadoFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O empoderamento das mulheres na política foi tema abordado pela candidata ao Senado do PSol, Albanise Pires, em entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha FM (96,7), nesta quarta (29). Albanise apontou para a falta de representatividade no Congresso Nacional, com a imensa maioria de parlamentares homens.

“A partir dessa igualdade estamos apresentando essa chapa feminista. Nossa política tradicional é masculinizada precisamos criar espaços e mecanismo para que as mulheres possam participar da política”, sugeriu Albanise, que atribuiu a falta de reprentação de mulheres na política à tradição machista no Brasil. “As mulheres são historicamente excluídas, educadas desde pequenas a ocupar os espaços domésticos. Nós queremos com essa chapa feminista dar um ‘stop’, um ‘chega’ no machismo”, explicou.

Leia também:
Albanise enaltece campanha do Psol nas eleições
Albanise Pires critica aliadas por suposto boicote
Chapa feminista do PSOL visita presidente do Tribunal Regional Eleitoral
[Podcast] Albanise Pires comenta sobre a reforma trabalhista e defende as bandeiras do PSOL

Dia da Visibilidade Lésbica - Albanise Pires aproveitou a oportunidade da entrevista para lembrar que 29 de agosto é o Dia da Visibilidade Lésbica. A candidata reforçou a necessidade de promover políticas públicas de inclusão e respeito à diversidade.

Mendonça Filho (DEM) aparece em terceiro colocado na disputa pelo Senado em diferentes cenários de institutos de pesquisas de intenção de voto
Mendonça Filho (DEM) aparece em terceiro colocado na disputa pelo Senado em diferentes cenários de institutos de pesquisas de intenção de votoFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

“Ninguém fez tanto pela educação de Pernambuco quanto a nossa gestão no MEC”, afirmou sem modéstia o deputado federal e candidato ao Senado, Mendonça Filho (DEM), durante entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha FM (96,7), nesta quarta (29). E para justificar a afirmação, enumerou as ações, projetos e obras do MEC em Pernambuco que, segundo ele, chegam a um montante de R$ 3 bilhões de investimento em seu governo.

Leia Também:
“A tática é jogar a discussão política pra Brasília”, diz Mendonça Filho sobre discurso do PSB
Mendonça Filho contabiliza apoio de 29 prefeitos da base governista
[Podcast] Mendonça elenca feitos de sua gestão no MEC 

O democrata citou as 60 Escolas de Tempo Integral que recebem recursos do MEC, novas creches e 200 quadras esportivas cobertas, entre entregues e em construção, que contaram com recursos federais. Além disso, destacou as obras da UFRPE no Cabo de Santo Agostinho - que recebeu recursos da ordem de R$ 250 milhões - e o aumento de 20% no investimento em merenda e transporte escolar.“O quadro geral é de ampla realização”, comemorou.

Escute o Podcast Folhape, desta quarta-feira (29), na Rádio Folha 96.7 FM, com as entrevistas na íntegra de Mendonça Filho:

Mendonça Filho (DEM) em sabatina à Rádio Folha
Mendonça Filho (DEM) em sabatina à Rádio FolhaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O deputado federal e candidato ao Senado, Mendonça Filho (DEM), durante entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha FM (96,7), nesta quarta (29), alertou para os reais motivos do desvio de foco no discurso dos governistas. “Isso é mais um gancho político. Está claro que a tática do PSB é desviar o debate de Pernambuco. A tática é jogar a discussão política pra Brasília”, apontou

Ao longo da entrevista, as contradições sobre legitimidade do apoio à Lula foi colocada à mesa. Segundo Mendonça, o senador Armando Monteiro manteve sua coerência em apoiar o ex-presidente, o que na opinião do democrata não pode ser dito em relação a Paulo Câmara. “Ele (Armando) é amigo de Lula. Lula falou mal do atual governador Paulo Câmara, dizendo que ele é um técnico, um burocrata, mas de Armando ele sempre falou bem”, lembrou, aproveitando para alfinetar o governador. “Armando foi ministro de Dilma, foi aliado de Lula. Essa é a história de Armando,. Quem foi aliado de Aécio foi o governador Paulo câmara. Hoje ele pede desculpas e se arrepende”, disse.

Mendonça minimizou as divergências de escolhas do seu palanque, afirmando que o objetivo comum supera essas diferenças. “Armando tem cada vez mais conseguido se comunicar com a população. Todo mundo sabe que armando sempre foi aliando do PT o que nos une é o interesse em trabalhar por Pernambuco”.

Leia também:
Oposição lança chapa majoritária com Armando Monteiro e Mendonça Filho
Mendonça Filho contabiliza apoio de 29 prefeitos da base governista
Justiça Eleitoral manda Facebook tirar do ar fake news contra Mendonça Filho


Autonomia de Suape – Mendonça comentou sobre a perda autonomia de Pernambuco no Porto de Suape, assunto abordado no primeiro debate entre os candidatos ao Governo. Na ocasião, Paulo Câmara atribuiu o cancelamento de agendas no Estado para tratar do assunto como uma retaliação do presidente Michel Temer ao fato do PSB ter votado contra a reforma trabalhista. Mendonça descartou a hipótese. “Se houve retaliação contra Pernambuco foi retaliação de Dilma. Quem tem que dar explicação sobre a retirada da autonomia é ela, pois foi aprovada no seu governo.

Germana Laureano é procuradora geral do MPCO
Germana Laureano é procuradora geral do MPCOFoto: Divulgação

O plenário do Tribunal de Contas do Estado (TCE) deu provimento a recurso do Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO), para condenar Maria Roseane Correia de Santana, ex-diretora de Projetos Especiais da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE), a devolver R$ 1.025.540,00 por ter "atestado" a realização de shows que, segundo os auditores do TCE, não ocorreram.

No processo, se discutiu o pagamento de shows pela FUNDARPE, em cidades do interior do Estado, que, segundo os auditores do TCE, não teriam sido realizados. "Quanto à realização dos shows, quando do julgamento da Auditoria Especial referente ao exercício de 2009, o Relator do processo destacou em seu voto que o conjunto de evidências (falsas assinaturas em cartas de exclusividade e bandas compostas por indivíduos já falecidos ou com idade avançada) caminhava para a constatação de àqueles que estavam sendo analisados à época não teriam ocorrido. As mesmas práticas foram identificadas na análise dos fatos relativos ao exercício de 2010, de modo que, pelos mesmos motivos, a equipe de auditoria considerou como não realizados os shows", apontou relatório do processo.

O recurso foi apresentado pelo MPCO, assinado pela procuradora geral Germana Laureano e pelo procurador Gilmar Lima, pedindo a condenação em "solidariedade pelos débitos a Maria Roseane Correia de Santana, então Diretora de Projetos Especiais da FUNDARPE, a quem coube atestar a realização das apresentações que efetivamente não se realizaram".

A ex-diretora não tinha sido condenada, no primeiro julgamento do processo no TCE. "Das informações extraídas dos autos do processo original, constatamos que a responsabilização da Sra. Maria Roseana Correia de Santana, à época, Diretora de Projetos Especiais, deve-se ao fato da referida gestora ter atestado a realização dos referidos shows fantasmas, razão pela qual entendemos ser a mesma responsável solidária pelo ressarcimento ao erário dos dispêndios indevidos", defendeu o MPCO no julgamento.

O pedido de condenação do MPCO foi acatado pelo relator do processo, conselheiro Ricardo Rios, e pela unanimidade dos conselheiros. A Procuradoria Geral do MPCO vai encaminhar cópia do julgamento ao Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE), para que promova a eventual responsabilização criminal dos responsáveis pelos pagamentos dos shows apontados pelo TCE como "fantasmas".

assuntos

comece o dia bem informado: