Foram encontrados 12 resultados para "Meio Ambiente":

Deputado João Campos (PSB), vistoriou o derramamento de óleo na praia do Janga e de Cabo Branco, em João Pessoa-PB.
Deputado João Campos (PSB), vistoriou o derramamento de óleo na praia do Janga e de Cabo Branco, em João Pessoa-PB.Foto: Reprodução / Youtube

O deputado federal João Campos (PSB-PE) fez uma vistoria na praia do Janga, em Paulista, Litoral Norte de Pernambuco, e na praia de Cabo Branco, em João Pessoa-PB,  ambas atingidas pelo recente vazamento de óleo que poluiu as praias do Nordeste, no último final de semana. O parlamentar conversou com moradores e presenciou de perto a realidade local.

Confira o vídeo: 

O Festival REC'n'Play ocorre entre os dias 2 e 5 de outubro
O Festival REC'n'Play ocorre entre os dias 2 e 5 de outubroFoto: Divulgação

Em um mundo confrontado por problemas socioambientais, aliar inovação à sustentabilidade se torna cada vez mais necessário, por ser, além de uma forma de preservar o meio ambiente, uma forma de alcançar novas oportunidades de mercado.

Diante disso, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS) terá espaço garantido durante a terceira edição do REC’n Play com várias atividades para debater e explorar a temática ambiental.

Realizado pelo Porto Digital e Ampla Comunicação, em parceria com a Prefeitura do Recife e Sebrae, o Festival tem como objetivo transformar e conectar pessoas de diferentes formações e bagagens intelectuais para pensar em soluções de problemas da cidade e da sociedade. Neste ano, a gestão municipal promoverá 105 atividades durante o festival, realizado entre os dias 02 e 05 de outubro, no bairro do Recife.

O REC'n'Play é totalmente gratuito e, para participar, os interessados devem acessar o site www.recnplay.pe e fazer a inscrição online.

Oficinas e Ponto de Coleta - A SMAS vai montar um Ponto de Coleta de Resíduos Eletrônicos durante os quatro dias de evento. Quem descartar o lixo no local, além de ajudar o meio ambiente, ainda receberá panfletos educativos produzidos com papel semente, com vários tipos de hortaliças. Esse papel tem as mesmas características de um papel reciclado artesanal, mas com um diferencial: possui vida! Durante seu processo de fabricação, o papel semente recebe sementes diversas, permitindo que dele germinem plantas e flores. “O recifense, além de ajudar a descartar o lixo corretamente, ainda vai poder plantar uma semente de erva ou flores na sua casa. Então, quem tiver resíduos eletrônicos em casa, aproveite a ocasião e traga para o local correto”, disse o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Neves Filho.

Além disso, ainda serão realizadas oficinas com foco na sustentabilidade, como: Oficina Robot Eco, que vai despertar a consciência socioambiental, apresentando práticas de reaproveitamento de resíduos sólidos e ensinando a transformar sucatas em Robôs; Oficina Darth Vader Eco, que vai ensinar a montar um Darth Vader com resíduos eletrônicos; Oficina de Robótica Sustentável. A escola de programação e robótica infantil Ctrl+Play, vai ensinar como construir projeto de irrigação automático a partir de sensores de umidade; Oficina – Desenvolvimento de sistema de monitoramento para hortas sustentáveis com Arduino vai abordar como desenvolver um sistema de monitoramento e irrigação automática, dentre outras atividades.

Palestra e Exposição – Outra opção será participar das palestras e Exposições organizadas pela SMAS. Uma das atividades será a Mostra de Jogos Ambientais, na qual serão apresentados 17 jogos em diferentes plataformas: Touchscreen (PC Tela Touch e Android) e Realidade Virtual (PC Oculus Rift), que vão explorar os cuidados com a natureza, lixo urbano, biodiversidade e sustentabilidade dos mangues. Também vai rolar a Exposição de J. Azevedo, Projeto - GUERRA AO LIXO que tem a proposta de transformar resíduos eletrônicos em peças de artesanato e a palestra: Plástico Precioso Pilar, que vai compartilhar como o projeto contribui para geração de renda e capacitação profissional dos moradores da Comunidade do Pilar, ao mesmo tempo que colabora para a criação de um mundo mais sustentável.

Confira a programação das atividades da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade no REC'n'Play:
Mostra de Jogos Ambientais

Dias: 02 a 05/10

Local: Centro de Artesanato

Hora: 10h

Oficina - Introdução a Modelagem 3D

Dia: 02/10

Local:Escola do Porto Digital - lab2

Hora:14h30

Coleta de Resíduos Eletrônicos

Local: Centro de Artesanato

Hora: 10h até às 18h

Exposição de J. Azevedo, Projeto - GUERRA AO LIXO

Dia: 02 a 05/10

Local:Centro de Artesanato

Hora:10h

OFICINA ROBOT ECO - ARTE LIVRE

Dia: 03/10

Local: ETE Porto Digital - Lab. de Matemática

Hora: 14h30

OFICINA DARTH VADER ECO

Dia: 04/10

Local: Escola do Porto Digital - Laboratório de Matemática

Hora: 14h30

Palestra - CRIANÇAS CONECTADAS

Dia: 04/10

Local: CESAR Bom Jesus

Hora: 16h30

OFICINA DE ROBÓTICA SUSTENTÁVEL

Dia: 05/10

Local:CESAR School

Hora: 14h30

OFICINA DE CRIAÇÃO DE JOGOS 3D

Dia: 05/10

Local: CESAR School

Hora: 10h

Oficina – Desenvolvimento de sistema de monitoramento para hortas sustentáveis com Arduino

Dias: 02 e 03/10

Local: Escola do Porto Digital - lab 01

Hora:14h

Exposição de produtos: Plástico Precioso Pilar

Dias: 03, 04, 05/10

Local: Rua da Moeda

Hora: 10h

Palestra: Plástico Precioso Pilar

Dia: 05/10

Local: CESAR Bom Jesus

Hora: 14h

Palestra - Empodera garota: discussão de gênero e raça nos jogos digitais

Dia: 03/10

Local:CESAR School

Hora: 11h

João Campos pretende instalar uma comissão externa para acompanhar os danos causados pelo vazamento de óleo no litoral
João Campos pretende instalar uma comissão externa para acompanhar os danos causados pelo vazamento de óleo no litoralFoto: Rodolfo Loepert

Diante do fato grave e emergencial do vazamento de petróleo cru em mais de 1.500 quilômetros do litoral, o deputado federal João Campos (PSB-PE) anuncia as seguintes medidas:

1 - Está entrando com um pedido de informações ao Ministério do Meio Ambiente;

2 - Vai convocar com urgência uma audiência pública para discutir tudo a respeito dessa questão;

3 - Visitará áreas que foram atingidas pelo vazamento de óleo;

A depender dos desmembramentos, não está descartada a possibilidade de instalação de uma comissão externa para acompanhar e participar de todo o processo de mitigação dos danos causados. 

#
Praia de Boa ViagemFoto: Divulgação

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade - Semas realiza, no próximo sábado (21), às 14h, uma atividade educativa em comemoração ao Dia Mundial de Limpeza de Praias.

O mutirão de recolhimento de resíduos terá como ponto de encontro o posto 8 da Avenida Boa Viagem, na esquina com a Av. Armindo Moura, e segue até a Igrejinha de Piedade, à beira-mar, onde haverá um ponto de encontro para a pesagem e recolhimento dos resíduos coletados. A ação voluntária conta com o apoio da Agência CPRH e da Prefeitura Municipal de Jaboatão dos Guararapes.

A campanha Clean Up The Word surgiu nos Estados Unidos, e é coordenada pela ONG ambientalista Centro para a Conservação da Vida Marinha - Ocean Conservancy, com apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente - PNUMA. Neste ano, programa ambiental acontece no fim de semana de 20 a 22/09, quando serão mobilizados milhares de voluntários em cerca de 130 países, que recolhem o lixo, especialmente os resíduos plásticos, das praias e rios. O mutirão acontece simultaneamente na África, Europa, Ásia Ocidental, Ásia-Pacífico, América Latina e Caribe e América do Norte, o material é pesado e catalogado, e depois segue para um destino ambientalmente adequado.

O Brasil participa do Dia Mundial de Limpeza de Praias desde 1993. Outras iniciativas com o mesmo objetivo, como a Semana Mares Limpos, Programa Lixo Zero e o Dia Mundial da Limpeza, acontecem com o apoio de prefeituras, sociedade civil e grupos ambientalistas. Este ano, haverá ações no Rio de Janeiro (em 15 locais, entre praias e a Baía de Guanabara), Sergipe, Ceará e Pernambuco.

No estado, além da ação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, outros mutirões acontecem entre os dias 20 e 21, de forma simultânea, coordenadas pelos municípios litorâneos de Recife, São José da Coroa Grande, Serrambi, Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho, Igarassu, Itapissuma, Paulista, Rio Formoso e Sirinhaém. Haverá também mutirões de limpeza de rios e praças nas cidades de Petrolina, Ouricuri e Pesqueira, no interior do estado. Para conferir as programações locais, os interessados devem procurar as prefeituras.

Para o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, “o Governo do Estado está aderindo a este esforço global para combater a poluição por resíduos plásticos e sensibilizar a população sobre os cuidados com os ambientes naturais. O evento é aberto ao público, ressaltando o compromisso de cada cidadão com o meio ambiente. A ação é também um alerta sobre a necessidade de proteção do ecossistema litorâneo e de toda a vida marinha, como tartarugas e golfinhos, principais vítimas deste tipo de poluição”.

Serviço

O que: Dia Mundial de Limpeza de Praias - Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade - Semas/PE

Quando: 21 de setembro (sábado, às 14h)

Concentração: Na praia, defronte ao Posto 8 (Corpo de Bombeiros) da Av. Boa Viagem, na esquina com a Av. Armindo Moura, em Piedade).

Percurso: As equipes de voluntários se deslocarão pela praia, em direção à Igrejinha de Piedade, onde haverá um ponto de apoio para recolhimento e pesagem do material recolhido.

[Wide] Praia de Piedade, Jaboatão dos Guararapes

[Wide] Praia de Piedade, Jaboatão dos Guararapes - Crédito: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Parceria de 39 anos entre a companhia e a instituição contribuíram para o trabalho de conservação de espécies que habitam a costa brasileira
Parceria de 39 anos entre a companhia e a instituição contribuíram para o trabalho de conservação de espécies que habitam a costa brasileiraFoto: Divulgação/ Facebook Projeto Tamar

A Petrobras e o Tamar anunciam um importante marco que será alcançado na próxima temporada de desova: 40 milhões de tartarugas marinhas protegidas e devolvidas ao oceano. Este número representa um marco nos resultados do projeto, reconhecido internacionalmente como uma das mais bem-sucedidas iniciativas de conservação marinha do mundo.

O objetivo principal do projeto é a conservação de cinco espécies de tartarugas, todas ameaçadas de extinção. Atualmente, o Projeto Tamar está presente em 26 localidades, distribuídas em áreas prioritárias de desova, alimentação, migração e descanso. Estudos científicos mostram que as populações de tartarugas marinhas no Brasil estão se recuperando.

“Na próxima temporada de desova, o Tamar vai completar 40 anos e atingir a marca de 40 milhões de tartarugas marinhas protegidas. Podemos dizer que a tartaruga de número 40 milhões já existe e navega em uma viagem transcontinental rumo às praias brasileiras. Mas é importante lembrar que a cada mil tartarugas que nascem, apenas uma ou duas sobrevivem. Ainda há muito a fazer para livrar esses animais da ameaça de extinção”, diz o fundador do Projeto Tamar, Guy Marcovaldi.

São animais de ciclo de vida longo, que levam de 20 a 30 anos para se reproduzir. A cada temporada reprodutiva o número de filhotes que nascem nas praias monitoradas pelo Projeto passa de 2 milhões, além de muitas tartarugas jovens e adultas que são protegidas e salvas da captura incidental na pesca. Acidentes com redes e anzóis, atropelamentos, trânsito de veículos nas praias e plástico são fatores de risco para as tartarugas.

Nesta quarta-feira (18), o início do ciclo reprodutivo da tartaruga marinha 40 milhões protegida e devolvida ao oceano pelo Tamar será anunciado com a soltura de filhotes na Praia do Atalaia, em Aracaju, Sergipe, onde fica uma das bases do projeto. Além da soltura, será realizado o “Concerto às Tartarugas Marinhas”, com Orquestra Sinfônica de Sergipe.

Pesquisa e desenvolvimento científico

O Projeto Tamar contribuiu, em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICM-Bio), para o início da recuperação - comprovada cientificamente - das populações de quatro espécies de tartarugas marinhas: tartaruga-oliva, tartaruga-de-pente, tartaruga-cabeçuda e tartaruga-de-couro, e pela estabilidade da tartaruga-verde em Fernando de Noronha (PE) e Trindade (ES).

A ação do Tamar se estende por cerca de 1.100 km de praias, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, de Sergipe, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, do Ceará, do Espírito Santo, do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Santa Catarina. A principal missão é a pesquisa, a conservação e o manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas, todas ameaçadas de extinção.

Outro aspecto relevante é o fato de todo esse trabalho contar com o apoio das comunidades costeiras dos locais onde há a ocorrência das espécies ameaçadas. Anualmente, são atendidas diretamente cerca de 800 pessoas em ações socioeducativas, de valorização da cultura, de capacitação e inclusão social.

O Tamar é membro da Rede de Projetos de Biodiversidade Marinha (Rede Biomar), grupo composto também pelos Projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Coral Vivo e Golfinho Rotador, todos patrocinados por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Juntos, esses projetos atuam em diferentes frentes e são um símbolo da atuação da Petrobras na conservação marinha no Brasil.

Natureza
NaturezaFoto: Arthur de Souza

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e a Agência CPRH anunciaram, nesta sexta-feira, (13/09), a abertura das inscrições para a 30ª edição do Prêmio Vasconcelos Sobrinho 2019, durante reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente - Consema/PE. O encontro - que teve como convidado Terêncio Vasconcelos, filho do ecólogo Vasconcelos Sobrinho - contou com as participações de Djalma Paes, presidente da CPRH, e da secretária executiva da Semas, Inamara Mélo; e aconteceu no auditório do Parque de Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife.

“Vasconcelos Sobrinho tem um papel de destaque no nosso estado, sendo responsável pela criação do Horto Zoobotânico de Dois Irmãos, hoje Parque de Dois Irmãos, além de ser reconhecido como um dos grandes ecólogos deste país. O prêmio que leva o nome dele é o reconhecimento a esse grande ambientalista e um incentivo às gerações atuais a continuarem lutando pela preservação da natureza. O prêmio tem o objetivo de reconhecer, divulgar e incentivar boas práticas socioambientais no estado”, destacou a secretária executiva da Semas, Inamara Mélo.

Os interessados, pessoas físicas e jurídicas, podem concorrer ao Prêmio enviando suas inscrições no período de 16 de setembro a 21 de outubro, para sete categorias: Bem-estar animal; Inovação tecnológica; Pesquisa ambiental; Projeto e prática educacional; Destaque municipal; Destaque da imprensa e personalidade do meio ambiente. O regulamento com os requisitos para a candidatura estará disponível nos sites Semas www.semas.pe.gov.br e da Agência CPRH www.cprh.pe.gov.br . As propostas devem ser encaminhadas exclusivamente por meio digital, através do link: https://bit.ly/vasconcelos2019 .

Uma comissão julgadora composta por profissionais da Semas, CPRH, e Secretarias de Educação e de Ciência, Tecnologia e Informação do Estado farão a análise das propostas, de acordo com as pontuações definidas no regulamento.

A premiação ocorrerá no mês de dezembro, em data e local ainda a ser definidos. A CPRH concederá para os melhores projetos e iniciativas de cada categoria, uma premiação no valor de R$ 3 mil reais. “A importância do prêmio está no fato de ser um estímulo às pessoas abnegadas que lutam pela preservação ambiental. É uma forma de valorizarmos e fortalecermos essas inciativas”, comentou o presidente da Agência Ambiental de Pernambuco - CPRH, Djalma Paes.

Vasconcelos Sobrinho - Criado em 1990, numa iniciativa da Agência CPRH, o prêmio é um reconhecimento pela atuação do engenheiro agrônomo e ecólogo conservacionista João Vasconcelos Sobrinho (1908 – 1989), em defesa das causas ambientais em Pernambuco. O professor e pesquisador da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, reconhecido como uma das maiores autoridades em ecologia na América Latina, foi responsável pelos primeiros estudos sobre a desertificação das regiões brasileiras, registrados nas suas publicações “As regiões naturais do Nordeste, o meio e a civilização”, de 1949, e “Processos de desertificação ocorrentes no Nordeste do Brasil: sua gênese e sua contenção”, publicado em 1982, entre outras.

Será enviado aos municípios litorâneos um documento com orientações sobre a limpeza das praias
Será enviado aos municípios litorâneos um documento com orientações sobre a limpeza das praiasFoto: Divulgação

Em reunião realizada nesta sexta-feira (6), a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) traçaram uma série de ações para identificar os responsáveis pelas manchas de óleo que atingiram as praias do litoral Norte e Sul do Estado. A força-tarefa também conta com a participação de professores e técnicos do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Capitania dos Portos de Pernambuco (CPPE) e do Porto de Suape.

Entre as medidas acordadas, estão a realização de um sobrevoo no litoral com o Corpo de Bombeiros; e a solicitação à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e à Suape de imagens de satélites da área costeira de norte a sul do Estado, referentes às últimas quatro semanas. Todo o material será enviado ao departamento de oceanografia da UFPE. O objetivo é identificar os prováveis pontos de origens e qual o navio responsável pelo dano. Também será enviado aos municípios litorâneos um documento com orientações sobre a limpeza das praias.

A Capitania dos Portos já coletou amostras do óleo nas praias de Tamandaré e de Piedade, e encaminhou para um laboratório na Paraíba, que identificará o tipo e o provável tempo em que o produto foi jogado. Segundo a superintendente substituta do Ibama, Lisânia Pedrosa, o órgão também vai acionar a coordenação geral de emergência ambiental em Brasília para verificação oceânica. A intenção é obter mais informações e até verificar a possibilidade de um maior apoio nas ações em curso.

As manchas de óleo começaram a aparecer no último domingo (1), na praia de Jacumã (Paraíba) e a última aparição, na quinta-feira (05) na praia do Bessa, também na Paraíba, e na ilha de Cocaia, no Cabo de Santo Agostinho. Foram identificadas manchas ainda nas praias de Del Chifre (Olinda), Boa Viagem (Recife), Piedade (Jaboatão dos Guararapes) e Cupe e Gamboa (Ipojuca). Também foram encontradas duas tartarugas mortas com óleo na Ilha de Cocaia, no Cabo de Santo Agostinho (PE), e na praia do Bessa (PB).

Participaram da reunião, realizada na sede do Ibama, em Casa Forte: Lisânia Pedrosa, Superintendente substituta do Ibama; José Bertotti, secretário estadual de Meio Ambiente; Maurício Guerra, superintendente de Biodiversidade da Semas; Eduardo Elvino, diretor de Controle de Fontes Poluidoras da CPRH; Marcus Silva, professor de oceanografia física da UFPE; Leonardo Bruto, biólogo e técnico do laboratório de oceanografia da UFPE; Comandante Figueiredo, da CPPE; os primeiros-tenentes Quiossa e Caio Lacerda (CPPE); e Paulo Teixeira, coordenador de gestão ambiental portuária de Suape.

Rnest - A CPRH lembra que o aparecimento do piche nas praias não está relacionado ao vazamento de água e óleo ocorrido no último dia 26 de agosto, na Refinaria Abreu, em Ipojuca.

Rua da Aurora
Rua da AuroraFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Uma manifestação em defesa da Amazônia foi convocada para este sábado (24), às 14h, na Rua da Autora, em frente ao Ginásio Pernambucano. O Movimento contará com a presença da Marcha das Vadias, dos projetos Recife Sem Lixo, Manifesto Ambiental, Brasil21, da ONG Animal Sem Fronteiras e da sociedade civil.

O ato integrará momentos de microfone aberto para debate com a sociedade e uma grande Roda de Dança reconectando nossos laços com a Natureza e a Coletividade Humana. A manifestação responsabiliza o Governo Federal e seus aliados pelo desmonte das Políticas Sócio-ambientais e cobra a saída imediata do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales.

aurora

Mostra deverá engajar 3 mil espectadores em sete dias de exibição
Mostra deverá engajar 3 mil espectadores em sete dias de exibiçãoFoto: Marcos Pastich

Promover a reflexão crítica sobre o meio ambiente e o engajamento socioambiental no Recife através da exibição de filmes é a proposta da 4ª edição da MARÉ – Mostra Ambiental do Recife - que será realizada entre os dias 25 e 31 de agosto com sessões gratuitas no Jardim Botânico, Econúcleo Jaqueira, Escola Municipal José da Costa Porto, Cais do Imperador e Cinema São Luiz. A iniciativa é incentivada pela Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS).

Serão exibidos 30 filmes, entre curtas e longa-metragens, baseados em três eixos temáticos: Ecossistemas & Biodiversidade, Cidades & Conflitos e Povos & Territórios. O produtor cultural Rafael Buda, coordenador da mostra, conta que o projeto integra filmes pernambucanos e nacionais e alerta para um debate sobre as novas tecnologias que podem contribuir para a questão ambiental no município. A websérie Cidade Plástica, que aborda o consumo consciente do uso plástico, integra a lista de lançamentos nesta edição. Os episódios reúnem depoimentos de pessoas que trabalham para o desenvolvimento sustentável no Recife, como Erica Vidal de Negreiros, analista de desenvolvimento ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade. “Dentro do circuito nacional de festivais ambientais, Recife está no roteiro dos principais com a execução da MARÉ e consolida uma perspectiva de trabalhar a consciência ambiental utilizando os novos meios de comunicação na cidade”, ressalta Rafael Buda, coordenador da mostra.

O Jardim Botânico do Recife sedia a abertura da mostra de cinema ambiental no domingo (25), a partir das 11h, com sessão infantil dos curtas Fazenda Rosa (PE), Plantae (RJ), O Malabarista (GO), Viagem na chuva (GO) no auditório. Às 14h, os visitantes participam de Sessão Ambiental com temática Povos & Territórios, Maré (BA), Fantasia de índio (PE), A era de Lareokotô (PE). Na segunda-feira (26), o Cinema São Luiz recebe o lançamento nacional do documentário Chão, dirigido pela carioca Camila Freitas, sobre o cotidiano de um assentamento do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra em Goiás, às 20h. Na terça-feira (27), os estudantes da Escola Municipal José da Costa Porto, localizada na Ilha Joana Bezerra, recebem uma tela inflável para a Sessão Escola, a partir das 15h.

As sessões dos dias 28 e 29 prometem surpreender o espectador. Mais de 100 adesivos de QR Codes serão espalhados em parques, bares e restaurantes, livrarias, universidades, paradas de ônibus, metrôs, academias, livrarias, possibilitando a exibição de curtas de até 5 minutos através de dispositivos mobile, como celular e tablet. Na sexta-feira (30) será a vez do Econúcleo Jaqueira sediar a Sessão Parque, a partir das 19h, com exibição de cinco curtas ambientais, entre eles, Travessia, que retrata a história de Seu Mita e a relação com o rio Capibaribe. O encerramento da MARÉ, no dia 31, vai ocupar o Cais do Imperador, a partir das 18h30, com Sessão Ambiental baseada no tema Ecossistemas & Biodiversidade, seguido por caminhada com a EletroBike, projeto do VJ e DJ Mozart que conta com uma bike adaptada com som e projeção, em direção ao Marco Zero, com projeções de intervenções ambientais e música.

“É importante estimular a consciência ambiental por meio de exibição de filmes para refletirmos sobre temas da realidade brasileira e mundial que atingem o meio em que vivemos. Trabalhar a temática ambiental da forma mais ampla é uma ferramenta fundamental para a mudança comportamental”, destaca o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Neves Filho.

A expectativa desta edição é reunir mais de 3 mil pessoas durante os 7 dias de exibição, sendo cerca de 1 mil pessoas engajadas através dos QR Codes espalhados pela cidade. No Jardim Botânico, os filmes serão exibidos no auditório com capacidade para 50 pessoas, enquanto o Econúcleo Jaqueira dispõe de toda a estrutura sustentável para acomodar cerca de 50 visitantes. Para a Escola Municipal José da Costa Porto, o coordenador da mostra Rafael Buda levará uma tela inflável e, no Cais do Imperador, a sessão será ao ar livre, com capacidade para cerca de 100 pessoas, quando serão disponibilizadas cadeiras e as escadas servirão de arquibancada para quem for curtir os filmes. Para assistir as sessões gratuitas, voltadas para público de todas as idades, basta se dirigir ao local com antecedência (sujeito a lotação).

Sobre a MARÉ - Mostra Ambiental do Recife

A Mostra Ambiental do Recife (MARÉ) é uma ação que combina história, cultura, meio ambiente e cidadania. Sendo um festival de cinema, seu carro chefe é a exibição de filmes que dialogam com a temática ambiental e estimulam a reflexão crítica dos espectadores. O projeto tem os objetivos de articular diferentes linguagens artísticas como o cinema e artes visuais no diálogo com o meio ambiente; sensibilizar a população em geral sobre problemáticas ambientais atuais e a necessidade do engajamento social e o papel da população para superação desses conflitos; estimular jovens estudantes a refletirem e incorporarem seu olhar sobre o meio ambiente na produção audiovisual; realizar como intervenção ambiental sessões de QR Code por toda cidade do Recife, dentre outros. A programação é toda gratuita e voltada para o público de todas as idades, sendo necessário chegar ao local de exibição com antecedência (sujeito a lotação).

Confira a programação completa MARÉ 2019 :

25/08 - Jardim Botânico do Recife
10h - Atividade de Bem-estar: Yoga e Meditação
Instrutora: Ruth Melo

11h - Sessão Infantil (43min)
Fazenda Rosa (PE, 2018, 9’), de Chia Beloto
Sinopse: Sinopse: Erasto Vasconcelos, o poeta da percepção da vida, de como ela é tão bem usada em nosso planeta, faz eco dos bichos do dia e da noite, dos peixes do rio, dos pássaros, dos bichos do mangue, das árvores e suas frutas, do que se planta para comer, das personagens que nos cantam e das cantigas de roda.

Plantae (RJ, 2017, 10’), de Guilherme Gehr
Sinopse: Ao cortar uma grande árvore no interior da floresta amazônica, um madeireiro contempla uma inesperada reação da natureza. Uma reflexão sobre as consequências irreversíveis do desmatamento e da subjugação dos humanos aos demais seres da Terra.

O Malabarista (GO, 2018, 11’), de Iuri Moreno
Sinopse: Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

Viagem na chuva (GO, 2014, 13’), de Wesley Rodrigues
Sinopse: A chuva, assim como o circo, percorre um longo caminho até seu lugar de destino. Quando os dois se vão, ficam as lembranças.

13h - Atividade de Bem-estar: Expressão Corporal
Instrutora: Gervania Fraga

14h - Sessão Ambiental: Povos & Territórios (1h)

Maré (BA, 2018, doc, 22’), de Amaranta César
Sinopse: O movimento da maré: várias gerações de mulheres quilombolas entre o impulso de partir e a vontade de ficar, entre a incerteza do futuro e a força da ancestralidade.

Fantasia de índio (PE, 2017, doc, 18’), de Manuela Andrade
Sinopse: Desde criança, ouvia minha mãe falar da minha ascendência indígena. Há duas décadas atrás meu tio materno foi ao encontro dos xukurus à procura de rastros desse passado, resolvi dar continuidade a essa busca.

A era de Lareokotô (PE, 2019, doc, 20’), de Rita Carelli
Sinopse: Copa do Mundo, roça, ritual. Em meio a um dia intenso – e comum – na aldeia do povo indígena Enawenê-Nawê, no Mato Grosso, Kularenê nos conta como, ao saírem de dentro da mesma pedra, índios e brancos tomaram rumos distintos: os primeiros guiados por Wadari, seu ancestral, e os outros por Lareokotô, avô dos brancos e pai da tecnologia.

26/08 – Cinema São Luiz

18h30 - Lançamento Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5min)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

19h - Sessão de Curtas: Lançamentos (35 min)
Seiva (PB, 2019, fic, 7’), de Ramon Batista
Sinopse: entre a contemplação e o alerta para trazer luz a seiva essencial da vida, a água recurso finito e fundamental.

Enraizada (PE, 2019, doc, 8’), de Tiago Delácio
Sinopse: Desde os 14 anos Dona Olívia habita a Mata do Engenho Uchôa, um remanescente de Mata Atlântica de 172 hectares, dentro da cidade do Recife.

A era de Lareokotô (PE, 2019, doc, 20’), de Rita Carelli
Sinopse: Copa do Mundo, roça, ritual. Em meio a um dia intenso – e comum – na aldeia do povo indígena Enawenê-Nawê, no Mato Grosso, Kularenê nos conta como, ao saírem de dentro da mesma pedra, índios e brancos tomaram rumos distintos: os primeiros guiados por Wadari, seu ancestral, e os outros por Lareokotô, avô dos brancos e pai da tecnologia.

20h - Sessão Longa: Lançamento
Chão (RJ, 2019, doc, 110’), de Camila Freitas
Sinopse: Registrado por quatro anos, o documentário acompanha o cotidiano de um assentamento do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra em Goiás. A urgência do tema, com a iminente criminalização do movimento e suas lideranças, contrasta com o tempo distendido do filme, que magnífica os gestos da agricultura familiar em oposição às paisagens monocromáticas do agronegócio. ‘Chão’ elabora uma justa distância daqueles que filma - ao mesmo tempo colado na luta e reconhecendo-se estrangeiro a ela -, na exploração cinematográfica dos potentes modos coletivos de existência e resistência ali implicados.

27/08 - Escola Municipal José da Costa Porto (Escola que recebeu o projeto Cidade Plástica)

15h - Sessão Escola (60 min)

Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5´)
Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

Cor de pele (PE, 2018, doc, 15’30’’), de Lívia Perini
Sinopse: Cor de Pele é um sensível documentário sobre a vida do menino albino Kauan, de 11 anos. Na bela cidade de Olinda, Kauan relata como é o dia a dia de sua átipica família, no qual tem cinco irmãos: dois albinos e três negros. Ele conta como lida com as dificuldades de ter a pele e visão sensíveis, sendo uma criança super ativa numa cidade que o sol brilha todos os dias do ano. Kauan é um menino cativante e engraçado, que luta para se encaixar na cultura local e provar que cor de pele não quer dizer nada. O doc é narrado por ele, e destaca a forma espontânea que ele conta sua vida e histórias.

A menina banda (PE, 2018, fic, 25’), de Breno César
Sinopse: uma menina vira atração na pequena cidade onde mora porque dela se podem ouvir sons.

Uchôa, a Mata Pulsante (PE, 2019, doc, 17’), de Tiago Delácio
Sinopse: O filme revela as características ambientais, econômicas e sociais do Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata do Uchôa. A partir da mobilização social para preservar essa reserva, o filme acompanha a história de 40 anos de resistência do Movimento em Defesa da Mata Uchôa contra as pressões imobiliárias, as constantes ameaças e as degradações ambientais.

28 e 29/08 - Redes Sociais

Sessão QR Code: Cidades & Conflitos (11 filmes de até 5m)

1. A cena e a cana (PE, 2014, animação, cor, digital, 2’22’’), resultado da oficina de animação stop-motion da 4ª Mostra Canavial de Cinema, ministrada por Bruno Cabús e Paulo Leonardo
2. Andarilho (doc, PE, 2015, cor, HD, 5’08), de Jacaré Vídeo
3. Bike Gelo Baiano (doc, PE, 2015, cor, HD, 2’18), de Jacaré Vídeo
4. Ciclo Ativo (doc, PE, 2016, cor, HD, 6’), de Jacaré Vídeo
5. Dia de fúria (PE, 2015, documentário, cor, HD, 3’), de Jacaré Vídeo
6. Linear (SP, 2014, animação, cor, digital, 6’), de Amir Admoni
7. No caminho do bem (PE, 2015, documentário, cor, digital, 3’24’’), de Jacaré Vídeo
8. O fim dos carros (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’40’’), de Jacaré Vídeo
9. O paradoxo da espera do ônibus (fic, RJ, 2007, cor, digital, 3’), de Christian Caselli

10. Poesia Animada (fic, PE, 2014, cor, HD,3’13’’), resultado da oficina de stop-motion da 1ª Mostra Cinema na Mata, ministrada por Quiá Rodrigues e Gabi Saegesser

11. Vrruummm!! (fic, SP, 2003, cor, 5’), de Paula Dager

30/08 – Econúcleo Jaqueira

17h - Atividade de Bem-estar: Yoga e Meditação
Instrutora: Ruth Melo

18h - Atividade de Bem-estar: Expressão Corporal
Instrutora: Gervania Fraga

19h – Sessão Parque (45min)

Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5’)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

Travessia (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’15’’), de Jacaré Vídeo
Sinopse: Seu Mita faz diariamente a travessia de barco, do bairro da Torre para a Jaqueira (Recife), e fala sobre a sua relação com o rio e a importância desse serviço, uma tradição familiar quase centenária, hoje cada vez mais rara na cidade

Uchôa, a Mata Pulsante (PE, 2019, doc, 17’), de Tiago Delácio
Sinopse: O filme revela as características ambientais, econômicas e sociais do Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata do Uchôa. A partir da mobilização social para preservar essa reserva, o filme acompanha a história de 40 anos de resistência do Movimento em Defesa da Mata Uchôa contra as pressões imobiliárias, as constantes ameaças e as degradações ambientais.

Fazenda Rosa (PE, 2018, 9’), de Chia Beloto
Sinopse: Sinopse: Erasto Vasconcelos, o poeta da percepção da vida, de como ela é tão bem usada em nosso planeta, faz eco dos bichos do dia e da noite, dos peixes do rio, dos pássaros, dos bichos do mangue, das árvores e suas frutas, do que se planta para comer, das personagens que nos cantam e das cantigas de roda.

O Malabarista (GO, 2018, 11’), de Iuri Moreno
Sinopse: Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

31/08 – Cais do Imperador

18h30 - Sessão Ambiental: Ecossistemas & Biodiversidade (81min)

Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5’)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

Plantae (RJ, 2017, 10’), de Guilherme Gehr
Sinopse: Ao cortar uma grande árvore no interior da floresta amazônica, um madeireiro contempla uma inesperada reação da natureza. Uma reflexão sobre as consequências irreversíveis do desmatamento e da subjugação dos humanos aos demais seres da Terra.

Maré (BA, 2018, doc, 22’), de Amaranta César
Sinopse: O movimento da maré: várias gerações de mulheres quilombolas entre o impulso de partir e a vontade de ficar, entre a incerteza do futuro e a força da ancestralidade.

Entremáres (PE, 2018, 20’) de Anna Andrade
Sinopse: O documentário Entremarés aborda o cotidiano e o trabalho de mulheres que sobrevivem da atividade de pesca na comunidade da Ilha de Deus, situada no bairro da Imbiribeira, em Recife (PE).

A menina banda (PE, 2018, fic, 25’), de Breno César
Sinopse: uma menina vira atração na pequena cidade onde mora porque dela se podem ouvir sons.

20h – Caminhada com a EletroBike

Projeto do VJ e DJ Mozart que conta com uma bike adaptada com som e projeção. Sairá do Cais do Imperador em direção ao Marco Zero projetando intervenções ambientais com música.

[1250] Manguezal
[1250] ManguezalFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Nesta sexta-feira (26) é comemorado o Dia do Mangue. Um dos ecossistemas mais presentes no Recife, os manguezais fazem parte da história e da paisagem da capital pernambucana. A Prefeitura do Recife celebra a data com palestra gratuita ministrada por Maíra Braga, gerente de Planos de Manejo da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, baseada no tema Mangue e Turismo de Base Sustentável, durante a programação do Mangue Day, nesta quinta-feira (25), das 9h às 12h, no Cinemark RioMar.

O Recife conta com 25 Unidades de Conservação da Natureza (UCNs), sendo que algumas delas protegem áreas de mangues, destacando-se o Parque Natural dos Manguezais Josue´ de Castro, com 320,34 hectares, abrangendo os bairros do Pina, Boa Viagem e Imbiribeira. Essas áreas são definidas por lei com o intuito de conservar suas características ambientais, protegendo a rica biodiversidade e contribuindo para a manutenção dos serviços ambientais e ecossistêmicos.

Durante o evento, Maíra Braga vai destacar os manguezais do Recife não apenas por sua importância para a conservação, mas também como ambientes que despertam interesse para visitação por turistas e moradores da cidade. “Os ambientes naturais do Recife, no diálogo com as paisagens urbanas e elementos culturais e sociais, constituem-se também como atrativos turísticos e como oportunidades para a sensibilização ambiental e percepção da cidade de uma forma diferenciada. Desta maneira, pode contribuir cada vez mais para a sustentabilidade local”, comenta Maíra.

Mangue Day – Evento promovido pelo Shopping Rio Mar, que este ano será realizado nos dias 25 e 26 de julho, contando com debates sobre os manguezais e atividades socioambientais, como peça teatral infantil, apresentações culturais e mutirão de limpeza. Nas palestras estarão presentes também representantes do Instituto BiomaBrasil, do Espaço Ciência e da Associação Peixe-Boi-AL.

Dia do Mangue - A Organização das Nações Unidas estabeleceu, em 6 de novembro de 2015, 26 de julho como o Dia Internacional para a Conservação do Manguezal. Nesta data é lembrada a morte, em 1998, do ativista do Greenpeace Hayhow Daniel Nanoto, durante um protesto em Muisne, no Equador. Em 2000, o país passou a celebrar na mesma data, o Dia de defesa do Mangue. O mundo celebrou pela primeira vez essa data de destaque ambiental em 2016.

Os manguezais, segundo a ONU, abrangem 15,2 milhões de hectares, o equivalente a 0,4% da superfície florestal do planeta. No Recife, se estendem por cerca de 535 hectares.

Entre os benefícios ambientais do manguezal estão a proteção da costa contra enchentes e a manutenção da vida marinha, uma vez que peixes e outros organismos dependem desse ecossistema para completar seu ciclo de vida. Além disso, os mangues retêm carbono, contribuindo para mitigar os efeitos das mudanças climáticas.

comece o dia bem informado: