Foram encontrados 5 resultados para "Homenagem":

Câmara Municipal do Recife
Câmara Municipal do RecifeFoto: Reprodução

Uma sessão solene em homenagem aos 10 anos da morte do ex-vereador Luiz Vidal promete reunir políticos de muitas gerações, ex-governadores de Pernambuco, amigos e familiares, nesta quinta-feira (7), no plenário da Câmara Municipal do Recife. A solene, que acontece às 14h, foi convocada pelo vereador Hélio Guabiraba.

O vereador ressaltou que a homenagem é merecedora porque Vidal foi um político atento às necessidades do povo. “Vidal era comprometido com as pessoas. Tive a felicidade e a honra de trabalhar dois mandatos com ele. Eu fui uma de suas lideranças. Foi uma época de muito aprendizado. Vidal se tornou meu amigo e estou muito feliz em poder prestar essa homenagem. Será um momento que ficará marcado nos anais desta Casa Legislativa”, destacou.

Luiz Vidal foi um dos fundadores do MDB em Pernambuco junto com Jarbas Vasconcelos, Marcos Cunha, Marcos Freire e outros companheiros. Foi vereador por dois mandatos nos anos 70 e, desde 1992, foi reeleito quatro vezes consecutivas à Câmara. Em 2006, foi candidato a governador do estado pelo PSDC, sigla à qual se filiou em 1996.

A viúva de Vidal, Beatriz Vidal, agradeceu a iniciativa. “A câmara municipal é a câmara do povo e como tal cumpre o seu papel abrindo as portas para homenagear o vereador com tantos mandatos. A homenagem não é só para Vidal e sim para todos os vereadores que estão aqui na Casa, que estiverem na Casa e os que vão entrar com a vontade de ser o verdadeiro representante do povo”.

Trajetória

Filho de Dalva Costa Silva e Luiz Vidal Garcia, Luiz Vidal nasceu em 9 de julho de 1947, em Salvador, mas sua atuação foi marcada na capital pernambucana. Advogado formado na Universidade Católica de Pernambuco, em 1972, Luiz Vidal teve uma vida voltada para a política.

Sua militância política começa em 67 se tornando chefe de gabinete do então deputado estadual Jarbas Vasconcelos, à época, oposição na Alepe. Ano seguinte presidiu o Comitê diretor de propaganda da campanha vitoriosa de Marcos Freire ao Senado Federal. Na mesma eleição, Jarbas também foi eleito deputado federal. Vidal desponta como um dos mais atuantes integrantes do MDB, o MDB autêntico, como se dizia na época.

Em 1976, se elege pela primeira vez como vereador do Recife. Em 1980, foi escolhido vereador mais atuante do ano. Em 1986, participou ativamente da campanha que levou Arraes ao segundo mandato de governador. Na época, Vidal foi escolhido para comandar a Superintendência do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama). Dentro do Instituto, inovou. Em 1991, se torna diretor estadual de serviço de proteção ao consumidor Procon-PE, época em que se criou o Código de Defesa do Consumidor.

Em 2000, se reelege pelo PSDC. Conquistou o sexto mandato, em 2004, e se elege vice-presidente da mesa diretora da Câmara. Vidal também fez história ao lutar pelas causas sociais tendo uma forte relação com as áreas populares da cidade. Faleceu aos 62 anos.

luiz vidal

Crédito: Acervo pessoal




cmr

A sessão marca também o lançamento do primeiro livro com os discursos proferidos por JK na Presidência da República, todos de 1956
A sessão marca também o lançamento do primeiro livro com os discursos proferidos por JK na Presidência da República, todos de 1956Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira, 12 de setembro, o aniversário de Juscelino Kubitschek será lembrado em duas solenidades especiais. Às 9h30, cumprindo a tradição de muitos anos, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, irá ao Memorial JK para depositar uma coroa de flores no túmulo do fundador de Brasília, em homenagem, ao seu 117° ano de nascimento.

Mais tarde, às 14h, o Senado realiza uma sessão solene, proposta pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em memória do ex-presidente.

O último mandato exercido por JK foi justamente o de senador, por Goiás. Na sessão marca também o lançamento do primeiro livro com os discursos proferidos por JK na Presidência da República, todos de 1956. A obra está sendo impressa pelo Senado, e é a primeira de uma série de cinco livros com todos os pronunciamentos de JK na Presidência da República.

A Assembleia Legislativa de Pernambuco homenageou, na noite desta segunda-feira (3), Portugal e Estados Unidos com o prêmio País Amigo de Pernambuco.
A Assembleia Legislativa de Pernambuco homenageou, na noite desta segunda-feira (3), Portugal e Estados Unidos com o prêmio País Amigo de Pernambuco.Foto: Ivaldo Régis

A Assembleia Legislativa de Pernambuco homenageou, na noite desta segunda-feira (3), Portugal e Estados Unidos com o prêmio País Amigo de Pernambuco. Por iniciativa do deputado Antonio Coelho (DEM), a nação portuguesa foi indicada à honraria e aprovada pela Comissão de Assuntos Internacionais. A indicação americana foi feita pela deputada Fabíola Cabral (PP). A solenidade foi presidida pelo deputado Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe.

“Portugueses e brasileiros são dois povos separados por um oceano, mas unidos pela comunhão de uma língua, de uma religião e de laços sanguíneos. E acima de tudo, compartilhamos um intenso anseio pela liberdade e um forte espírito republicano. Também tivemos as turbulências do século XX, quando os dois países viveram regimes repressivos. Mas a perspectiva do século XXI é muito mais promissora. Hoje temos um espírito de solidariedade entre as nações, Pernambuco em especial, pois há um intercâmbio muito grande tanto de portugueses que vieram para cá, quanto de conterrâneos nossos que decidiram firmar moradia lá, e em ambos os casos há um acolhimento fruto desses laços”, destacou Coelho.

O vice-cônsul de Portugal em Pernambuco, Marco Ferreira de Melo, recebeu a premiação e agradeceu em nome de toda a comunidade portuguesa no Estado. “Nosso país sempre acreditou em Pernambuco e apostou num desenvolvimento comum. Em 1967, fomos o primeiro país a estabelecer uma ligação direta entre Pernambuco e a Europa. Um marco histórico que possibilitou abrir novas portas ao turismo do exterior, bem como facilitar e permitir novos investimentos e parcerias comerciais. Esta honraria nos orgulha e nos traz ainda mais responsabilidade. Mas Pernambuco poderá contando com Portugal, este país irmão de sangue, como parceiro estratégico”, afirmou Ferreira de Melo. O país americano foi representado pelo cônsul John Barret.

Outorga foi feita como reconhecimento por serviços prestados à sociedade em prol da consolidação da cidadania
Outorga foi feita como reconhecimento por serviços prestados à sociedade em prol da consolidação da cidadaniaFoto: Divulgação

A presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), Nadja Alencar, recebeu, na noite da segunda-feira (2), o Diploma do Mérito Acadêmico da Escola Judiciária Eleitoral (EJE) de Pernambuco. A outorga foi feita em reconhecimento aos serviços prestados à sociedade em prol da difusão e da consolidação da cidadania. A gestora foi a única representante do Poder Executivo presente à cerimônia a ser agraciada em uma lista de 15 personalidades, entre desembargadores, juízes, advogados e servidores da Justiça. A entrega ocorreu na Sala de Sessões do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), no Recife.

A homenagem ocorreu pouco mais de um ano após o início de uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), a Funase e o TRE-PE. A articulação viabilizou, em abril de 2018, a emissão de 387 títulos eleitorais para adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas no Estado. Uma fase posterior foi a realização de palestras voltadas aos socioeducandos, por integrantes do Programa Eleitor do Futuro, sobre a importância da democracia e do poder do voto. Por fim, nas eleições, o TRE instalou urnas eletrônicas em sete unidades da Funase para garantir que internos e funcionários de plantão pudessem exercer sua cidadania. Em novembro do ano passado, um evento de culminância foi realizado no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho, com exemplos de superação de socioeducandos e egressos.

"Esse foi um projeto muito diferenciado dentro das nossas unidades, realizado com o acompanhamento do desembargador Luiz Carlos Figueiredo, que, na época, era o presidente do TRE e que tem uma atuação notável na área de infância e juventude. A equipe da EJE, na pessoa de Eduardo Japiassú, também participou de perto e se emocionou com a experiência do Programa Eleitor do Futuro na Funase. Temos muito orgulho dessa parceria. O meu sentimento ao receber este diploma é estender o reconhecimento a todas as equipes das unidades da Funase, que fizeram esse sonho de cidadania acontecer", destacou Nadja Alencar.

O desembargador Luiz Carlos Figueiredo, que é coordenador da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), e Eduardo Japiassú, coordenador da EJE, também estiveram entre os agraciados pelo Diploma do Mérito Acadêmico. A cerimônia foi conduzida pelo presidente do TRE-PE, desembargador Agenor Ferreira de Lima Filho, e pelo diretor da EJE, desembargador eleitoral Delmiro Campos. Ainda estiveram presentes representantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos Tribunais Regionais Eleitorais do Amazonas, de Mato Grosso do Sul e de Goiás, do Ministério Público Eleitoral, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) e da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Pernambuco (OAB-PE).

Missa em homenagem a Arraes e Eduardo será realizada nesta terça (13), em Casa Forte.
Missa em homenagem a Arraes e Eduardo será realizada nesta terça (13), em Casa Forte.Foto: Alexandro Auler / Arquivo Folha

Os cinco anos da morte do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, completados hoje, serão lembrados em uma missa, às 19h, na Igreja de Casa Forte. Então candidato à Presidência da República, Eduardo faleceu aos 49 anos, em um acidente aéreo, em Santos, no mesmo dia da morte do seu avô, Miguel Arraes, que também governou o Estado. Arraes faleceu aos 88 anos, em 2005, no Recife, em decorrência de um choque séptico causado por infecção respiratória, agravada por insuficiência renal, e também será lembrado na cerimônia religiosa.

Herdeiro político de Eduardo Campos e Arraes, o deputado federal João Campos
(PSB) considera que a data é um momento de saudade e gratidão por "tudo que viveu e aprendeu", mas também de reflexão. "O 13 de agosto, especialmente, o dia que tanto Arraes quanto Eduardo se foram, é de grande reflexão para Pernambuco, para sempre aprender com aquelas que fizeram tanto pelo seu povo", disse.
No último sábado, dia 10, Eduardo completaria 54 anos. Na data, muitos políticos e amigos publicaram homenagens nas redes sociais. Entre eles, o governador Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, e o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira. Eduardo, apesar das dificuldades de momento, nós ‘não esqueceremos do Brasil’. Você ainda nos deixa grande saudade!”, escreveu Siqueira.

Siqueira ressaltou, ainda, que a morte “muito precoce” de Eduardo Campos é uma “perda irreparável” não apenas para o PSB. “Era uma liderança nacional que prometia um rumo diferente para o País", disse. O socialista também lembrou o aniversário de morte de Arraes. “Grande perda para o Brasil, sobretudo para as classes populares que ele sempre foi fiel durante toda a sua trajetória. Seguramente ele estaria triste em ver o governo aprovar uma reforma da Previdência como foi aprovada”, disse Siqueira.

Irmão de Eduardo, o advogado Antônio Campos comentou a data. “Após 5 anos, a causa do acidente de Eduardo Campos continua um mistério, mas não desistiremos de saber a verdade. Sua perda humana e política é enorme”, lamentou. Ele também lembou o avô. "Arraes foi um dos maiores políticos da história do Brasil. O maior laboratório de políticas sociais da América Latina", completou Antônio, que está escrevendo a biografia “Arraes, o povo no poder”.

Acidente

Em agosto de 2018, a Polícia Federal concluiu o inquérito sobre a queda do jato em que viajava Eduardo Campos e apresentou quatro causas possíveis do acidente: colisão com um elemento externo, desorientação espacial, falha do profundor e falha do compensador de profundor. O inquérito, então, foi remetido ao Ministério Público.

No entanto, em fevereiro deste ano, o MPF arquivou o inquérito e divulgou que não foi possível definir a causa exata do acidente. Na ocasião, Antônio Campos se pronunciou e afirmou que foi "surpreendido" e ficou "perplexo" com o pedido de arquivamento. Em nota, ele ponderou que "uma investigação inconclusa, deixa mais ainda dúvida no ar". João Campos, por sua vez, ressaltou que o "sentimento é de frustração" e que "uma tragédia como esta terminar assim, com as autoridades competentes concluindo pela falta de subsídios, sem apontar o que de fato houve".
Além de Campos e do piloto Marcos Martins, morreram no acidente o copiloto Geraldo Magela Barbosa da Cunha, o assessor de imprensa Carlos Augusto Percol, o fotógrafo Alexandre Severo, o cinegrafista Marcelo Lyra e o advogado Pedro Valadares.

comece o dia bem informado: