Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe)
Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe)Foto: Wesley D'Almeida

A Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa de Pernambuco realizou, nesta segunda-feira, no auditório Ênio Guerra, uma Audiência Pública com ambientalistas, quilombolas e índios para discutir a pretensão do Governo Federal de implantar uma usina nuclear em Itacuruba, no Sertão do Estado.

Participaram do debate os deputados Wanderson Florêncio (PSC), Lucas Ramos (PSB), Fabrizio Ferraz (PHS), Henrique Queiroz Filho (PL), Antônio Moraes (PP), Sivaldo Albino (PSB), Clóvis Paiva (PP), Isaltino Nascimento (PSB), Alberto Feitosa (SD), Antônio Fernando (PSC), Doriel Barros (PT) e João Paulo (PCdoB), especialistas, professores da UFPE e UPE, representantes do Ministério Público, da OAB e da Prefeitura de Itacuruba.

“Além de uma discussão econômica, social e ambiental é também uma discussão ética, haja vista que a guarda do lixo atômico deverá ser feita por dez mil anos com a tecnologia existente. Foi um debate plural, onde cada lado se posicionou e apresentou os seus questionamentos.”, afirmou o presidente da Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade Wanderson Florêncio (PSC).

Na semana passada uma comitiva de deputados pernambucanos estiveram em Angra dos Reis, conhecendo detalhes das usinas de Angra 1 e 2, e as obras da Angra 3. O Brasil gasta por ano R$ 30 milhões em manutenção para conservar a estrutura existente da inacabada Angra 3 e estima-se que seriam necessários mais 15 bilhões de dólares para terminar o equipamento.

“Somos contra a instalação de uma usina nuclear no estado por entender que somos capazes de produzir outros tipos de energias como a eólica e a solar, sem riscos de consequências mais graves como é a nuclear. Por que investir em algo tão caro e inseguro”, disse Wanderson Florêncio.

O evento foi o segundo realizado pela Alepe para debater a instalação da usina no Sertão do Estado. Uma terceira Audiência Pública está marcada para acontecer em Itacuruba, com a presença da população da cidade. O debate deve acontecer na quadra municipal, que tem a capacidade de receber 500 pessoas.

“A chegada das usinas em Angra ocasionaram grandes problemas sociais na região que não queremos para Pernambuco. Já temos muitos para resolver. Suape até hoje enfrenta graves questões por um desenvolvimento que não foi planejado da forma correta. É preciso muita cautela nesse momento, escutando mais os diversos setores da sociedade”, finalizou.

Foto: Wesley D'Almeida

assuntos

comece o dia bem informado: