Foram encontrados 386 resultados para "Agosto 2018":

"Militância" de Armando Monteiro (PDT) e Paulo Câmara (PSB)
"Militância" de Armando Monteiro (PDT) e Paulo Câmara (PSB)Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Gritos de ordem, charangas e jovens militantes uniformizados de vinte e poucos anos defendendo Paulo Câmara e Armando Monteiro, ontem, em frente a uma emissora de rádio local, no debate entre os candidatos ao Governo. Um quadro comum em qualquer campanha política que pode ser explicado com uma palavra: desemprego.

A julgar pelo que apurou este repórter, os cerca de 100 militantes, 50 de cada lado, tinham um motivo maior do que a crença nas candidaturas para estarem debaixo de um sol escaldante repetindo jargões. Contratada pela Frente Popular, uma jovem jornalista desempregada, que preferiu manter o anonimato, revelou: R$ 35 reais.

A assessoria de Paulo confirmou a ajuda de custo de R$ 35 para cada militante que participa dos atos e que não há horário fixo de trabalho. Já a de Armando disse que conta com 50 militantes e que eles recebem ajuda no valor de R$ 40 para cumprir as agendas do dia.

Mendonça e Albanise
Mendonça e AlbaniseFoto: Reprodução

Abrindo a nova rodada de sabatinas com os candidatos majoritários pelo Folha Política, da Rádio Folha FM (96,7), nesta quarta-feira (29), a partir das 11h, serão entrevistados o deputado federal Mendonça Filho (DEM) e Albanise Pires (PSOL). Cada um terá meia hora para responder sobre temas escolhidos como prioritários pela população pernambucana em recente pesquisa do Ipespe, além de assuntos da política partidária. Cada entrevista terá apenas um candidato por coligação.

Confira a sabatina neste link.

Próximas entrevistas – A segunda sabatina com candidatos ao Senado será nesta quinta-feira (30), tendo como entrevistados Humberto Costa (PT) e Adriana Rocha (Rede).

Inauguração do comitê da Frente Popular no Paulista
Inauguração do comitê da Frente Popular no PaulistaFoto: Hélia Scheppa/PSB

O governador e candidato à reeleição, Paulo Câmara (PSB), comandou, na noite desta terça-feira (28/08), a inauguração do comitê da Frente Popular no Paulista. Como vem acontecendo em todos os comícios, Paulo voltou a evocar o nome de Lula em seu discurso, respondendo às críticas que tem recebido da oposição por usar a popularidade do ex-presidente na campanha. "E mostram isso porque sabem que a nossa parceria é com Lula e com o povo", afirmou.

Leia também:
Frente popular anuncia chapa majoritária, com Paulo Câmara e Luciana Santos
Poucas propostas e muitas alfinetadas no primeiro debate com os candidatos ao Governo de Pernambuco


Participaram da inauguração o senador Humberto Costa (PT), candidato à reeleição, o prefeito do Paulista, Júnior Matuto (PSB) e correligionários. "Esse lado daqui é o lado de pessoas comprometidas com o nosso Estado e com o País. É o lado dos pernambucanos que pensam e trabalho pelo melhor para o nosso Estado. O outro lado é o da turma que aumentou o preço do gás de cozinha, do combustível, que retirou direitos dos trabalhadores e que querem vender patrimônios do País, como a Chesf e o Rio São Francisco", lembrou Paulo Câmara.

Agenda dos candidatos ao Governo de Pernambuco 2018
Agenda dos candidatos ao Governo de Pernambuco 2018Foto: Arte: Folha de Pernambuco

Agenda do candidato Júlio Lóssio (Rede)

8h - Evento com Porta - Vozes da REDE;

9h - Ato com Liderança da Região Metropolitana;

11h - Entrega da Plataforma de Governo na Presidência do TRE;

14h - Reunião no Conselho Regional de Contabilidade - CRC - Recife.

Agenda da candidata Simone Fontana (PSTU)

8h - Participação no ato dos trabalhadores da saúde que estão sem receber as horas extras, no HR.

16h - Panfletagem na abertura da Conferência de Educação do SINTEPE, Hotel Canarius Gravatá.

Agenda da candidata Dani Portela (PSOL)

14h - Entrevista na Rádio Boca da Ilha
16h - Caminhada e panfletagem
Saída: Nu´cleo de Comunicação Caranguejo Uçá | Ilha de Deus Entrevista na Rádio Boca da Ilha

Agenda do candidato Paulo Câmara (PSB)

RECIFE

7h – Panfletagem no Mercado da Encruzilhada

Local: Rua Dr. José Maria - Encruzilhada

XEXÉU

18h – Prosa Política com o prefeito Eudo Magalhães

Local: Avenida Tancredo Neves - Alto da Capela

PALMARES


20h – Prosa Política com o prefeito Altair Junior

Local: Rua da Conceição, 1320 - Centro (ao lado do Banco do Brasil)

Agenda do candidato Armando Monteiro Neto (PTB)


8h - Senado Federal - Brasília

18h30 - Gravação de guia

19h30 - Reunião da Coordenação do Programa de Governo

Fonte: FGV - DAPP
Fonte: FGV - DAPPFoto: Divulgação

As sabatinas do candidato à Presidência Ciro Gomes feitas pelo “Jornal Nacional”, da Rede Globo, e pelo “Jornal das 10”, da GloboNews, nesta segunda-feira (27) impulsionaram o debate sobre o presidenciável no Twitter, ainda que sem superar a repercussão do primeiro debate presidencial. Análise da FGV DAPP aponta que as menções ao candidato do PDT alcançaram 107,2 mil publicações entre as 19h de segunda e 9h desta terça (28) — no debate da Band, no dia 10, foram 212,5 mil menções a Ciro.

O tema corrupção foi impulsionado pela defesa de Ciro a Carlos Lupi, presidente do PDT e réu em uma ação em tramitação: cerca de 47% das discussões sobre corrupção associadas ao candidato mencionam Lupi. As pautas econômicas mobilizaram elogios sobre preparo e experiência de Ciro, especialmente ao criticar Refis para banqueiros e ruralistas.

Fonte: FGV - DAPP

Marília e Campos com interesses em comum nesse pleito
Marília e Campos com interesses em comum nesse pleitoFoto: Divulgação

Rotulados como desafetos da Frente Popular de Pernambuco, os primos Antônio Campos (Podemos) e Marília Arraes (PT), candidatos a estadual e federal respectivamente, partem para a dobradinha nas suas corridas eleitorais. Em peça publicitária da campanha de Antônio Campos, ambos aparecem lado a lado numa parceria eleitoral. 

Leia também:
“Silvio Costa é o senador do meu coração”, afaga Marília Arraes
Marília: "Não tenho como fazer campanha para ele (Humberto)"
Marília Arraes e João Campos travam duelo velado nas urnas

Antônio Campos assumidamente já declarou apoio publicamente à candidatura do senador Armando Monteiro Neto (PTB) ao Governo de Pernambuco, da coligação Pernambuco Vai Mudar. Por sua vez, Marília Arraes ainda não foi explícita sobre quem vai apoiar no pleito pela disputa depois de ter sua candidatura retirada das eleições pela executiva nacional do PT. Porém, a petista já foi vista circulando no interior ao lado do candidato ao Senado, Silvio Costa (Avante), e deu a certeza de que não vota em Paulo Câmara.

Mendonça e Albanise
Mendonça e AlbaniseFoto: Arquivo

Encerrada a série de entrevista com todos os candidatos ao Governo de Pernambuco, desta vez serão os postulantes ao Senado serem sabatinados pelo programa Folha Política, da Rádio Folha FM (96,7), a partir das 11h. Abrindo a nova rodada de sabatinas, nesta quarta-feira (29), serão entrevistados o deputado federal Mendonça Filho (DEM) e Albanise Pires (PSOL). Cada um terá meia hora para responder sobre temas escolhidos como prioritários pela população pernambucana em recente pesquisa do Ipespe, além de assuntos da política partidária. Cada entrevista terá apenas um candidato por coligação.

Confira um breve currículo dos entrevistados desta quarta-feira (29):

Mendonça Filho (DEM) - Formado em administração de empresas pela UPE, Mendonça Filho, de 52 anos, foi governador e vice-governador de Pernambuco, além de secretário de Estado, deputado estadual e deputado federal. Ele foi ministro da Educação no governo do presidente Michel Temer.

Albanise Pires (PSOL) - Formada em engenharia eletrônica na Universidade de Pernambuco (UPE), Albanise Pires, de 51 anos, é concursada do Ministério Público Federal e é dirigente do Sindicato Nacional dos Servidores Públicos da União. É primeira suplente do PSOL na Câmara Municipal do Recife.

Próximas entrevistas – A segunda sabatina com candidatos ao Senado será nesta quinta-feira (30), tendo como entrevistados Humberto Costa (PT) e Adriana Rocha (Rede).

Fernando Bezerra Coelho, do MDB, é o líder do Governo Bolsonaro
Fernando Bezerra Coelho, do MDB, é o líder do Governo BolsonaroFoto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) aceitou o pedido do presidente da República, Michel Temer (MDB), para responder pela liderança durante este período de esforço concentrado do Congresso. Sua assessoria informa que, nesse período, serão apreciadas somente matérias que já têm consenso.

Bezerra Coelho já tinha o compromisso como primeiro vice-líder do governo no Senado, assumindo a liderança depois que o senador Romero Jucá (MDB-RR) pediu para deixar a função alegando discordância com ações do Governo Temer com relação à maneira de como “estaria tratando a questão dos venezuelanos”. Porém, nos bastidores eleitorais, Romero Jucá também estaria preocupado em garantir à sua reeleição ao Senado.

No Podcast Folhape desta terça-feira (28), no Programa Folha Política, o cientista político, jornalista e doutorando em história na UFBA, Alex Ribeiro, deu sua visão sobre o quadro eleitoral na corrida dos presidenciáveis. “Se o ex-presidente Lula estivesse solto a possibilidade de acabar no primeiro seria grande”, argumentou.

Sobre o cenário estadual, o cientista acredita que a retirada da candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) deixou que uma projeção em torno do cenário atual ficasse mais claro. Para ele, o considerável percentual de eleitores que afirmaram votar em branco e nulo (37%, segundo dados do Ipespe), podem favorecer o governador Paulo Câmara (PSB), que está na frente (30%), além de ter mais tempo de guia eleitoral. “Dependendo da campanha Paulo pode vencer no primeiro turno. Ainda acho remota essa possibilidade no primeiro turno. Dependendo do que acontecer que ele pode se distanciar do senador Armando Monteiro (PTB)”, analisou, na Rádio Folha 96.7 FM.

Leia também:
Folha de Pernambuco divulga primeira pesquisa para o Governo, em parceria com o Ipespe

A alta rejeição atual governador na pesquisa chegou aos 47%, ou seja, maior do que a de Armando, com 38%. Mesmo assim, Alex Ribeiro não acredita que esse fator será diferencial depois da apresentação das propagandas eleitorais gratuitas.

 

Debate com os principais candidatos ao Governo de Pernambuco
Debate com os principais candidatos ao Governo de PernambucoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

O primeiro debate entre os candidatos ao Governo de Pernambuco, realizado por uma rádio local, na manhã desta terça-feira (28), centrou foco nas contradições presentes nos palanques do governador Paulo Câmara (PSB), do senador Armando Monteiro Neto (PTB) e do ex-deputado federal Maurício Rands (Pros). Com as propostas jogadas para segundo plano, cada um procurou se desvencilhar ao máximo da agenda do presidente Michel Temer (MDB) e tentou passar uma identidade mais à esquerda, onde prevalece a influência do ex-presidente Lula (PT). Seguindo a tônica da candidata do PSOL, Dani Portela, os postulantes de oposição bateram repetidamente nos 12 anos de gestão do PSB.

O governador Paulo Câmara recorreu às bandeiras da sua gestão, como a educação, e evitou temas como segurança, que apresentou índices alarmantes em 2017. Eleitor de Lula atualmente, o socialista foi cobrado pelo apoio que o PSB deu à candidatura presidencial de Aécio Neves (PSDB), em 2014, e ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Armando, inclusive, alfinetou a participação que o PSB teve na formação dos ministérios de Temer, apesar de, agora, o ex-ministro Fernando Filho (DEM) fazer parte do palanque do petebista.

“O impeachment não fez bem pro Brasil e nós temos que reconhecer quando as coisas acontecem de maneira errada. O ideal naquele momento talvez tivesse sido eleições novamente, mas não foi possível”, ponderou o governador.

Questionado pela não entrega de obras prometidas, como o Hospital da Mulher de Petrolina ou as barragens na Mata Sul e no Agreste, Paulo recorreu, diversas vezes, à justificativa de que Pernambuco foi discriminado pelo governo Temer. “Nós fomos perseguidos pelo governo Temer. Pernambuco, mesmo com baixo endividamento, não conseguiu operação de crédito por perseguição”, alegou. “Agora, nós votamos no presidente Lula, porque em Pernambuco os projetos são claros”, complementou.

Leia também:
O que confere na sabatina de Paulo Câmara à Rádio Folha
O que confere na sabatina de Armando Monteiro na Rádio Folha
O que confere na sabatina de Maurício Rands na Rádio Folha
O que confere na sabatina de Dani Portela na Rádio Folha

O candidato Armando Monteiro teve dificuldade de explicar a questão da autonomia de Suape e fez um mea culpa sobre a medida, tomada no governo Dilma, do qual o petebista fez parte. “A federalização da gestão dos portos aconteceu no sentido de atrair mais investimentos, mas reconheço que não deu certo. Até hoje a licitação do 2º Terminal de Contêineres não saiu. Pela ausência de concorrência no porto, temos preços incompatíveis pra gerar competitividade”, pontuou.

O petebista cobrou coerência, mas também teve que dar explicações sobre o seu palanque, onde ele vota em Lula e os candidatos ao Senado, Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB) são eleitores de Geraldo Alckmin (PSDB). O senador, entretanto, não descartou apoiar o tucano na corrida presidencial, se Lula for impedido de concorrer.

Maurício Rands, por sua vez, criticou a tentativa de Paulo e Armando de “surfarem” na popularidade de Lula. “Todo mundo sabe que Lula não é candidato. Ficam dizendo que votam em Lula, mas o candidato é Haddad e não podemos esconder isso da população. Por uma maior identificação com o Nordeste, nós preferimos votar em Ciro Gomes (PDT)”, disparou Rands.

O ex-deputado, contudo, foi cobrado pela permanência de integrantes do PDT no governo Paulo Câmara. “Como o senhor se diz candidato de oposição e ainda mantém integrantes da sua coligação na estrutura do governo?”, indagou Dani Portela. Rands afirmou que “não é coronel” e que não poderia obrigar os aliados a abandonarem os cargos.

Dani Portela reiterou, com frequência, que é preciso propor uma alternativa aos 12 anos de gestão do PSB. “Como combater a violência se a gente não combate as causas? Vivemos um dos maiores índices de desemprego, isso também influencia na violência. São 12 anos de governo do PSB e esse Pacto pela Vida que está aí é pela vida de quem?”, questionou a psolista.

A candidata criticou os palanques maiores, como o de Câmara e o de Armando, argumentando que quanto maior a aliança, maior será a divisão de cargos no Governo do Estado. “A nossa proposta de enxugar o Estado é para erradicar cargos comissionados. Pernambuco é um estado de capitanias hereditárias e isso se repete nos grupos políticos que a gente vê aqui, com práticas velhas”, afirmou.

assuntos

comece o dia bem informado: