Foi encontrado 1 resultado para "Litoral Sul":

Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho
Prefeitura do Cabo de Santo AgostinhoFoto: Divulgação

No dia seguinte à retomada das atividades como prefeito do Cabo de Santo Agostinho, após decisão favorável emitida Superior Tribunal Federal (STF), Lula Cabral (PSB) exonerou todos os funcionários que exerciam cargo comissionado na prefeitura do município.

A decisão da exoneração dos cerca de 600 funcionários, entre assessores, chefe de gabinete, auxiliares, coordenadores, diretores e gerentes foi publicada no Diário Oficial dos Municípios de ontem. Na última terça-feira, Lula foi recepcionado por muitos funcionários do Executivo municipal e teve seu nome gritado ao chegar à sede da Prefeitura do Cabo.

O retorno do socialista ao posto, ocorreu após decisão liminar do presidente do STF, Dias Tofolli, que respondeu ao pedido efetuado pela defesa de Cabral no início de outubro. O prefeito responde em liberdade a um processo no qual é acusado dos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Entre outubro de 2018 e janeiro de 2019, ele esteve preso no Cotel, em Abreu e Lima, por conta de uma suspeita de participação em esquema de corrupção que transferiu de forma irregular R$ 92,5 milhões da Previdência Social do município, o CaboPrev. O Ministério Público Federal (MPF) considerou que o montante, antes investido em instituições sólidas, foi transferido para ativos de risco, colocando em risco o pagamento das aposentadorias dos servidores aposentados do Cabo de Santo Agostinho. O caso foi deflagrado pela Operação Abismo, investigada pela Polícia Federal.

Ao ser afastado do cargo, Lula Cabral deixou o posto de prefeito para o seu vice, Keko do Armazém (PDT). Ao longo do período em que Keko esteve à frente do município, a Câmara de Vereadores do Cabo rejeitou por quatro vezes - a última delas em agosto - que fosse instaurado um processo de cassação do mandato de Lula Cabral.

assuntos

comece o dia bem informado: