Foram encontrados 6472 resultados para "Blog da Folha":

Apenas um dos candidatos precisa se filiar para que disputem coletivamente o mandato de vereador do Recife
Apenas um dos candidatos precisa se filiar para que disputem coletivamente o mandato de vereador do RecifeFoto: Divulgação

Depois do êxito da eleição das Juntas, na eleição de 2018, que elegeu cinco co-deputadas para a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), dois pré-candidatos vão repetir o tipo de candidatura em dose dupla.

Desta vez, a procuradora judicial do município do Recife e blogueira, Noélia Brito, junto ao presidente do PSOL, Áureo Cisneiros vão disputar uma vaga na Câmara Municipal do Recife nas eleições de 4 de outubro deste ano.

No momento, Noélia não é filiada a nenhuma legenda, mas pode se filiar até o dia 4 de abril. Porém, para disputar o mandato apenas um dos candidatos da chapa, o que estiver inscrito precisa ser filiado. 


João Campos
João CamposFoto: divulgação

 

O deputado federal João Campos (PSB-PE) rebateu, em postagem no Twitter, nesta quarta-feira (22) a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes que atribuiu aos pobres a culpa pelos problemas ambientais do país. Em Davos, o ministro disse que "o pior inimigo do meio ambiente é o pobre".


"As tragédias de Mariana e Brumadinho foram causadas por quem, ministro? E as queimadas e o desmatamento na Amazônia? E o vazamento de óleo nas praias? Nada disso foi responsabilidade da camada mais pobre brasileira", escreveu o parlamentar.

Confira:

joão campos

 

 

joão campos

Crédito: Reprodução / Twitter



 

Líder do PT no Senado, Humberto Costa, em entrevista à Rádio Folha.
Líder do PT no Senado, Humberto Costa, em entrevista à Rádio Folha.Foto: Alfeu Tavares / FolhaPE

A decisão do PT de ter candidatura própria no Recife em 2020 ou de reeditar a eleição de 2018 - quando Marília Arraes foi rifada da corrida ao Governo do Estado por conta da aliança nacional com o PSB - continua movimentando a política da capital pernambucana. O senador Humberto Costa, líder do partido no Senado e um dos que defende a aliança com a Frente Popular, se posicinou sobre o assunto em entrevista à Rádio Folha (96,7), nesta quarta-feira (22) e manteve sua defesa da manutenção da legenda na Frente Popular.

"Exatamente na capital onde esse núcleo hegemônicpo do PSB tem uma relação conosco nós vamos produzir esse rompimento?", questionou Humberto. Segundo o senador, na próxima terça-feira (28), haverá uma reunião para discutir a eleição no Recife, com a presença do ex-presidente Lula, da presidente nacional do PT Gleisi Hoffman, do presidente estadual da sigla, Doriel Barros; do presidente da sigla no Recife, Cirilo Mota. O próprio senador e a deputada federal Marília Arraes estarão presentes no encontro.

Humberto disse que no encontro se colocará disponível para defender o que for decidido pelo partido, seja a candidatura de Marília ou a manutenção da aliança. E lembrou que o gesto não foi feito pela companheira de legenda em 2018. "A própria Marília Arraes não votou em mim, votou no senador bolsonarista. Mas se precisar votar nela, votarei", disse. Humberto deu um recado direto para Marília, pedindo que ela construa o convencimento dos diretórios locais em torno de sua candidatura. "Ninguém é candidato da cúpula do PT, não existe isso. Ela tem que construir com os filiados do Recife e os dirigentes esse caminho. Ela tem que convencer as pessoas", sugeriu. Se ele tiver somente a indicação do PT nacional é insuficiente. Ela tem que ganhar o partido no município", frisou.

Se o PT for tomar hoje uma decisão no seu diretório, na sua executiva, a posição seria fazer aliança. Tem que ter um trabalho dela de conversar com todo mundo e convencer as pessoas de que é melhor ter uma coandidatura. Se a nacional disser que vai ter candidato vai ser uma coisa inédita. Mas quem vai fazer a campanha são as pessoas aqui", comentou. "Nunca estive fechado para dialogar com ela. É bom que exista essa condição hoje da gente poder conversar", avaliou Humberto.

Ouça a entrevista:

 

Ex-prefeito Elias Gomes
Ex-prefeito Elias GomesFoto: Ed Machado/Folha de Perambuco

O ex-prefeito dos municípios do Cabo de Santo Agostinho e Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, pediu, na manhã desta quarta-feira (22), a desfiliação do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Elias comunicou a saída do partido em carta ao presidente Nacional da legenda, Bruno Araújo. Elias agradeceu aos tucanos o apoio que recebeu durante o período em que esteve no partido, principalmente durante as duas eleições para Prefeitura de Jaboatão.

"Carta ao PSDB

Caro Presidente Bruno Araújo, venho por meio dessa carta comunicar que encerro meu ciclo como filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira. Agradeço pela convivência no meu período de permanência nesta legenda e dos vários amigos que aqui construí como militante e Prefeito de Jaboatão eleito por duas vezes com o importante apoio do PSDB. Sigo o meu caminho na luta política e certo de que estaremos em sintonia nas lutas em favor de um país mais justo e na defesa dos valores democráticos.
Aos Tucanos de Pernambuco meus agradecimentos sinceros e amizade.

Saudações.

Elias Gomes"

Porcurador do Ministério Público de Contas, Cristiano Pimentel.
Porcurador do Ministério Público de Contas, Cristiano Pimentel.Foto: Kleyvson Santos / Folha de Pernambuco

A sanção do pacote anticrime proposto pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, para endurecer as leis penais e o processo penal, publicada no final de dezembro com vetos entrará em vigor no dia 23 de janeiro. Para comentar sobre as mudanças na lei propostas pelo Congresso, o procurador do Ministério Público de Contas do Estado, Cristiano Pimentel foi o convidado do programa Folha Política da Rádio Folha (FM 96,7), nesta terça-feria (21).

"É inegável que o Ministério Público perdeu o poder. E é lógico que nenhum órgao e nenhuma corporação gosta de perder poder. Mas mesmo sendo do Ministério Público, olhando de um ponto de vista imparcial, considero que algumas dessas novas regras são importantes e positivas", avaliou Pimentel. Segundo ele, alguns pontos alterados estão sendo alvo de críticas de setores do Ministério Público e de policiais federais."No pacote anticrime foram criadas algumas regras restringindo a amplitude atual das delações premiadas", explicou.

"Mas eu não considero essas regras ruins porque elas dão uma disciplina , pois estavam muito soltas na Lei. Segundo o procurador, as regras antigas haviam sido pensadas para combater outros tipos de crimes, como o narcotráfico. "Não se imaginava que elas estaraim sendo usadas agora contra políticos e grandes empresários", disse.

Cristiano lembrou que quando Joesley Batista e seu irmão fizeram a delação da JBS, o caso foi julgado pelo STF e as delações consideradas legais. "Eu desconfio que veio esta lei aí, esse jabuti no pacote anticrime para rever essa decisão", avaliou. "Agora um político e empresário só vai poder delatar fatos que tenham relação direta com o crime de que ele esteja participando. É a blindagem de determinadas categorias que alguns desses jabutis colocaram", criticou Pimentel.

Ouça a entrevista completa:

Murilo Cavalcanti destacou ações integradas para o combate à violência no Recife
Murilo Cavalcanti destacou ações integradas para o combate à violência no RecifeFoto: Divulgação/ PCR

O secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti, destacou o trabalho realizado junto à população através dos Centros Comunitários da Paz e ações integradas junto ao Governo do Estado, que recentemente trouxe de redução na violência urbana.
“Não estou dizendo que Recife é um paraíso, mas o Brasil é um País inseguro, e Recife, pelo que me consta, fica dentro do Brasil. Agora Recife não é o pior dos mundos, de maneira nenhuma”, afirmou o secretário, durante entrevista na Rádio CBN. Ele também revelou que tem um bom relacionamento com o ministro da Justiça e Segurança Pública, o ex-juiz Sérgio Moro.

Na ocasião, a delegada Patrícia Domingos, que é ventilada para disputar às eleições municipais no campo das oposições rebateu suas declarações afirmando que não “se sentia segura nas ruas”.

Murilo Cavalcanti, por sua vez, relembrou de suas experiências na Colômbia, que originaram o lançamento de seu livro “As Lições de Bogotá & Medellín - do Caos à Referência Mundial”, em 2013. “Temos um trabalho de acolhimento, vi um trabalho em Medellíin. Pernambuco tem o melhor ensino médio interal do Brasil, um esforço do governador Paulo Câmara”, disse Cavalcanti.

Segundo o secretário, o trabalho feito pelo prefeito Geraldo Julio é para diminuir o hiato social da população recifense, dividida entre os bolsões de pobreza e riqueza. “O papel de um prefeito numa cidade não é tornar todo mundo igual, mas é dar as mesmas oportunidades para todo mundo. O que a gente precisa é reduzir essa distância entre a cidade formal, de bairros como Boa Viagem, Jaqueira, que são os bairros ricos, dos bairros da periferia”, relatou.

Daniel Coelho é o líder do Cidadania na Câmara Federal
Daniel Coelho é o líder do Cidadania na Câmara FederalFoto: Divulgação

A disputa eleitoral no Recife e nas principais cidades pernambucanas estiveram no centro da entrevista com o deputado federal Daniel Coelho (Cidadania), nesta segunda-feira (20), em entrevista concedida por telefone à Rádio Folha (FM 96,7). O parlamentar reforçou a necessidade da oposição estar coesa em torno de uma unidade se quiser ter chances e evitar uma disputa entre os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) num provável segundo turno na capital pernambucana.

"A oposição está madura e caminha para essa unidade. Quando a gente vê que a oposição está covergindo para construir a unidade e fazendo isso internamente e sem que nossos adversários tenham ciência, é sinal deu que estamos no camininho certo", avaliou. Segundo ele, o campo da oposição tem se reunido com muita frequência em Pernambuco. "O maior acerto da oposição é estar conseguindo dialogar e construindo a unidade. E a gente não vai construir a unikdade pela imprensa e enfraquecendo um ou outro. Todos são importantes, niguem ganha a eleição só. Não há super-homem.
Nenhum candidato da oposição ganha só", afirmou.

Segundo Daniel, é natural que os partidos da oposição tenham seus candidatos e todos têm legitimidade. "Ninguém vai descartar nenhuma das possibilidades, não tem motivos para que isso cocorra. Quem é o melhor nome em janeiro, não é o melhor nome em abril ou em junho. E não tem como considerar a composição de uma aliança no Recife que não contemple a aliança em Jaboatão, Petrolina e Caruaru. Quem apoia também vai receber apoio", ponderou, destacando outras cidades importantes que estão no radar como Garanhuns e Ipojuca.

"O combinado é que neste momento vamos respeitar as pré-candidaturas de todsos e escolher mais na frente a que melhor tem chance. O que não vai ocorrer é a nossa divisão. Com a nossa unidade a oposição tem uma chance muito grande", revelou. Daniel Coelho disse enxergar com naturalidade a possibilidade do deputado federal Raul Henry (MDB) desembarcar do governo e integrar a oposição como pré-candidato. "Raul será benvindo à mesa no processo de escolha do candidato. Depende dele de externar seu rompimento com o goverono", frisou.

Ouça a entrevista completa:

Deputado estadual Lucas Ramos (PSB), em entrevista à Rádio Folha.
Deputado estadual Lucas Ramos (PSB), em entrevista à Rádio Folha.Foto: Julya Caminha / Folha de Pernambuco

Pré-candidato do PSB na disputa pela Prefeitura de Petrolina, o deputado estadual Lucas Ramos avaliou, em entrevista à Rádio Folha (96,7), nesta sexta-feira (17), que o campo de oposição ao prefeito Miguel Coelho (MDB) terá múltiplas candidaturas no primeiro turno, mas deveria estar coeso para a disputa do segundo turno do pleito.

O parlamentar citou vários nomes que deverão disputar, a exemplo do também deputado estadual Odacy Amorim (PT) e de Julio Lossio (PSD), este último de quem se declarou mais próximo. "A oposição está representada em vários paritod da Frente Popular em Pernambuco. A gente poder discutir múltiplas candidaturas. O PB decidiu por essa candidatura também. No final do ano passado o governador Paulo Câmara concedeu uma entrevista a uma radio de Petrolina confirmando a candidatura. Isso nos deu força", revelou.

Contudo, Lucas Ramos diz enxergar com naturalidade a disputa da oposição no primeiro turno. "Isso não dos faz inimigos polítocos. Diante da possibilidade que petrolina tem, de resolver a eleição em dois turmnos, acho natural termos vpárias candidaturas. É um exercício que a oposião de Petrolina tem que ter é entender que apesar da disputa no voto, o boloco de oposição ao prefeito tem que se organizar para que no segundo turno todas as forças devam trabalhar a favor.

Ouça a entrevista:

Deputados federais João Campos e Tadeu Alencar, ambos do PSB.
Deputados federais João Campos e Tadeu Alencar, ambos do PSB.Foto: Divulgação

O deputado federal Tadeu Alencar (PSB) se posicionou em relação à informação publicada no Blog da Noelia Brito, nesta sexta-feira (17). Segundo a publicação, em razão de maus resultados em pesquisas qualitativas feitas pelo PSB e do agravamento da briga familiar envolvendo os Campos, os Arraes e os Andrade Lima, teria sido convocada uma reunião na noite desta quinta (16), onde "se cogitou a substituição do deputado João Campos, que já era dado como candidato certo do PSB à sucessão de Geraldo Julio, que sonha em ser o próximo governador de Pernambuco, por outro nome do PSB. Em substituição a João Campos, outro integrante do condomínio político-familiar socialista, o deputado Tadeu Alencar, figuraria como o preferido de Renata Campos, comandante do grupo político que governa Pernambuco e Recife".

"Segundo nossas fontes palacianas, por ser ainda muito jovem, João tem apenas 25 anos, a cúpula do PSB, comandada por Renata Campos, mãe do deputado, tem avaliado que seria preferível poupá-lo de uma eventual derrota e lançar outro nome, deixando uma eventual candidatura do jovem parlamentar a um cargo majoritário para momento em que o desgaste das gestões socialistas não esteja tão forte. É esperar para conferir", conclui a publicação de Noélia.

À Folha de Pernambuco, Tadeu Alencar se posicionou para negar a informação. "A única coisa que tenho a dizer sobre isso é que pura fantasia. Não é cogitado de forma nenhuma no PSB. O PSB tem a pré-candidatura colocada, que é de João Campos. Não houve nenhuma modificação com relação a isso e muito menos com relação ao meu nome". Já o Governo do Estado preferiu não comentar sobre o assunto.

Deputados estaduais João Paulo (PCdoB) e Gleide Ângelo (PSB) são cotados para disputarem cargos de prefeito (a) nas eleições municipais de quatro de outubro
Deputados estaduais João Paulo (PCdoB) e Gleide Ângelo (PSB) são cotados para disputarem cargos de prefeito (a) nas eleições municipais de quatro de outubroFoto: Alfeu Tavares/ Folha de Pernambuco

Com a aprovação e publicação das resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que estabelecem as novas regras para a eleição municipal de outubro, uma mudança deve movimentar candidatas e candidatos no próximo pleito: o domicílio eleitoral. Na legislação antiga era exigido um ano de antecedência para o candidato mudar de endereço e poder concorrer no novo município.

Agora, bastam seis meses para que as candidaturas estejam aptas. Com isso, a data-limite para a mudança de domicílio passou para o dia 4 de abril, o que deve ser um termômetro para a definição de algumas candidaturas.

O novo prazo deve ser levado em conta nas articulações dos partidos que queiram garantir a postulação de candidaturas dentro das regras da Justiça Eleitoral. O ex-prefeito do Recife e deputado estadual João Paulo (PCdoB) é um dos que podem mudar de endereço visando o pleito municipal. Contudo, apesar de admitir a possibilidade de concorrer em Olinda ou Jaboatão, ele evitou antecipar a decisão. "Meu domicílio eleitoral é Recife. A gente está discutindo ainda com o partido e a partir daí vou aguardar uma definição. Tem, na verdade, um desejo maior que eu vá disputar ou em Jaboatão ou em Olinda", comentou o parlamentar, que já se articula nas duas cidades.

"Há um clima muito bom, mas estou esperando Marcelino Granja (presidente estadual do PCdoB) voltar do recesso, saber como andam as tratativas com o PSB e com o PT, para ver qual vai ser qual a decisão do partido. Em Jaboatão eu já fui candidato a prefeito, atuei muito nas fábricas, já fui morador de Jaboatão, em Prazeres, na área do Ibura, etc. E em Olinda, porque nasci lá, tem toda uma relação com a cultura, já participei de lutas lá e convivi com Luciana (Santos) quando ela era prefeita e também com Renildo (Calheiros). Então, tem um sentimento - eu diria, forte - para que eu vá para uma desas cidades, mas não tem uma definição ainda não", ponderou João Paulo, que viu com bons olhos o novo prazo. "Eu acho que isso facilita mais a mudança de domicílio, principalmente para as cidades mais próximas", disse.

"O calendário está em cima, mas eu não posso definir nem que sou candidato nem que não serei. vai depender da Frente Popular, pois o PCdoB vai estar tratando também com o PSB", afirmou.

Outro nome cotado para a disputa eleitoral em Jaboatão dos Guararapes é o da deputada estadual Gleide Ângelo (PSB). Com a maior votação entre os eleitos para o Legislativo Estadual (412.636 votos), o desempenho em Jaboatão (66.779 votos) a credenciou como um nome forte para a disputa. Para concorrer, no entanto, ela precisaria mudar de domicílio dentre do prazo estipulado. Contudo, segundo sua assessoria de imprensa, Gleide está totalmente focada em seu mandato parlamentar e não discutiu mudar seu domicílio eleitoral, que continua no Recife.

De acordo com o o advogado especialista em Direito Eleitoral, Walber Agra, o prazo para troca de domicílio tende a desaparecer com o tempo. "Essa questão de domicílio, em um mundo globalizado, não deveria nem existir. Ela é uma questão mais administrativa. Então, seis meses eu acho um prazo extremamente interessante, porque você tem que providenciar o ponto de votação para o cidadão", avalia. "Em um mundo onde a globarização é plural, onde não há mais aldeias municipais, considero um avanço. Considero que esse prazo pode ser até diminuído", disse Agra. Para efetivarmudança de domicílio eleitoral, o cidadão precisa apenas levar ao TRE um comprovante de residência no novo município em seu nome.

Confira mudanças para as eleições 2020

Pesquisas
A partir do dia 1º de janeiro as pesquisas eleitorais devem ser registradas, até cinco dias antes da divulgação, no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais (PesqEle).

Janela Eleitoral
A chamada janela eleitoral ficou fixada de 5 de março a 3 de abril.

Registro de novos partidos
Também em abril, no dia 4 – seis meses antes do pleito – esgota-se o prazo para que novas legendas sejam registradas na Justiça Eleitoral a tempo de lançarem candidatos.

Descompatibilização
A data de 4 de abril também marca o fim do prazo para que detentores de mandatos no Poder Executivo renunciem aos seus cargos para se lançarem candidatos.

Regularização de título eleitoral
Para os eleitores, 6 de maio éo último dia para que regularizem a sua situação junto à Justiça Eleitoral para poderem votar em outubro.

Doação de campanha
O prazo para início da da arrecadação facultativa de doações por pré-candidatos aos cargos de prefeito e vereador, por meio de plataformas de financiamento coletivo credenciadas começa a contar a partir do dia 15 de maio.

Fundo eleitoral
Os recursos disponíveis para o financiamento de campanha mediante o Fundo Especial de Financiamento de Campanhas (FEFC), por sua vez, serão divulgados no dia 16 de junho.

Propaganda eleitoral
Pré-candidatos que apresentem programas de rádio ou televisão ficam proibidos de fazê-lo a partir do dia 30 de junho. No dia 16 de agosto, passa a ser permitida a propaganda eleitoral, inclusive na internet. O horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão passa a ser veiculado de 28 de agosto a 1º de outubro.

Comícios
Os comícios poderão acontecer até o dia 1º de outubro.

Divulgação
A divulgação paga, na imprensa escrita, de propaganda eleitoral e a reprodução, na internet, de jornal impresso com propaganda serão permitidas até o dia 2 de outubro. Já a distribuição de santinhos e a realização de carreatas podem ocorrer até 3 de outubro.

Convenções
Deverão ser realizadas de 20 de julho a 5 de agosto.

Registro de candidaturas
Os registros de candidaturas devem ser protocolados, via internet, até as 23h59 do dia 14 de agosto. Por meio físico, os requerimentos devem ser protocolados até as 19h do dia 15. Os próprios candidatos poderão se registrar pessoalmente, até o dia 20 de agosto.

Elegibilidade
A Justiça Eleitoral estabeleceu o prazo de 14 de setembro para que todos os cerca de 500 mil registros de candidatura esperados para o pleito de 2020 tenham sido julgados pelos respectivos juízes eleitorais.

Prisão
Já a partir do dia 19 de setembro, candidatos não poderão ser presos, salvo no caso de flagrante delito.

Diplomação
O prazo para a diplomação dos eleitos será 18 de dezembro.

assuntos

comece o dia bem informado: